O. S. M.

INTRODUÇÃO
O novo conceito de OSM é o desenvolvimento organizacional, que envolve a atuação do profissional como consultor em planos estratégicos, projetos de mudança organizacional, gestão de negócios, qualidade total e educação empresarial. empresarial. Conseguir a eficiência e a eficácia da estrutura administrativa por meio da aplicação de certas técnicas científicas de redução de tempo, esforços e custos. custos. O novo O&M assume forma virtual, ligando-se ligandodiretamente ao ambiente da TI (Tecnologia da 2 Informação). Informação).

INTRODUÇÃO Determinantes para o surgimento da O&M: Crescimento e complexidade organizacional Problemas estruturais de difícil solução Desvio de objetivos planejados Defasagem de técnicas e processos Estudos científicos de Taylor e Fayol Produtividade e eficiência Rendimento humano (físico e intelectual) Satisfação e motivação (Herzberg e Maslow) 3 .

INTRODUÇÃO Objetivos para o surgimento da O&M: Organizações conscientes e harmônicas Organização e Métodos ou O&M (no Brasil: 1955) Organização: Atividade que estrutura harmoniosamente os recursos organizacionais. promovendo atuação sistêmica eficiente e eficácia de conjunto. 4 . tempo e movimentos por meio da simplificação do trabalho. Método: Economia de esforços. resultando aumento de produtividade e diminuição de despesas.

Sensibilizar os ativos intelectuais para a importância dos clientes. Processar a análise funcional/estrutural (³downsizing´). Identificar os pontos críticos e falhos da empresa (soluções).INTRODUÇÃO Objetivos básicos de OSM: Racionalizar os processos administrativos e operacionais. Processar a sinergia interdepartamental. Buscar a padronização de métodos e procedimentos (ISO 9000/14000). 5 . Criar meios para agilizar e eliminar os ruídos das comunicações Possibilitar a troca de experiências ( Benchmarking ). Minimizar os custos com a documentação. Estimular a criação de Círculos de Controle de Qualidade.

PROFISSIONAIS DE OSM .ONTEM Nas décadas de 60. era comum estabelecer-se um estabelecerclima de antagonismo entre ambas as categorias. 6 . sistemas. por sua vez. execu-tava. O analista de sistemas dizia. profissionais estavam envolvidos na tarefa de mecamecanizar as atividades que uma empresa execu-tava. dois tipos de profis60. Um desses profissionais era o analista de O&M. o outro era o analista de sistemas. O analista de O&M achava que o outro só se preocupava em mecanizar todo e qualquer fluxo de informação e não se importava com o fluxo propriamente dito. lugar. dito. categorias. 80. Embora os dois profissionais trabalhassem sob a mesma gerência. que o analista de O&M só sabia fazer formulários e mudar as mesas de determinado setor de lugar. 70 e 80.

(matérias que eram dadas nos cursos de administração de empresas) recrutada dentro da própria organização. o que dificultava o desenvolvimento profissional deste pessoal. os cursos existentes para a área eram raros. Já o analista de O&M não tinha uma formação definida. geralmente. métodos. pessoa sem muita formação teórica em organização.PROFISSIONAIS DE OSM . 7 . Quando o analista de O&M tinha feito um curso de administração de empresas ainda havia uma ponta de preocupação com o todo. com matérias divididas em cursos formais que iam da introdução ao processamento de dados ao projeto e desenho do banco de dados. tempos etc. Os analistas de sistemas tinham uma formação geralmente muito bem definida e planejada.ONTEM Analista de O&M: O analista de O&M era.

A isto eles davam o nome de rotina. representando mesas. armários etc. porém. Às vezes o fluxo extrapolava os limites da área analisada e incluía outras áreas sem. cadeiras. inúmeros formulários eram gerados e a disposição dos móveis numa determinada área. o layout. Como resultante de suas análises. ganhava atenção especial com alguns analistas debruçados dias e dias sobre plantas e recortes de papel. os profissionais de O&M preocupavam-se apenas em levantar o fluxo da informação dentro de determinada área. de dimensões exatas. aprofundar-se muito e sobretudo sem questionar o processo em si mesmo.PROFISSIONAIS DE OSM . 8 .ONTEM Analista de O&M: Salvo raras exceções.

ONTEM Analista de O&M: Hoje não existe mais o departamento.PROFISSIONAIS DE OSM . setor ou outro lugar que congregue os analistas de O&M nas empresas como havia no passado. A área de O&M foi extinta. Também mudou o enfoque do comportamento desses profissionais. e não foi apenas a titulação que mudou. Os analistas de O&M que souberam evoluir transformaram-se no que são os analistas de processos de hoje. 9 .

mas não sem ter aprendido uma lição definitiva: ³os dados e o produto dos sistemas de informação são propriedade dos usuários. Há cerca de duas décadas. sempre reverenciado. 10 . o analista de sistemas era uma espécie de divindade. Agia muitas vezes de forma arbitrária para desgosto e desespero dos usuários que dele necessitavam para automatizar suas rotinas de trabalho.ONTEM Analista de Sistemas: Sistemas: Esse profissional sobreviveu. ele era amado e odiado ao mesmo tempo. jamais do analista de sistemas´.PROFISSIONAIS DE OSM .

desenho e programação de um sistema de informação.PROFISSIONAIS DE OSM . Os usuários tinham pouco ou nenhum contato com o computador. suas dificuldades. 11 . seus problemas. para que eles fossem transformados num meio e linguagem entendidas pela máquina. resolver todas elas.ONTEM Analista de Sistemas: O analista de sistemas tinha por responsabilidade: entender as necessidades do usuário. e. através do projeto. não existiam terminais nem muito menos microcomputadores: eles se limitavam a preencher planilhas com os dados que coletavam e levavam ao setor de digitação.

ONTEM Analista de Sistemas: O analista de sistemas jamais se preocupou em melhorar um processo. salvo raras exceções. pois ambos não tinham a preocupação de entender o processo. ele não tinha a preocupação de melhorar o que o usuário estava fazendo ou como estava fazendo. Neste ponto havia semelhança entre o comportamento do analista de O&M e o analista de sistemas. 12 . limitando-se a auto-matizar. o erro. muitas vezes.PROFISSIONAIS DE OSM . mesmo porque. decompondo-o em suas atividades para melhorá-lo.

r f i tr i. l contr rio.PROFISSIONAIS DE OSM . compensando suas defici ncias com uma atuação integrada. N t t xcl i .e naquilo que cada um tem de mel or.HOJE Exi t j tr ti li t : analista de analista de processo. integrada. processo. tr rofi ionai podem complementar-se odem complementar. analista de negócio sistemas. 13 . sistemas. N i r i . l t r i fl i t .

PROFISSIONAIS DE OSM .HOJE Analista de Negócios: O analista de negócios não deve ser confundido com o analista de processos. e muito menos com o analista de sistemas. Os três são complementares. pois enquanto um se preocupa com: O que fazer (analista de negócios) O outro se preocupa com: Como fazer (analista de processos) E o terceiro se preocupa em: Como automatizar (analista de sistemas). 14 .

Está sempre preocupado em encontrar novos caminhos para a empresa. pois. por outro. 15 . cria novos produtos. estar preocupado em prover a empresa das condições necessárias ao sucesso do empreendimento. por um lado.HOJE Analista de Negócios: O analista de negócios busca as melhores oportunidades de negócio. analisa as tendências. recria produtos existentes.PROFISSIONAIS DE OSM . pesquisando quais são as oportunidades que ainda não foram exploradas para poder fazê-lo antes que outros o façam. Este novo tipo de profissional deve obrigatoriamente ter um conhecimento razoável sobre tecnologia da informação. de antemão. assim vai. É um profissional que está sempre em contato com o mercado consumidor. e com os donos do negócio.

O analista de processos tem como principal objetivo de atuação do cargo a criação. cuja preocupação principal é criar um processo produtivo para o negócio que foi idealizado. Tornou-se o ponto de ligação entre todos os profissionais que desempenham atividades ligadas ao negócio.PROFISSIONAIS DE OSM . além de fazer com que todos. implantação e melhoria do processo que vai suportar o negócio.HOJE Analista de Processos: O profissional que substitui o antigo analista de O&M dentro das empresas é o analista de processos. 16 . estejam concentrados em atingir os mesmos resultados. sem exceção. Um novo tipo de profissional.

que é a diferença entre o que custa para produzir e o preço final. 17 . além de necessária. agregue valor ao bem ou serviço produzido. transformam ou montam o produto ou serviço que a empresa vende. que remunera o capital empregado no processo produtivo. a fim de fazer com que o preço cobrado por ele valha o lucro. a mais importante talvez seja procurar fazer com que cada atividade.PROFISSIONAIS DE OSM . o meio e o fim do conjunto de atividades que produzem. Entre suas atribuições.HOJE Analista de Processos: É o profissional que formaliza o início.

assegurando que o produto final tenha o mesmo tratamento e a mesma preocupação com custo e qualidade ao longo de toda a cadeia de produção. que é analisar a cadeia de valores com vistas a determinar a real necessidade de cada um de seus elos. 18 .HOJE Analista de Processos: Isso nos leva a outra de suas atribuições.PROFISSIONAIS DE OSM . sejam eles internos ou externos.

no mínimo. 19 . além de definir o sistema. É mais ou menos comum esse profissional. alguns deles.HOJE Analista de Sistemas: O antigo analista de sistemas continua existindo e desempenhando. com pequenas diferenças.PROFISSIONAIS DE OSM . as mesmas atividades que desempenhava no passado. também escrever os programas ou. em muitos casos.

conceitual. a humana e a conceitual. eficazmente. o processo habilidade a. três tipos de habilidades necessárias para que o administrador possa executar. pelo menos.HABILIDADES DO ANALISTA DE OSM Há. 20 . administrativo: administrativo: a habili ade té i a.

analisar. métodos e técnicas de análise administrativa. técnicas e equipamentos necessários para a realização das tarefas específicas.HABILIDADES DO ANALISTA DE OSM A habilidade técnica consiste em utilizar conhecimentos. elaborar e implantar sistemas administrativos. Habilidade para levantar dados. processamentos. processos. tendo em vista a planificação detalhada do processo de trabalho. métodos. educação. por meio de sua instrução. experiência e educação. Habilidade de lidar com programas. 21 .

Deve. 22 . portanto. e Habilidade para ter conhecimento das ferramentas e dos processos que a empresa usa. Esse esforço de análise exige intensa capacidade de concentração e concisão. dessa forma. sabendo.HABILIDADES DO ANALISTA DE OSM Habilidade para manusear equipamentos específicos. por exemplo. integrar informações. como os computadores. ser um generalista que trabalha juntamente com especialistas. Habilidade para reunir idéias de forma lógica.

resistências. observar é necesnecessário para a ação de influenciar terceiros. compreender suas atitudes e motivações e aplicar uma liderança eficaz. recomendações. eficaz. Estar apto a treinar usuários. Saber ouvir.HABILIDADES DO ANALISTA DE OSM A habilidade humana consiste na capacidade e no discernimento para trabalhar com pessoas. 23 . convencendoconvencendo-os das vantagens de suas recomendações. sabendo lidar com suas resistências. argumentar.

promovendo os ajustes necessários que são evidenciados pelo levantamento e pela análise de dados e informações dos sistemas administrativos.HABILIDADES DO ANALISTA DE OSM A habilidade conceitual consiste na capacapacidade de compreender as complexidades de toda a empresa e o ajustamento do comportamento da pessoa dentro da estrutura organizacional da mesma. Essa aptidão permite que o profissional de OSM se comporte de acordo com os objetivos e as necessidades da empresa. administrativos. 24 . mesma.

Paciência e perseverança. 25 . Versatilidade e visão empresarial. Clareza de raciocínio. Boa percepção. Espírito de grupo. Facilidade de relacionamento humano. Poder de criatividade. Capacidade de análise e síntese (senso crítico e analítico). Pesquisador.PERFIL PROFISSIONAL Organizado. Conhecimentos especializados. Reputação profissional.

Analisar e ordenar as idéias 3. Motivar 6. Identificar o problema 2. Avaliar e corrigir 8. Estabelecer plano 4. Obter e sintetizar as informações 26 .FUNÇÃO DO PROFISSIONAL DE OSM 1. Implantar e acompanhar 7. Vender a idéia 5.