You are on page 1of 31

• • • • • •

Cristiano Oliveira Darciane Justino Eduardo Bernardes Layara Pirovani Marcelo Vitor Marcos Paulo

Vilfredo Pareto (1848 – 1923) Economista Italiano .

• O princípio de Pareto estabelece que os problemas relacionados a qualidade de produtos e processos. os quais resultam em perdas. podem ser classificados em duas categorias: o “poucos vitais” – representam poucos problemas que resultam em grandes perdas o “muitos triviais” – representam muitos problemas que resultam em poucas perdas Um problema pode ser atribuído a um pequeno número de causas .

Totais acumulados .Percentagens do total geral .Categorias .Construção do gráfico • Defina o tipo de problema • Liste os possíveis fatores de estratificação • Estabeleça o método e o período de coleta • Elabore uma lista de verificação • Elabore uma planilha de dados .Quantidades (totais individuais) .Percentagens acumuladas .

.

60 50 40 30 53% 26 52 120 90% 80% 96% 98% 99% 100%100 Linha do percentual acumulado Eixo da freqüência 80 60 Eixo percentual Gráfico de barras 20 10 0 40 10 20 6 2 1 1 0 Problemas estratificados .

Kaoru Ishikawa (1915-1989) Engenheiro Químico Este Diagrama consiste em uma forma clara e direta para um melhor Gerenciamento de controle de Qualidade .

•Matéria prima •Mão de obra •Máquinas •Medição •Meio Ambiente OS PROBLEMAS ENCONTRADOS EM SUA ESTRUTURA PODEM SER CASSIFICADOS EM SEIS FORMAS DIFERENTES: • Método • Matéria prima • Mão de obra • Máquinas • Medição • Meio Ambiente .

em relação ao problema • permite estruturar hierarquicamente as causas de determinado problema • permite identificar oportunidade de melhoria.BENEFICIOS: • ajuda no auxilio ao aperfeiçoamento do processo • registra visualmente as causas potenciais que podem ser revistas e atualizadas • os dados são registrados armazenados e hierarquizados. para uso posteriores • mostra o grau de conhecimento do grupo. bem como seus efeitos sobre a qualidade .

Construção do diagrama : • Definir • • • • • Identificar Preparar Efetuar Aprofundar Revisar .

.

.

Karl Pearson (1857-1936) .

A barra horizontal representa os intervalos ou classes e a barra vertical representa a freqüência do intervalo correspondente. Quando os dados referentes a um problema são mostrados em histogramas se torna mais fácil as atividades de solução do mesmo. pois se torna mais claro: • O entendimento da distribuição dos dados • Comparações com padrões • Cálculos dos valores médios e desvio padrão • Comparações entre itens estraficados • Áreas de problema .É gráfico de barras utilizado para organizar diversos dados. e tem por objetivo representar uma distribuição de frequência de uma variável de interesse.

Exemplos de histogramas mais comuns : .

permitindo uma imediata informação da situação ajudando a diminuir os erros. Utilização: armazena dados de forma que o problema possa ser claramente definido e analisado. .Folhas de verificação: “usada para quantificar a frequência com que certos eventos acontecem em um determinado período” Definição: são tabelas ou “planilhas” que facilitam a análise de dados evitando comprometer a análise dos mesmos.

Exemplo: uma folha de verificação de um processo finalístico de vendas de uma loja de varejo. onde as anomalias foram apontadas pelos cliente no mês de abril: .

• Transcreva os dados em uma tabela • Traçar o eixo com base nos dados obtidos na tabela • No eixo coloca-se os pontos correspondentes aos pares de dados tabelados • Realiza-se a analise numérica dos dados. saber o grau de correlação. • Coletar dados.É um instrumento que possibilita identificar se dois conjuntos de dados são correlacionados. e encontrar causas que devem ser controladas e melhoradas. isto possibilita calcular o grau de correlação e estabelecer uma regra de regressão .

.

.

•É a representação gráfica das atividades de um processo •Materiais ou serviços •Decisões a serem tomadas •Pessoas envolvidas .

Permite fácil identificação de: •Entradas e fornecedores •Saídas e clientes •Limites do processo •Treinamento de novos funcionários •Ciclos de retrabalho .

Símbolos: .

.

Dr.Surgimento . Objetivo . do Bell Labs. Walter Shewhart. em 1924.

ELEMENTOS DE UM GRÁFICO DE CONTROLE •um gráfico cartesiano. o vertical. limite superior de controle e linha média Gráfico 01 – Exemplo de Gráfico de Controle Típico . o valor da característica •um conjunto de valores (pontos) unidos por segmentos de reta •três linhas horizontais: limite inferior de controle. onde o eixo horizontal representa o tempo e.

menor custo por unidade.BENEFÍCIOS DO GRÁFICO DE CONTROLE Usado adequadamente podem: •Servir informações aos operadores para o controle continuo de um processo •Ajustar o processo para que produza de forma consistente. •Fornecer uma linguagem comum para a análise do desempenho do processo. . separando causas especiais de variação das comuns. com qualidade e custo adequados •Obter do processo. resultados com: . como um guia para ações locais sobre o sistema.melhor qualidade.maior capacidade instalada. . . previsível.

APLICAÇÃO DO GRÁFICO (CARTAS) DE CONTROLE 1. 5. Mantém-se o processo . Analísa-se o processo procurando por pontos fora dos limites de controle ou procurando por tendências. 3. A aplicação inicia-se com a coleta e o registro dos dados de um determinado período de tempo. Faz-se pesquisa para verificar se o processo foi estabilizado após uma atividade de melhorias. 2. Efetuam-se ações no processo para controlar vários fatores. 4.