You are on page 1of 13

MARCADORES TUMORAIS

Acadêmica: Clarissa Lira

como y Na maioria dos casos.Marcadores Tumorais y São substâncias utilizadas indicadores de malignidade. são produtos normais do metabolismo celular que apresentam aumento de produção devido à transformação maligna. .

Avaliação de prognóstico. Monitoração de tratamento: avaliação da resposta terapêutica detecção precoce de recidiva. Diagnóstico diferencial. Os MT têm auxiliado a clínica nas seguintes situações: Triagem em casos específicos. como em grupos de alto risco. associado a exames complementares. y y y y .

125 y É uma glicoproteína codificada pelo gene MUC16. normalmente expressa no epitélio celômico durante o desenvolvimento fetal. pulmão. tuba uterina.CA . estômago. fígado. colorretal. mama. y . pâncreas e vias biliares. endométrio. Está elevada em neoplasias malignas como: Câncer de ovário. esôfago.

isto é. invasão miométrio e invasão vascular. nos estádios III e IV. b) Câncer de endométrio: há aumento em 22.6%. pode ser usado como indicador de malignidade em adição aos fatores de risco clássicos: tipo histológico. respectivamente.8%. 19. predominantemente no primeiro trimestre de gestação. Os níveis séricos correlacionam-se com o curso clínico da doença. A elevação pré-operatória é indicativa de acometimento extra-uterino em 95% dos casos. havendo queda significativa após tratamento clínico ou cirúrgico.4% dos casos nos estádios I e II e em 81. y y y . 44.7% nos estádios I.7% e 86. Valores elevados de CA 125 podem ser observados em cerca de 20% das gestantes. diferenciação do tumor. II.y O CA 125 pode ser utilizado no seguimento de outras patologias ginecológicas: a) Endometriose: o grau de elevação varia com a severidade da doença. sendo a positividade de 8%. III e IV.

mama. y . próstata.Antígeno Carcinoembrionário (CEA) y É uma glicoproteína produzida em grande quantidade no período fetal e em pequena quantidade por células mucosas em adultos. câncer ginecológico (ovário. Elevações em neoplasias agudas: Câncer do cólon e reto (adenocarcinomas). pulmão. câncer do trato digestivo. etc. colo uterino). endométrio.

devendo ser reservado para pacientes com doença já estabelecida. Em função da sua baixa sensibilidade e especificidade.y A principal utilização do CEA reside no manejo de pacientes com adenocarcinomas de cólon e reto. não é um exame útil para diagnóstico. y .

pulmão. colônicas. gástricas. ovário. estômago. endometriais e salivares. y y . esôfago. Elevação em neoplasias malignas: Carcinoma de pâncreas e vias biliares. A potencial utilidade desse marcador reside no manejo de pacientes com adenocarcinoma de pâncreas e vias biliares. cólon. hepatocarcinoma.CA 19-9 19y Glicolipídeo de alto peso molecular produzido por células epiteliais pancreáticas. biliares.

pâncreas. ovário. cólon e reto. Potencial marcador do câncer de mama. o antígeno MUC-1. proteína que tem sua expressão aumentada em tumores epiteliais. pulmão. estômago.CA 15-3 15y Ensaio que permite detectar. endométrio. y y . no sangue periférico. Elevação em neoplasias malignas: Câncer de mama. sobretudo os de mama.

prostática benigna.Antígeno Prostático-Específico (PSA) Prostáticoy Glicoproteína produzida por células acinares prostáticas. trauma perineal. Elevação em neoplasias malignas: Câncer de próstata Elevação em condições diversas: Hiperplasia. retenção urinária. y y . prostatites. após biópsia prostática.

y y . hepatites virais.Fetoproteína y É a principal proteína do soro fetal. neuroblastoma. hepatoblastoma. Elevação em neoplasias malignas: Hepatocarcinoma. doença hepática alcoólica. Elevação em condições diversas: gravidez. tumores germinativos não seminomatosos (gonadais ou extradonadais). produzida pelo fígado e seio endodérmico durante a vida embrionária. câncer de estômago.. pulmão. pâncreas e vias biliares. caindo a níveis indetectáveis após o nascimento. obstruções do trato biliar. cirrose.

mama. Elevação em neoplasias malignas: Carcinoma medular de tireóide. IRC. politraumatizados. leucemias. doenças inflamatórias pulmonares.Calcitonina y Hormônio produzido pelas células C parafoliculares da glândula tireóide. tabagismo. tireoidite de Hashimoto. Elevação em condições diversas: Hiperplasia de células C da tireoide. câncer de pulmão. y y .

endometriose. carcinomas de pequenas células (pulmonar e extrapulmonar). câncer de próstata. hipertireoidismo. carcinoma medular de tireoide. adenoma de paratireoide. Elevação em neoplasias malignas: Tumores carcinoides. câncer colorretal e da mama.Cromogranina A y Glicoproteína hidrossolúvel armazenada em vesículas secretoras de células neuroendócrinas. Elevação em condições diversas: Feocromocitoma. neuroblastoma. feocromocitoma maligno. adenomas de hipófise. y y .