Marketing Político ² Previsão e Planejamento Estrutura de uma Campanha Eleitoral

CANDIDATO
Assessoria de Marketing Chefia da Campanha Conselho Político

Coordenadoria de Planejamento
Cronograma da Campanha Agenda do Candidato Estratégias Políticas

Coordenadoria de Ação
Organização de comitês Direção de Cabos eleitorais Produção da Comunicação

Coordenadoria de Apoio
Política Jurídico Financeiro Material Administrativo

Marketing Político ² Previsão e Planejamento Estrutura de uma Campanha Eleitoral 
   

Previsão: visa a tabular todos os problemas que possam ocorrer. Divisão de áreas: estratégia diferenciada para cada problema. Prever soluções alternativas: Ex: atraso no material de campanha. Alocação de Recursos Humanos: levantar habilidades específicas. Chefia da Campanha: Responsável pela execução dos programas (macrovisão da campanha). 

Conselho Político: Assessorar o chefe da campanha, avaliar e replanejar a campanha, se for o caso. 

Assessoria de Marketing: Condução e revisão das ações.

Marketing Político ² Previsão e Planejamento Estrutura de uma Campanha Eleitoral 
Coord. de Planejamento: define as linhas gerais. Coord. de Ações: responde pela viabilização da campanha. Coord. de Apoio: Suporte técnico e operacional.  Política: contatos para alianças e articulações.  Jurídica: orientação sobre as delimitações das leis.  Financeira: compatibilização dos recursos e apoios financeiros.  Materiais: suporte de materiais e contato com fornecedores.  Administrativa: central operacional e de informações.

Marketing Político ² Previsão e Planejamento Orçamento de uma Campanha Eleitoral
³...a metade do que um candidato gasta em sua campanha eleitoral é desperdiçada. O chato é que ele nunca sabe que metade é esta.´ John Kennedy  Aplicação de verbas: visar o custo/benefício (usar critérios definidos).  Previsão com um ano de antecedência: condições de avaliar custos com material e pessoal.  Evitar mesmice na campanha: santinhos, faixas e cartazes mais poluem do que projetam o candidato junto ao eleitor.  Orçamento compatível com universo de eleitores a abranger.  Usar material conforme tipo se segmento que se quer atingir.  Selecionar fornecedores que possam atender os pedidos dentro do prazo (lembrar que também atendem a outros candidatos).  Bases na montagem do orçamento: previsões realistas e organização.

Marketing Político ² Previsão e Planejamento Orçamento de uma Campanha Eleitoral
FINANÇAS:  Recursos vão além dos parâmetros da legislação eleitoral.  Origem: verbas oficiais e de segmentos que apóiam o candidato (contabilizado).  Uso de ³dobradinhas´: candidato com cacife eleitoral aceita carregar outros quem banquem a sua campanha.  Atentar para candidatos da base aliada do governo: recebem auxílio direta ou indiretamente na campanha.  Arregimentar grupos para trabalhos voluntários: usar o carisma do candidato.  Financiamentos:  público X privado?  pessoa física X pessoa jurídica?

Marketing Político ² Previsão e Planejamento Cronograma de Atividades - Campanha Eleitoral 

Fundamental para a administração da campanha.  Visa a ordenar as atividades no devido tempo.  Proporciona dimensionamento do que é necessário e até quando fazê-lo.  Adequação criteriosa do cronograma ao tempo que for pedido.  Pode ser flexível dentro da realidade existente.  Espaço de tempo apertado obriga estudo estratégico ± abrange alguns tópicos.  Organizar o cronograma em etapas.

Marketing Político ² Previsão e Planejamento Check-list de uma Campanha Eleitoral
QUESTIONAMENTOS: 1) A sua estrutura organizacional "cobre" todas as atividades de campanha? 2) A estrutura organizacional considera a necessidade de "disponibilizar" o tempo do candidato? 3) Sua estrutura administrativa de campanha está compacta, harmônica, com pessoas de confiança e motivadas para a vitória? 4) Sua estrutura administrativa está adequada à disponibilidade financeira? 5) As pessoas da estrutura sabem que em uma campanha, quem tem que "aparecer" é o candidato?

Marketing Político ² Previsão e Planejamento Check-list de uma Campanha Eleitoral
6) As pessoas da estrutura estão conscientizadas da necessidade de "otimizar" recursos? 7) As pessoas que têm "visibilidade" na estrutura têm boa imagem junto à população e facilidade de relacionamento? 8) Cada pessoa da estrutura de campanha sabe com clareza suas atribuições? 9) A parte de atendimento ao público está preparada como se fosse "cartão de visitas" da campanha? 10) Sua estrutura contempla atenção a certos segmentos do eleitorado (jovens, mulheres, idosos, etc)? Anote a quantidade de respostas para cada alternativa: Sim: ______ Dúvida: ______ Não: ______

Marketing Político ² Previsão e Planejamento RH na Campanha Eleitoral
³Um candidato só será bom de voto se tiver apoio de pessoas que sejam boas de voto.´
(COMERLATTO, 2002, p.53). 

RH bem treinados ou em abundância, minimizam custo de campanha. RECRUTAMENTO:  Inicialmente, dentro do círculo social e familiar do candidato.  Buscar no segmento-base o apoio necessário.  Ex-políticos, candidatos derrotados em outras campanhas ou ex-assessores.  Simpatizantes: populares, donas de casa, estudantes e lideranças identificados com a proposta do candidato.  Montar estratégia de expansão da campanha (usar elemento aglutinador).  Transferidos: pessoas à disposição do candidato por aliados políticos (pagas).  Levantar a quantidade de apoio em cada região (atrelar ao território eleitoral).

Marketing Político ² Previsão e Planejamento RH na Campanha Eleitoral
SELEÇÃO:  Saber com quem se pode contar (full-time ou esporádicos).  Montar um data-base com dados sociais, culturais e penetração junto ao eleitorado de cabos eleitorais e assessores (onde encontrá-los).  Classificar colaboradores nos níveis: voluntário, profissional ou aliado. TREINAMENTO:  Dificilmente é realizado pelos partidos e/ou candidatos.  Integração: dinâmica de grupo para quebrar o gelo e explicar a função de cada um na campanha (ajuda a minimizar conflitos). ORIENTAÇÃO:  O que se espera do trabalho, em que setor ou segmento irá atuar o que dizer.  Criar situações simuladas, orientar como obter informações sobre a campanha do candidato e dos adversários (monitorar a concorrência).

Marketing Político ² Previsão e Planejamento RH na Campanha Eleitoral
MOTIVAÇÃO:  Em campanha eleitoral vive-se de esperança. É o próprio candidato (motivador).  Ouvir os colaboradores da campanha. Colher sugestões e impressões.  Buscar ponto de identificação do colaborador com o eleitor (segmentar). FORÇAS IMPULSIONADORAS DE CAMPANHA: As forças pessoais (as forças do candidato)  carisma pessoal;  popularidade;  boa comunicação e oratória;  trajetória política;  atuação comunitária. As forças sociais  apoio de movimentos sociais, humanitários, ecológicos;  apoio de categorias profissionais;  apoio de sindicatos;  apoio de associações de bairro;  apoio na esfera religiosa.

Marketing Político ² Previsão e Planejamento RH na Campanha Eleitoral 
As forças políticas  força partidária: apoio do diretório e seus desmembramentos;  força partidária: apoio de políticos influentes;  força partidária: apoio das bases;  alinhamento com Governo Federal (é o caso?);  alinhamento com Governo Estadual (é o caso?);  alinhamento com Governo Municipal (é o caso?);  alinhamento com detentores de mandatos de outros níveis.  As lideranças naturais  pessoas expressivas em segmentos profissionais;  pessoas reconhecidas e de referência na comunidade;  pessoas de grande relacionamento com o público (taxistas, vendedores, donos de pontos comerciais, professores, religiosos);  familiares;  amigos;  cabos eleitorais.

Marketing Político ² Previsão e Planejamento RH na Campanha Eleitoral 
As forças econômicas  membros de associação comercial, industrial, agrícola;  câmara de diretores lojistas;  outras associações empresariais;  empresários com potencial de apoio à campanha.  A imprensa  apoio de rádio;  apoio de jornais;  apoio de televisão;  apoio de revistas etc.  A análise do quadro de forças será o ponto de partida para duas ações de fundamental importância para a campanha. 1ª - A elaboração de um plano para melhorar as suas forças pessoais e aumentar as forças de apoio. 2ª - A elaboração de um plano para vencer os adversários.
O Político do Futuro não é individualista! Sabe trabalhar em equipe, estimulando a sinergia´. (COMERLATTO, 2003, p.49)

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful