You are on page 1of 24

Isave 2010/2011

• Licenciatura em Radiologia
Estudo de Casos

Coordenação: Dra. Alexandra Gondar

“Tuberculose”

pois sua ocorrência está directamente associada à forma como se organizam os processos de produção e de reprodução social. É causada pelo Mycobaterium Tuberculosis ou Bacilo de Koch. a partir de outras bactérias do gênero Mycobacterium. • A tuberculose é considerada uma doença socialmente determinada. e conhecida também em português como tísica pulmonar ou "doença do peito" é uma das doenças infecciosas documentadas desde mais longa data e que continua a afligir a Humanidade nos dias actuais. A tuberculose pulmonar é a forma mais frequente e generalizada da doença.000 anos. . assim como à implementação de políticas de controle da doença. Estima-se que a bactéria causadora tenha evoluído há 15.000 ou 20. Os processos de produção e reprodução estão directamente relacionados ao modo de viver e trabalhar do indivíduo.Introdução • A tuberculose que era chamada antigamente de "peste cinzenta".

o indivíduo não consegue respirar normalmente. Quando os pulmões são agredidos. ou TB. Os germes da tuberculose podem-se instalar em qualquer parte do corpo. A TB pode ser curada com o tratamento correcto. é uma doença causada por germes. ouvimos falar de tuberculose nos pulmões. • Caso não se tenha o tratamento adequado esta poderá ser fatal. O germe da TB multiplica-se e agride partes do corpo humano. • Nós.O que é a Tuberculose? • Tuberculose. . mais frequentemente.

sistema nervoso central. é chamada de tuberculose extra-pulmonar e pode ocorrer nos seguintes locais: 1. 2. 8. 4. isto é. 5. 7.linfonodos.ossos.pele. que atinge apenas os pulmões.sistema uro-genital.articulações. • Esta também se manifesta em outros órgãos.Tipos de Tuberculose • A tuberculose não é uma doença exclusivamente pulmonar.baço.fígado. 3. nesse caso. 6. .

. Quando um doente com tuberculose tosse.5 mil partículas são igualmente projectadas para a atmosfera.Como se transmite a tuberculose? • A transmissão do micróbio da tuberculose processa-se pelo ar. fala ou espirra. através da respiração. cerca de 3. espalha no ar pequenas gotas que contêm o bacilo de Koch. Através da tosse. que o faz penetrar no nosso organismo. Uma pessoa saudável que respire o ar de determinado ambiente onde permaneceu um tuberculoso pode infectar-se. • Note-se que um espirro de um doente com tuberculose projecta no ar cerca de dois milhões de bacilos.

até mesmo quando o tempo está frio ● Perda de apetite e peso ● Cansaço • Quando a tuberculose está nos pulmões. portanto é importante que as pessoas com esses sintomas procurem um posto de saúde para consulta médica. O paciente produz uma grande quantidade de escarro.Sintomas da tuberculose • Os sintomas da TB dependem de onde os germes da TB se instalam no corpo. o qual pode conter sangue. o sintoma mais importante é a tosse que se estende por um longo período (mais de 2 ou 3 semanas). Alguns dos sintomas de tuberculose são como sintomas de outras doenças. . Geralmente os sintomas da TB são: ● Febre e tosse ● Suor nocturno.

contam-se os idosos. a diabetes ou o alcoolismo. acaba por não resistir. Contudo. mas continua a albergar o micróbio. ou seja.Todas as pessoas que entram em contacto com doentes tuberculosos podem ser contagiadas? • Não. com o ar que este respira. por vezes. Os idosos têm também mais possibilidades de adoecer logo após estarem em contacto com um tuberculoso. • Entre as pessoas que mais probabilidades têm de contrair esta infecção. A maior parte das vezes o organismo resiste e a pessoa não adoece. o cancro. como a sida. motivo pelo qual quando fragilizado por alguma outra doença. o organismo resiste no momento. as crianças e as pessoas muito debilitadas por outras doenças. .

pacientes em uso de corticoterapia prolongada. adolescentes. diabéticos. adultos jovens e idosos. usuários de drogas injetáveis e imunossuprimidos (portadores de HIV. • Aquelas que têm condições socioeconômicas precárias.As pessoas que têm maior risco de contagio de tuberculose são: • Aquelas que vivem e convivem com doente de tuberculose pulmonar em lugares fechados. com pouca ventilação. • Em crianças menores de 5 anos. sendo que a probabilidade de adoecer aumenta entre os desnutridos. . entre outros).

Como se descobre a doença? .

que contenha algum elemento perante o qual os indivíduos geralmente reajam. Se uma pessoa não reagir à substância de controlo. . é possível que o seu sistema imunitário não esteja a funcionar de forma adequada. geralmente no antebraço. Nesse caso. como leveduras ou fungos. Aproximadamente dois dias depois observa-se o local da injecção: o inchaço e a vermelhidão indicam um resultado positivo.Prova de tuberculina: A prova cutânea da tuberculina efectua-se injectando uma pequena quantidade de proteína derivada das bactérias da tuberculose entre as camadas da pele. um resultado negativo de uma prova cutânea da tuberculina poderá ser incorrecto (falso negativo). Por vezes. As pessoas afectadas de tuberculose grave e cujo sistema imunitário seja deficiente também poderão fornecer falsos resultados negativos ao serem submetidas a esta prova.Testes de Tuberculose • Podem ser realizados vários testes entre eles: 1. injecta-se uma substância de controlo noutro ponto.

A expectoração pode constituir uma amostra pulmonar adequada. Para obter uma pequena porção de tecido infectado. o médico tem de obter uma amostra de expectoração.Teste do escarro: Para se certificar do diagnóstico. caso Grupos de Mycobacterium tuberculosis podem ser vistos nitidamente nesta cultura contrário. de uma articulação ou do saco que rodeia o coração. É possível utilizar uma agulha para se obter uma amostra de líquido do peito.2. líquido infectado ou tecido para a analisar no laboratório. . provavelmente será necessário recorrer a um procedimento de pequena cirurgia denominado biopsia. do abdómen. o médico pode utilizar um instrumento chamado broncoscópio para inspeccionar os canais brônquicos e obter amostras de muco ou de tecido pulmonar.

Sistema de classificação da Tuberculose .

Prevenção da Tuberculose • Através da vacina BCG feita ao nascer. • Controle e cuidados com as pessoas que habitam o mesmo ambiente do doente (comunicantes). somente com indicação médica. • Revacinação de BCG para crianças comunicantes menores de 5 anos. • Controle e tratamento dos doentes. .

• Não tomar bebidas alcoólicas.Tratamento da tuberculose • Tomar remédio diariamente conforme orientação médica. • Fazer as refeições normalmente. Não existe restrição para a alimentação. . • Parar ou reduzir o número de cigarros.

10.03.02 Cavitação primária TB primária gânglio-hilar ou gângliomediastinal Infiltrados primários TB miliar primária (granulia) TB pleural primária Epituberculose (Síndrome do Lobo Médio) .

com asregiões palmares para fora e cotovelos parcialmente flexionados Ombros rodados para a frente contra o porta-filme para permitir que as escápulas se movam lateralmente. em sentido longitudinal ou transversal Grade móvel ou fixa limite de 110 a 125 kVo . • Posição do Paciente: Paciente na posição ortostática. Técnica e dose: • Proteção Avental de chumbo seguro em torno da cintura ou uso de um biombo de chumbo ajustável.) • Respiração A exposição é feita ao final da segunda inspiração profunda e completa. Também pressione os ombros para baixo para que as clavículas se posicionem abaixo dos ápices • Raio Central-RC perpendicular ao porta-filme e centralizado com o plano mediossagital. com os pés um pouco afastados.-Centralizar o chassi com o RC. peso igualmente distribuído sobre os dois pés. e as bordas laterais. nas margens externas da pele. (A borda superior do campo iluminado deve estar ao nível da vértebra • proeminente.Protocolo Rx • Factores Técnicos Tamanho do filme-35 x 43 cm. queixo elevado. apoiado contra o porta-filme. atrás do paciente. "saindo da frente" dos campos pulmonares. ao nível de T7 (18 a 20 cm ou 7 a 8 polegadas abaixo da vértebra proeminente ou até o ângulo inferior da escápula). (14 x 17 polegadas). mãos sobre a porção inferior dos quadris.DFoFi de 180 cm (72 polegadas) • Colimação Colimar os quatro lados para a área dos campos pulmonares. móvel. • Observação: Colocar o chassi transversalmente em pacientes de grande compleição ou do tipo hiperestênico .

coração. sombras (ou silhuetas) mamárias maiores (se presentes) principalmente lateral aos campos pulmonares. de T1 para baixo. Sem Rotação em que ambas as articulações esternoclaviculares (E-C) mostram a mesma distância a partir da linha central da coluna. suficiente para evitar a sobreposição das escápulas sobre os campos pulmonares. • Observação: A escoliose e a cifose também podem causar assimetria das articulações E-C e das margens do gradil costa I como evidente pela curvatura espinhal O para E.A distância das margens laterais das costelas até a coluna vertebral deve ser a mesma em cada lado do gradil costal. As tramas das regiões hilares. grandes vasos e caixa torácica são demonstrados.Critérios de boa realização • Incluír ambos os pulmões. desde a parte superior até a inferior. . rotação dos ombros para a frente. o queixo suficientemente elevado para evitar que os ápices sejam sobrepostos. desde os ápices até os ângulos (ou seios) costofrênicos e a traquéia repleta de ar.

a formação de tubérculos e outros crescimentos dentro dos tecidos. A tuberculose pulmonar é a forma mais comum da doença . Esse aspecto é típico para a tuberculose pulmonar crónica. unidas umas nas outras (coalescência) estão presentes. As setas indicam a localização das cavidades destas áreas claras.• A tuberculose é uma doença infecciosa que causa inflamações. Várias áreas claras (opacidades) de diferentes tamanhos. Esses raios X torácicos mostram uma tuberculose pulmonar avançada. porém outros órgãos também podem ser infectados. porém pode aparecer também com a histiocitose pulmonar crónica e com a coccidioidomicose pulmonar crónica. A radiografia localizada no lado esquerdo mostra claramente que as opacidades estão localizadas na área superior dos pulmões em direcção às costas. e pode causar a necrose tissular. . e é difícil de tratar. A tuberculose pulmonar está a reaparecer com maior resistência.

faça o exame no sentido caudo-craniano assim minimiza o artefacto de movimento no caso do doente respirar na parte final do exame. pitch 5. feet first • Cobertura: ângulos costo-frénicos laterais aos vértices pulmonares/sentido caudo-craniano • Aquisição: 4 x 3 mm. • Posição: decubito dorsal.Protocolo TAC .. . 4.dar ao doente a beber 200 ml de agua imediatamente antes do exame.exame realizado em inspiração profunda. Eduque o doente e peça-lhe para respirar fundo várias vezes imediatamente antes do exame começar.Rotina • Rotina: essencialmente em todos os doentes a não ser que haja uma razão especifica para usar contraste. o que faz com que o doente aguente mais tempo sem respirar. Começar o exame mais caudalmente. incrementos de 5mm/ axial/ coronal/ sagital. 3.inclua as supra-renais em todos os doentes com carcinoma do pulmão ( as supra-renais são uma localização frequente de metastização). 2.5 • Reconstrução: 5mm. Janela de mediastino = 400W/40L só no plano axial Janela de pulmão = 1700W/700L nos três planos • Nota: 1.

Protocolo TAC. 3. Estas imagens de alta resolução são documentadas apenas em janela de pulmão. As imagens de alta resolução são documentadas apenas em janela de pulmão. desde a base aos vértices.Em primeiro lugar faça um exame sem contraste intra-venoso. 3.doentes com provas de ventilação pulmonar anormais. feet first • Protocolo: 1. • Modo: espiral para exame de rotina e incremental para alta resolução. Fundamental uma boa inspiração em cada corte.suspeita de alterações intersticiais precoces.De seguida. 2. faça uma terceira série de cortes de 1mm de espessura com intervalos de 20mm em expiração forçada.Alta Resolução • Indicações: 1.De seguida faça cortes de 1mm de espessura com intervalos de 10mm em modo incremental. • Posição do doente: decúbito dorsal. . eduque o doente antes do exame).doença infiltrativa pulmonar crónica. 2. desde os vértices até ao diafragma. com os mesmos parametros de aquisição e reconstrução.

. Um pulmão normal teria um aspecto totalmente preto na tomografia computadorizada. Esse nódulo é visto como o círculo claro na parte superior da área escura no lado esquerdo desta fotografia.• Esta tomografia computadorizada mostra uma lesão simples (nódulo pulmonar) no pulmão esquerdo.

. • Vimos também como podemos diagnosticar esta patologia através das valências da radiologia como a TC e o raio x.Conclusão • Com a realização deste trabalho ficamos a conhecer mais detalhadamente a tuberculose a sua origem como se propaga e cuidados a ter na sua prevenção . • Como constatamos através da nossa futura profissão podemos ajudar a diagnosticar e a tratar esta e outras patologias dando assim um contributo enriquecedor a comunidade e a nos próprios ajudando os outros.

Trabalho realizado por: Ângelo Torres Bruno Faria Daniel Gonçalves João Pinto .

.. .

. .4743.

8934   .30. 8. /0 20/. .9.

 .  8O 34 5. /0 5:24   .34 .30..

.20 2.8 .008 20/.:. 4 0.. 703. 4 .882 232./4 02 3857.20  3. 703.7 4 6:0 1.7.:.4 5741:3/.4 .9.7901.84 /4 /40390 70857.7 4 0. -0-07  2 /0 .:0390 2.42 . /:6:0 4 /40390 0 50. /4 0. 5.E7. 4... /4 5:24 1706:0390 /0 209.4 420. 20/. 0 5.7 1:3/4 .94 /0 24.20 .342.3908 /4 0. 70857. ..790 13.3.8 84 :2.7. .20390 .20 .9.20 70.7.:/4 ..348 W 49.34 .8 8:57.7  1.8 .20 34 8039/4 ..420.42 6:0 4 /40390 .8 02 94/48 48 /403908 .20390 .:/.89.  348 97H8 5.8 90254 802 70857...20390  /.  0.7 3.3908 /4 0.8 8:57.20394 34 .4 /40390 .7 .

7084:484/4.  /403908.47908/022/0085088:7.:2.890397.5.20802.3472.08390789.8.4790 0/:6:04/40390..48/0 220224/43..9.-94/478.08 89.47908/022/0085088:7..82.07.08.6:84 070.2.03..:2./.702039.209748 /0.9./.038/0.45:243.7./0.!7494.43897:4  080:/.802.907.30..7084:4 W !484/4/40390/0.7084:484/4.402.423907.038/0..7.7.039. 1009 1789 W !7494.7..-4.4147.9.F79..4397.17.. 1.907.-.30.9F.42574.0. .7.423907.5:243.3857.8.5. /08/048 .8/0.42482082485.:2039.:20.08  /403./..8  8:8509./05:24  080:/.3197.#084:4 W 3/.702039.F79.1.71.20/07493./.9..2039..44  2572074:.44% 9.48/0 2202 057..503.802..3908/40.48.4/.4.8F70/0.80. :3/.20 8 2.503.03484 ./0 5:24 .08 W 4/40857.:2039...8570.7O3. /08/0.

:4 . E70. .W 89. 94247. &2 5:24 3472.7 34 5:24 086:07/4 880 3O/:4 F .J7.1.425:9. 24897.74 3. . 5.. 34 .20390 57094 3.850./4 086:07/4 /089. :2 . 14947./. 94247.1./47.:7./. :2. ./47.790 8:50747 /. 084 82508 3O/:4 5:243.425:9.1.894 .424 4 . 08. 907.94 949.

.

°n¾j W .

¯f ffsj ¾ f f€nf¯¾fn° n ¯f¾ ff f¯ °  f n¾ f¾f– ¯n¯¾ ½½f–f n f ¾f °f¾f ½  °sj W I¯¾f¯ x¯n¯½ ¯¾ f–°¾nf ¾f½f–fffx¾ f¾ fy°nf¾ ff –fn¯f@.

 f W .

¯n°¾ff¯¾ffx¾ f°¾¾f€f½€¾¾j½ ¯¾f© ff f–°¾nf fff ¾f f¾½f–f¾ f° f¾¾¯¯ n°  ° n fn¯° f  f°¾½½¾f© f° ¾ ¾ .

@f f ff ½ °– @ ¾ °ff f° °sf ¾ j9° .