You are on page 1of 18

Mariana Araújo Levoratto Mariana Freitas de Moura Natália Manzano Bresolin Nsimba Timóteo Silva Manuel

Apresenta uma importância relevante entre os casos existentes: a anóxia perinatal ou asfixia perinatal. (eHealth Latin America. podendo ter nome de sofrimento anóxico e a hipóxia pode ser definida como sendo a diminuição do aporte de oxigênio.Hipóxia. A anóxia pode ser definida como sendo privação total de oxigenação no cérebro. significa a diminuição ou insuficiência de oxigenação do sangue para suprir as exigências metabólicas de um organismo humano vivo. especialmente no cérebro. a qual ocorre com o feto durante o parto.) .

. Segundo Avery (1984).No recém-nascido a termo. A asfixia perinatal é o comprometimento das trocas gasosas durante ou logo após o trabalho de parto enquanto encefalopatia hipóxico-isquêmica é a doença atribuída a esse comprometimento. o termo hipóxia é o estado em que as trocas gasosas se encontram comprometidas. considera-se hipóxia quando a PaO² é inferior a 50 mmHg. Portanto. cuja persistência leva a hipoxemia progressiva e a hipercapnia. a PaO² (Pressão parcial de O²) normal do sangue arterial é considerada entre 50 e 100 mmHg.

(COSTA VAZ. outras só atuam após o nascimento e nada impede que ocorra anóxia por combinação de várias causas. principalmente para o Sistema Nervoso Central (SNC). F. Várias causas de anóxia perinatal são ainda na vida intra-uterina ou durante trabalho de parto.) . A.Conhecer fatores de risco que podem predispor a anóxia fetal ou neonatal é de grande importância na antecipação e prevenção de seus agravos.

hemorragias. . anomalias de posição. compreessão do cordão por prolapso. hidropsias. medicamentos neurológicas). partos cirúrgicos. metabólicas. Má posição.  Placentárias: senilidade. placenta prévia. doenças ou lesões. Passagem do ombro ou nádegas em crianças grandes antes da cabeça. Maternas: condições Mórbidas (circulatórias. enfartes.   Fetais: malformações congênitas. manobras obstétricas. (analgésicos. deslocamento prematuro. inserções anormais. hematológicas. Desproporção pélvica da mãe ou feto. anestésicos). Rotações fetais dentro do útero podem provocar movimentos respiratórios espontâneos.

derrames pleurais. . contração excessiva do útero. que corta o fluxo do sangue materno para placenta e anestesia excessiva da mãe. separação prematura da placenta. colapsos alveolares. hemorragias intra-alveolares). Respiratórias: pulmonares (imaturidade. que deprime a oxigenação de seu próprio sangue. extrapulmonares (pneumotórax. hérnia diafragmática). malformações. A hipóxia ocorre freqüentemente durante o parto por fatores como compressão do cordão umbilical. obstrução por aspiração amniótica.

 Entre as infecções fetais destacam-se: Infecção intra-uterina. Imaturidade pulmonar Taquicardia Entre os fatores maternos temos: Hemorragia Placenta prévia Idade materna avançada Grande multiparidade Diabetes Anemia severa  .

hipotonia mais acentuada superiores e em RN termo mais em MMII.  Da segunda à vigésima quarta horas de vida: melhora nível de consciência. hipotonia generalizada. nos primeiros dias após o nascimento pode ser o seguinte: Primeiras doze horas de vida: estupor profundo ou coma.O comportamento evolutivo inicial. respostas pupilares à luz. convulsões mais freqüentes e graves. tremores em 35 a 50%. respiração periódica/irregular. respostas oculomotoras positivas. convulsões tônicas e clônicas presentes em cerca de 50% dos RN. crises de apnéia.  .

 Após setenta e duas horas de vida: melhora do nível de consciência. óbito mais freqüente. parada respiratória com maior freqüência. fraqueza da musculatura proximal de MMSS em RN a termo. distúrbios oculomotores e pupilares de tronco cerebral. Entre as vinte e quatro a setenta e duas horas de vida: nível de consciência pode deteriorar e voltar o coma. distúrbios na sucção. possibilidade de hemorragia intracraniana. hemiparesias mais freqüentes observadas no RN termo . hipotonia mais acentuada que a hipertonia. deglutição e fasciculação da língua.

Clinicamente.) . careta (demonstração de irritabilidade a colocação do cateter nasal). mas o diagnóstico pós-natal é feito.A constatação de anóxia intra-uterina pelo obstetra e a presença de fatores de risco devem alertar o pediatra para a possibilidade de anóxia no RN. Analisa e pontua cinco itens: aparência. que vai de 8 a 10. A. na maioria das vezes. atividade do tônus muscular e esforço respiratório. (DIAMENT. deve ser refeito a cada 5 minutos até obter o escore bom. CYPEL. pulso (freqüência cardíaca). são sinais para rastrear o sofrimento fetal: A presença de líquido amniótico e a alteração da freqüência cardíaca fetal são utilizados. A avaliação é feita entre o 1° e o 5° minuto. Enquanto estiver abaixo de sete. pelo escore de Apgar. S.

10 (alto) .Pontuação: Vale 0 (exemplo) Vale 1 Vale 2 Aparência: 1 Cianótico (cor azulada) Rosado/com as extremidades cianóticas Extremidades: rosado Pulso: 2 Ausente Abaixo de 100 Acima de 100 Careta: 2 sem resposta careta tosse ou respiro Atividade Muscular: 2 hipotônico alguma flexão flexão Respiração: 2 Ausente débil-irregular choro forte Total 9 0 .7 (médio) 8 .2 (baixo) 3 .

(DIAMENT. Os cuidados a serem tomados com a criança são normais para recém-nascidos. fricção nas costas. Apgar 3-4: asfixia moderada. Apgar de 8 a 10: nenhuma asfixia. A. CYPEL. oxigenação com atmosfera enriquecida de oxigênio (máscara colocada diretamente na face da criança). apesar da utilização dos estímulos e oxigênio facial. Estímulos: tapinhas nas plantas dos pés. movimentação da parte superior do tórax e melhoria da freqüência cardíaca.)   . Estando a pulsação abaixo de 100 batimentos por minuto. Apgar 5 – 7: asfixia leve. S. evitando manobras mais fortes. O controle da eficiência é feito através da melhoria da cor. deve-se providenciar ventilação através máscara especial.

 Apgar 0-2: asfixia severa. CYPEL. Após isso. a criança deve ser entubada imediatamente e realizada massagem cardíaca por pessoa habilitada.) . S. ventilação e controle da movimentação do tórax. persistindo a baixa freqüência cardíaca. (DIAMENT. A. é necessário procedimentos de ressuscitação através da desobstrução das vias áreas.

até 12 a 50 mg/24 no bebê a termo. Dosagens Hormonais: analisam a dosagem seriada de estriol urinário. .    Eletroencefalograma: dados valiosos sobre a gravidade da encefalopatia hipóxico-isquêmica. Líquido amniótico: é o meio ambiente do feto e suas modificações traduzem alterações fetais. níveis abaixo do normal indicam situação ameaçadora para o feto. sendo o normal de um a dois mg/24h entre a oitava e décima segunda semana. Colpocitologia: esfregaços vaginais demonstram a evolução da gestação e sinais de alarme na insuficiência placentária.

exame de ressonância magnética e a espectroscopia. piorando o prognóstico. o SNC é freqüentemente envolvido.Quando há encefalopatia presente. hipotonia persistente ou evolução de fase hipotônica e apática para o estado de hiperexcitabilidade e hipertonia extensora. . a velocidade do fluxo sangüíneo intracerebral. a ultra-sonografia do crânio. A anóxia determina morbidade e mortalidade perinatais elevadas ou seqüelas em geral neurológicas. Entre os sinais de mau prognóstico estão convulsões persistentes. a tomografia computadorizada. nos recém-nascidos com manifestações sugestivas de anóxia perinatal são o pH do sangue do cordão. Indicadores do prognóstico a longo prazo. a pressão intracraniana.

G. oxigenar o recém-nascido.  Aspiração A aspiração é uma providência urgente que visa à desobstrução das vias aéreas superiores.  Oxigenação Após a aspiração. B) .Aquecimento A manutenção da temperatura corporal é importante porque a hipotermia aumenta o consumo de O2 e dos gastos energéticos. o que deve ser feito de maneira rápida.  (AVERY. se for necessário. A medida inicial da oxigenação é retificar as vias aéreas. não traumática. eficaz e asséptica.

pediatra (in eHealth Latin America. “o importante para prevenir a asfixia neonatal é um bom pré-natal da mãe. pedirá os exames de rotina. exames de sangue. exames periódicos para identificar problemas na mãe e no feto e tratá-los desde o início da gestação.A previsão se constitui medida eficaz para aliviar os resultados da asfixia fetal. Para o Dr. como já foi enfatizado. Telmo Diamante. é um pré-natal assistido pelo médico. (BURNS. Y. diabete.) . que deve fazer no mínimo seis visitas ao seu obstetra do convênio. R. verificação de infecções tipo sífilis e HIV A melhor forma de evitar danos á criança recém-nascida. 2000). ou posto de saúde ou privado. urina. O médico fará a avaliação.

ehealthonline. 1998. R. Santos: Santos. & MACDONALD. Fisioterapia e Crescimento na Infância. COSTA VAZ. Neurologia Infântil. 3ªed. Editora Ltda. F. Problemas Neurológicos do Recém Nascido. . eHealth Latin America. A. 1999. G. 21 de setembro de 2000. J. B. 2ª ed. Neonatologia – Fisiopatologia e tratamento do Recém Nascido. Disponível em: www. Rio de Janeiro: Atheneu. CYPEL.org acessado em: 12/10/2011 AVERY. Anoxia: falta de oxigenação que pode ser prevenida. Rio de Janeiro: Medsi.     DIAMENT. A. 1985. BURNS. São Paulo: Savier. 1984. S. Y.

45.47/4 .4...<":.4 .9748. 5.1.. 570884 397.734 .. 0903847.3/4 4 5743O89.43. 4 089./.F2 3./0 0 507943.45.3/4 E 03.7.5E9. ./4 /0 5070./48 ./0 /4 1:4 8.-/.8 02 07./0 5073.8 00. 0850. 94247.80 5493.3QJ304 397.04.3O.:808 50788903908 54943.4:4 /0 1.3O.08 8:089.8 /0 . 30:74O.31089.. . /4 5743O89.: 5743O89..070-7. 0. /4 .4 4 $ F 1706Q039020390 . 0 . /090723.3./. <3/.20 /0 7088433.8 4: 806Q0.8./4 547.3. 0 ./0 0 2479.4 348 70..9. .42 2.. :97.1../.9. 57080390 03. 84347.01.3:0 /4 . 5078890390 4: 0.3F9. 5073.8 3970 48 83.9. 2.9. 247-/. 434 57./47.425:9.7. 84 4 5 /4 8.4 0894 ./.8 /0 2./4708 < . ..

4 8014730./4  20//.9:7.88:5074708 46:0/0.8 < '#   .4 ./..8.8.47547.438:24/0 0/48.88F59.4F:2.89480307F9.:2E9..574..088E74 403.8.4..307./H3.7.:703906:0.F70.7E5/...3. 34 97.:2039.20394 2.08071094/02.48 < 857.403.6:0.F2 3.F25479./084-897:4/..857.4 5O8.3:9034/. 01. < 03.. 549072.4F7091.7470.8 .8.8...0..902507.857.F70.3905476:0.

4 /0 310.208 /0 8.84 80 . . .7. /.  4 25479. 089.4 80: 4-89097.4 /.9. /0 0. F :2 -42 57F 3. .037 .208 /0 7493.0 1.7E .7 574-02.81. 570.07 34 2J324 808 .7.7.390 5. 5.2.4 1.H34 4: 54894 /0 8. /4 ..43..8889/4 504 2F/.7 /./4 F :2 57F 3..8 .43899: 20//.4 50/7E 48 0.3. . 4 7 %024 .-090 ./.08 954 8J18 0 '  2047 1472. 01. 0.97.7. 3 00./0 4: 57.81.4 &#$  # ..7 48 708:9.8. !.348 E . 109..424 E 14 031.208 507O/...4 0.9E 48 /08/0 4 3J.3:0 :73.390 50/.89.48 5..9. /./48 /. .9 .9. 3043. 70.071.7.8 3.93 207. 20 0 34 1094 0 97./4 2F/. 20 6:0 /0...9. .F2 3. 570. /0391.9.

46:054/0807570.088.93 207..03/./0403. 1..002  00./402. /080902-74/0 8543J.< 34.9 .94330 47 . 00.9.

 .

3948$.3074 9030:  < < < < .8./4  0/ #4/0.3139  0/ #4/0. 313.0708.944.944.097. $.   $%'   !74-02.9.F2 .8.80:74O.5.07  %  ! $ 0:744../4 $4 !.20394/4#0..:4$.  '#   043.F2.9/.203943.30740/8  &#$  #     84907. 845.3948 /947.48/4#0.