You are on page 1of 37

Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar

4º Ano – Cirurgia I

Patologia Benigna da Cavidade Oral

Asdrúbal Pinto
Assistente Hospitalar Graduado
Serviço Estomatologia e cirurgia Maxilo-Facial HGSA
Director de Serviço: Dra. Conceição Cerqueira

Porto 2006
Histologia
 Cavidade bucal encontra-se
revestida por epitélio
pavimentoso estratificado,
nos lábios pode observar-se
a transição para um epitélio
queratinizado

 A lâmina própria apresenta


papilas conjuntivas, com
pequenas glândulas
salivares

2
Histologia
 Língua é uma massa de tecido muscular
estriado revestido por mucosa
 Na superfície dorsal da língua encontram-se
numerosas saliências que são as papilas

3
Histologia
 Papilas linguais:
 Papilas filiformes, são as mais frequentes e cobrem
toda a superfície e não contém corpúsculos gustativos

 Papilas fungiformes, em forma de cogumelo pouco


frequentes e apresentam corpúsculos gustativos

 Papilas valadas, encontram-se no V lingual em número


de 7 a 12 e contém grande numero de corpúsculos
gustativos e glândulas Serosas

4
Histologia
 Dentes
 Porção calcificada – esmalte e Dentina

 Esmalte
 É um derivado epitelial calcificado enquanto as outras
estruturas dos dentes derivam do mesoderma
 97% sais de cálcio
 3% de matéria orgânica

 Dentina
 Tecido calcificado semelhante ao osso.
 A matriz orgânica composta de glicoproteinas e colagénio
e sintetizada por odontoblastos

5
Histologia
 Dentes
 Porção não calcificada – polpa dentária

Polpa dentária
 Tecido conjuntivo, onde predominam os fibroblastos
 Rica em nervos e vasos

6
Histologia
 Dentes
 Paradente ou estruturas associadas – cemento, membrana
periodontal e osso alveolar

Cemento
 Semelhante ao osso

Ligamento periodontal
 Estrutura fibrosa que fixa a raíz ao osso alveolar

7
Histologia
 Dente
Esmalte
Coroa
Dentina
Gengiva

colo Polpa

Cemento

Raíz
Periodonto

Osso
alveolar

8
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Melánico – nevus
 Epitilial – papilomas
 Fibroso:
Fibromas
Épulide fibrosa
Épulide fissurada
 Tecido adiposo – lipomas
 Cartilagem – condromas
 Muscular:
Leiomioma
Rabdomioma

9
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Vascular:
Hemangiomas
Linfangiomas
Granuloma Piogénico
Épulide da gravidez
Granuloma periférico de células gigantes

 Nervoso:
Neuromas
Neurofibronas
Schwannoma

10
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Melánico – nevus
 Mais frequente na mulher (40-50 anos)
 Palato duro - 40%
 Mucosa Jugal - 15%
 Retromolar – 10%

11
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Papiloma
 Mais frequente no palato
mole e úvula

 Tumor esbranquiçado,
queratinizado por vezes
com aspecto de couve flor

12
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Fibroma
 Temufação dura, firme e superfície lisa
 20% de todas as lesões benignas da mucosa oral
 Etiologia – traumática

13
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Épulide fibrosa
 É uma hiperplasia fibrosa da gengiva que em 50% dos caos
tem material ossificado
 Etioligia – traumática por acção da placa bacteriana
 Mais frequente em jovens dos 12-20 anos e na zona
intercanina

14
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Épulide fissurada
 Consiste em úlceras com
diversos graus de
hipertrofia e hiperplasia

 Etilogia – próteses mal


ajustadas

 Clínica – são pregas no


suco mucovestibular ao
qual se adapta os bordos
da prótese

15
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Lipoma
 Mais frequente ma mucosa
jugal, língua e pavimento da
boca
 Localização na submucosa, cor
amarelada

 Condroma
 São derivados do tecido
cartilagionoso
 Raros na cavidade oral
 A língua é a localização mais
frequente

16
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Leiomioma
 São derivados do musculo liso que é raro na cavidade
oral
 Mais frequente em adultos jovens e na base da língua
 Estreita relação com os vasos sanguíneos
 Cor azulada

 Rabdomioma
 Derivado do musculo estriado
 Extremamente raro na cavidade oral

17
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Hemangiomas
 Afecta o vaso sanguíneo
 Congénitos 10%
 Mais frequente no sexo
masculino
 Cor vermelha – origem
arterial
 Cor azulada – origem
venosa
 Ao pressionar perde a cor
 Mais frequente nos lábios,
língua e gengiva
 Tumor não capsulado

18
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Linfangioma
 É semelhante ao anterior mas
formado por vasos linfáticos

 A língua é a localização mais


frequente, seguida da mucosa
jugal e lábios

 Cor rosa pálido ou amarelado

19
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Granuloma Piogénico
 É uma lesão frequente na cavidade oral
 Factores predisponentes – tártaro,
obturações debordantes, má posição
dentária
 Clínica
 tumefacção vermelha brilhante ou violácia
 Ulcerada e sangrante ao toque

 Épulide da gravidez
 para muitos autores é mesma identidade
do anterior

20
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Granuloma periférico de células
gigantes
 Corresponde a uma resposta celular
proliferativa anormal, a uma agressão
 Frequente na gengiva, pediculada
 Situada na papila, espaço edentulo ou
gengiva marginal
 Mais frequente na área molar mandibular
 Clínica - tumefacção com aspecto liso e
brilhante

21
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Neuromas
 Origem no nervo periférico
 É uma reacção reparadora dos nervos periféricos

 Neurofriboma
 É uma entidade rara e mais frequente na língua

22
Classificação dos tumores benignos da
mucosa oral segundo a sua origem
 Neurofibromatose (síndrome de Von
Recklinghausen)
 Tem neurofibromas na pele e outros
tecidos
 Áreas pigmentadas melânicas na pele
(manchas de café com leite)
 Alterações esqueléticas, vasculares e
linfáticas

 Schwannoma
 Mais frequente no pavimento da boca e
língua
 Tumefacção firme
 Está em intima relação com o nervo que
lhe deu origem

23
Patologia das glândulas salivares
 Cálculo salivar
 80% da glândula submandibular
 6% na parótida
 2% na sublingual e glândulas minor

24
Patologia das glândulas salivares
 Mucocelos
 Mais frequente no lado inferior

25
Patologia das glândulas salivares
 Ranula
 Tipo de quisto salivar
dependente da glândula
sublingual ou submandibular

26
Patologia das glândulas salivares
 Adenoma pleomórfico
 Tumor benigno das glândulas
salivares mais frequente (60 a
80%)
 Localização
65% tumores parotídeos
60% submandibulares
43% glândulas minor
 Clínica – tumor bem limitado,
duro, liso, móbil
 Aspecto macroscópico – massa
sólida lobulada bem circunscrita
com áreas esbranquiçadas e outras
translúcidas
27
Lesões Brancas
 Leucoplasia
 Mácula ou placa branca que não se pode caracterizar
nem clínica nem patologicamente como qualquer
outra lesão (OMS).

 Diagnóstico de exclusão

 Lesão pré-maligna mais frequente (85% dos casos)

 Lesão pré-maligna (risco global de transformação


maligna de 4%)

28
Leucoplasia

29
Leucoplasia

30
Leucoplasia

31
Leucoplasia

32
Leucoplasia

33
Leucoplasia

34
Leucoplasia

35
Leucoplasia

36
Tumores Malignos

37