You are on page 1of 16

Conceitos jurídicos: leis, decretos-lei, decretos regulamentares, portaria (s);

Filipe Moreira

Teoria da separação de poderes Após Revolução Francesa Combater o poder absoluto do rei Distribuir os poderes por diferentes órgãos do estado Consagração constitucional Estado de Direito Democrático e Principio da Legalidade da administração .

Teoria da separação de poderes Poder Legislativo Cabe ao povo. através dos seus representantes. fazer as leis Assembleias representativas Assembleia da República  Poder Executivo Cabe ao órgão que governa o estado. aplicando o direito. fazendo justiça Tribunais . administrar e gerir Governo Poder Judicial Cabe a estes órgãos resolver os conflitos.

Normas jurídicas As normas jurídicas ganham diferentes nomes devido: Aos diferentes órgãos donde provém À diferente posição na hierarquia das leis .

Lei LEI Provém da Assembleia da República Os representantes do povo podem legislar sobre todas as matérias Há matérias que só a Assembleia da República pode legislar Há matérias que a Assembleia da República autoriza o governo a legislar – autorizações legislativas .

d) Conferir ao Governo autorizações legislativas.Lei Artigo 161 da Constituição (Competência política e legislativa) Compete à Assembleia da República: c) Fazer leis sobre todas as matérias. salvo as reservadas pela Constituição ao Governo. .

Lei Artigo 164 (Reserva absoluta de competência legislativa) É da exclusiva competência da Assembleia da República legislar sobre as seguintes matérias:…………………. É da exclusiva competência da Assembleia da República legislar sobre . Artigo 165 (Reserva relativa de competência legislativa) 1.

Revestem a forma de lei os actos previstos nas alíneas b) a h) do artigo 161 .Lei Artigo 166 (forma dos actos) 3.

mediante autorização desta. É da exclusiva competência legislativa do Governo a matéria respeitante à sua . c) Fazer decretos-lei de desenvolvimento dos princípios ou das bases gerais dos regimes jurídicos contidos em leis que a eles se circunscrevam.Decreto-lei Artigo 198 1. 2. Compete ao Governo. b) Fazer decretos-lei em matérias de reserva relativa da Assembleia da República. no exercício de funções legislativas: a) Fazer decretos-lei em matérias não reservadas à Assembleia da República.

os Regulamentos Policiais dos Governadores Civis. os Decretos. os Despachos Normativos.Regulamentos Os Regulamentos. as Posturas e os Regulamentos autárquicos. as Portarias. Compreendem os Decretos Regulamentares. os Decretos Regulamentares Regionais. os Regimentos. visam pormenorizá-las e complementá-las com o intuito de viabilizar a sua aplicação ou execução. ou seja. os Regulamentos. as Resoluções. . os instrumentos normativos de grau inferior ao ocupado pelas leis.

da lei 74/98.)» . de forma a conduzir à sua boa execução São emanados pelo Governo Artigo 14. alterada pela Lei 2/2005 1 — Os outros diplomas do Governo obedecem ao formulário seguinte: a) Decretos regulamentares: «Nos termos da alínea c) do artigo 199 da Constituição. o Governo decreta o seguinte: (Segue-se o texto.Decretos regulamentares Os Decretos Regulamentares destinam- se a pormenorizar a lei.

pelo . alterada pela Lei 2/2005 1 — Os outros diplomas do Governo obedecem ao formulário seguinte: e) Portarias: «Manda o Governo. dadas por um ou mais ministros.Portarias Ordens do Governo. . da lei 74/98. não tem de ser promulgados pelo Presidente da República Devem cumprir as regras de hierarquia das leis Artigo 14. . .

º A Constituição da República e as Leis Constitucionais. todos os actos referidos na al.º Os decretos legislativos regionais. b) do n.Hierarquia das leis 1.º 1 deste tema). 3. 5. 2. 4.º As leis e os decretos-lei.º Os actos dotados de força .º As normas e os princípios de Direito internacional geral ou comum e as Convenções Internacionais (ou seja.

o seu cumprimento é obrigatório.Normas vinculativas Por definição. O estado garante o cumprimento na norma jurídica vinculativa – pela força pública e no . de fazer ou de não fazer. A violação da norma jurídica – o seu não cumprimento. isto é. Significa que as normas jurídicas tem carácter obrigatório. as normas jurídicas são vinculativas – impõem comandos. origina uma tutela na norma – pública ou privada. ordens.

T.E. Convenções .Normas vinculativas Há normas vinculativas da U.I. Regulamentos Há normas vinculativas da O.

sugerindo que o façam de certa maneira ( harmonização de legislação a nível internacional ). apenas indicam o modo dos estados legislarem.E. Quando provenientes de instituições internacionais. Quando provenientes de instituições nacionais visam sugerir procedimentos. não são vinculativas. Exemplo as Directivas da U. Neste caso.Normas de recomendação As normas de recomendação por regra. Quando provenientes do estado visam uniformizar formas de actuação. a violação das normas de .