You are on page 1of 17

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS-UFAM

FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS-FES


CIÊNCIAS ECONÔMICAS

I PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO


(I PND) 1972-1974
EQUIPE:
= Danielle Rita Colares
= Luiz Eduardo Camolezi
= Niceane Campos
= Nuno Ponce
= Silvia Reiner
Contexto Histórico:
‡ Acelerado crescimento econômico entre 1956 e 1961;

‡ Golpe Militar de 1964;

‡ Criação do PAEG;

‡ Posições superiores do Governo foi assumido pelas Forças Armadas,


empresas Estrangeiras, grandes empresas privadas nacionais,
empresas estatais e o próprio Estado;
Contexto Histórico:
‡ O objetivo central das forças armadas que assumem o poder em abril de
1964 , e nele se mantêm durante 21 anos, pode ser resumido , nas
quatro diretrizes seguintes:

a)Criar e assegurar condições para um crescimento econômico


acelerado;
b)Consolidar o sistema capitalista do país;
c)Aprofundar a integração da economia brasileira ao sistema capitalista
internacional;
d)Transformar o Brasil em potência mundial retirando o país da condição
de subdesenvolvido.
Contexto Histórico:
= De 1968 e 1973 o PIB brasileiro cresceu a uma taxa média acima dos 10%
a.a, a inflação oscilou entre 15% e 20% a.a e a construção civil cresceu, em
média, 15% a.a .
= As informações em vermelhodevem ser inseridas nos slides específicos sobre o I
PND
= Com apoio de uma Junta Militar, o General Emílio Garrastazu Médici assumiu a
Presidência da República, entre 1969 e 1974, em um contexto de µmilagre
econômico¶ que entusiasmou principalmente a classe média. Neste escopo, foram
feitos investimentos em obras de grande vulto, como por exemplo a criação da
Rodovia Transamazônica. Contudo, como observado por Carrion (1975), já naquela
época, a realização dessas obras foram questionadas por apresentar necessidades
duvidosas.
I Plano Nacional de Desenvolvimento
= Estas informações devem ser inseridas nos slides que falam sobre o I
PND.
= Durante o mandato governamental do presidente Geisel , foi instituído
o Primeiro Plano Nacional de Desenvolvimento - I PND, para os anos
de 1972 a 1974, aprovado pela Lei nº 5.727. O I PND teve como
finalidades básicas: dar continuidade a expansão da economia,
elevando o desempenho nacional em setores considerados
estratégicos; estabelecer medidas para ampliar as exportações,
principalmente de produtos manufaturados; obter níveis mais elevados
de reservas em divisas; e revitalizar o mercado de capitais.
I Plano Nacional de Desenvolvimento
= Vocês já estão tratando do PND, não entendi por que ainda está em
contexto histórico.

= Um outro aspecto observado no I PND diz respeito a uma certa


conscientização da problemática da ciência e tecnologia, intrinsecamente
presente nas propostas colocadas.

= A política econômica apresentada no I PND enfatizou investimentos em


setores industriais com alto conteúdo tecnológico, priorizando a absorção
de tecnologias estrangeiras de vanguarda, com competitividade em nível
mundial.
I Plano Nacional de Desenvolvimento
= Recomendo consultar o livro do Nilson Holanda (Elaboração e Análise de Projetos)
cap. 3 sobre o Planejamento Econômico Brasileiro. Antes do I PND vocês vão ter
que citar o Programa de Metas e Bases para Ação do Governo (1970/73). Possuo
livro, posso levar na segunda-feira.
= Em 15 de setembro de 1971 foi encaminhada ao Congresso, juntamente com o
segundo Orçamento Plurianual de Investimentos, a proposta do I Plano Nacional de
Desenvolvimento (I PND).
= Objetivos nacionais:
a)Colocar o Brasil na categoria de nação desenvolvida;
b)Duplicar até 1980 a renda per capita
c)Expandir o PIB de 8% a 10%
I Plano Nacional de Desenvolvimento
d)Investimentos nas áreas de siderurgia, petroquímica, transportes,
construção naval, energia elétrica e mineração

e)Prioridades Sociais

f)Ampliação do mercado consumidor e da poupança, com os recursos do


PIS e PASEP
I Plano Nacional de Desenvolvimento
= Projetos complementares:
a)PIN (Programa de Integração Nacional) e PROTERRA (Programa de
Redistribuição de Terras e de estímulo à Agropecuária do Norte-
Nordeste)

b)Construção da Transamazônica e colonização na região

c)Projeto RADAM

d)Plano de Irrigação do Nordeste

e)Apoio ao pequeno produtor e implantação de projetos agrícolas em


sentido empresarial
I Plano Nacional de Desenvolvimento
Substituição da estratégica de desenvolvimento regional global por uma
estratégia de Pólos de Desenvolvimento;

Concedeu maior ênfase à industria de bens de consumo duráveis


liderada pela industria automobilística

Avanço no processo de substituição de importação

Milagre econômico chega ao fim:


‡ Choque do Petróleo
‡ Condição externa desfavorável
‡ Inflação permanente
I Plano Nacional de Desenvolvimento
= I Plano Básico de Ciência e Tecnologia (I PBDCT)
Desenvolvimento C & T passa a ser um objetivo explícito da política
econômica.
Desenvolvimento de novas tecnologias e novas indústrias intensivas
em tecnologia
Viriam FNDCT , CNPq e BNDE
Programa de Investimentos - Período 1972/1974

Cr$ milhões de 1972

Dispêndio totais - Governo Federal , Governos Estaduais e Municipais , além


EDUCAÇÃO 31.200 de recursos particulares e externos - sendo Cr$ 28000 milhões
correspondentes ao setor público

Dispêndios públicos, dos quais Cr$ 1.650 milhões representam investimentos


SAÚDE-SANEAMENTO 15.200
do mecanismo finaiceiro de Saneamento

Aplicações totais, para execução do Plano Básico de Desenvolvimento


DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO 1.750
Científico e Tecnológico.

Aplicações governamentais (não computados os financiamentos de custeio


AGRICULTURA-ABASTECIMENTO 15.600
pelo CREAI e outros órgãos).

Investimento, sendo : Energia Elétrica , Cr$ 17.300 milhões, abrangendo


Governo Federal , parte do programa dos Estados e o programa privado;
ENERGIA 24.400
Petróleo e Xisto , Cr$ 7.100 milhões (dos quais Cr$ 1.780 milhões em
prospecção).

Investimentos ( por parte do Governo Federal),sendo: Cr$ 10.600 milhões no


Sistema Rodoviário; Cr$ 4.570 milhões no Sistema Ferroviário; Cr$ 3.670
TRANSPORTES 20.100
milhões em Portos e Navegação Marítima e Fluvial; Cr$ 1.260 milhões em
Transportes Aéreos (infra-estrutura).
Investimentos públicos , abrangendo telecomunicações,comunicações urbanas
COMUNICAÇÕES 3.120
e serviços postais.

Previsão de investimentos (com elevada participação do setor


privado);Siderurgia, Cr$ 7.700 milhões; Química, Cr$ 5.500 milhões; Mecânica
e Elétrica,Fundidos de Ferro e Aço , Cr$ 450 milhões; Ferroligas,Cr$ 130
DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL 30.400
milhões; Metais não-ferrosos, Cr$ 650 milhões; Cimento, Cr$ 1.000 milhões;
Celulose e Papel, Cr$ 2.800 milhões; Bens de Consumo não-duráveis, Cr$
4.000 milhões.

Investimentos , dos setores público e privado (Cr$ 3.250 milhões) e


aplicações federais para pesquisa de recursos minerais (Cr$ 430 milhões,
MINERAÇÃO 3.690
exclusive prospecção de petróleo , sendo Cr$ 150 milhões em pesquisas de
urânio).

Investimentos, por intermédio do Sistema Financeiro da Habitação (inclusive


HABITAÇÃO 17.500
poupança induzida).

Dispêndios globais, através do PIN (Cr$ 3.090 milhões) e PROTERRA (Cr$


INTEGRAÇÃO NACIONAL 10.550 3.000 milhões, sendo Cr$ 2.060 milhões de incentivos fiscais ) e destinação de
incentivos fiscais ao Norte e ao Nordeste (Cr$ 4.460 milhões).

Aplicações com novos recursos, através do PIS (Cr$ 4.790 milhões) e PASEP
INTEGRAÇÃO SOCIAL 5.730
( Cr$ 940 milhões , no âmbito federal).
Conclusão:
Segundo comentário do IPEA, sobre o período de 1968-73: ³Como demonstrou o
³milagre´ dos anos 68/73, a preocupação exclusiva com a maximização do
crescimento de renda, fundada sobre um padrão de demanda elástica, longe de
resolver, pelos supostos mecanismos automáticos de mercado, agravou tanto os
problemas do subemprego e da pobreza como os desequilíbrios regionais.´ Esta
informação deve ser inserida durante o desenvolvimento do seminário. Vocês
devem apresentar a conclusão da equipe sobre o I PND , é claro que levando em
consideração as informações apresentadas.
O I PND, apesar das restrições, alcançou os objetivos quantitativos globais
visados. A economia cresceu aceleradamente. O Brasil passou da 15ª para 8ª
economia mundial. A entrada de capitais estrangeiros, principalmente sob a forma
de empréstimos e financiamentos - elevou a dívida externa bruta do País, que em
Conclusão:
A política de endividamento externo constituiu-se, no período, no principal fator de
aceleração do crescimento econômico. A extroversão da economia, por outro lado,
tornou o País mais dependente do exterior e, ao incentivar a exportação, provocou
menor oferta interna, principalmente dos produtos agrícolas.

A crise, provocada pelo aumento do petróleo no mercado internacional no último


trimestre de 73, deteriorou substancialmente a situação econômica do País: no
plano externo, com o agravamento dos reajustes do balanço de pagamentos, e no
plano interno, com o reinício da escalada das taxas de inflação.
„  
= BRITO,Paulo .m  
: planos econômicos e políticas
econômicas básicas. São Paulo: Atlas 2004.

= BRASIL.Presidência da República. ?  ? m


m m?m 
 . Local, ano ???

= FURTADO, Milton Braga. 



 m  
. Rio de
Janeiro: Editora LTC, 6. ed., 1998