You are on page 1of 20

Financiamento para Empresas

Papel da instituições Financeiras
• As instituições financeiras dispõem de uma série de produtos e serviços voltados para as empresas. A escolha de quais deles usar deve levar em conta a qualidade dos serviços prestados e os custos envolvidos. Dentre os produtos e serviços oferecidos, destacam-se:   - Aplicação de recursos financeiros: depósitos à vista, depósitos a prazo, caderneta de poupança e fundos de investimento;  - Captação de recursos financeiros: empréstimos, financiamentos, adiantamentos de contratos de câmbio, leasing, factoring e descontos de duplicatas e cheques pré-datados. A Conta Garantida, que permite saques com a utilização de duplicatas como garantia, é uma das opções mais utilizadas. A modalidade voltada preferencialmente aos correntistas do banco, mediante análise de crédito;  - Serviços: cobrança de títulos, avais e fianças, informações de crédito, transferências de recursos.

Crédito
• O crédito é uma relação de confiança entre os agentes financeiros e o empresáriocliente

Crédito
• Quando uma instituição financeira negocia valores e condições com algum cliente, sob a promessa de recebimento do valor principal acrescido dos juros da operação, se estabelece uma relação de confiança do cumprimento do acordo. Assim, um cliente pode ter crédito (boa reputação) em um determinado agente financeiro de seu relacionamento, mas isto não implica, necessariamente, que ele consiga financiar sua atividade empresarial, por envolver outros aspectos da análise de crédito.   Deste modo, a terminologia crédito, no mercado financeiro, tem um significado mais amplo, que envolve além da boa reputação, re laçõ es d e empr és timo s / fi nan ci am ent os e ntre agent es fina nce ir os e clientes.

Financiamento
• Se o empresário vai tomar empréstimo junto a algum agente financeiro, é importante que conheça operações de crédito e seus componentes: Cré dito para ca pital d e g iro Operações de crédito destinadas à manutenção da atividade operacional no dia-a-dia da empresa: caixa, bancos, contas a pagar e a receber, folha de pagamento, estoques e outros compromissos de curto prazo. Os empréstimos para capital de giro podem ser liberados de duas formas: •          Isoladamente (capital de giro puro) - na maioria das vezes, este tipo de empréstimo não necessita da comprovação de sua destinação •          Associado a investimentos fixos (capital de giro associado) - destinado à compra de insumos e/ou mercadorias

Financiamento
• Crédi to par a i nvesti mento fixo Operações de crédito de longo prazo destinadas financiar implantação, expansão e modernização empresas, e, ainda, reposição de máquinas, equipamentos, móveis, utensílios e veículos; obras civis e instalações. Essas operações financiam os ativos imobilizados das empresas: itens de permanência duradoura, destinados ao funcionamento das atividades da empresa.

Financiamento
• Crédit o para in vestim ento misto Operações que financiam investimento fixo e capital de giro associado. Vale lembrar que esta modalidade de crédito é bastante utilizada por empreendedores que - ao adquirir um ativo imobilizado - necessitam recursos para a aquisição de matérias-primas, mercadorias, e demais despesas.

Terminologia
• Ativo Imobilizado: Imóveis • Ativo Fixo: bens de pequenos valores • Ativo intangível: Copyright de uma marca ou produto.

Microcrédito
• O microcrédito é uma modalidade de crédito desenvolvida para o atendimento dos pequenos empreendimentos, sejam eles formais ou informais. Portanto, pode ter acesso o empreendedor que toca uma pequena fábrica de fundo de quintal ou mesmo um pequeno negócio formal que necessita de um financiamento para melhorar ou ampliar as suas atividades. O crédito geralmente está condicionado a determinadas exigências, tais como ter o nome limpo na praça (SPC e SERASA) e ter uma boa relação com a sua comunidade. O financiamento poderá estar condicionado a um avalista ou mesmo a um grupo de avalistas que tomam financiamento em grupo.  Cada instituição de microcrédito tem a sua norma de funcionamento, portanto outras exigências podem ser feitas.

Microcrédito
• Banc o do Empr eendedor • PLA NOR TE - Soc ie dad e de Crédito ao Microempr eend edo r do P lanalto N orte www.planorte.org.br • BA NCR I - Banco de Cré di to P opular da Foz do Rio Itajaí-Açú - www.bancri.org.br • BA NCO DA FAMÍLIA Ass ociação Br asileira par a o Desenvol viment o da Fa mília www.bancodafamilia.org.br • Banc o do Vale – Agência Metr opolitana de Microcr édito - ww w.bancodovale.org.br • BLU SOL – Banco do P ovo - www.blusol.org.br • BADESC – Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina

BADESC
• PRÓ -MI CRO BADESC / SERVI ÇO

Oferecer crédito de forma ágil a empresas PRESTADORAS DE SERVIÇOS, instaladas em Santa Catarina, com a finalidade de financiar a ampliação, modernização, transferência de empresas prestadoras de

Interface entre empresário e Instituição Financeira
• O Sebrae poderá dar apoio e assessoria na constituição de uma organização de microcrédito ou mesmo fazer com que uma organização existente em outra localidade possa atuar na comunidade pretendente.

BNDS - Banc o N ac iona l de Desenvol vi mento E conô mico e Soci al
• • • • • • • • • Projetos Financiáveis Implantação, ampliação, recuperação e modernização; Inovação e desenvolvimento tecnológico; Produção, comercialização, importação e exportação de bens e serviços; Internacionalização de empresas de capital nacional (desde que associadas à promoção das exportações brasileiras); Reestruturação setorial/empresarial (sempre por meio de mecanismos de mercado de capitais, exceto nos projetos de empresas auto-gestionárias); Investimentos em infra-estrutura urbana e social; Investimentos sociais de empresas; Empreendimentos relacionados ao setor produtor de ferro gusa, condicionado a que a madeira e o carvão utilizados como energético e matéria-prima no processo de produção das empresas sejam provenientes de reflorestamento (comprovado através de Certificação de Cadeia de Custódia); e Empreendimentos nos setores de radiodifusão, jornais e periódicos, meios de comunicação e publicidade em geral, somente através de operações indiretas não-automáticas.

Financiamento a fundo perdido
• Excepcionalmente, podem ser realizadas operações com essas características através do Fundo Social ou do Fundo Tecnológico –FUNTEC, obedecidas as condições estabelecidas nos respectivos fundos.

Fundos Perdidos
• Dest inação dos Recursos • São passíveis de apoio os projetos de desenvolvimento tecnológico e de inovação direcionados para: • Energias renováveis, particularmente os desenvolvimentos tecnológicos capazes de assegurar no longo prazo posição de destaque ou mesmo liderança para o País nesta área; • Meio ambiente, voltados a soluções para o controle de emissões poluentes de veículos e de indústrias; e • Saúde, especificamente princípios ativos e medicamentos para doenças negligenciadas; fármacos que utilizem a técnica de DNA recombinante; e o apoio à construção de infraestrutura de inovação em saúde, envolvendo biotérios, pesquisa pré-clínica e pesquisa clínica.

FINEP
• A FINEP é uma empresa pública vinculada ao MCT. Foi criada em 24 de julho de 1967, para institucionalizar o Fundo de Financiamento de Estudos de Projetos e Programas com o objetivo de promover e financiar a inovação e a pesquisa científica e tecnológica em empresas, universidades, institutos tecnológicos, centros de pesquisa e outras instituições públicas ou privadas, mobilizando recursos financeiros e integrando instrumentos para o desenvolvimento econômico e social do País.

Tipos de Financiamentos
• Financiamento não-reembolsável Apoio financeiro concedido a instituições públicas ou organizações privadas sem fins lucrativos para: •  realização de projeto de pesquisa científica ou tecnológica ou de inovação; • realização de estudos ou de eventos e seminários voltados ao intercâmbio de conhecimento entre pesquisadores.

Tipos de Financiamentos
• Financiamento reembolsável Crédito concedido a instituições que demonstrem capacidade de pagamento e condições para desenvolver projetos de P,D&I. Os prazos de carência e amortização, assim como os encargos financeiros, variam de acordo com as características, da modalidade de financiamento, do projeto e da instituição tomadora do crédito. • • - Fin an cia me nto co m enc ar gos r edu zi do s Constitui-se de financiamento com encargos reduzidos para a realização de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação de bens, serviços ou para capacitação tecnológica de empresas brasileira. As operações de crédito nesta modalidade são praticadas com encargos financeiros que dependem das características dos projetos.

• •

O financiamento é concedido pela FINEP por meio de um convênio celebrado com a organização proponente, no qual são especificados os objetivos, os resultados esperados, o plano de trabalho, os indicadores de desempenho, o cronograma de desembolso, o prazo de apresentação do relatório técnico e da prestação de contas. Instituições elegíveis para financiamento nãoreembolsável • Universidades e outras instituições de ensino e pesquisa, públicas ou privadas, desde que sem fins lucrativos. • Instituições e centros de pesquisa tecnológica, públicas ou privadas, desde que sem fins lucrativos. • Outras instituições públicas e organizações nãogovernamentais sem fins lucrativos. Pr az os

Tipos de Financiamentos
• • - Fi na nci ame nt o r eemb ol sável p adr ão Operações de crédito para projetos com foco na inovação de produto ou de processo, que contribuam para a melhoria da competitividade da organização, mas que não estejam enquadradas nas condições do Programa Pró-Inovação. Tais operações são praticadas com encargos financeiros formados pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), acrescidos de margem (spread) de 5% ao ano. A FINEP financia até 80% do valor total do projeto nesta modalidade. - Fin an cia me nto co m jur o re al ze ro Constitui-se em modalidade de financiamento para apoio a projetos desenvolvidos por micro e/ou pequenas empresas inovadoras, que representem uma inovação em seu setor de atuação, seja nos aspectos comerciais, de processo ou de produtos/serviços.

• •