You are on page 1of 43

Conceito: teoria da administração

‡ A Teoria da Administração é conjunto de teorias, idéias centrais, enfoques e críticas mais importantes do processo administrativo nas organizações.

1

Conceito: teorias
‡ Teorias são proposições, explicações e interpretações da realidade. Exemplo: Teoria da Contingência

2

Conceito: enfoque
‡ Enfoque é o estudo de um aspecto específico de uma teoria. Exemplo: Enfoque Sistêmico

3

Conceito: escola
‡ Escola abrange a denominação dada ao grupo de pensadores que se dedicam ao estudo de um enfoque específico. Exemplo: Escola de Relações Humanas

4

padrão de referência que serve de diretriz em áreas de conhecimento.Conceito: paradigma ‡ Paradigma é um modelo. Exemplo:Paradigma da Eficiência 5 .

Conceito: técnica ‡ Técnica é uma ferramenta utilizada para solucionar problemas específicos. ‡ Exemplo: organograma. benchmarking 6 .

análise intra-organizacional e análise interorganizacional. Análise ambiental (imperativo ambiental). Teoria das decisões. Organização informal. Abordagem de sistema aberto. na Estrutura Teoria das Relações Humanas nas Pessoas Teoria do Comportamento Organizacional Teoria do Desenvolvimento organizacional Teoria Estruturalista no Ambiente Teoria da Contingência Teoria da Contingência na Tecnologia 7 Adaptado de Maximiano. Múltiplas abordagens: organização formal e informal. Análise intra-organizacional e análise ambiental. Abordagem de sistema aberto. Motivação. Organização formal. Administração da tecnologia (imperativo tecnológico). comunicações e dinâmica de grupo. Abordagem de sistema aberto. lideranças.Principais Teorias Administrativas Foco nas Tarefas Teorias Administrativas Administração Científica Teoria Clássica Teoria Neoclássica Teoria da Burocracia Teoria Estruturalista Principais Enfoques Racionalização do trabalho no nível operacional. Funções do administrador. Integração dos objetivos organizacionais e individuais. 2009 . Mudança organizacional planejada. Racionalidade organizacional. Estilos de Administração. Organização formal burocrática. Princípios gerais da administração.

Lawrence e Lorsch. . . organogramas. nas tarefas. Feedback. Benchmarking. abordagem de sistema aberto.Europeus: Fayol. Abordagem Contingencial Quebra freqüente de paradigmas para enfrentar com eficiência as diferentes condições externas e tecnológicas. racionalização do trabalho no nível operacional. Skinner. 2009. Estrutural.Novas composições estruturais. Sheldon. Gestão de processos. Estruturalista Abordagem múltipla da Organização (sistema aberto) : formal e informal. nas pessoas. fluxogramas. Senge e outros Ênfase Meio Comportamental. Likert. Empowerment.Liderança situacional. diferenciação. Urwick . . Tecnológica (conhecimento). 2009) . Gestão de pessoas. . Gulick. Elton Mayo.. . .Liderança. . . . D. Follet. Maslow. Estratégica.Entradas.Norteamericanos: Taylor. nas pessoas. Mooney Edgar Schein. Simon e outros Teóricos . equifinalidade. . CURY.Gestão pela qualidade. cronogramas). no ambiente. Relações Humanas Adaptação da máquina ao ser humano.Mudança participativa. Reengenharia.Comunicação. Thompson Desenvolvimento Organizacional (DO) intervenções planejadas visando atingir a cultura da organização.Motivação. Processamento e Saída. no ambiente. ambiente interno e externo. Etzioni. OSM convencional (manuais.Informática. Mc Gregor.Dinâmica de grupo.Administração de conflitos. Lawrence e Lorsch.Evolução da teoria e da prática organizacional Teorias Clássica Categoria Ideologia Adaptação do ser humano à máquina. Davenporte. Thompson J. . Barnard. Katz e Kahn e outros 8 (ARAUJO. Gestão e organização horizontal. Tecnológica (equipamentos).

Abordagem Clássica da Administração: Administração Científica e Clássica A Escola Humanista ou Behaviorista A Linha Estruturalista 9 .

como transportadores. 4. contadores e utensílios para reduzir movimentos inúteis. Arranjo físico de máquinas e equipamentos para racionalizar o fluxo da produção. Projeto de instrumentos e equipamentos especiais. 2. 10 .As condições de trabalho para a Administração Científica: 1. 3. ventilação. iluminação e conforto no trabalho não reduzam a eficiência do trabalhador. Adequação de ferramentas de trabalho e equipamentos de produção para minimizar o esforço do operador e a perda de tempo na execução da tarefa. Melhoria do ambiente físico de trabalho para evitar que ruído. seguidores.

como uma visão industrial da gestão.A ESCOLA DE TAYLOR É Tempo de Movimento Organizações como um sistema fechado em si mesmo. super especialização dos operários e métodos científicos para processos de produção. ignorando toda a influência do ambiente externo e minimizando os efeitos internos do fator humano sobre a linha de produção. O sistema de recompensas era meramente econômico . Visão mecanicista. sociais e de caráter humano das empresas foram tratados nesta teoria apenas como fatores restritivos a uma maior produtividade ou do alcance dos objetivos econômico institucionais. apenas possíveis adaptações ou mesmo que ficassem à margem do novo modelo. 11 . Aspectos políticos. o que relegava às outras organizações.

operários obedecem. A base fundamental são os tempos e movimentos. 12 . baseado em pesquisas e estudos científicos. Frase: ³A forma de descobrir uma maneira eficiente de realizar um trabalho é analisá-lo em suas fase e estudar os movimentos necessários à sua execução de modo simplificá-los e reduzí-los ao mínimo´ (Taylor). Padrões são atribuições básicas de administradores e engenheiros. Referência em padrões de produção.A ESCOLA DE TAYLOR Os princípios da gestão Perseguir os melhores métodos de produção.

ritmo. seqüência. 3 ± Fabricação de carro a preços populares dentro de um plano de vendas e de assistência técnica. jornada de 8 horas diárias. movimentos coordenados).00). 2 ± Controle político da força de trabalho: estipulou salário mínimo de cinco dólares (US$ 5. repartiu com os operários parte das ações da empresa. padronizada em massa ou seriada. 13 . circulação planejada de materiais e peças e fixação do trabalhador ao posto de trabalho.Henry Ford 1 ± Linha de Montagem: produção mecanizada. incorpora mecanismos de controle sobre a execução do trabalho (tempo.

. 14 . redução de custos. 3 ± Princípio de produtividade: máxima de produção dentro de um período determinado. redução de preços. distribuição dos ganhos.Henry Ford Três princípios básicos: 1 ± Princípio de intensificação: aumentar o capital de giro que seria obtido dos próprios consumidores. 2 ± Princípio de economicidade: reduzir ao mínimo o volume de matéria-prima (estoque).

Atividades Administrativas: relacionadas com a integração de todas as operações da organização. Atividades Comerciais: relacionadas com as transações de compra. Atividades Contábeis: relacionadas com os controles e registros. Atividades Financeiras: relacionadas com a captação e bom uso do capital. venda e permuta. 2. 4. as atividades administrativas coordenam e sincronizam as atividades anteriores. como inventários. . balanços. custos e estatísticas. 5. 3. Atividades Técnicas: relacionadas com a transformação e produção de bens (produtos e serviços). Atividades de Segurança: relacionadas com a preservação e proteção das pessoas e dos bens.As funções básicas da empresa 1. tendo portanto interferência e 15 influência sobre elas. 6.

Assim. de forma a obter o máximo retomo em Coordenar: a harmonia de todas as atividades é o fundamental. os negócios e os trabalhos dependem desta harmonia para o sucesso. medir e dimensionar os atos. localizar as falhas e erros é o seu principal objetivo. desde a parte material. continuidade. com a finalidade de corrigi-los. Um bom plano de ação inclui unidade. tudo aquilo que poderá acontecer. 16 Controlar: . de pessoal e social. Organizar: preparar todas as coisas que sejam úteis ao funcionamento da empresa.As Funções Administrativas segundo Fayol . flexibilidade e precisão. a perfeita sincronização de todas as coisas e ações leva-nos à harmonia. Comandar: fazendo agir o pessoal.POCCC: Prever: Consiste na avaliação do futuro. todos os aspectos. mas principalmente os globais. para verificar se estão ocorrendo de acordo com o plano traçado pois esta é a sua finalidade.

17 . Sala de montagem de terminais: estudar com maior intensidade o mecanismo de processos de pequenos grupos. Quatro fases ( realizadas de 1924 a 1932 ):     Estudos da iluminação: conhecer o efeito da iluminação sobre o rendimento. O programa de entrevistas: entrevistar os empregados para saber as suas opiniões com respeito do trabalho. sob condições monitoradas. analisando a organização informal.Teóricos da Escola de Relações Humanas A experiência de HAWTHORNE Objetivo: Objetivo detectar de que modo fatores ambientais influenciavam a produtividade dos trabalhadores. Sala de montagem de relés: verificar. quais os efeitos das pausas para descanso e da fadiga sobre a produtividade. às condições de trabalho e à supervisão.

 O nível de produção é determinado pela integração social e não  O operário não reage como indivíduo isolado. mas como membro  A empresa é um conjunto de grupos informais cuja estrutura nem sempre coincide com a organização formal. de aprovação social e de participação nas atividades dos grupos sociais (Conceito de Homem Social ). 18 .  Os elementos emocionais e mesmo irracionais passam a merecer  As pessoas são motivadas principalmente pela necessidade de reconhecimento.Teóricos da Escola de Relações Humanas Conclusão da experiência de HAWTHORNE pela capacidade física dos operários. de um grupo social. uma maior atenção.

de estima e auto-realização. tem como teoria que as necessidades humanas estão organizadas numa espécie de ordem ou hierarquia que desempenha um papel importante no estudo da motivação. de segurança. as necessidades humanas são divididas em cinco categorias: básicas. 19 . Segundo Maslow. psicólogo americano. sociais.Teoria Motivacional de Maslow Abraham Maslow.

20 . As pessoas procuram satisfazê-las antes de se preocupar com as de nível mais elevado. As pessoas estão num processo de desenvolvimento contínuo. meio social ou personalidade.De acordo com a teoria de Maslow: as necessidades fisiológicas estão na base da hierarquia. Se uma necessidade não for satisfeita. Uma necessidade pode predominar sobre as demais. devido a fatores como idade. e orientam-se para a auto-realização. Uma vez atendida. a pessoa ficará estacionada nesse nível de motivação. A pessoa passa a ser motivada pela ordem seguinte de necessidades. uma necessidade deixa de se fazer sentir. As pessoas tendem a progredir ao longo das necessidades. Uma necessidade em qualquer ponto da hierarquia precisa ser atendida antes que a necessidade de nível seguinte se manifeste. buscando atender uma após outra.

Torna-se cada vez mais o que cada um seria capaz de ser. Amor. Competente. 21 . Livre do perigo. Sexo. Grupos sociais. Ter amizades. Valorizado. Vínculos familiares. Autorespeito. Necessidades físicas tais como: Alimentação. A necessidade de amar e ser amado. Moradia. Reconhecimento. Estrutura. sua auto-estima. Proteção. Sono. O desejo de sentir-se importante. A contrapartida da insegurança natural das pessoas: Estabilidade. O Sentimento das pessoas de sentirem-se valorizadas pelos que as rodeiam. Utilização plena dos talentos individuais e competências essenciais. Privacidade.Teoria Motivacional de Maslow O desejo dos indivíduos de renovar e reciclar seu potencial. Intimidade. Realização do potencial. Reputação. Abrigo.

psicólogo da Universidade de Missouri REALIZAÇÃO Competir como forma de auto-avaliação Relacio ame to de cordialidade e afetividade Exercer a i fluê cia ASSOCIAÇÕES PODER 22 .Outras Teorias Motivacionais David McCleland.

Caráter racional e divisão do trabalho. 3. Rotinas e procedimentos padronizados. 23 . Caráter formal das comunicações. Especialização da Administração. Impessoalidade nas relações. 2. 5. Competência técnica e meritocracia. 4. 7. Caráter legal das normas e regulamentos. 9. 6. Completa previsibilidade do comportamento. 8. Profissionalização dos participantes. 10. Hierarquia de autoridade.Características da Burocracia segundo Weber 1.

‡ Uniformidade de rotinas e procedimentos. ‡ Benefícios para as pessoas na organização. ‡ Redução do atrito entre as pessoas. ‡ Confiabilidade.Vantagens da Burocracia ‡ Racionalidade. ‡ Precisão na definição do cargo e da operação. ‡ Rapidez nas decisões. ‡ Continuidade da organização. 24 . ‡ Constância.

4. 4. 8. 2. Internalização das normas Excesso de formalismo e papelório Resistência às mudanças Despersonalização do relacionamento Categorização do relacionamento Superconformidade Exibição de sinais de autoridade Dificuldades com os clientes Previsibilidade do Funcionamento Imprevisibilidade do Funcionamento 25 . 3. 5. 7. 5. Caráter legal das normas Caráter formal das comunicações Divisão do trabalho Impessoalidade no relacionamento Hierarquização da autoridade Rotinas e procedimentos Competência técnica e mérito Especialização da Administração Profissionalização 1.Características e Disfunções da Burocracia Características da Burocracia Disfunções da Burocracia 1. 8. 6. 6. 7. 3. 2. 9.

reconhecendo a importância do grupo e das relações informais. minimizando a interferência das influências individuais e de caráter psicossociais. As Teorias Humanistas e Behavioristas buscaram resgatar o homem com todo o seu contexto social. 26 . Ao contrário da rigidez dos padrões de produção. A Teoria Estruturalista foca fortemente a estrutura burocrática como solução para os problemas organizacionais. que ficam subordinadas às regras impostas. prega maior liberdade dos seus membros e uma correspondente responsabilidade. Os objetivos organizacionais devem ser rigidamente seguidos pelos seus membros. em que o homem é uma peça da engrenagem da produção e cuja motivação são as recompensas econômicas que vinculam produtividade e melhores salários.Resumindo: A Teoria Científica ou Clássica tem uma visão de organização voltada para o campo científico e mecanicista. As recompensas contemplam fatores psicossociais.

sociológicos. etc). biológicos. 27 .Abordagem Sistêmica ‡ Teoria interdisciplinar capaz de transcender aos problemas tecnológicos de cada ciência e proporcionar princípios gerais (sejam físicos. químicos. ‡ Essa teoria é essencialmente totalizante: os diversos ramos do conhecimento ± até então estranhos uns aos outros pela intensa especialização ± passaram a tratar os seus objetos de estudo como sistemas. psicológicos.

‡ Teoria Geral dos Sistemas é interdisciplinar. ‡ Idéias vinculadas ao desenvolvimento e ao surgimento da automação e da cibernética. pode ser utilizada para fenômenos investigados nos diversos ramos tradicionais da pesquisa científica. 28 . Ludwig von Bertalanffy procura descrever as características principais das organizações como sistemas. que tem leis semelhantes às que governam sistemas biológicos. Bertalanffy propõe uma nova teoria científica: a Teoria Geral dos Sistemas. isto é.Teoria Geral dos Sistemas ‡ Em 1950.

Conceito de SISTEMAS: SISTEMA é um conjunto de partes integrantes e interdependentes que. formam um todo unitário com determinado objetivo e efetuam determinada função. O todo apresenta propriedades e características próprias que não são encontradas em nenhum dos elementos isolados. 29 . conjuntamente. Conjunto de elementos interligados para formar um todo.

idéias. objetos. peças (hardware). ‡ Abertos: troca matéria e energia com seu meio externo. planos. símbolos.Quanto à constituição. maquinários. 30 . os sistemas podem ser: ‡ Sistema físico ou concreto: compostos de equipamentos. Quanto à natureza podem ser: ‡ Fechados: não realiza intercâmbio com meio externo. filosofias (software). ‡ Sistema abstrato ou conceitual: compostos de conceitos.

informações. Ex: produtos e serviços. Ex: governo. humanos. portanto.O sistema se caracteriza por determinados parâmetros que são: ‡ Entrada ou insumo: tudo que o sistema importa do meioambiente externo para dentro de si. o funcionamento do sistema. ‡ Ambiente: é tudo aquilo que está do lado de fora da organização e não pode ser controlado por ela. ‡ Retroação ou retroalimentação: reentrada ou retorno de parte das saídas que influencia as entradas e. Ex: recursos financeiros. natureza. clientes. materiais. fornecedores. 31 . ‡ Processo ou processador ou transformador: transformação das entradas produzindo saídas ‡ Saída ou resultado ou produto: tudo que o sistema exporta para o meio-ambiente externo.

a abordagem sistêmica teve profundas repercussões na teoria administrativa 32 . Dentro desse novo posicionamento.O modelo de SISTEMA ABERTO é sempre um complexo de elementos em interação e em intercâmbio contínuo com o ambiente.

Principais características das organizações como sistemas abertos ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Importação de Energia: recebe insumos do meio ambiente. Entropia Negativa: fuga da ³morte´. 33 . Ciclo de Eventos: energia retorna à organização para reprocessamento. Processamento: processamento de insumos para transformá-lo em produtos. Exportação de Energia: a organização coloca produtos no ambiente.

subsistema social.Modelo Sociotécnico de Tavistock ‡ O modelo sociotécnico de Tavistock foi proposto por sociólogos e psicólogos (principalmente Eric TRIST e Fred EMERY) do Instituto de Relações Humanas de Tavistock com base em resultados de pesquisa por eles efetuadas em minas de carvão inglesas e em empresas têxteis indianas. 34 . ‡ A organização além de ser considerada um sistema aberto em interação constante com seu ambiente é abordada como um sistema sociotécnico estruturado sobre dois subsistemas: subsistema técnico e.

o território e o tempo. o ambiente físico e a maneira como está disposto. É o responsável pela eficiência potencial da organização. as exigências da tarefa.Modelo sociotécnico: Subsistema Técnico Subsistema Técnico: compreende as tarefas a serem desempenhadas. 35 . o equipamento e instrumentos utilizados. Envolve a tecnologia. as instalações físicas. as utilidades e técnicas operacionais.

36 . O subsistema social transforma a eficiência potencial em eficiência real.Modelo sociotécnico: Subsistema Social Subsistema social: compreende os indivíduos. as relações sociais entre os indivíduos encarregados pela execução da tarefa. na situação de trabalho. suas características físicas e psicológicas. bem como as exigências de sua organização tanto formal como informal.

Base no exercício da autoridade racional-legal.  As pessoas evitam a responsabilidade para se sentir seguras.  As pessoas podem se controlar e assumir responsabilidades.  As pessoas consideram o trabalho como algo natural a ser realizado. TEORIA X Teoria Gerencial convencional com base na Abordagem Clássica da Admistração.  As pessoas são criativas e competente. há diferentes tipos de pressupostos sobre a natureza humana.  As pessoas são preguiçosas e indolentes. Para o autor.Teorias mais modernas Teorias X e Y Douglas McGregor e os pressupostos da Teoria X e a Teoria Y.  As pessoas gostam do trabalho que exercem e são esforçadas e dedicadas. TEORIA Y Retoma alguns argumentos de Maslow.  As pessoas são ingênuas e sem iniciativa. refere-se à concepção da natureza humana e as funções da administração. e suas motivações correspondem a diferentes estilos de liderança. 37 .  As pessoas tendem a evitar o trabalho.

inclusive em termos de remuneração além de progressão na carreira. O diagnóstico do sucesso dos japoneses partia dos seguintes principais fatores: Estabilidade do emprego (tendência ao emprego vitalício). 38 . Organização sindical. Valorização da antiguidade. por Willian Ouchi.A Teoria ³Z´ .A administração Participativa Desenvolvida como uma evolução da Teoria Y e inspirada no sucesso da gestão de empresas japonesas. da Universidade de Chicago. baseado na existência de um único sindicato por empresa.

enquanto a estratégia corresponde ao plano global de alocação dos recursos para atender a uma demanda do ambiente. Chandler sobre as mudanças estruturais relacionadas com a estratégia de negócios. demonstrando como a estrutura daquelas empresas foi continuamente sendo adaptada e ajustada à sua estratégia. Standard Oil Co.Teorias Contingenciais Surge em meados dos anos 60. Joan Woodward. A estrutura organizacional corresponde ao desenho da organização. Marca um passo além da Teoria de Sistemas com suas origens a partir de pesquisas de alguns autores destacando as de: 1. Charles Perrow. General Motors. O autor estudou a experiência de quatro grandes empresas americanas DuPont. Emey e Trist. Chandler Jr. Burns e Stallker. e Seares Roebuck & Co. Teóricos: Lawrence e Lorsch. 39 . à forma organizacional que ela assume para integrar seus recursos. isto é. quando o meio ambiente passa a ser preocupação das gestões administrativas.

ou seja. ou seja. com taxas distintas de concorrência e de mudança tecnológica elaboraram dois tipos ideais de organização cada um adaptado a um tipo de setor. Organização mecânica: caracterizada pela formalidade. Burns e Stalker a partir de um estudo pioneiro em 20 empresas inglesas de setores diferentes. com alta taxa de inovação e um mercado caracterizado por uma forte concorrência. demanda regular e previsível. pela existência de um organograma detalhado. organização mecânica e da organização orgânica. Modelo característico de contextos de negócios estáveis. Modelo característico de contextos de negócios de meios turbulentos . Organização orgânica: papéis organizacionais não explícitos. pouca inovação tecnológica. com uma boa comunicação horizontal e vertical e poder de decisão descentralizado e difuso. pouca comunicação horizontal interna e forte centralização do poder pela direção. 40 .Teorias Contingenciais 2.

cada um deles envolvendo uma diferente maneira de produzir: 1. médio nível de complexidade. em que o indivíduo executa do princípio ao fim a produção. 3. baixo nível de complexidade. 41 . Ex.: empresas montadoras de automóveis.Teorias Contingenciais 3. Classificou em três grupos amplos de tecnologia de produção. Produção em Massa: transforma matérias-primas em produtos finais. Produção por Projeto ou Produção Unitária e de Pequenos Lotes: envolve trabalho artesanal. Ex. alto nível de complexidade. os tipos de estrutura organizacional das empresas e o desempenho. Produção de Fluxo Contínuo do Processo: visão geral do processo de produção.: Indústria Química. 2. Joan Woodward socióloga industrial inglesa efetuou uma investigação em 100 firmas de diferentes tipos de negócios sobre a relação existente entre a tecnologia.

Lawrence e Lorsch fizeram uma pesquisa comparando dez empresas em três diferentes meios industriais plásticos. diverso e segmentado. Toda organização.Teorias Contingenciais 4. acentuando sua diferenciação interna preocupando-se em manter um mínimo de integração. ao contrário. criando 42 estruturas e procedimentos organizacionais que controlem as diversas partes que a compõem. setores específicos. tendo em vista a gestão dos conflitos e as contradições que resultam dessa tensão. diferenciação e os mecanismos de resolução de conflitos. alimentos empacotados e recipientes (containeres). turbulência do meio ambiente e do tipo de pressões sofridas pela empresa) e os níveis internos de integração. diversidade. . Os autores chegaram à conclusão de que existe uma relação fundamental entre os níveis externos da organização (incerteza. deve desenvolver setores especializados em determinadas tarefas. sobre a compreensão da influência das características do meio ambiente sobre a tentativa de manter-se um equilíbrio entre o nível interno de diferenciação e de integração. para poder trabalhar com um meio que não é homogêneo.

Dependendo do tipo de ambiente e do tipo de objetivo ou problema a ser solucionado. a fim de ter bom desempenho. Complementar à teoria dos sistemas abertos de Bertalanffy (1950). As organizações devem procurar controlar ativamente as incertezas geradas pelo seu setor. vários tipos de organização são possíveis. mais especificamente pelo seu meio ambiente imediato de atuação. trabalha com a noção de adaptação contínua da organização ao meio ambiente e de seu ajuste interno às características deste. como também demonstra o princípio da equifinalidade dos sistemas: existe mais de uma maneira de atingir os objetivos propostos. 43 . sob pena de sofrer o processo de entropia (morte).Teorias Contingenciais A Teoria da Contingência nos mostra que não há one best way.