You are on page 1of 19

Departamento de Química | Universidade de Aveiro

Diabete
s
Elaborado por:

 Alexandre Sério –
42339
 Manuela Lago – 45534
 Nadine Castro – 45631 (Tipo I)
Energia dos Processos Metabólicos
2009/2010
ÍNDICE
1. Diabetes - o que é?
2. Diabetes Tipo I
3. Causas e Incidência da Diabetes Tipo I
4. Transportadores de Glucose
5. Produção de insulina – Processos Metabólicos
 Açúcares – Abertura dos Canais de Cálcio
 Aminoácidos – Transformação em alfa-cetoácidos
 Lípidos – Degradação em Acetil-CoA
1. Inibição/Activação da libertação de insulina
 Activação da PLC e da PKC
 Activação da Adenilato Ciclase e da PKA
1. Regulação genética da insulina pela via da MAPK
2. A insulina nos adipócitos e miócitos
3. Diagnóstico da diabetes
4. Tratamento da diabetes tipo I
5. Em suma…
1 Diabetes – O que é?

Diabetes mellitus - doença metabólica relativamente


comum, caracterizada por um aumento anormal da
concentração de glucose no sangue – hiperglicémia.

Diabetes mellitus

Diabetes
Diabetes tipo I
tipo II
Outros
tipos
2 Diabetes Tipo I

Diabetes tipo 1: Doença metabólica e auto-imune: O sistema


imunitário produz anticorpos contra as células β
do pâncreas.

Défice de insulina Inexistência de células β no tecido pancreático

Hiperglicémia (aumento anormal da concentração de glucose)

Lípidos

Alterações no metabolismo de Proteínas

Hidratos de carbono
3 Causa e Incidência da
Diabetes Tipo I

 Causa
A sua causa Possível origem
não é bem infecciosa e/ou
conhecida. ambiental.


Incidênci 6 % da
a população
240 milhões de
diabéticos. mundial.
4 Transportadores de Glucose

GLUT-2 Fígado, células beta pancreáticas, rins, intestinos Nenhum a mínimo


GLUT-3 Tecidos adultos e fetais; abundante em placenta, Nenhum
cérebro e rins
GLUT-4 Tecido adiposo, músculo esquelético e cardíaco Dependente da insulina
GLUT-6 Cérebro, intestino delgado, tecido adiposo, rins Nenhum
5 Produção de Insulina – Processos
Metabólicos Aminoácidos

Açúcares

Ácidos Gordos
5 Produção de Insulina – Processos
Metabólicos
Abertura dos canais de cálcio

GLUT-2 células do fígado, cérebro, pâncreas e rins


GLUT-3 e do GLUT-6 também presentes no
cérebro.

Ingerimos hidratos de
Degradados em glucose
carbono

Entra pela GLUT-2

Glicólise [ATP]
A despolarização
é contrariada
Fecho dos canais Aumenta a relação
pela abertura
iónicos de K+ [ATP]/[ADP]
dos canais
iónicos de cálcio
5 Produção de Insulina – Processos
Metabólicos
Aminoácidos originam
Entram nas células α-cetoácidos

entram

Aumenta a relação
Produzindo ATP Ciclo do ácido cítrico
[ATP]/[ADP]

A
Fecho dos canais despolarização
Libertação de insulina
iónicos de K+ é contrariada
pela abertura
dos canais
iónicos de
cálcio
5 Produção de Insulina – Processos
Metabólicos
Ácidos gordos
entram Transformam-se
Células pancreáticas Acil-CoA

entram

Células hepáticas
Ciclo do ácido cítrico Acetil CoA
[ATP]
Corpos cetónicos
Libertação de insulina

Diminuição do pH no sangue

 Acetona no ar exalado Severas lesões nas células do organismo e


 Cetonúria consequente morte celular
6 Inibição/activação da libertação de
insulina
Abertura dos canais de cálcio

Activação da PLC e da PKC Activação da adenilato


ciclase e da PKA
6 Inibição/activação da libertação de
insulina
Activação da PLC e da PKC

liga-se Receptor
ACh Proteína
específico Gq

activa
PIP2
DAG + IP3 PLC
actua

activa liga-se
Proteínas
fosforila PKC Canais de
cálcio (RE)
activa
saída

Cálcio no citosol
6 Inibição/activação da libertação de
insulina
Activação da adenilato ciclase e da PKA
7
Regulação genética pela insulina via
cascata MAPK
8 A insulina nos adipócitos e miócitos

Adipócitos e Armazenam glucose sob a forma de


miócitos: triacilgliceróis e glicogénio
respectivamente

Glut-4

está presente na Transportador dependente da


membrana plasmática insulina, que quando em
destas células baixas concentrações, estas
(vesículas células são incapazes de
intracelulares armazenar a glucose que está
em excesso no sangue.
9 Diagnóstico da Diabetes

Podemos fazer um diagnóstico de Diabetes, com


base nalguns dos seguintes sintomas:

Poliúria – Elevados Cãibras;


volumes de urina produzida; Visão enovoada;
Polidipsia – Sede Enjoos;
excessiva; Má cicatrização;
Ceto-acidose; Dor abdominal.
Fome; Peso abaixo do
Fadiga; normal
1 Tratamento da Diabetes
Tipo I

0
O tratamento da Diabetes Tipo I requer
necessariamente a administração regular de
doses de insulina através de:
 injecção normal (seringa);
 bombas infusoras.

Alimentação adequada e cuidadosamente


acompanhada.
 Ingestão de hidratos de carbono de absorção lenta
 Consumo reduzido de gorduras de origem animal
11 Em Suma…

O aumento da [Glucose] no sangue é contrariado pela


libertação de insulina. Nos diabéticos, a insulina libertada é
quase nula pelo que a situação de hiperglicémia do sangue
permanece por períodos de tempo prolongados.
Os diabéticos possuem uma capacidade de
armazenamento de Glucose sob a forma de Glicogénio ou
Triacilgliceróis muito reduzida devido ao facto do GLUT-4 ser
dependente da concentração de insulina no sangue.
A situação de hiperglicémia leva à presença de glucose e
de corpos cetónicos na urina (glicosúria e cetonúria) que
provocam a poliúria e polidipsia.
Agradecemos
a vossa

=)
atenção .