1

Currículo Fisioterpêutico
2º Sgt Art Alvaro Andreson de Amorim Fisioterapeuta ± UCB (CREFITO 2 : 37921 ± F)
Forças Armadas de Basquetebol (Equipe do EB) 2001/2002  Jogos Sul-Americanos (Equipe do C.O.B. / C.O.I.) ± 2002  Campeonato Carioca FUTSAL 1ª Div (Equipe CSSE) ± 2003  Pós-Graduado em Fisioterapia Traumato-ortopédica: UNESA ± 2002  Pós-Graduado em Anatomia Humana e Biomecânica: UCB ± 2003  Pós-Graduado em Docência do Ensino Superior: CEP/UFRJ - 2001  Mestrando em Ciência da Motricidade Humana: UCB (desde 2002) 

9/2/2012

2

Lesões no Esporte

9/2/2012

3

Introdução Esporte é Saúde? X 9/2/2012 4 .

portanto altere a capacidade de as células realizarem seus mecanismos homeostáticos normais ocasionando respostas inflamatórias.´ KNIGHT .Lesões no Esporte Definição: ³Qualquer evento que danifique a estrutura ou a função do tecido e. 2000 9/2/2012 5 .

Classificação das Lesões  Tempo .Subaguda .Crônica  Mecanismo Traumático Macrotraumáticas: Dor súbita Impacto Inchaço Microtraumáticas: Síndromes por uso excessivo 6 9/2/2012 .Aguda .

Lesões no Esporte Principal Sistema Acometido Sistema Músculo-esquelético Lesões Ósseas Lesões Articulares Lesões Ligamentares Lesões Musculares Lesões Tendíneas 9/2/2012 7 .

Lesões Ósseas    Fraturas por trauma direto ou indireto Fraturas por estresse Periostite ou ³Canelite´ 9/2/2012 8 .

Tipos: Transversa Oblíqua Espiral Cominutiva Por Avulsão 9  .Fratura por Trauma Direto ou Indireto  Perda da solução de continuidade do osso. lesão potencialmente grave. danificando não apenas o osso como também as partes moles que circundam.

Fratura por Trauma Direto ou Indireto 10 .

Fratura por Estresse  Também denominada fratura por fadiga ou por insuficiência freqüentemente ocorre como resultado de carga repetida sobre o esqueleto por longos períodos e é provável que seja precedida de periostite. 11 .

Fratura por Estresse    Teoria da Fadiga Teoria da Sobrecarga Sintomas e Diagnóstico Equimose e Inchaço Sensibilidade aumentada e dor Deformidade e mobilidade anormal 12 .

Periostite ou ´Caneliteµ   Inflamação crônica na inserção muscular ao longo da tíbia pósteromedialmente Terminologia mais atual Síndrome do Estresse Tibial 13 .

esporte em questão. tempo de adaptação a sobrecargas) Avaliação Multidisciplinar (alto nível) Análise da Geometria Óssea Anormalidades Biomecânicas ³Tríade da Atleta´*: Distúrbios Alimentares Amenorréia Osteoporose 14 *Associada a: idade de início. dieta e ao estresse.Periostite ou ´Caneliteµ      Detectar e eliminar os fatores de risco (calçado adequado ao solo e à atividade. .

Lesões Articulares Luxações Subluxações  Entorses  Lesões de Partes Moles Associadas 9/2/2012 15 .

Fraqueza Muscular ± Ocorre nos m. Sinais Característicos Posteriores: Tumefação ± Reação serofibrosa intracapsular. após um trauma. maior risco de aderência Equimose ± Vasos lesados Rigidez ± Devido aderências maléfico ao tto. ao redor. e no resto do membro caso haja imobilização 16 .Luxações   As superfícies articulares ficam completamente separadas uma das outras perdendo-se toda a aposição.

Subluxações   As superfícies articulares ficam parcialmente separadas. mas ainda fica alguma parte de cada superfície em contato Sinais Característicos Posteriores: Idem Luxações porém normalmente o mecanismo traumático é menor 17 .

Luxações e Subluxações mais comuns:     Luxação do C. deslocando radio e ulna póstero-lateralmente ou posteriormente Futebol Americano Luxação metacarpofalângeana e interfalangeana 18 Judô . Cotovelo: Queda sobre a mão em hiperextensão. A. Ombro (subcoracóide): Queda sobre a mão em hiperextensão Basquetebol Luxação Acromioclavicular: Queda sobre o ombro Futebol Americano Luxação do C. A.

que controlam esta articulação estão momentaneamente a desprotegendo 9/2/2012 19 .Lesões Ligamentares   Entorse A torção aguda de ligamento está associada a uma torcedura súbita de uma articulação. a ³entorse´ Normalmente ocorre quando os m.

Lesões Ligamentares    Grau I ± Estresse Leve Grau II ± Ruptura Parcial (> Dor) Grau III ± Ruptura Total do Ligamento Corrida entre a Fibroplasia e a disposição de Colágeno 9/2/2012 20 .

Mais Acometido LTFP .EUA Congresso Med.Entorses mais comuns  Entorse por Inversão de Tornozelos (A maioria dos desportos terrestres) LTFA . Sul Ameriano 2002  Prevenção Reforço de Eversores Propriocepção Material Adequado (Tênis) Braces Semi-rígidos (Ligaduras Funcionais) 21 . Esport.Menos Acometido 45% das Lesões do Basquetebol .

Entorses mais comuns  Braces Semi-rígidos Voleibol 22 .

Entorses mais comuns  Braces Semi-rígidos  Ligaduras Funcionais (Esparadrapo) 23 .

Entorses mais comuns   Entorse de Joelho Comum: Futebol. Handebol etc. Voleibol. Basquetebol. Lesões Meniscais e Ligamentares Menisco medial (+ acometido) LCL e LCA (+ acometidos) 24 . Pentatlo.

2002   Etiologia: Impacto Sobrecarga Tipos: Hematomas Rupturas 25 9/2/2012 . pois não cessa atividades diárias 30% das Lesões Esportivas Peterson.Lesões Musculares    Lesões Esportivas + comuns Importância Subestimada.

Diretamente proporcional ao fluxo sanguíneo .Lesões Musculares HEMATOMA  9/2/2012 São provocados pelo trauma e podem ser intermusculares ou intramusculares  A extensão do sangramento quando um músculo é lesado é: .Inversamente proporcional à tensão muscular no momento da lesão 26 .

Ruptura Total 100% das fibras lesadas 9/2/2012 27 .Lesões Musculares Rupturas ou Ruturas Grau I ± Cerca de 30% das fibras lesadas Grau II ± Cerca de 50% das fibras lesadas Grau III .

Ruptura Muscular Grau I      Famosa Distenção Muscular Algia no Alongamento Afastamento brusco da origem e da inserção Contração Excêntrica Brusca A mais perigosa Não gera Impotência Funcional Não apresenta sinais visíveis 28 .

Ruptura Muscular Grau II       A mais comum Impotência Funcional Geralmente associado a Contratura Secundária Sulco Discreto na palpação Geralmente equimose após 24h bem abaixo da lesão Maior quadro álgico 29 .

dor intensa no momento Equimose Sempre 30 .Ruptura Muscular Grau III      Pode ser uma evolução da Grau II Contratura dos dois ³cotos´ Sulco bem visível Sinal da ³Pedrada´.

Lesões Tendíneas Tendinite ± Inflamação no tendão com rompimento. Tenossinovite ± Inflamação na bainha sinovial do tendão Tendinose ± degeneração do tendão provavelmente devido a freqüentes rupturas por fadigas nas fibras do tendão Tenioperiostite ± Inflamação na junção osso-tendão 9/2/2012 Maior Inimigo das Lesões Tendíneas é o: ALONGAMENTO 31 .

Erros de treinamento Aumento da freqüência de treinos Mudanças no estilo .Lesões Tendíneas  Etiologia: .Aumento repentino nas sobrecargas Tentativas de aumentar o desempenho .Uso excecivo 32 .

distribuir o estresse e proteger as estruturas subjacentes.Lesões da Bolsa Bursite ± Inflamação nas bolsa cheias de fluido (bursas) que tem a função de reduzir a fricção. 9/2/2012 33 .

Tipos de Bursites   Bursite Friccional Tendão move-se repetidamentesobre uma bursa. geralmente combinado com pressão externa Bursite Química (atletas com mais de 30 anos) Comum no Ombro Condições degenerativas Podem ser precurssoras da Síndrome do Impacto 34 .

Bursite para Síndrome do impacto 35 .

Lesões Comuns por Região Cabeça ± Traumatismo Craniano  Face ± Abertura de Supercílio  Tronco ± Lombalgia  Ombro ± Síndrome do Impacto  Cotovelo ± Epicondilite  Punho ± Fratura de Escafóide  Dedos ± Luxações e subluxações das falanges  9/2/2012 36 .

Hálux Valgo  Perna Anterior .Cãibra Tornozelo ± Entorse  Pé ± Fascite Plantar  Joelho .Lesões Comuns por Região Coxa ± Ruptura de ísquio-tibiais  Artelhos .Canelite  Perna Posterior .Condromalácia  9/2/2012 37 .

F.) .Amolecimento .L.Fragmentação (crept.  Cartilagem .Fissuração .F.Erosão 9/2/2012 38 . e R.Lesões Comuns por Região Condromalácia Patelar  Dor Atrás do Joelho  Vilões: T.

9/2/2012 39 Amorim. principalmente para que o quanto antes seja tomada uma providência ou até mesmo para que se possa prevenir as já sabidas lesões que provavelmente o acometerão e nunca se esquecer de que seu atleta não é uma máquina e é seu dever zelar ao máximo possível pela sua qualidade de vida antes.Conclusão É importante o profissional de Educação Física ter uma noção básica do que pode estar acontecendo com o seu atleta. durante e depois de sua carreira. 2002 .