Assistência de enfermagem a pacientes acometidos com afecções respiratórias: Asma brônquica e pneumonia

CONSIDERAÇÕES INICIAIS 

Doenças respiratórias são aquelas que atingem órgãos do sistema respiratório; Mais frequêntes são: bronquite, rinite, sinusite, asma, gripe, enfisema pulmonar, câncer de pulmão, tuberculose e pneumonia; Nesta pesquisa iremos abordar duas doenças: a Asma Brônquica e a Pneumonia; Abordando rapidamente também sobre a DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica).   

CONSIDERAÇÕES INICIAIS
Esta pesquisa tem por objetivos, investigar, a partir da pesquisa bibliográfica, e informar aos profissionais da área de saúde, sobre alguns aspectos das doenças respiratórias como conceito, fisiopatologia, etiologia, classificação, manifestações clínicas, diagnóstico, tratamento e assistência de Enfermagem. 

FISIOLOGIA DA RESPIRAÇÃO .

progresssiva e não totalmente reversível.   . Agrupa duas enfermidades diferentes: a bronquite crônica e o enfisema.DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA  É caracterizado por limitação de fluxo de ar aos pulmões. É uma doença crônica.

DPOC FISIOPATOLOGIA  Segundo Smeltzer et al (2009). a limitação do fluxo de ar é progressiva e está associada a uma resposta inflamatória anormal dos pulmões quando são diariamente irritados pela inalação de substâncias nocivas. .

DPOC estreitamento nas vias aéreas periféricas formação de tecido cicatricial estreitamento da luz da via aérea .

2009). pelo menos em 3 meses do ano.DPOC BRONQUITE CRÔNICA  É caracterizada por excesso de secreção mucosa na árvore brônquica. e em dois anos sucessivos (SMELTZER. levando a sintomas de tosse crônica ou de repetição junto com expectoração. . BARE.

DPOC Irritação constante das vias aéreas hipertrofia e o aumento no número de glândulas que secretam o muco inflamação nos bronquíolos limitando o fluxo de ar Espessamento das paredes brônquicas a luz brônquica se estreita e o muco pode tamponar a via aérea .

ocorrendo o comprometimento das trocas de O2 por CO2.DPOC ENFISEMA  É caracterizada pela distensão anormal dos espaços aéreos além dos bronquíolos terminais com a destruição da parede dos alvéolos. .

DPOC Destruição da parede dos alvéolos Diminuição contínua da área de superfície alveolar em contato direto com os capilares pulmonares Aumento do espaço morto Difusão de oxigênio prejudicada Hipoxemia .

DPOC FATORES DE RISCO Estabelecido Provável Possível Tabagismo (80 a 90%) Poluição Baixo peso ao nascer Def. Passivo na infância Inf. na Infância Exposição ocupacional História familiar . alfa anti-tripsina Tab. resp.

.  Produção de escarro.DPOC MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS  Tosse crônica.  Dispnéia de esforços.

F.X . Anamnese E.DPOC Diagnóstico Quadro clínico Exames compl. Espirometria Raio .

DPOC DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DPOC Início na Meia-idade Progressão lenta dos sintomas História de tabagismo de longo prazo Dispnéia durante exercício ASMA Início precoce ( frequentemente na infância) Sintomas recorrentes Alergia. rinite alérgica História familiar de asma .

.DPOC COMPLICAÇÕES  Insuficiência e a falência respiratórias.  Pneumotórax.  Pneumonia.  Hipertensão arterial pulmonar.  Atelectasia.

 Broncodilatadores. Reabilitação pulmomar (SMELTZER. BARE.    . 2009).DPOC TRATAMENTO  A cessação do tabagismo. Oxigenoterapia. Corticosteróides.

med. Fonte:www. a asma é uma doença inflamatória crônica. caracterizada por aumento da reatividade das vias aéreas inferiores (hiper-responsividade brônquica) a uma variedade de estímulos e por limitação variável ao fluxo aéreo.mori.com .ASMA BRÔNQUICA DEFINIÇÃO  Segundo Busse (2001).

exsudação de plasma e hiper-responsividade da via aérea (BUSSE. secreção de muco. afetando a frequência na escola e no trabalho. atividade física e qualidade de vida em geral (Smeltzer. . está envolvida uma variedade de células e A asma difere de outras doenças pulmonares obstrutivas pelo fato de A asma pode ser uma doença disruptiva. 2009).  Na patogenia da asma.ASMA BRÔNQUICA mediadores inflamatórios que promovem broncoconstricção. escolhas ocupacionais. 2001). que ela é reversível em sua maioria.

pêlos de animais). ‡ Exercício. ‡ Perenes (mofo.barata. . ‡ Estresse ou desconforto emocional. ‡ Sazonais (grama. ‡ Infecções virais do trato respiratório etc. ‡ Medicamentos. poeira. pólen de arvores e ervas silvestres).ASMA BRÔNQUICA  Exposição crônica aos irritantes das vias aéreas ou alérgenos.

ou seja.  273.  2000 portadores de asma evoluíram para a morte. .  Hospitalizações por asma são frequentes e são indicadores relevantes adotados para estimar o risco de morte.  No Brasil: estima-se que 10% da população tenha asma. 100 a 150 milhões de pessoas. aproximadamente 16 milhões de pessoas.ASMA BRÔNQUICA EPIDEMIOLOGIA  Segundo dados da OMS 4% a 12% da população mundial tem asma.000 internações por asma em 2007 (Bahia. São Paulo e Paraná).

ASMA BRÔNQUICA
SUS; Quando consideramos as internações de pessoas com menos de 40 anos, a asma passa a ocupar a segunda posição com 255.000 casos. 
A

asma constituí-se na terceira causa de internação pelo

Fonte: Conselho de programas em asma e rinite

ASMA BRÔNQUICA
Em serviços de urgência brasileiros, a asma tem sido responsável por 16% dos atendimentos em pediatria e 12% dos atendimentos de urgência em adultos; 
Em

2001: ‡ 33.000 óbitos por DPOC; ‡ 30.000 por pneumonia; ‡ 2.500 por asma;

Fonte:www.crisesdeasma.com Falha da identificação da gravidade das exacerbações, resultando em tratamento emergencial inadequado e retardo nas hospitalizações. 

ASMA BRÔNQUICA
FISIOPATOLOGIA  A patologia subjacente na asma é a inflamação reversível e difusa das vias aéreas; 
A

inflamação leva à obstrução devido os seguintes fatores: ‡ Inchaço das membranas que revestem as vias aéreas;
‡Contração

da musculatura lisa brônquica que envolve as vias aéreas (broncoespasmo);
‡Produção

aumentada de muco.

med.ASMA BRÔNQUICA Fonte:www.com .mori.

ASMA BRÔNQUICA MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Fonte:www.bancadadirecta.com .

porém é relativamente incomum.ASMA BRÔNQUICA MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS  Na exacerbação. a sudorese e a taquicardia podem acontecer juntamente com a hipoxemia grave e a cianose central.  .  Dor torácica . cianose e taquipnéia. deve ser radiografado para avaliar a presença de pneumotórax. Hipoxemia grave e com risco de vida pode acontecer na asma. dispnéia grave.

aperto no peito e desconforto torácico. ambiental e ocupacional completa. Diagnóstico Clínico: São indicativos de asma: ‡ Dispnéia. sibilância. tosse crônica.  . melhora espontânea ou pelo uso de medicações específicas para asma.ASMA BRÔNQUICA DIAGNÓSTICO  Anamnese.  Anamnese ‡ História familiar. exame clínico e provas de função pulmonar e avaliação da alergia. ‡ Sintomas episódicos.

Permite o registro dos vários volumes e fluxos de ar. . .ASMA BRÔNQUICA   Diagnósticos alternativos excluídos. .Capacidade vital forçada para abaixo de 75% e 68% em criança. .Obstrução das vias aéreas caracterizada por redução do volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) para abaixo de 80% do previsto. Diagnóstico Funcional ‡ Espirometria: método de escolha na determinação da limitação ao fluxo de ar e estabelecimento do diagnóstico de asma.

ASMA BRÔNQUICA Diagnóstico de alergia ‡ A anamnese cuidadosa é importante para a identificação da exposição a alérgenos relacionados com a asma.  ‡A sensibilização alérgica pode ser confirmada através de testes cutâneos ou determinação de concentração sanguínea de IgE específica. ‡ Testes . cutâneos e sensibilização por alérgenos inaláveis devem ser realizados utilizando-se extratos biologicamente padronizados.

: Salmeterol. ‡ Anti-inflamatórios (corticosteróides) Ex. beta-adrenérgicos de ação ‡ Agonistas prolongada Ex.: Salbutamol.ASMA BRÔNQUICA TERAPIA MEDICAMENTOSA  Medicamentos de ação prolongada.: Hidrocortisona. fenoterol  . terbutalina Medicamentos de alívio rápido ‡ Agonistas beta-adrenérgicos de ação curta Ex. prednisona. formoterol.

cavalos. animais de estimação.  Poeira. mofos e pólens. determinados alimentos.ASMA BRÔNQUICA MEDIDAS PREVENTIVAS  Identificar as substancias que precipitam os sintomas. determinados tipos de tecidos. baratas.  Evitar os agentes causais sempre que possíveis! Fonte:www.luzimarteixeira. detergentes. sabões.com .

   Controle e qualidade de vida.  Deve-se fornecer informações a pessoa com asma e seus familiares e o desenvolvimento de certas habilidades.ASMA BRÔNQUICA educação para o autocuidado e tratamento farmacológico são os pilares do tratamento da asma. Compreensão básica dos mecanismos da asma e dos objetivos do tratamento. .

 Fonte:www.ASMA BRÔNQUICA Os programas educacionais podem ser em grupo ou individuais.com .tudosobreasma. planos de auto-manejo por escrito e amostras de medicação. Devem dispor de material básico para esta finalidade: dispositivos para uso de medicação inalatória.

 Medicamentos.  Mofo.  Animais com pêlo.ASMA BRÔNQUICA FATORES DESENCADEANTES E AÇÕES PARA REDUZIR A EXPOSIÇÃO NA ASMA  Alérgenos da poeira domiciliar.  Fumaça de cigarro. .  Atividades físicas.  Baratas.

PNEUMONIA  É uma inflamação do parênquima pulmonar causada por diversos microorganismos.  CLASSIFICAÇÃO  Pneumonia adquirida na comunidade (PAC). É a terceira causa de internações entre indivíduos com 65 anos de idade ou mais (FUNASA.  Pneumonia por broncoaspiração. .  Pneumonia adquirida no hospital (PAH) ou nosocomial. 2010).  Pneumonia no hospedeiro imunocomprometido .

bronquite.pericardite Febre. Organismo responsável Streptococcus pneumoniae (pneumonia estreptocócica) Haemophilus influenzae Epidemiologia Idosos.epiglotite Infecção bacteriana.gripe.calafrios. pleurisia Fonte:SMELTZER ett all. Derrame -Envolve um ou mais pleural.DPOC.derrame pleural. de instituições de cuidados prolongados.tosse produtiva Abscesso pulmonar.adenovírus lactentes e crianças (Pneumonia viral) Infecção respiratória aguda. crianças < de 5 anos Vírus influenza A e Mais comuns em B.insuficiê ncia cardíaca. broncopneumonia Pac.superinfecçõ lobos es. Aspectos clínicos Complicações PNEUMONIA ADQUIRIDA NA COMUNIDADE -Dor torácica. Ocorre na comunidade ou nas 48 horas pós hospitalização.2008 . diabetes.

bacteremia. Epidemiologia Doença pulmonar preexistente.pessoas debilitadas Usuários de drogas IV.calafrios.PNEUMONIA ADQUIRIDA NO HOSPITAL  Início dos sintomas de pneumonia com mais de 48 horas depois da admissão nos pacientes sem evidência de infecção no momento da internação. meningite Fonte: SMELTZER et al. complicação da gripe endêmica Aspectos clínicos Complicações Hemorragia e infarto pulmonar Organismo responsável Pseudomonas aeruginosa (Pneumonia por Pseudomonas) Staphylococcus aureus( Pneumonia estafilocócica) Febre. câncer. 2008 . leucocitose Hipoxemia grave.tosse produtiva.abscesso pulmonar. infecção necrotizante Derrame pleural.

imunocomprometi. recebem terapia febre. ventilação mecânica. dispnéia imunossupressora para câncer.hemoptise.PNEUMONIA NO HOSPEDEIRO IMUNOCOMPROMETIDO Ocorre com uso de corticosteróides ou imunossupressores.transplante de órgãos Pacientes Tosse. miocárdio e tireóide Fonte: SMELTZER ett .AIDS.  Organismo responsável Pneumocystis jiroveci (Pneumonia por Pneumocystis) Epidemiologia Aspectos clínicos Complicações Insuficiência respiratória Pac. quimioterapia. com AIDS e que Tosse improdutiva.bolas de fungos na dos e neutropênicos radiografia all.2008 Aspergillus fumigatus (Pneumonia fúngica) Disseminação para o cérebro.

Infecção bacteriana. Acontece tanto no ambiente hospitalar quanto comunitário. .PNEUMONIA POR BRONCOASPIRAÇÃO    Decorrente da entrada de substâncias endógenas ou exógenas na via aérea inferior.

aspiração de mecônio. intestino.PNEUMONIA FISIOPATOLOGIA Vias de contaminação: Vias aéreas: . . broncoaspiração. -via aspirativa através de refluxo gastroesofágico. Via hematogênica: focos infecciosos em pele.via inalatória (microgotículas ). abdome. vias urinárias.

Descamação celular Exsudação alveolar e brônquica Afluxo de neutrófilos e da atividade intra-alveolar (proc. . Microorganismos Lesão da mucosa resp. Inflamatório) Edema intersticial Troca gasosa Hipoxemia.FISIOPATOLOGIAFISIOPATOLOGIA.CONT.

O processo pode permanecer localizado dentro do segmento ou lobo .FISIOPATOLOGIAFISIOPATOLOGIA.pneumonia lobar ou segmentar ² ou então.CONT. se estender por meio do exsudato contaminado através dos bronquíolos ou por via hematogênica -BCP. . dependendo da imunidade do paciente(fisiológica/patológica).

saneamento. . etc. escolas). vacinação. estado nutricional.  Ambientais: ‡ Poluição atmosférica e intradomiciliar (cigarro) . aglomerações (creches.  Sócioeconômicos: ‡ Habitação. estado imunitário. renda familiar. viroses pregressas.PNEUMONIA FATORES DE RISCO PARA PAC:  Hospedeiro: ‡ Faixa etária. malformações anatômicas e patologias de bases.

PNEUMONIA FATORES DE RISCO PARA PAH:  Pneumopatias crônicas ± DPOC.  Outros. .  Ventilação Mecânica.  Imunossupressão. alcoolismo.  Internação prolongada. desnutrição.  Antibioticoterapia.  Cirurgia/Imobilidade/anestesia.  Cânula traqueal ou sonda para nutrição.

. dis. mialgias. irritabilidade.PNEUMONIA MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Gerais: ‡ Febre. tiragem subcostal e abdominal. limitação dos movimentos respiratórios. orto ou apnéia. Pulmonares: ‡ Batimento de asa de nariz. calafrios. ‡ Dor torácica. AP: estertores. ‡ FR. taqui. letargia e queixas gastrintestinais. ‡ Tosse. cefaléia.

‡ Percussão: macicez ou sub macicez. presença de tiragem subcostal ou bat. ‡ Palpação: frêmito tóraco-vocal aumentado. de asa de nariz. . ‡ Ausculta pulmonar: + estertores. expansão. murmúrios vesiculares rude ou diminuídos.PNEUMONIA HISTÓRICO E ACHADOS DIAGNÓSTICOS:  Anamnese  Exame Físico: ‡ Inspeção: simetria.

aureus Pseudotumoral: Klebisiella .PNEUMONIA DIAGNÓSTICO RADIOLÓGICO:  Delimita a extensão do acometimento.  Presença de complicações: atelectasia derrame pleural.  Sugere etiologia do processo: e Pneumatocele: S.

PNEUMONIA DIAGNÓSTICO RADIOLÓGICO: Broncopneumonia Pneumonia Viral .

anemia e plaquetopenia. transbrônquica. .  Biópsia pulmonar. leucocitose com neutrofilia.  Cultura do trato respiratório.  Hemocultura: não é indicada em pneumonia simples e sim nos casos que requer internação.  Bacterioscopia do derrame pleural.  VHS e PCR: aumentados.PNEUMONIA DIAGNÓSTICO LABORATORIAL:  HC: pouco valor.

além do uso antitérmicos. Fungos: antifúngicos tratam as pneumonias causadas por fungos.  Mycoplasma: é tratado com antibiótico. mas o tratamento geralmente recomendado é repouso e hidratação adequada. Algumas delas podem responder aos antivirais.  Viral: os antibióticos não tratam pneumonias virais. Mas a recuperação pode não ser imediata.PNEUMONIA TRATAMENTO:  Bacteriana: tratada com antibióticos. .

 Pneumocócica 10: Menores de 2 anos. ‡ Pessoas vivendo em ambientes fechados. ‡ Crianças menores de 02 anos doenças crônicas.PNEUMONIAS MEDIDAS PREVENTIVAS:  Vacinação: prevenção específica contra infecção pneumocócica e outras infecções (otite média e ITRS). ‡ Pessoas imunucompetentes. ‡ Pessoas com doenças respiratórias. .  Pneumocócica 23: ‡ Maiores de 65 anos .

 Mudar o decúbito frequentemente e promover os exercícios de expansão pulmonar e tosse.  Higiene oral adequada. que deverão ser colocados imediatamente antes do uso. SNG e SNE.  Usar fluidos estéreis nos reservatórios de umidificadores e nebulizadores.  Limpar.PNEUMONIAS MEDIDAS PREVENTIVAS PAH:  Cuidados adequados com pacientes submetido a ventilação mecânica. esterilizar ou desinfectar todos os equipamentos reutilizáveis ou dispositivos utilizados na terapia respiratória e em anestesia.  Uso racional de antimicrobianos. .

odor e coloração das secreções.  Ausculta pulmonar (SMELTZER.  Alterações na temperatura e pulso.  . 2009).SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM HISTÓRICO DE ENFERMAGEM História de reações alérgicas à medicamentos e alimentos. BARE.  Quantidade.  Identificação dos medicamentos que estão sendo usados.  Frequência e gravidade da tosse.

ENFERMAGEM . antes e depois do tratamento.Auxilia na ventilação. consistência.Expansão pulmonar e . secreção: cor. tosse efetiva. apropriado de tosse evitar a tosse controlada.Prevenção da atelectasia. secreções.O cliente apresentará respiratórios. . descontrolada. da produção de muco. anotando as características da aos broncoespasmos.Orientar a pessoa a .Expansão pulmonar e respeito do método mobilização das secreções. DE1: Desobstrução ineficaz -.Deverá demonstrar a . DE2: Risco de alteração na . mobilização das secreções.Auscultar os pulmões . . quantidade e presença de sangue.Eficácia do tratamento. INTERVENÇÕES E RESULTADOS ESPERADOS ATRIBUÍDOS AOS CLIENTES PORTADORES DE ASMA BRÔNQUICA E PNEUMONIA DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM PRESCRIÇÃO DE ESPERADOS . excessiva de secreções. campos pulmonares claros.Ensinar ao cliente as das vias aéreas relacionada medidas para redução da a dor ao tossir. . às secreções persistentes e -Avaliar a tosse. Promover exercícios .Encorajar a ingesta oral Fluidificação das função respiratória adequada de líquidos. ao aumento viscosidade das secreções. JUSTIFICATIVA RESULTADOS .Manter a cabeceira do . leito elevada. relacionada à produção conforme indicada.DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM.O cliente deverá assumir uma posição confortável que facilita o aumento da troca gasosa.

Aumentar. musculatura acessória e da função respiratória. lábios comprimidos. . .-Explicar as atividades e os Fumo.Ensinar ao cliente as Desencorajar a atividade. rápida e eficientes. DE3: Intolerância à . .Melhora da função atividade relacionada à as atividades diárias do respiratória. de respiração. efetiva. temperaturas -O cliente irá demonstrar fatores que aumentam a extremas. como a manter os alvéolos inflados diafragmática e com os por mais tempo. gradualmente. fadiga e à oxigenação cliente à medida que insuficiente para a aumenta a sua tolerância. .Estimular a realização de -Manter a força muscular. demanda de oxigênio.Estimular períodos de repouso. -Proporcionar ao cliente .Redução da fadiga. e de conservação de energia. os métodos de tosse excesso de peso. idéias para a conservação de energia. técnicas respiratórias respiração curta. . exercícios ativos de amplitude de movimentos . . estresse.Melhora a força da três vezes ao dia.Identificará um nível de atividade realista para obter ou manter.

a expectoração frequente e a diminuição da ingesta de líquidos secundário ao mal estar.DE4: Risco de nutrição desequilibrada: menos do . -Estimular hídrica. de acordo com seu nível de atividade e suas necessidades metabólicas. DE5: Risco para mucosa oral alterada relacionada à respiração pela boca. lesões na cavidade oral. a ingesta .O indivíduo deverá ingerir a exigência nutricional diária. .Orientar e auxiliar na higiene oral.Fadiga e inapetência.Prevenção de infecções O paciente não apresenta e halitose. ingesta . . a -Estimular alimentar.Ensinar ou auxiliar o que as necessidades indivíduo a repousar antes corporais relacionado à das refeições anorexia. . secundária à dispnéia e à fadiga.

DE6: Risco para déficit de . eletrólitos Avaliar possíveis distúrbios hidroeletrolíticos .Estimular hídrica. .Monitorizar séricos.Fluidicar as secreções e . de líquidos e não apresentará sinais de hipertemia.Desidratação. a ingesta .Avaliar tugor cutâneo volume líquido relacionado a grande perda insensível de líquidos secundários a febre e a hiperventilação. ..O paciente fará ingestão reposição hídrica.

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AVALIAÇÃO  Processo contínuo e sistemático de comparação das respostas do cliente com seus resultados esperados (CRUZ. 1995). .

é a melhor forma de evitar complicações futuras. ou até mesmo do adoecimento.CONSIDERAÇÕES FINAIS A assistência de enfermagem aos pacientes com afecções do sistema respiratório é semelhante na maioria das patologias que afetam o tal sistema. . onde observamos que a prevenção das crises.

BARE. Canadian Pediatric Asthma Consensus Guidelines. Brenda G. Manual de diagnósticos de enfermagem. Allergic Rhinitis and its Impact on Asthma. .br. BECKER. Canadian Network For Asthma Care. ed. SMELTZER. n. José Roberto de et al: Pneumonias adquiridas na comunidade em pacientes idosos: aderência ao Consenso Brasileiro sobre Pneumonias. Jornal brasileiro de pneumologia. A.gov. Standards for the diagnosis and care of patients with chronic obstructive pulmonary disease. 2009. BOUSQUET. et al. Lynda Juall. 3. Acesso em 14/04/2010. Brunner & Suddarth Tratado de Enfermagem Médico Cirúrgica. et al. AMERICAN THORACIC SOCIETY. American Journal of Respiratory Critical Care Medicine. Porto Alegre: Artmed. Infecções pneumocócicas: considerações atuais. 2004. 11 ed. 11. 2004. Canadian Thoracic Society. CARPENITO-MOYET. v. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2003.. 2002. HBM.30. Suzanne C. 2008. FUNASA: Saneamento para promoção da saúde. Disponível em: www.REFERÊNCIAS ALMEIDA. às 14 horas. J.funasa. J Pediatr. 1. 2008 FREIRE.78:3-5. vol.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful