You are on page 1of 54

ARTRITE SÉPTICA

ARTRITE SÉPTICA
Incidência principalmente:

 Neonatos;  Lactentes;  Entre 2 e 3 anos de idade.

ARTRITE SÉPTICA

 Historicamente raro
o sucesso do tratamento.

ARTRITE SÉPTICA

Mais freqüente no quadril;
2º. – Joelho;

3º. – Cotovelo

.

ARTRITE SÉPTICA
 Conduta de SUPREMA importância
para o prognóstico:

 Diagnóstico precoce;  Drenagem imediata;  Administração de antibióticos .

ARTRITE SÉPTICA  Vias de Contaminação: . .HEMATOGÊNICA. .CONTIGUIDADE.

6 – H.5%).3%). 3 – Bacilos Gram-negativos (9. influenzae (2%) . 4 – Candida (9.3%). 5 – Neisseria gonorrhoeae (7. 2 – Estreptococos (25.3%).ARTRITE SÉPTICA Patógeno Principal: 1 – Estafilococos Áureo (46.5%). .

 43.Infecção “domiciliar” .ARTRITE SÉPTICA Patógeno Principal: 1 – Estafilococos Áureo (46. .5 % .3%).4 % .Infecção hospitalar. Epidemiologia dos 92 casos estudados:  56.

Síndrome da Angústia Respiratória Morbidade de 27% Osteomielite concomitante: 64% .ARTRITE SÉPTICA Fatores Pré -Disponentes: (Hospitalar) Prematuridade. . Transfusões de substituição (incomp. Ruptura Prematura de Membranas. Rh).

Inflamação Aumento de pressão intra-articular.ARTRITE SÉPTICA (Fisiopatologia) Bactéria se multiplicando na sinovial Bactéria atingindo a cavidade articular Aporte acentuado de Polimorfonucleares + Proteínas plasmáticas. Glicose baixa. .

ARTRITE SÉPTICA (Fisiopatologia) Aumento de pressão intra-articular. Destruição da Cartilagem nos pontos de maior contato. Coagulação da Fibrina no espaço articular (bolsas de pus). Limitação de Movimentos Articulares. Membrana Sinovial Substituída por Tecido de Granulação. ANQUILOSE ou ESTRUSÃO DE COMPONENTE ARTICULAR. .

09 dias. Perda de COLÁGENO .ARTRITE SÉPTICA (Destruição da Cartilagem)  A degradação ocorre por enzimas proteolíticas (colagenases e proteinases). .05 dias. inicia o processo. Modelo animal: Perda de PROTEOGLICANS . atuando como hormônio antiinflamatório.  INTERLEUCINA –1. disparando a liberação de PROTEASES (ácida e neutra) pelos condrócitos e sinoviócitos. produzida pelos dos monócitos. por polimorfonucleares e por certas bactérias.

Em 3 semanas a cartilagem perdeu metade da quantidade daquelas substâncias. . ocorreu destruição da cartilagem por período prolongado.EFEITO DO ANTIBIÓTICO Experimental (joelho de ratos): quantificado por análise de glicosaminoglicano e colágeno. Apesar da antibioticoterapia imediata.

. Apesar da antibioticoterapia imediata.EFEITO DO ANTIBIÓTICO Experimental (joelho de ratos): quantificado por análise de glicosaminoglicano e colágeno. Em 3 semanas a cartilagem perdeu metade da quantidade daquelas substâncias. ocorreu destruição da cartilagem por período prolongado.

EFEITO DO ANTIBIÓTICO Experimental (joelho de ratos): quantificado por análise de glicosaminoglicano e colágeno. . Em 3 semanas a cartilagem perdeu metade da quantidade daquelas substâncias.

EFEITO DO ANTIBIÓTICO Quando o tratamento com antibióticos se iniciou em 4. . em média. 37% menor. 8 ou em 12 horas a perda do colágeno foi.

em contraste com o grupo sem lavagem.  Não houve perda significativa de colágeno até a segunda semana.  Onze semanas após a articulação ser considerada estéril havia evidência de atividade do processo inflamatório . .LAVAGEM DA ARTICULAÇÃO (Experimental em coelhos).

LAVAGEM DA ARTICULAÇÃO (Experimental em coelhos). Incapacidade dos condrócitos degradados de substituir a matriz esgotada . Os fatores patogênicos da continuação da destruição podem ser: Doença Imunológica (desencadeada pela sepse). Produtos Bacterianos (fixados ao tecido). .

coluna lombar e sinais de psoite.400C). SEMPRE: examinar abdome. com irradiação para o joelho.dor anterior ao quadril.  PSEUDO PARALISIA.ARTRITE SÉPTICA .CLÍNICA  PALPAÇÃO .rotação externa. neonatos: ausente ou baixa.  Posição . . abdução e semi-flexão.  Hipertermia (39 .

Exame Clínico NEONATO .

 Sinovite transitória.  Febre Reumática Aguda.ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  OSTEOMIELITE. .  Artrite Reumatoide Aguda.  Artrite Tuberculosa.  Celulite.  Hemartrose .

 Artrite Tuberculosa.  Febre Reumática Aguda.  Hemartrose . .  Celulite.  Sinovite transitória.ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  OSTEOMIELITE.  Artrite Reumatoide Aguda.

 Movimento menos restrito e doloroso.  Aumento de volume de todo o segmento. .  Aspiração Articular .ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  OSTEOMIELITE : (Associada a derrame simpático articular)  Dor sobre a metáfise.

.  Hemartrose .  Celulite.  Artrite Tuberculosa.  Artrite Reumatoide Aguda.  Febre Reumática Aguda.  Sinovite transitória.ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  OSTEOMIELITE.

 Líquido sinovial com menos polimorfonucleares e glicose menos baixa .  Melhor amplitude de movimentos.  Menor quadro agudo sistêmico. .  Menor aumento de volume.ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  Artrite Reumatoide Aguda :  Surgimento gradual.

 Febre Reumática Aguda.ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  OSTEOMIELITE. .  Artrite Reumatoide Aguda.  Sinovite transitória.  Celulite.  Hemartrose .  Artrite Tuberculosa.

.ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  Sinovite transitória :  Manifestações sistêmicas ausentes.  Movimentos e dor menor .

 Febre Reumática Aguda.  Artrite Reumatoide Aguda. .  Hemartrose .  Celulite.  Sinovite transitória.  Artrite Tuberculosa.ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  OSTEOMIELITE.

ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  Artrite Tuberculosa :  Movimentos articulares com maior restrição. .  Quadro sistêmico menos agudo .

 Celulite.  Artrite Tuberculosa.  Artrite Reumatoide Aguda. .  Hemartrose .  Febre Reumática Aguda.  Sinovite transitória.ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  OSTEOMIELITE.

.ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial Febre Reumática Aguda :  Envolvimento articular migratório e passageiro.  Manifestações cardíacas .

 Febre Reumática Aguda.  Artrite Reumatoide Aguda.  Celulite.  Hemartrose .ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  OSTEOMIELITE.  Sinovite transitória. .  Artrite Tuberculosa.

.  Linfadenopatia associada .ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  Celulite :  Maior área de sensibilidade na área de eritema e edema local.

ARTRITE SÉPTICA Diagnóstico Diferencial  OSTEOMIELITE.  Artrite Tuberculosa.  Celulite.  Febre Reumática Aguda.  Hemartrose . .  Artrite Reumatoide Aguda.  Sinovite transitória.

. URGENCIA do Tratamento.ARTRITE SÉPTICA Quadril do Recém-nascido e Lactente: Demora no diagnóstico.

6 .em 90% dos pacientes aumentada.positiva em somente 40%.ARTRITE SÉPTICA .  VHS .já pres.  Hemocultura .deve ser comparada aos níveis do líq. .40 .60 % dos pac.Exames Complementares  Glóbulos Brancos . aumentados.8 horas após o início. Sinovial.  Proteína C reativa .  Glicemia .

 CINTILOGRAFIA: raramente necessária . Se sem suspeita: observar.Exames Complementares  ULTRA SOM: mais de 2 mm de efusão – Se com forte suspeita de AR: aspirar. .  ASPIRAÇÃO: somente positiva se com mais de 50 000 células/mm e com 90% de polimorfonucleares.ARTRITE SÉPTICA .

IIB Severa ante ou retro versão .IB Coxa brevis + cabeça deformada ou fechamento prematuro do disco epifisário . residual .IVB .IIA Coxa vara ou valga progressiva .IIIA Escorregamento da cabeça femoral .IA Coxa magna moderada .Estudo Radiológico: Classificação Sem def.IIIB Perda completa do colo e cabeça femoral . coxo femoral (luxação) .IVA Perda da congruência da art.

artrite séptica drenada com 4 dias de evolução e feito antibiótico terapia intra venosa. Controle com 3 anos de idade.Criança com 7 meses. IA .

Evolução de 5 anos Evolução de 12 anos. IIA .Criança com evolução de 1 ano e 4 meses após artrite séptica: necrose asséptica do núcleo da cabeça femoral.

RX já com 10 meses. Com 2 anos de idade Epifisiodese de grande trocanter Epífise fechada IIA .Antibiótico ao nascer.

Coxa vara e fortemente retroversa. Criança com 3 meses de idade com artrite séptica. Criança com 2 anos e 3 meses de idade.Osteomielite e artrite séptica em criança com 3 semanas de idade. IIIA . secundária a osteomielite do colo femoral.

Artrite séptica em criança de 30 dias de nascida. IIIB . Exame realizado aos 3 anos de idade: pseudoartrose do colo femoral.

Com 4 anos de idade: ausência completa de cabeça e colo femoral. amarrado de grande trocanter. IVA Osteotomia inominada de ilíaco. .

TALA GESSADA : Punho.TRATAMENTO TRAÇÃO CONTÍNUA :  Quadril.  Cotovelo. . Tornozelo .  Ombro.  Joelho.

ARTRITE SÉPTICA Algoritmo do tratamento Suspeita de Artrite Séptica Aspiração (análise do líquido sinovial) Resultado consistente positivo Outra articulação que NÃO quadril Resultado inconsistente Avaliação de outro tipo de artrite inflamatória. Antibióticos por 4-6 semanas . Quadril Antibiótico terapia + aspiração Sintomas NÃO regride 24 h. Drenagem Cirúrgica + Antibiótico I. Regressão sintomas 24 h.V.

/mm e 90% polimorfonucleares. .ASPIRAÇÃO - Somente positiva se com mais de 50 000 céls.ARTRITE SÉPTICA .

. Cotovelo .ARTRITE SÉPTICA Drenagem através de artroscópio: Altamente recomendado em : Joelho. Ombro.

DRENAGEM CIRÚRGICA .

Hospital da Gamboa Serviço de Ortopedia Traumatologia do Prof. . Dirceu Bellizzi.

II A .