You are on page 1of 38

Sistema Público de Escrituração Digital

A ERA ´DACONµ ´DACONµ

IN-SRF-387/2004 ± Instituição do DACON. Art. 3º O sujeito passivo deverá manter controle de todas operações que influenciem a apuração do valor devido das contribuições referidas no art. 2º e dos respectivos créditos a serem descontados, deduzidos, compensados ou ressarcidos, na forma dos arts. 2º, 3º, 5º, 5º-A, 7º e 11 da Lei nº 10.637, de 2002, dos arts. 2º, 3º, 4º, 6º, 9º e 12 da Lei nº 10.833, de 2003, especialmente quanto
I - às receitas sujeitas à apuração da contribuição; II - às aquisições e aos pagamentos efetuados a pessoas jurídicas domiciliadas no País; III - aos custos, despesas e encargos vinculados às receitas referidas no inciso I; V - aos custos, despesas e encargos vinculados às receitas de exportação e de vendas a empresas comerciais exportadoras com fim especifico de exportação, que estariam sujeitas à apuração das contribuições caso as vendas fossem destinadas ao mercado interno; e V - ao estoque de abertura.

Sistema Público de Escrituração Digital

A ERA ´DACONµ ´DACONµ

Não houve, na época, a instituição de um livro fiscal próprio para controle dos créditos do PIS/PASEP e da COFINS, mas seria aconselhável que a pessoa jurídica fizesse adaptações em seu plano de contas contábeis, de forma a identificar os dispêndios mensais que geram créditos, comandando uma apuração extra-contábil abrangendo a sua utilização e transferência para o mês seguinte, nos moldes do LALUR, onde a parte "A" (mensal) identificaria as receitas geradoras de débito e os dispêndios geradores de créditos e a parte "B" serviria para controlar a utilização dos créditos apropriados, seja na dedução do PIS/PASEP e da COFINS apurados em cada mês, seja em outras formas de utilização previstas na legislação. A prática demonstrou que, na grande maioria dos casos, inexistia esse controle nas empresas. A EFD-PIS/COFINS visa substituir exatamente esse controle e, no futuro, a sua entrega possibilitará a eliminação da obrigatoriedade de entrega do DACON.

Sistema Público de Escrituração Digital

Em relação às demais PJ¶s não obrigadas. Fatos geradores a partir de 1º de julho de 2011: demais PJ¶s Lucro Real. fica facultada a entrega já a partir de 1º de abril de 2011. Fatos geradores a partir de 1º de janeiro de 2012: demais PJ¶s Lucro Presumido ou Arbitrado. Sistema Público de Escrituração Digital .A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Instituição da obrigação: IN-RFB-1. Quem está obrigado a apresentar: Fatos geradores a partir de 1º de abril de 2011: PJ¶s Lucro Real e sujeitas ao acompanhamento econômico-tributário diferenciado. A EFD-PIS/COFINS é parte integrante do SPED ± sua instituição já estava prevista desde a entrada em vigor desse sistema.052/2010.

independentemente do regime de tributação: Empresas de seguros privados. Pessoas jurídicas que tenham por objeto a securitização de créditos imobiliários.A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ PJ¶s que somente estarão obrigadas a partir de 1º de janeiro de 2012. Sistema Público de Escrituração Digital . financeiros. Empresas particulares que exploram serviços de vigilância e de transporte de valores. Empresas de capitalização. abertas e fechadas. agrícolas. Entidades de previdência privada. Operadoras de planos de assistência à saúde.

inclusive nos casos extinção. incorporação.A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Transmissão da EFD-PIS/COFINS: A EFD-PIS/COFINS deverá ser transmitida ao Sistema Público de Escrituração Digital (SPED). a primeira entrega deverá ocorrer em 07 de junho de 2011. com os dados relativos ao mês de abril/2011. Sistema Público de Escrituração Digital . Necessária a assinatura digital pelo representante legal da empresa ou procurador constituído. fusão e cisão total ou parcial. e será considerada válida somente após a confirmação de recebimento do arquivo que a contém. Para as PJ¶s obrigadas. Prazo para transmissão: até o 5º (quinto) dia útil do 2º (segundo) mês subseqüente a que se refira a escrituração.

Penalidade: a não-apresentação da EFD-PIS/COFINS no prazo fixado acarretará a aplicação de multa no valor de R$ 5.00 por mêscalendário ou fração. com uso de certificado digital. Comandar a transmissão do arquivo ao SPED e consultar a situação. Gerar o arquivo da EFD-PIS/COFINS para assinatura e transmissão ao SPED. os registros criados ou importados. Assinar o arquivo gerado. Disponibilização do PVA prevista para fevereiro/2011 (site da RFB). via digitação.A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Transmissão da EFD-PIS/COFINS: Programa Validador e Assinador (PVA) ± o programa possibilitará: Importar o arquivo do sistema da empresa que obedeça o leiaute da EFD-PIS/COFINS definido pela RFB.000. Validar o conteúdo da escrituração e indicar os erros e avisos. Sistema Público de Escrituração Digital . Emitir relatórios da escrituração. para que os contribuintes possam ajustar e testar os seus sistemas. Editar.

para inclusão. Prazo para substituição: até o último dia útil do mês de junho do anocalendário seguinte a que se refere a escrituração substituída. alteração ou exclusão de documentos ou operações da escrituração fiscal. ou para efetivação de alteração nos registros representativos de créditos e contribuições e outros valores apurados. ou Os saldos a pagar constantes e relacionados na EFD-PIS/COFINS que se quer substituir ainda não tenham sido enviados à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) para inscrição em Dívida Ativa da União (DAU) . Sistema Público de Escrituração Digital .isto nos casos em que a substituição implique em alteração desses saldos a pagar.A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Substituição da EFD-PIS/COFINS: O arquivo entregue poderá ser objeto de substituição. Não tenha sido a PJ intimada de início de procedimento fiscal relativo ao período e às contribuições constantes do arquivo a ser substituído. desde que. mediante transmissão de novo arquivo digital validado e assinado. em relação às respectivas contribuições sociais do período a ser substituído: Não tenha sido a PJ objeto de exame em procedimento de fiscalização ou de reconhecimento de direito creditório de valores objeto de Pedido de Ressarcimento ou de Declaração de Compensação. que substituirá integralmente o arquivo anterior.

A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Dispensa de manutenção . a exigência contida na IN supra. em relação aos arquivos correspondentes.arquivos digitais e sistemas da IN-SRF86/2001: A apresentação dos livros digitais pela EFD-PIS/COFINS supre. Sistema Público de Escrituração Digital .

de natureza fiscal e/ou contábil. no caso de sua incidência concomitante com a contribuição incidente sobre a receita bruta. Informações referentes aos valores retidos na fonte em cada período. de créditos presumidos da agroindústria e de outros créditos previstos na legislação da Contribuição para o PIS/PASEP e da COFINS. a Contribuição para o PIS/PASEP sobre a Folha de Salários. Informações relativas às operações. em relação às sociedades cooperativas. Sistema Público de Escrituração Digital . correspondente à receita bruta da venda de bens e serviços nas operações em conta própria ou alheia e todas as demais receitas auferidas. sujeitas à incidência e apuração de créditos próprios do regime não-cumulativo.A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Informações a serem prestadas: Informações referentes às operações da empresa. outras deduções utilizadas e. representativas de aquisições de bens para revenda. independentemente de sua denominação ou classificação contábil. assim entendido o total das receitas auferidas pela pessoa jurídica. bens e serviços utilizados como insumos e demais custos. de natureza fiscal e/ou contábil. representativas de seu faturamento mensal. despesas e encargos.

cisão. fusão e incorporação. Sistema Público de Escrituração Digital . estiverem sob o mesmo controle societário desde o ano-calendário anterior ao do evento. O arquivo não deverá conter fração de mês. exceto nos casos de abertura. A obrigatoriedade de geração de arquivo não se aplica à incorporadora. as sociedades compreendidas nesses processos deverão apresentar arquivos. nos casos em que as pessoas jurídicas. incorporadora e incorporada. fusão ou incorporação. Sociedades que continuarem a existir: arquivos que contemplem as operações até a data de ocorrência do evento e outros para o período posterior. extinção. Nos casos de cisão. Sociedades novas: arquivos que contemplem as operações a partir da data de ocorrência do evento. como segue: Sociedades que se extinguirem: arquivos que contemplem as operações até a data da ocorrência do evento.A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Geração do arquivo digital: O arquivo digital será gerado pelo estabelecimento matriz da pessoa jurídica e submetido ao programa PVA.

A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Geração do arquivo digital: O arquivo deve ser gerado de forma centralizada pelo estabelecimento matriz da pessoa jurídica. cisão. ³D´ e ³F´ devem ser prestadas sob o enfoque do estabelecimento (A. fusão ou incorporação. O arquivo não deverá conter fração de mês. ³C´. As operações relacionadas nos blocos ³A´. C e D = documentos fiscais. exceto nos casos de abertura. As informações sobre documentos e operações devem ser prestadas sob o enfoque do informante. Sistema Público de Escrituração Digital . extinção. F = outros documentos e operações).

A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ O que é a EFD-PIS/COFINS? Arquivo digital com a extensão ³TXT´. que visa sistematizar de forma mais eficaz a relação Fisco/Contribuinte no que concerne à apuração e ao controle de crédito do PIS/PASEP e da COFINS. com obediência do layout definido pela RFB. gerado eletronicamente a partir de programas da própria empresa. Sistema Público de Escrituração Digital .

Sistema Público de Escrituração Digital . A linha do arquivo digital deve conter os campos na exata ordem em que estão listados nos respectivos registros. O caractere delimitador ³|´ (Pipe ou Barra Vertical) não deve ser incluído como parte integrante do conteúdo de quaisquer campos numéricos ou alfanuméricos. No início do registro e ao final de cada campo deve ser inserido o caractere delimitador ³|´ (Pipe ou Barra Vertical). null) deverá ser imediatamente encerrado com outro caractere ³|´ delimitador de campo. nulo. Os registros são sempre iniciados na primeira coluna (posição 1) e têm tamanho variável. Na ausência de informação. o campo vazio (campo sem conteúdo.A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Dados técnicos de geração do arquivo: Arquivo no formato texto (³extensão ³TXT´). Arquivo com organização hierárquica (PAI e FILHO).

o nome/razão social. o CNPJ e a Inscrição Estadual. estão organizados em registros que contém dados.A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Dados técnicos de geração do arquivo: O leiaute do arquivo está organizado em blocos. que. |0150|Brigitte & Bardot Comércio Ltda|11111111000191|55555555| |0150|Pedro de Orleans e Bragança||33333333| |0150|Serviços Diversos & Cia Ltda|22222222000191|| Sistema Público de Escrituração Digital . exatamente nesta ordem. por sua vez. Exemplo: banco de dados que exija o número do registro.

A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Dados técnicos de geração do arquivo: Exemplo de preenchimento do registro 0 (zero): |0000|LECD|01012011|31012011|COMERCIAL ESPANTA LEÃO LTDA|11111111000191|SP|01238578455|5030807|1424514|4|CRLF 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 CAMPO 1 = Nº do registro CAMPO 2 = Texto fixo CAMPO 3 = Data inicial CAMPO 4 = Data final CAMPO 5 = Nome empresarial CAMPO 6 = CNPJ CAMPO 7 = Sigla da UF CAMPO 8 = Inscrição Estadual CAMPO 9 = Código do Município CAMPO 10 = Inscrição Municipal CAMPO 11 = Indicador de situação (tabela SPED) CAMPO 12 = ³Retorno do carro ³ e ³salto de linha´ Sistema Público de Escrituração Digital .

Serviços (ISS) Documentos Fiscais I . Identificação e Referencias Documentos Fiscais .BLOCOS DA ESCRITURAÇÃO DIGITAL ² PIS/Pasep e Cofins PIS/ Bloco 0 A C D F M 1 9 Descrição Abertura.Mercadorias (ICMS/IPI) Documentos Fiscais II .Serviços (ICMS) Outros Documentos e Operações Apuração da Contribuição e Créditos de PIS/Pasep e COFINS Outras Informações Controle e Encerramento do Arquivo Digital Sistema Público de Escrituração Digital .

BLOCOS DA ESCRITURAÇÃO DIGITAL ² PIS/Pasep e Cofins PIS/ Sistema Público de Escrituração Digital .

DOCUMENTOS DA ESCRITURACAO NOTA FISCAL (ICMS) BLOCOS C e D NOTA FISCAL (ISS) BLOCO A OUTRAS RECEITAS ALUGUEL ARRENDAMENTO MERCANTIL DEPRECIAÇÃO BENS INCORP. IMOBILIZADO AO BLOCO F BLOCO F BLOCO F BLOCO F BLOCO F INCORPORAÇÃO CISÃO E FUSÃO BLOCO F Sistema Público de Escrituração Digital .

Código de Utilização de Créditos. Produtos Sujeitos à Incidência Monofásica. Municípios (IBGE). Código de Tipo de Crédito. Documentos Fiscais do ICMS. Gênero do item de Mercadoria/Serviço. CST ± Código de Situação Tributária. Situação do Documento. Código de Ajustes de Contribuição. Tabelas internas Versão do Leiaute.A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Tabelas da EFD-PIS/COFINS: Tabelas externas oficiais previamente publicadas CFOP ± Código Fiscal da Operação e Prestação. NCM ± Nomenclatura Comum do Mercosul. Sistema Público de Escrituração Digital . Base de Cálculo do Crédito.

Sistema Público de Escrituração Digital . Tabelas elaboradas pelo informante Cadastro de Participantes. ³1´ = bloco sem dados informados). Informação Complementar do Documento Fiscal. ³2´ = ético ou de marca). ³1´ = genérico. Tipo de Produto (³0´ = similar. Natureza da Operação/Prestação. Identificação das Unidades de Medida.A ERA ´EFD-PIS/COFINSµ ´EFD-PIS/COFINSµ Tabelas da EFD-PIS/COFINS: Tabelas intrínsecas ao campo do registro informado Exemplos: Indicador de Movimento (³0´ = bloco com dados informados.

CONTEÚDO GERAL DA EFD-PIS/COFINS EFD- CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS Operações Geradoras Apuração Registro e CRÉDITOS NÃO-CUMULATIVIDADE Operações Geradoras Apuração e Registro CONTROLE DOS CRÉDITOS Saldos de PA Anteriores Nota Fiscal de Saídas Cupom Fiscal Contratos Outras Receitas Não-Cumulativa Cumulativa Monofásica Subs. Tributária Suspensão Alíquota Zero Nota Fiscal de Entradas Aluguéis Depreciação Fretes Armazenagem Demais Custos Créditos Básicos Créditos Presumidos Créditos na Importação Créditos Agro-industria Desconto Ressarcimento Compensação Sistema Público de Escrituração Digital .

EFD PIS/COFINS: Importação e Validação de Dados EMPRESA Registros CNPJ 0001 Registros CNPJ 0010 Registros CNPJ 0002 Registros CNPJ 0011 Registros CNPJ 0005 Registros CNPJ 0015 Registros CNPJ 0009 Registros CNPJ 0021 Arquivo Digital Único PVA (EFD PIS/COFINS) Sistema Público de Escrituração Digital .

EFD-PIS/Cofins ± Diagrama da escrituração: Importar Arquivo da Escrituração Verifica Inconsistências da EFD Editar Registros da Escrituração Gerar Arquivo para Transmissão Assinatura Digital do Arquivo Transmissão do Arquivo Emissão do Recibo de Transmissão .

3. DEMONSTRAÇÃO DE TODAS AS OPERAÇÕES PRATICADAS NO MÊS VALIDA E/OU APURA OS CRÉDITOS VALIDA E/OU APURA AS CONTRIBUIÇÕES DESCONTO AUTOMÁTICO DOS CRÉDITOS DEMONSTRA A CONTRIBUIÇÃO DEVIDA DEMONSTRA O SALDO DE CRÉDITOS PARA APROVEITAMENTO EM PERIODOS FUTUROS Sistema Público de Escrituração Digital . 3. 5.EFDEFD-PIS/COFINS: Funcionamento ESCRITURAÇÃO DIGITAL PIS/COFINS O QUE FAZ A EMPRESA Detalhamentos de todas operações: 1. Documentos de Receitas Documentos de Despesas Documentos de Aquisição de Bens e Serviços TRANSMISSÃO O QUE FAZ O SPED 1. 2. 2. 6. 4.

00.000. Vendas tributáveis com alíquota básica: R$ 10.000.EFD-PIS/Cofins ± Escrituração das Vendas Exemplo ± registro das vendas: Indústria produtora de açúcar (NCM 1701.000.00.000.00.000.00.000.00).000. Vendas para o exterior: R$ 3.000.440. Sistema Público de Escrituração Digital . Vendas sem incidências das contribuições: R$ 6.00.11. Receita bruta mensal: R$ 20. Vendas tributáveis à alíquota zero: R$ 560.

000.000.Zero C185 Oper.Básica CST C185 Tributável ± Al.NCM 1701.000.000.00 C185 = Detalhamento Da COFINS C185 Tributável ± Al.000.6% 0 - - COFINS R$ 760.00 R$ 560.00 R$ 0.00 R$ 0.440. s/ Incidência C185 Oper.EFD-PIS/Cofins ± Escrituração das Vendas: C180 = Consolidação de NF-e C180 Rec.00 R$ 6.11.00 R$ 20.00 .00 R$ 3.000.000.000. Bruta Mensal Item Açucar .00 ALÍQUOTA 7.00 R$ 0. s/ Incidência 01 06 08 08 CFOP 5101 5101 5101 7101 BASE DE CÁLCULO R$ 10.000.

00.00.000. Compras com suspensão das contribuições: R$ 48.000.000.000. Sistema Público de Escrituração Digital .EFD-PIS/Cofins ± Escrituração das Aquisições Exemplo ± registro das compras: Compra de cana-de-açucar (NCM 1212.000.00).99.000.00. Compras de pessoas físicas (crédito presumido): R$ 22. Compras com direito a crédito (vinculadas a receitas tributadas no mercado interno): R$ 15.

000.000.99.00 R$ 22.c/Suspensão 64 Aquis.376.000.00 R$ 2.00 R$ 15.00 C190 VL Mensal Aquisição R$ 85.000.000.000.66% 6 7.EFD-PIS/Cofins ± Escrituração das Aquisições: C190 = Consolidação de NF-e Item CANA-DE-AÇUCAR NCM = 1212.00 R$ 1.140.000.648.6% 2.c/Crédito Básico 3101 CFOP 1101 Base de Cálculo R$ 48.5% COFINS R$ 3.c/Créd.00 C195 = Detalhamento Da COFINS C195 Fornecedor A C195 B (Pessoa Fisica) C195 C (Exterior) CST 72 Aquis.000.000.000.00 Alíquota 7.Presumido 1101 54 Aquis.00 .000.

EFD PIS/COFINS ² VALIDAÇÃO DE DADOS ² Registro C170 Nº 1 2 3 7 8 11 25 26 27 28 29 30 REG Campo Descrição "C170" 1 65747884 (Matéria-Prima) 105.00 NUM_ITEM COD_ITEM VL_ITEM VL_DESC CFOP CST_PIS VL_BC_PIS ALIQ_PIS_ QUANT_BC_PIS ALIQ_PIS VL_PIS Sistema Público de Escrituração Digital .650.000.000.00 5.101 56 (Trib + Nâo-Trib + Exp) 100.00 2.000.00 00165 1.

CLASSIFICAÇÃO DAS OPERAÇÕES COM DIREITO AO CRÉDITO BÁSICO CST 50 51 52 53 54 55 56 NATUREZA DO CRÉDITO Vinculado Exclusivamente a Receitas Vinculado Exclusivamente a Receitas Vinculado Exclusivamente a Receitas Vinculado Concomitantemente a Receitas Vinculado Concomitantemente a Receitas Vinculado Concomitantemente a Receitas Vinculado Concomitantemente a Receitas TRIBUTADAS NÃO-TRIBUTADAS DA EXPORTAÇÃO Sistema Público de Escrituração Digital .

00 495.000.00 330. Bruta Não-Cumulativa .000.00 Receita Bruta Especificação 2.SPED REGISTRO C170 (Visão Documento) ou C190 (Visão Consolidada) Campo REG COD_ITEM VL_BC CST_PIS ALIQ_PIS_ VL_PIS (Cred) Registro 0111 .00 Rec. Bruta Não-Cumulativa .650.Não Tributada MI 1.00 Receita Bruta Cumulativa 5.500.EFD PIS/COFINS ² VALIDAÇÃO DE DADOS ² Registro C170 QUADRO COMPARATIVO DE BLOCOS .Mercado Interno Créditos Vinculados a Receitas Não Tributadas Créditos Vinculados a Receitas da Exportação Sistema Público de Escrituração Digital .000. Bruta Não-Cumulativa .00 Receita Bruta Total 825.000.00 56 (Trib + N-Trib +Exp) 1. Interno 1.00 Rec.500.000.000.00 Rec.000.00 Créditos Vinculados a Receitas Tributadas .65% 1.Exportação 0.Tabela de Receita Bruta para Fins de Rateio Descrição "C170 / C190" 65747884 (Matéria-Prima) 100.Tributada Merc.

COMO É HOJE CRÉDITOS INFORMADOS NO DACON PROJETO SPED NF AQUISIÇÕES CUSTOS DESPESAS Arquivo para Fiscalização/SCC CUSTOS NF AQUISIÇÕES PVA (EFD PIS/COFINS) DESPESAS CREDITO VALIDADO CREDITO x CREDITO VALIDADO NÃO VALIDADO Sistema Público de Escrituração Digital .

trata de outras operações e documentos contábeis: Encargos de amortização e depreciação (normal e acelerada). Os novos campos referem-se à indicação da situação tributária das contribuições e ao seu detalhamento.EFD Vs. além da parte puramente fiscal. PIS/PASEP sobre folha de salários. Pagamentos de aluguéis. Contribuições retidas na fonte. Etc. Sistema Público de Escrituração Digital . O sistema. EFD-PIS/COFINS A EFD-PIS/COFINS guarda grande semelhança com o conteúdo da EFD. tanto nas vendas como nas compras. Crédito presumido sobre o estoque de abertura. Despesas com arrendamento mercantil.

EFD-PIS/COFINS EFD-PIS/COFINS = NF-e + EFD + ECD + DACON Sistema Público de Escrituração Digital .

O Contador é quem deverá prover o setor de informática de todas as informações necessárias para a correta concretização dos ajustes. Sistema Público de Escrituração Digital . especialmente no que tange à correta aplicação da legislação e da técnica. no campo do PIS e da COFINS. O alto grau de complexidade que envolverá esses ajustes. através da EFD-PIS/COFINS. É sempre bom lembrar: um pedido equivocado de ressarcimento de crédito resultará na aplicação de uma multa isolada equivalente a 50% do valor do ressarcimento solicitado indevidamente ou indeferido. cada caso é um caso. faz do Contador a principal estrela. ou seja. a generalidade passa longe.AJUSTES NECESSÁRIOS NOS SISTEMAS DA EMPRESA Os ajustes a serem promovidos não são tarefa unicamente do Analista de Sistemas e/ou do Programador. Não esqueça que. as necessidades de uma empresa são bastante diferentes das de outra. E como esse crédito ressarcível será calculado agora? Dentro do SPED.

AJUSTES NECESSÁRIOS NOS SISTEMAS DA EMPRESA CORRAM! O TEMPO NÃO PARA! Sistema Público de Escrituração Digital .

AJUSTES NECESSÁRIOS NOS SISTEMAS DA EMPRESA OBRIGADO PELA ATENÇÃO! Sistema Público de Escrituração Digital .