Cultura

Sociologia e Antropologia Prof. Eduardo Fernandes
FIS.

Cultura : Conceitos ambíguos.
• Sociologia • Alfred Kroeber e Kluckhohn (1952). • 250 definições de Cultura.Palavra latina do verbo colher, cultivar. • Distribuídas em 06 categorias: • 1 – Descritiva.2 – Histórica. • 3- Normativa.4 – Psicológicas. • 5 – Genéticas e 6 – Estruturais. Interrogação quanto a sua formação, difusão, utilização e efeitos que provoca.

Cultura : Conceitos ambíguos.
• Sociologia: • Cultura como fator histórico. • Cultura associada à Comunidade Nacional. • Organizações sociais estáveis. • Estudo objetivo = formação do Estado. • Estudo subjetivo = homem ao indíviduo.

Cultura : Conceitos ambíguos.
• Sociologia • Comunidade Humana e Relatividade Cultural. • Base nos estudos da Filosofia Histórica ( HERDER – Conceito de povo.) • Crítica às concepções culturalistas dos Antropólogos. • O modelo x o real – existência de incoerências. • Sociologia e Cultura de Massa.

Antropologia
• Abordar um pouco de tudo que cada ciência estuda. • Estudo da Natureza do Homem – espécie biológica. • Estudo do Homem como ser de cultura além da natureza. • O ser humano detém uma inteligência que o faz encarar o mundo através das convenções simbólicas. • A cultura é a segunda natureza humana, é a mediação com os outros, é a um(a) espelho(lente) pela qual o ser humano se vê (vê o mundo) e ao mesmo tempo atua no mundo.

Antropologia e Cultura
• Edward Taylor (1871): • “Cultura, é todo complexo que inclui conhecimentos, crenças, artes, moral, leis, costumes e quaisquer outras capacidades e hábitos adquiridos pelo homemo como membro de uma sociedade”. • Mércio Pereira Gomes (2006): • “Cultura é modo próprio de ser do homem em coletividade, que se realiza em parte consciente, em parte inconscientemente, constituindo um sistema mais ou menos coerente de pensar, agir, fazer, relacionar-se, posicionarse perante o Absoluto…”

• Antropologia • No pensamento humano reside a principal fonte da cultura : CRIATIVIDADE. • Pensar é articular uma compreensão do mundo através de linguagens. • O homem permanece como um animal ( instinto de sobrevivência). • A cultura tem sua lógica própria e tem certa autonomia em relação a natureza.

Antropologia e Cultura

Antropologia e Cultura
• A cultura possuí um conjunto de elementos de uma vida social organizada. • A cultura existe através de uma dinâmica de sua reprodução, algo inato dos seres vivos. • Significados da reprodução cultural. “ex. De geração para geração, dentro de cada geração, e no cotidiano”. • As culturas se relacionam umas com as outras, assim como, os indivíduos se relacionam também.

Conceitos das Ciências.
• Ciências Políticas = Estudo da dimensão do poder. Relações entre os homens e o Estado. • Psicologia = Estudo da Formação mental e emocional do homem. • Sociologia = Estuda a sociedade, o homem como ser coletivo vivendo em grupos, famílias, cidades, classes sociais. Problematiza os conceitos de nação, conflitos sociais.

• Economia = Estuda o homem em seu conceito material, produção de bens de uso, bens de troca. Estudo das instituições de distribuição e as consequências do bom ou mal resultado das relações.

Antropologia :
• • • • Anthropos = Homem. Logos = Estudo,Razão. Estudo do homem. Apesar da origem grega da palavra a Antropologia não existia na Grécia. • Os pais da filosofia consideravam sua cultura superior, os outros são bárbaros.

Antropologia
• Para a Antropologia a relação com as outras ciências se dá a partir da seguinte proposta: • “O fazer no mundo do ser humano não significa apenas produzir o meios de sobrevivência (ECONOMIA), mas também pensar (FILOSOFIA), desejar (PSICOLOGIA) e relarcionar-se uns com os outros ( SOCIOLOGIA e POLÍTICA).” • A Antropologia no Mundo : • Biológica ou Física; Arqueologia, Linguistica e Cultural ou Social.

A palavra no tempo.
• “Os escravos nascidos no Brasil, também englobados pelo termo geral negros, eram diferenciados pela designação de crioulo. O termo preto era sinônimo de escravo nascido na África. No sudeste, filhos de pretos, enquanto fossem escravos, eram crioulos. Já os filhos de crioulos eram pardos...As referências mudam quando se trata de libertos e livres. Eles nunca eram chamados de negros( não se dizia negro livre no Brasil). Se fossem filhos de africanos, nascidos no Brasil já como libertos, ou seja, filhos de mão liberta, eram designados pardos.Quase sempre o mulato indicava um individuo já livre, e essa talvez tenha sido a denominação que mais se referia à mestiçagem. Hebe Mattos sugere que pardo seria sinônimo de não-branco, independentemente da cor da pele, e branco teria o significado de livre. Ou seja, pessoas de cor negra ou mestiça podiam ser chamadas de brancas, se fossem comprovadamente livres”.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful