You are on page 1of 19

Domínio de Formação

:
UFCD: Forças e Movimentos

Tema: Posição: Coordenadas geográficas e cartesianas

1 Formador/a: Data: __/__/__

Feirensino: Mod:06 Versão 1/2011

CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Posição: coordenadas geográficas e cartesianas Para estabelecer a posição é necessário um sistema de referência ao qual está associado um conjunto de coordenadas. 2 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH .

 Estas coordenadas são as mais apropriadas à localização de um lugar num mapa. 3 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . longitude e altitude.CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Coordenadas geográficas  Para indicar a posição de um lugar à superfície da Terra costumamos utilizar as chamadas coordenadas geográficas: latitude. ou no sistema GPS.

  Meridianos: círculos máximos que correspondem a planos que contêm o eixo de rotação da Terra e que passam pelos pólos.CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Coordenadas geográficas  O sistema de coordenadas geométricas da Terra envolve:  Eixo da Terra: linha imaginária que passa pelos pólos e pelo o centro da Terra e em torno da qual a Terra executa o seu movimento de rotação. contidos em planos paralelos ao plano equatorial. hemisfério norte e hemisfério sul. Paralelos são círculos menores que o equador.  4 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . Equador: círculo máximo perpendicular ao eixo de rotação da Terra e que a divide em 2 hemisférios.

CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Coordenadas geográficas A origem das coordenadas geográficas corresponde à intersecção do equador com o meridiano de Greenwich – meridiano que atravessa Greenwich. 5 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . próximo de Londres -. que divide a Terra em hemisfério oriental (Este) e ocidental (Oeste).

A latitude pode ser Norte (N) ou Sul (S). 6 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . variando entre 0º e 90º. em ambos os casos (equador 0º.CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Coordenadas geográficas : Latitude Latitude (ɸ): é o ângulo medido em relação ao plano do equador. definido pelo arco descrito ao longo do meridiano que contém o local. expresso em graus. pólo Norte 90ºN e pólo Sul 90ºS).

variando entre 0º e 180º. A longitude pode ser Oeste (O) e Este (E). em ambos os casos (semimeridiano de Greenwich 0º.CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Coordenadas geográficas : Longitude Longitude (ɵ): é o ângulo medido em relação ao plano do meridiano de Greenwich. definido pelo arco descrito ao longo do equador até ao semimeridiano (arco entre o Pólo Norte e o Pólo Sul) que contém o local. no sentido dos horário. expresso em graus. semimeridiano oposto 180ºO. no sentido anti-horário). 7 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . e 180ºE.

CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Coordenadas geográficas : Altitude Além de latitude e da longitude que localizam um ponto à superfície da Terra. a altitude do lugar. ou negativa. é necessário conhecer também uma terceira coordenada. por vezes. Altitude (h): é a distância medida na vertical que contém o lugar. se o local estiver acima do nível médio das águas do mar. 8 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . em relação ao nível médio das águas do mar. expressa em unidades de comprimento. A altitude pode ser positiva. quando se encontra abaixo.

ou em repouso relativamente a si. Mas uma pessoa que esteja a ver passar o comboio diz que aquele passageiro está em movimento.CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Coordenadas cartesianas Nem sempre duas pessoas estão de acordo quando descrevem o mesmo movimento. é essencial que se diga “em relação a quê” é que o corpo se move. Um exemplo do dia-a-dia: um passageiro de um comboio em movimento olha para outro sentado à sua frente e diz que ele está parado. 9 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . Ao objecto de referência liga-se um sistema de eixos ou referencial. quando se descreve o movimento de um corpo. Ou seja.

10   Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . y. z). As coordenadas cartesianas são coordenadas planas e obtêm-se através da projecção da posição da partícula nos três eixos ortogonais (0. 0. ou o seu estado de movimento. sendo conveniente recorrer às coordenadas cartesianas. podemos ignorar a curvatura da Terra. quase sempre. relativamente a um sistema de referência. x.  Coordenadas Cartesianas: coordenadas que descrevem a posição de um corpo. considerando que o observador se encontra na origem dos eixos. yp e zp e com origem no ponto 0: VECTOR POSIÇÃO. um referencial ou referencial cartesiano. A posição da partícula também pode ser representada por um vector cujas componentes são as coordenadas xp. considerando esta plana.CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Coordenadas cartesianas E se quisermos estudar movimentos efectuados à superfície da Terra?  Neste caso.

CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Coordenadas cartesianas E se quisermos estudar movimentos efectuados à superfície da Terra? 11 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH .

distancia percorrida e deslocamento 12 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH .CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Trajetória.

parabólica. distancia percorrida e deslocamento A trajetória descrita por uma partícula em movimento é definida pelas sucessivas posições ocupadas ao longo do tempo. s. A distancia percorrida.CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Trajetória. Retilíneas: quando os pontos ocupados pela partícula ao longo do tempo definem uma recta. por uma partícula é a medida de todo o percurso efetuado ao longo da trajetória e . 13 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . por conseguinte. é uma grandeza escalar positiva. etc. As trajetórias podem ser: Curvilíneas: quando os pontos ocupados pela partícula ao longo do tempo definem uma curva – circular.

pode ser: ∆x=xf-xi · Positivo : a partícula desloca-se no sentido positivo(xf ˃ xi). · Negativo : a partícula desloca-se no sentido negativo(xf ˂ xi). Em conclusão : o deslocamento de uma partícula. durante um certo intervalo de 14 tempo. Δx. Atente-se que o valor do deslocamento. num dado intervalo tempo. distancia percorrida e deslocamento O deslocamento e uma grandeza vectorial que carateriza a variação de uma partícula. Ação co-financiada pelo FSE através do POPH .CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Trajetória. · Nulo: a partícula desloca-se . com origem na posição inicial e extremidade na posição final. depende apenas das posições final e inicial(xf = xi). mas regressa a posição inicial. num dado intervalo de tempo.

pela partícula na unidade de tempo. em média. A velocidade média tem a direção e o sentido do vetor deslocamento. 15 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . em média. Rm = s Δt A velocidade média. é uma grandeza vetorial e que indica qual o deslocamento experimentado. pode apresentar valores positivos ou negativos. na unidade de tempo.CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Rapidez e velocidade A rapidez media é uma grandeza escalar positiva e que indica qual a distancia percorrida. pela partícula.

16 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . em cada ponto . uma grandeza vetorial que. é tangente à trajetória e que apresenta o sentido do movimento. É. pois.CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Rapidez e velocidade A velocidade instantânea é o limite para que tende a velocidade média quando o intervalo de tempo tende para zero.

o sentido e/ou o modulo. Se a velocidade é nula. Quando o corpo inverte o sentido do movimento o valor da velocidade é nulo. pode-se concluir que o corpo esta em repouso em relação ao referencial.CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Gráficos posição .tempo e velocidade -tempo O vetor velocidade altera-se sempre que se altera a direção. 17 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH .

CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Gráficos posição . 18 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH . Sendo x1 e x2 ordenadas da recta tangente a curva no instante considerado. através do declive da recta tangente à curva do gráfico. no ponto considerado. em cada instante.tempo Através de um gráfico posição tempo pode-se determinar a velocidade do corpo.

19 Ação co-financiada pelo FSE através do POPH .CONCEITOS INTRODUTÓRIOS PARA A DESCRIÇÃO DE MOVIMENTOS Gráficos posição velocidade . verifica-se a inversão do sentido do movimento. pode também ser representada através de um gráfico velocidade – tempo. A área do gráfico indica o valor do deslocamento do corpo.tempo A variação do valor da velocidade. em função do tempo. No instante t1.

./0 389.. 4 8039/4 /4 24.F8/4! ! ./0 2F/.3/0.3.0947. 6:0 903/0 .4 13. . 7.4 /0 90254 903/0 5.09O7.7.5708039./.3930.5/00.504$. % $ %# &% # $ !#  $#@ #.04. 6:0 02 .. . 074   '% $ A 548 :2. 0  4./. F 4 290 5./.04./.97. 54394 6:0 .04./.3/4 4 3907..20394 F 9./0  . 6:.30390  97.7.

907.04./0 90254 .907./0 . % $ %# &% # $ !#  $#@   '% $ 7E1.485484 902540./. /704 4 8039/4 0.04. 80 802570 6:0 80 . .0947 ./.

4: 4 24/:4 $0 .04. ":.04./0 F 3:4  4.20394 4 . 02 7054:84 02 70..4 7010703..:7 6:0 4 .97. .47 /././0 F 3:.3/4 4 ..4754 089./.504$.43./. 54/0 80 .3. ..0790 4 8039/4 /4 24.F8/4! ! .4754 3.4 .4 13.

F8 /4 /0.8 /.70. 9.30390  ././.9./0 /4 .438/07. 389.4 13. % $ %# &% # $ !#  $#@ 7E1.F8 /0 :2 7E1./././4   '% $ $03/4047/03.3.:7. /4 7E1..0 /.7 ..390.438/07..485484 90254 97.4 34 54394 .97.30390.9. .4 5484 90254 54/0 80 /090723. 70..:7..390 .F8/4! ! ..04.4754 02 ... 34389./4  4..97.9.504$.

4 3/./.7.F8 /0 :2 7E1../...4 /4 . /4 7E1.0784 /4 8039/4 /4 24./. 4 . % $ %# &% # $ !#  $#@   '% $ 7E1.47 /4 /084. ../0 90254  ..4754 4 389. 80 . .2-F2 807 705708039.47 /./..20394 /4 .97.97. 3.390 9 ./0 02 1:34 /4 90254 54/0 9.504$.04..4 .20394  4.3./0 90254  E70.071.485484..04.F8/4! ! .4 13.04./..