You are on page 1of 19

Apresentação do capítulo 4 do livro A FACE OCULTA DA ESCOLA Educação e trabalho no Capitalismo

Autor: Mariano Fernández Enguita
Alunas: Patrícia Aparecida de Souza Oliveira Patrícia

ROMA ARCAICA ‡ Aprendizagem familiar filhos homens acompanhavam os pais. ‡ Função da escola doutrinamento religioso ‡ Conhecimentos para o trabalho eram adquiridos no próprio ambiente de trabalho . enquanto as filhas permaneciam ao lado da mãe.

IDADE MÉDIA ‡ Aprendizagem também familiar. a permanência na família original era substituída pela educação ou aprendizagem no seio de outra família. ‡ Aprendizes crianças de 7 a 9 anos saiam de suas casas por um período de cerca de 7 anos para aprender tarefas domésticas. . boas maneiras e as relações sociais. porém.

‡ Função da escola: apenas alfabetização ‡ Este intercâmbio familiar tinha foco especial no Artesanato. vesti-lo. ±Formação moral e religiosa. ±Alimentá-lo. ‡ Obrigações do mestre: ±Ensinar técnicas do ofício. ±Às vezes enviá-lo a uma escola. ‡ Relação distante entre mestre e aprendiz. .

MAS. POR QUE APRENDER EM OUTRA FAMÍLIA??????? .

Para a nobreza: aprender a montar cavalos e usar armas.Resumindo. Mas.Para os camponeses: doutrinamento religioso. porém de forma secundária. . . o IDEAL EDUCATIVO na Idade Média era: . e os pobres órfãos e mendigos??? .Para os artesãos: aprendizagem literária.

. ‡ Solução: criação de Workhouses (Casas de trabalho) com a finalidade de prepará-las para um trabalho útil.INTERNAMENTO NA INFÂNCIA MARGINAL ‡ Eram vistas como desperdício de mão de obra e causa para graves problemas da sociedade.

SÉCULO XVIII Revolução Industrial ‡ As crianças que permaneciam em orfanatos eram alvo das grandes empresas como mão de obra barata. O bem da sociedade exige que os conhecimentos do povo não se estendam além de suas ocupações . .

quando adultos. .SÉCULO XVIII Revolução Industrial ‡ Formam-se futuros trabalhadores disciplinados. submetidos a muitas horas de trabalho e alguma instrução (assim. o trabalho ser agradável e divertido).

. através do movimento Sunday Schools. ‡ Crianças eram arrancadas das escolas em dias úteis.SÉCULO XIX ‡ Projetos de lei que pretendiam assegurar um mínimo de instrução literária foram sistematicamente rejeitados. escolas dominicais com a única função de ensinar moral religiosa.

. mas não demasiadamente. mas não tanto que pudessem questioná-la. O bastante para aprendessem a respeitar a ordem social.SÉCULO XIX Reformadores Viam na educação do povo a melhor forma de amansá-los X Tradicionalistas Não precisamos de homens que pensem. (Bravo Murillo) ‡ Como resolver este conflito: educá-los. mas de bois que trabalhem .

SÉCULO XIX ‡ Solução: transfere-se para a ordem religiosa a responsabilidade na educação infantil. mas indivíduos de ordem. Somos da opinião que é mais adequado para o bem-estar de nosso povo esforçar-se em fazer deles cristãos ilustrados que sábios no conhecimento mundano. . não queremos estadistas em nossas fábricas.

comportamentos. ‡ A fé.DO DOUTRINAMENTO A DISCIPLINA ‡ A proliferação da industria iria exigir um novo tipo de trabalhador. . a humildade. disposições e os traços de caráter mais adequados para a indústria . a piedade. ‡ O instrumento idôneo era a escola.ordenado e respeitoso. a resignação ou as promessas de que o reino dos céus passaria a ser dos pobres e que os últimos seriam os primeiros podiam ser suficientes para obter a submissão passiva do trabalhador. O objetivo era gerar nos jovens os hábitos.

e então a um movimento de sua mão. ‡ Nas escolas metodistas inglesas de princípios do século XIX. a primeira coisa que aprendiam os alunos era a pontualidade. toda a escola levantar-se-á a um só tempo de seus assentos. a um . O Superintendente fará soar de novo a campainha.A ORDEM REINA NAS SALAS DE AULA ‡ Converteu as escolas em algo muito parecido aos quartéis. a um segundo movimento os escolares se voltam.

atrás da obsessão pela ordem. e então ele pronuncia a palavra Começai . pontualidade.terceiro. se deslocam lenta e silenciosamente ao lugar designado para repetir suas lições. compostura etc. . ‡ O ensino ou instrução ficava em um obscuro segundo plano.

. O artesão ativo estava ligado ao conhecimento técnico e científico de seu tempo na prática diária de seu ofício.DA AUTO-INSTRUÇÃO À ESCOLARIZAÇÃO Antes da identificação da classe operária com a escola como instrumento de melhoria social. A aprendizagem incluía geralmente matemática (álgebra. houve um amplo movimento de auto-instrução. geometria e trigonometria). procedência dos materiais comuns ao ofício. ciências físicas e desenho industrial.

‡ Os Negros emigravam em massa para o Norte industrializado e eram vistos como mão de obra excepcionalmente barata. a escola se tornou o principal mecanismo da americanização dos imigrantes.‡ Com o processo de industrialização nos Estados Unidos. devia-se recorrer à escola. ‡ A escola exercia o papel de socializar as gerações jovens para o trabalho assalariado. . Se já não se podia utilizar o chicote.

trabalho manual e disciplina (já que era essa a formação que deviam transmitir depois aos seus alunos) Os brancos selecionavam para o instituto aqueles negros mais dispostos a propagar sua mensagem e converterem-se em líderes educacionais dóceis aceitados perante seu povo de cor. mal pago e duro. O negro deveria ser preparado para o trabalho industrial menos qualificado.‡ A partir dessa perspectiva fundou-se uma rede de escolas para negros. Instituto Agrícola e Normal de Hampton (à partir do final do séc. . XIX) Formar professores para atuar em escolas primárias para negros O programa de formação era composto de ensino acadêmico (destrezas literárias básicas).

Este deveria estudar todas as fases do processo educacional.SÉCULO XX A OBSESSÃO PELA EFICIÊNCIA ‡ Baseado na idéia Taylorista para a indústria (controle absoluto de produtos e processos pelo empresário. padronização e rotinização das tarefas). . na obsessão pela gestão do dinheiro e dos recursos humanos. ‡ Ellwood P. essas ideias são introduzidas nas escolas. Cubberley esforçou-se por introduzir nas escolas a figura correspondente ao especialista em organização do trabalho que o taylorismo havia trazido consigo. o especialista em eficiência. as necessidades da sociedade e da indústria. e estas deveriam reconhecer a liderança do mundo empresarial e o dever de servir à comunidade.