You are on page 1of 25

A saga dos licores
Poção do amor, remédio para todos os males, afrodisíaco. Origem: Babilônia. 1730 a.C. Feitos por três processos: infusão, destilação e filtragem.
A Legislação Brasileira para bebidas (Brasil, 1973) define licor como a bebida destilada de teor alcoólico entre 18° e 54° GL, obtida pela mistura ou redestilação de álcool etílico potável, ou aguardente simples desodorizada, com substâncias de origem vegetal ou animal, adicionada de sacarose, glicose, mel ou xarope de glicose.

460 a. o pai da medicina: adição de flores de Dittano e losna ao vinho branco Vinum Absinthianum Roma antiga – período de Cícero e Plínio iniciase a adição de especiarias como a pimenta da guiné. entre outras. cravo. – Hipocrates. ao vinho contra os males do estômago. .C.

. • Inúmeros são os vinhedos famosos que pertenceram a esses mosteiros beneditinos. • O conhaque nasceu na província francesa de Charente. • 1757 – Kümmel. no Século XV.Bizâncio e a Idade Média • O papel dos mosteiros e a influência árabe. mais precisamente numa pequena vila de nome Cognac. • Licores de ervas medicinais começaram a serem adoçados no século XIV. Destilado de uvas brancas chamado de "eaux de vie". por Lucas Bols.

. que significa absinto. • 1786 – primeiro registro de produção de vermouth em Turim. • A palavra é derivada do alemão Wermut Wein. Savoia e depois Piemonte.Vermutes & bitters • Monges preservavam as ervas colocando-as no vinho para fins medicinais.

• 1783 – Luigi Rossi. O nome original da bebida era Bitter uso Olanda. Teófilo Sola e Alessandro Martini compram uma empresa vinícola e adicionam uma fórmula secreta de ervas ao seu produto. e quatro anos depois inaugurou a Fabrica di Campari Gaspare Liquorista. • Em 1856. • O bitter só surgiria a partir de 1867 quando Gaspare se mudou para Milão e abriu o Caffè Campari. • O mais famoso bitter do mundo. . Gaspare Campari adquiriu o Caffè dell’Amizia.

tudo misturado e servido em copos com as bordas úmidas de suco de limão. duas doses de gin.A alquimia entre as bebidas a serviço da hospitalidade • 1897 – a Martini & Rossi exporta 300 mil caixas do produto. . meia de xarope de gengibre e meia de curaçau. • Os vermutes de Piemont ajudavam a suavizar os rudes gins fabricados na época. A receita original do primeiro coquetel que se tem notícia era: uma colher (sopa) de bitter. • Surge a coquetelaria.

. Depero.Belle époque e a philoxera vastatrix • 1920 – apogeu da coquetelaria. Boccasile e Nizzoli. • Um dos principais fatores do sucesso da empresa foram as campanhas publicitárias. para cuidar da empresa que tomava proporções gigantescas. desenvolvidas por artistas plásticos como Dudovich. Davide Campari se viu obrigado a fechar o bar – o Café Campari (mais tarde seria reaberto no mesmo local). • 1951 – criação da IBA • Anos 80 – internacionalização do paladar. Cappiello.

adiciona-se colorante. Redestilação: após a segunda destilação (pot) com o aroma escolhido. . Maceração: algumas frutas e ervas que não podem ser destiladas são deixadas para macerar no destilado por até quatro semanas.LICORES Processos de fabricação: Infusão: o destilado é bombeado em cima do elemento para pegar sabor.

. Grand Marnier: cascas de laranja e cognac. CURAÇAU*: cascas de laranjas amargas do Caribe.Laranjas Destilado-base: uvas. COINTREAU*: cascas de laranjas amargas. Licores estilo Triple Séc – o sabor das laranjas vem das cascas secas que são maceradas em álcool para suavizar seu sabor.

Café e coco Destilado-base: rum KAHLUA*: café (México) TIA MARIA: café (Jamaica) MALIBU: coco (EUA) .

mel. baunilha e cacau. Carolans – idem Amarula – vinho de marula e creme.Creme Baileys – irish cream. . creme.

M. canela. Centerba – liquore secco. absinto. Angélica. da Normandia (1510 / D. noz-moscada. cravo-da-índia.Ervas Strega (Itália): ervas diversas Chartreuse (França): hissopo. balsamo. entre outras.O. casca de laranja. Benedictine (França): uvas. Receita do monge Dom Bernardo Vincelli. Licor 43 (Espanha): uvas 43 ervas. .). 27 ervas e especiarias.

1575).Anis Pernod. Anissete – mais doce e antigo (Bols. Ricard e Ouzo são pastis elaborados com álcool de beterraba neutro. Sambuca – destilado de uvas com anis-estrelado e fruta do sabugueiro Anis Del Mono (Espanha) – anisestrelado e álcool neutro de beterraba. Arak é um destilado árabe da tâmara ou uva com anis e especiarias. anis-estrelado e especiarias. .

São a francesa Marie Brizard e a holandesa Dekuyper. as grandes companhias Produtoras são a STOCK DO BRASIL e a BOLS DO BRASIL. .Frutas Os licores de frutas tem em duas marcas os melhores sabores do mercado. No Brasil.

Creme de banana (Arrows)*. Amaretto (França)*: damascos. Cherry Heering (Dinamarca). Limoncello (Itália): limão siciliano. . Peachtree (vários): pêssego. Marraschino (Itália): cerejas marraschas.Frutas Midori (Suntory): melão. Cherry Brandy (UK)*: destilados de cerejas incluindo caroços. amêndoas e destilado de uvas. Creme de cassis (Dijon)* Apricotine (França)*: damascos. mel e xarope de açúcar. grappa e xarope. Mandarinetto (Itália): tangerina.

ervas e especiarias. Southern Comfort – Bourbon. urze. mel.Uísque Glaya – scotch e mel Chiva’s Brothers Lochan Ora – scotch e mel Drambuie* – scotch whisky. creme. . pêssego e laranja.

.Ovos Advocaat – licor holandês de destilado do vinho e gemas de ovos.

Menta. nozes. Mozart (Áustria) – chocolate. pimenta e vinho branco. Peppermint (França) – Cereais. Creme de cacau (Vários) – cacau e baunilha + álcool de cereais. avelãs e cacau Frangélico (Itália) – nozes e destilado de uvas. hortelã. . Nocino (Itália) – nozes e destilado de uvas.

Seco (Dry). Portaria n° 229. de 25 de outubro de 1988. Contém cerca de 14 a 20% de álcool. Tipos: Branco (doce). . com adição de macerados ou concentrados de plantas amargas ou aromáticas. vermutes são vinhos compostos que contiverem Artemísia predominante. Rosé (meio doce) e bitter. Fermentados com destilados do vinho com características próprias e adição de especiarias e ervas.VERMUTES Segundo a Legislação Brasileira (1973). Rosso (tinto).

entre outras. Dois grupos: Aperitivos e aromatizantes. Fabricados à base de álcool de cereais (neutro). cumprem uma dupla função: a de aperitivos e antiácidos. genciana.BITTERS Bitters ou amaros são os nomes genéricos dados às bebidas aromatizadas com substâncias amargas. como casca de laranja. . quinino.

Fernet Branca. Averna (Sicília).BITTERS APERITIVOS: ITÁLIA: Campari. BRASIL: Dubar. Aperol. ALEMANHA: Underberg. Stonsdorfer. FRANÇA: Amer Picon (laranja e genciana) e Suze. Jägermeister. . Cynar. Beerenburg. Cynar e Mezzamaro. Ramazotti. HOLANDA: Boonekamp’s.

enquanto outros. .BITTERS AROMATIZANTES: •Angostura.L. por processos mais complicados de destilação. mais finos. •Peychaud. Seu teor alcoólico varia entre 20 e 45° G. •Orange bitter. •Lemon bitter. Alguns são preparados por maceração e filtragem.

Calisay.Subgrupos: Vermutes-bitters:  Punt e Mês. da Itália.   Bitters doces: China-Martini. Espanha .

25.J.7 0 0.. 0 03.25 8 #@ 207 !.3.%%#$ !#%' $ %  .7. $.3. #.7 3.7 3.3.7 07309 7.74 .2. 0 $:0 #$ :-.2.43 .499 5074 .   &3/07-07 00703-:7 07208907 $9438/47107   4430.073..

.7.07./48/0/089.02  036:.4O.3944:9748 2.40197..:/ W 7.8 .81348 547574./485472.425.7.088482.03970 0S   .30-9907 W0243-9907 :38845705..4.4  $0:9047.. W!0..%%#$ # %%$ W3489:7.

 85. . .793 /.08 3. 9E.8.$:-7:548 '072:908 -99078 O !:39 0 H8 O 99078 /4.3. .