História do Direito Medieval

fernando_nagib@hotmail.com

Queda do Império Romano
Derrubada: Das instituições políticas Do pensamento jurídico Da cultura letrada romana

*Saque a Roma pelos Visigodos em 24 de agosto de 410, Sylvestre, 1890

Máxima extensão do Império Romano sob Trajano (séc. II): ordem político-jurídica universal

Direito germânico e Direito romano
480 d.C. Codex Euricianus 506 d.C. Lex Romana Wisigothorum
Epitome Gai

534 d.C. Digesto
Epitome Gai Institutiones (leges, iura et institutiones)

Império carolíngio

Translatio imperii
Império: resgate da noção de ordem universal Comunidade política e espiritual Os elementos da cultura romana escrita, ensino, a concepção de Lei - são levados as diversas regiões da Europa pelas missões cristãs e pela administração imperial franca
(WIEACKER, 2004, p. 97).

Direito medieval (800-1200)
³Entre as últimas capitulares carolíngias (fim do século IX) e as primeiras ordonnances dos reis da França (século XII) pouco se legislou em França. (...) Por conseguinte, o costume é a única fonte do direito laico´ (GILISSEN, p.
190).

Lealdade pessoal como laço entre o rei e o seu povo O direito antes étnico passa a ser territorial
*³Les Tres Riches Heures Du Duc De Berry´ (1410) ± Mês de Junho

Beijo vassálico Juramentos Faida Gewere Os senhores locais obtinham um poder de governo sobre um território como contrapartida pela fidelidade política ao rei (comprovada principalmente ao ir à guerra).

Ordálios pelo fogo Ordálios pela água Ordálios pela luta

1100 - 1250
Faida e wergeld (costumes germânicos e medievais) Substituição gradual dos Ordálios Julgamento pelo júri (common law) vox populi, vox dei Processo Inquisitorial (ius commune) verdade e forma jurídica

³Direito Comum´
‡ Direito costumeiro ‡ Direito legislado
± Direitos locais ± Direito real ± Direito Canônico

‡ Direito Romano da Recepção

Sachsenspiegel (1220)

Las siete partidas: Libro de las Leyes (séc. XIII)

O rei sábio conhece o Direito, a Ordem natural. O rei não impõe a sua Vontade. Só a Vontade de deus é legítima.

Sacro Império Romano-Germânico

Redescoberta do Código de Justiniano

Escola dos glosadores

Escola dos comentadores

Escola humanista

Autoridade de Bártolo

Antecedentes da recepção
Sobrevivência do direito romano vulgar Igreja e o império são instituições universais, o direito também deve ser universal Expansão das universidades

Causas da recepção
O processo de ³feudalização´ é também seguido pelo processo de urbanização (séculos XI-XIV). Com a decadência do poder imperial as cidades também ganham autonomia jurídica. Status de ³cidades livres´.

Causas da recepção
Desenvolvimento econômico das cidades e o florescimento comercial exigem uma modernização do direito tradicional ³Romanizar´ o direito significa ³modernizá-lo´

Sociedade mais complexa, direito mais complexo

Causas da recepção
As cidades medievais começam a produzir direito Controle político da cidade depende do controle social Polícia e direito penal. Importância da sanção

Causas da recepção
Propriedade urbana (contra a gewere) Individualização da propriedade Centralidade do contrato

Causas da recepção
Causas culturais (cultura romana renascimento) Identidade histórica (construção de identidade) Causas econômicas (capitalismo)

Causas da recepção
Previsibilidade do direito ± segurança jurídica para o desenvolvimento da sociedade e da economia Direito formal contra os ordálios e duelos Racionalização através do direito escrito

Recepção
Caracterização do letrado em um status diferenciado como conhecedor do direito O jurista, portanto, ganha um poder social diferenciado

Related Interests