You are on page 1of 20

Os Solventes Orgânicos e

os Riscos para a Saúde


Humana
SIPAT – Manguinhos –
1998
Sindipetro-RJ
Secretaria de Saúde, Tecnologia e
Meio Ambiente
Serie Educação em Saúde – SIPAT-
EDISE 99
Estrutura da Apresentação
✦Os riscos no Indústria do Petróleo.
✦Processo Produtivo e Exposição.
✦Efeitos sobre o Organismo.
✦Principais Poluentes Químicos Ambientais.
✦Toxicocinética e Toxicodinâmica.
✦Limites de Exposição.

✦O Benzeno e seus efeitos à saúde.


✦A Intoxicação Crônica.
✦Alterações no sangue e na medula óssea.
✦Os exames laboratoriais.
✦Avaliação Ambiental.

✦A Vigilância em Saúde do Trabalhador.


✦Acordo Nacional do Benzeno: PPOB e GTB
Riscos Químicos
 Os riscos ambientais e para a saúde humana
decorrentes da exploração do Petróleo tem
como principais fatores:
 O Petróleo representar a principal fonte de
energia.
 A grande dependência do Petróleo e seus
derivados na Sociedade Contemporânea.
Processo Produtivo e
Exposição
 Os riscos de exposição estão presentes em
todas as fases da produção:
 Perfuração e Produção: Intoxicação por SO2, HC
voláteis etc.
 Transporte: Emissão de Gases e Vapores
durantes as transferências.
 Refino: Riscos potencialmente maiores:
exposição a compostos de enxofre, nitrogênio,
monóxido de carbono, gases inertes, HC
Aromáticos e Alifáticos etc.
 Distribuição: Óleos lubrificantes, efeito
Efeitos à Saúde Humana
 Os efeitos tóxicos da exposição aguda ou
crônica podem ser didaticamente
sistematizados em:
 Efeitos Neurocomportamentais.
 Hematológicos (leucopenia, pancitopenia,
hipoplasia ou aplasia medular).
 Mutagênicos (Reprodução Humana)
 Carcinogênicos (Leucemia)
 Dermatológicos

 Pulmonares
Principais Poluentes Químicos
Ambientais
 Os principais produtos liberados durante a
exploração, transformação, refino e distribuição
do petróleo, responsáveis pela poluição no
mundo moderno são:
 Monóxido de Carbono.

 Compostos de Enxofre.

 Hidrocarbonetos Aromáticos (Benzeno etc).

 Hidrocarbonetos Alifáticos.


A Toxicocinética das Substâncias
Químicas
 O caminho percorrido pela substância química
(xenobiótico), desde a sua penetração no
organismo ate a sua eliminação “in natura” ou
em forma de compostos secundários
(metabólitos). Inclui os seguintes processos:
 Absorção (Pele, Via Oral e Via Respiratória).

 Distribuição (Sangue e Linfa).

 Armazenamento (Tecidos: Adiposo – Medula).

 Biotransformação (Fígado).

 Eliminação (Respiração, Transpiração, Urina


etc.)
A Toxicodinâmica das
Substâncias Químicas
 O estudo dos mecanismos de ação da
substância química (xenobiótico) ou de seus
metabólitos no interior do organismo.
Considera os seguintes fatores:

 A Duração da Exposição (aguda, subaguda,


crônica).

 Grau ou Tipo de Exposição.

 Intensidade dos Efeitos.


Os Limites de Exposição
 E a relação direta ente a concentração e a
intensidade dos efeitos.
 A concentração das substâncias químicas é
expressa em ppm (partes por milhão) ou em mg
/m3 .

 Padrões adotados são os da ACGIH (EUA).

 TLV ou LT: Valores Limites de Tolerância.

 Limite de Ação: quando o nível da substância


alcançar 50% do limite máximo permitido
(PPRA-NR-9) deverão ser tomadas medidas para
correção e afastamento da exposição.
Os Limites de Exposição para o
Benzeno
 E importante registrar que não existe limite seguro para
a exposição ao Benzeno.
 Limite de Exposição Permitido (PEL) estabelecido pela
OSHA (EUA): 1 ppm (3,2 mg/m3)
 Limite de Exposição (TLV-TWA) adotado pela ACGIH
(1998) é de 0,5 ppm (1,6 mg/m3).
 IARC – Agencia Internacional de Classificação do Câncer:
Benzeno: Grupo A1 – Carcinogênico Humano Confirmado.
 Limite de Exposição Recomendado (REL) pela NIOSH
(EUA) e de 0.1 pp.
 Brasil: NR-15 estabelece o VRT (Valor de Referência
Tecnológico) para o Benzeno: 1,0 ppm para as empresas
abrangidas pelo Anexo 13-A e de 2,5 ppm para as
O Benzeno e seus Efeitos:
Histórico
 O Benzeno e uma das substâncias químicas
mais estudadas, os primeiros casos relatados
de envenenamento datam do Século XIX.
 Cronologia:

 1862 - Inglaterra: 1o. Caso de intoxicação


aguda.
 1916 - Selling: casos de leucopenia e anemia.
 1928 - Delore & Bergomano: leucemia.
 1939 - Bowditch & Elkins, Hunter, Mallory:
estudos dos efeitos hematóxicos.
 1970: Estudo dos efeitos citogenéticos e
alterações cromossômicas.
Mecanismo de Agressão do
Benzeno
 “...penetrando no organismo, age como tóxico e
qualquer grau de exposição e perigoso”. Kipen
et al., 1988.
 Principal via de absorção: Respiratória.
 Intoxicação Aguda: A retenção é maior no
Sistema Nervoso Central.
 Intoxicação Crônica: A retenção é maior na
medula óssea, fígado e tecido adiposo.
 Ação Mielotóxica: determinada pelos produtos
de sua metabolização no organismo: catecol,
hidroquinona e derivados (benzoquinona).
 A medula óssea é um sítio de eleição pois é rica
em tecido gorduroso.
Avaliação Laboratorial na
Exposição Crônica
 A Produção dos Elementos do Sangue: a célula
primitiva (stem cell), leucócitos, hemácias e
plaquetas.
 O Hemograma Normal
 Condições ideais para coleta e análise.
 Contagem de células: método manual,
automatizado.
 O valor leucocitário basal.
 Os exames seriados (a cada 6 meses), com
contagem de plaquetas e reticulócitos.
 As variações intraindividuais
 As controvérsias na interpretação dos
IBE – Indicador Biológico de
Exposição
 Acido Trans Mucônico na Urina
 Valor de Referência : 0,5 mg/g de Creatinina.
 Condições ideais para coleta e análise:
trabalhador precisa estar em atividade com
exposição.
 IBMP: 1,4 mg/g Creatinina.
 Acido S-fenil-mercapturico na Urina (ACGIH)
 Valor de Referência: 0,5 mg/g de Creatinina.
 Condições ideais para coleta e análise: ao final
da jornada de trabalho.
 IBMP: 25 mg/g Creatinina.
Principais Efeitos Hematóxicos
 As principais alterações hematológicas
são:
• Aplasias e hipoplasias de Medula Óssea: lesão
na célula essencial (stem cell).
• Citopenias: leucopenia, anemia e
plaquetopenia.
• “... existe uma variação de resposta para cada
pessoa, bem como e variável a suscetibilidade
individual, o quadro clinico e hematológico
apresenta por conseguinte grande variação”.
Alterações no Sangue Periférico
 As principais alterações observadas no exame
de sangue (hemograma) de expostos ao
benzeno são:
• Pancitopenia ou citopenia isolada:
 Leucopenia: queda dos glóbulos brancos
(Neutropenia, Linfopenia ou Inversão da
Relação Neutrófilo/Linfócito)
 Anemia: queda dos glóbulos vermelhos e/ou
 Plaquetopenia: redução do no. de plaquetas.

• anemia aplástica; e
Diagnóstico Diferencial
 As principais nosologias para
estabelecer o diagnóstico diferencial de
uma alteração hematológica são:
• Pancitopenia ou citopenia isolada originada
por SIDA, Câncer, Doenças Virais (Hepatite
etc.)
• Anemia por deficiência de ferro, por doença
crônica etc.
• Anemia aplástica por medicamento.
• Leucemia de outra natureza.
Vigilância dos Trabalhadores
Expostos: I
 Segue os preceitos da Saúde Ocupacional:
• NR-7 (PCMSO)
• NR-15 (Anexo 13-A)
• Instrução Normativa No. 2 (20.12.95)
 Anamnese clinico-ocupacional,
 Exame Físico,
 Exames Complementares (Hemograma completo
+ reticulócitos, no mínimo, semestral).
 Dados epidemiológicos
 Dados toxicológicos dos grupos de risco
(Indicador Biologico de Exposição: Acido Trans
Vigilância dos Trabalhadores
Expostos: II
 Detecção Precoce e Reversão das Citopenias e
Aplasias.
 Prevenção das Leucemias.
 Diagnostico e Tratamento Precoce das
Leucemias.
 Aspectos Legais:
 Acordo Nacional do Benzeno
 Estabelecimento do Nexo Causal (relação de
causa e efeito entre a doença e a exposição).
 Emissão da CAT – Comunicação de Acidente de
Trabalho.
 Afastamento do Trabalho: Auxilio Doença
Reconhecimento do Nexo Causal entre a

Doença e o Trabalho

 Decreto No. 3048/99, Artigo 337. Para o


reconhecimento técnico do nexo causal a
Perícia Médica deve considerar os seguintes
elementos:
 A história clínica e ocupacional.
 O estudo do local de trabalho.
 O estudo da organização do trabalho.
 Os dados epidemiológicos.
 A ocorrência de quadro clinico ou incapacitante
em trabalhador exposto a condições agressivas.
 A identificação de riscos físicos, químicos,
biológicos, mecânicos, ergonômicos e outros.