You are on page 1of 21

Tecido Ósseo

Constituinte principal do esqueleto
Serve de suporte para as partes moles Protege órgãos vitais como os contidos na caixa craniana e torácica, e no canal raquidiano

Aloja e protege a medula óssea
Proporciona apoio aos músculos esqueléticos: transformando suas contrações em movimentos Amplia as forças geradas na contração muscular Funciona como depósito de cálcio, fosfato e outros íons

É um tipo especial de tecido conjuntivo

Células e material extracelular calcificado: a matriz óssea

As células são:
os osteócitos, que s situam em cavidades ou lacunas no interior da matriz

os osteoblastos, produtores da parte orgânica da matriz (colágeno, glicoproteína)
os osteoclastos, células gigantes, móveis e multinucleadas (6-50), ramificadas, que reabsorvem o tecido ósseo, participando dos processos de remodelação dos

ossos
A nutrição dos osteócitos depende de canalículos que existem na matriz

Canalículos:

Intercâmbio de moléculas entre os osteócitos e o sangue

Três osteoclastos digerindo matriz óssea

Periósteo e Endósteo

Tecido conjuntivo que recobre as superfícies externa e interna dos ossos Funções: nutrição do tecido ósseo e o fornecimento de novos osteoblastos, para o crescimento e recuperação do osso

Tipos de Tecido Ósseo
Classificação macroscópica: Osso compacto: sem cavidades visíveis (ex.: diáfise de ossos longos)

Osso esponjoso: com cavidades visíveis (ex.: epífises de ossos longos)
Ossos curtos tem o centro esponjoso e periferia compacta

As cavidades do osso esponjoso e o canal medular da diáfise de ossos longos
são ocupados pela medula óssea No recém nascido, toda medula óssea tem cor vermelha (alto teor de hemácias,

ativa na produção de células do sangue – medula óssea hematógena)
Com o aumento da idade: infiltração por tecido adiposo , com diminuição da atividade hematógena (medula óssea amarela)

Histologicamente há dois tipos de tecido ósseo:

O imaturo ou primário: é o que aparece primeiro, tanto no desenvolvimento embrionário como na reparação de fraturas, sendo substituído pelo secundário Fibras colágenas se dispõem irregularmente, sem orientação definida

O secundário ou lamelar: As fibras se organizam em lamelas que ficam paralelas umas as outras

Paralelas ou organizadas em lamelas concêntricas em volta de um canal neurovascular formando sistemas de Havers ou ósteons

Corte de um Sistema de Havers

Tipos de Ossificação
O tecido ósseo pode ser formado por: Ossificação intramembranosa Ossificação endocondral

Intramembranosa: ocorre no interior de uma membrana conjuntiva

Ossificação Endocondral

Inicia sobre um molde de cartilagem hialina, que gradualmente é destruído e substituído por tecido ósseo formado pelo conjuntivo adjacente
O primeiro tecido ósseo formado é o primário Uma combinação de formação e remoção de tecido ósseo persiste durante o crescimento do osso. Isso ocorre tb no adulto em ritmo lento

Ossificação Endocondral

Ossificação Endocondral

Ossificação Endocondral

Crescimento e remodelação dos ossos

O crescimento dos ossos consiste na formação de tecido ósseo novo, associada à reabsorção parcial do tecido já formado, desse modo, os ossos conseguem manter

a sua forma enquanto crescem
Estima-se que a remodelação nas crianças pequenas seja 200 vezes mais rápida do que nos adultos Apear de sua resistência às pressões o tecido ósseo é muito plástico, sendo capaz de se remodelar sua estrutura interna em resposta as forças a que está submetido

Ex.: pressões laterais exercidas por aparelhos ortodônticos mudam a posição dos
dentes na arcada dentária à medida que o osso alveolar é remodelado

Papel metabólico do tecido ósseo

O esqueleto contém 99% do cálcio do organismo e funciona como uma reserva desse íon
Paratohormônio (hormônio das paratireóides)

causa aumento no número de osteoclastos e reabsorção da matriz óssea
com liberaçao de fosfato de cálcio e aumento da calcemia

Calcitonina (hormônio das células parafoliculares da tireóide) Tem efeito inibidor sobre os osteoclastos e assim inibe a reabsorção da matriz e a mobilização de cálcio

Efeitos de deficiências nutricionais

Na criança, a falta de cálcio pode causar o raquitismo
Matriz óssea não se calcifica normalmente Ossos não crescem normalmente Extremidades de ossos longos se deformam No adulto, a falta de cálcio leva à osteomalacia Calcificação deficiente da matriz óssea recém formada Causa fragilidade óssea

Osteoporose

Ossos tornam-se menos resistentes Causa não é falta de cálcio ou vitamina D A quantidade de tecido ósseo é menor Amplos canais de reabsorção Há desequilíbrio na remodelação dos ossos com predomínio

da reabsorção sobre a neoformação