Tecnologias relevantes para o desenvolvimento de APLs: a experiência de Pernambuco

Cláudio Marinho Porto Marinho Ltda. Reunião do Conselho SEBRAE/PB João Pessoa, 25 de maio de 2007

O que andam conversando nos bebedouros do SEBRAE?
• A julgar pela programação desta reunião [reunião Sebrae, Palmas, 2006]... – Inovação -- edital Finep/SEBRAE, abelha sem ferrão (!!) – Desenvolvimento territorial – APLs, desenvolvimento local – Cadeias produtivas -- grandes compradores, pequenos fornecedores – Lei das micro e pequenas empresas – Agroenergia

Abrindo a caixa de ferramentas de um planejador de cenários para falar em tecnologia e desenvolvimento de APLs

A nova geoeconomia global

5

998 Fliplog 997
Africa

995
Americ as

Infant survival rate up to 1 (per 1,000 live births)--

990

980 970 950

China 1960

Republic of Korea 1960

Arab countri es Asia Europa

900

800

Brazil 1960 India 1911
308 1 000 3 000

560

Japan 1920
5 000 10 000 20 000 60 000 Log

GDP per capita in 1995 international dollars
2001 2000 1999 1998 1997 1996 1995 1994 1993 1992 1991 1990 1989 1988 1987 1986 1985 1984 1983 1982 1981 1980 1979 1978 1977 1976 1975 1974 1973 1972 1971 1970 1969 1968 1967 1966 1965 1964 1963 1962 1961 1960 1959 1958 1957 1956 1955 1954 1953 1952 1951 1950 1949 1948 1947 1946 1945 1944 1943 1942 1941 1940 1939 1938 1937 1936 1935 1934 1933 1932 1931 1930 1929 1928 1927 1926 1925 1924 1923 1922 1921 1920 1919 1918 1917 1916 1915 1914 1913 1912 1911 1910 1909 1908 1907 1906 1905 1904 1903 1902 1901 1900

Expansão da área agrícola brasileira

NORDESTE NORTE

CENTRO-OESTE

SUDESTE

SUL
Fonte: ANFAVEA, 2004

Cidades com mais de 50 mil hab em 1970

Clélio Campolina Diniz, CEDEPLAR/UFMG

Cidades com mais de 50 mil hab em 2000

Clélio Campolina Diniz, CEDEPLAR/UFMG

Aglomerações com mais de 1 milhão hab em 2000

Clélio Campolina Diniz, CEDEPLAR/UFMG

Microrregiões com mais de 5 mil emp ind em 2002

Clélio Campolina Diniz,

Clusters, APLs…. Competição internacional de regiões, de empresas em cadeias de valores, em que a inovação é cada vez mais o fator determinante da competitividade das empresas

18

Os determinantes da inovação nos clusters segundo Michael Porter
Contexto para a estratégia empresarial e competição
• Um contexto local que encoraje investimento nas atividades relacionadas com inovação. Competição vigorosa entre concorrentes locais. • Consumidores sofisticados e exigentes. Necessidades de consumo doméstico que antecipem demandas de outros lugares

Fatores (insumos) condicionantes

Condições de demanda

• • •

Recursos humanos altamente qualificados, especialmente pessoal científico, técnico e gerencial. Forte infra-estrutura de pesquisa básica em universidades. Infra-estrutura de informação de alta qualidade. Uma ampla oferta de capital de risco.

Setores de apoio que se relacionam entre si
• • Presença de fornecedores locais habilitados e empresas relacionadas Presença de clusters ao invés de setores isolados.

“A inovação envolve bem mais que Ciência e Tecnologia”

O lugar da inovação é a empresa
s s

s

Inovação não é invenção Inovação é a introdução, no mercado, com êxito, de produtos, serviços, processos, métodos e sistemas que não existiam anteriormente, ou contendo alguma característica nova e diferente do padrão em vigor. Inovação Tecnológica é a inovação que se baseia em conhecimento científico e/ou tecnológico para sua realização.

C.H. Brito Cruz, ,

Políticas para apoio à inovação
s s

Foco na empresa Ambiente pró-inovação
– Competição, internacionalização – Estabilidade de normas

s

Infraestrutura
– Propriedade intelectual – Educação: do fundamental ao superior

s s

Incentivos fiscais Encomendas tecnológicas e Subvenção

C.H. Brito Cruz, ,

Pernambuco: uma estratégia de construção de futuro baseada em pequenas empresas inovadoras em APLs

A territorialização da política industrial através dos APLs resgata a política de desenvolvimento seqüestrada pelos macroeconomistas
26

Centros Tecnológicos: uma estratégia de difusão tecnológica orientada para clusters econômicos
Atração de Investimento

Novos Produtos e Processos Transferência de Tecnologia Propriedade Intelectual

Novos Negócios Incubação de Empresas Parques Tecnológicos

Inovação Tecnológica

Empreendedorismo

Educação Profissional

Infra-estrura e Suporte: Telecomunicações, Internet, Espaço para Capacitação, Educação a Distância, Laboratórios Específicos, Incubadoras, Escritório de Negócios, etc.

Pernambuco: Centros Tecnológicos e Arranjos Produtivos Locais

Cluster do Gesso no Araripe Centro Tecnológico
Agências Estaduais: AD-DIPER, FACEPE, CONDEPE, etc.

Cluster de Artesanato

Cluster de Design Sindicato e Associações: SIDUGESSO, etc.

Equipamentos de Mineração Sondagem

Tecnologia e Mineradoras Explosivos e Outros Insumos Processos
Novos P roduto s e Processos

Investimento
Novos Negócios Incubação de Empre sa s Parques Tecnológico s

Artesanato de Gesso

Atração de Investimento

Argila de Capeamento e Produtos Derivados

Transferência de Tecnologia

Propriedade Intelectual

Inovação Tecnológica

Empreendedorismo

Fabricas de Componentes

Empreendimentos Componentes de Gesso
Marketing e Relações Públicas

Design de

Educação Básica e Técnicoprofissionalizante

Design, rótulos e embalagem Laboratórios para Análise do Gesso

Infra-estrura e Suporte: Telecomunicações, Internet, Espaço para Capacitação, Educação a Distância, Laboratórios Específico s, Incubadoras, Escritório de Negócio s, etc.

Calcinadoras

Oportunidades

Normas Técnicas

Ensino Moldes e Máquinas Profissionalizante Especializadas
Aplicadores

Fornos, Equipamentos e Manutenção Industrial

P&D, Educação: ITEP, Universidades, SENAI, etc.

Normas Técnicas, Qualidade e Certificação

Gargalos
Cluster de Metalurgia, Equipamentos e Manutenção Industrial Clusters Horizontais: Informática, Telecomunicações, Transporte e Logística Cluster da Construção Civil

Centro Tecnológico da Moda - Caruaru

Centro Tecnológico do Gesso -- Araripina

Centro Tecnológico do Gesso - Araripina

Centro Tecnológico da Cultura Digital – Recife/Olinda

Acervo FJN, 1935

Centro Tecnológico da Cultura Digital Nascedouro de Peixinhos

Restauração da Torre, 2006

[Slides originais do lançamento da iniciativa pelo Governo de Pernambuco – 21/julho/2000, reunião do Pacto 21]

da

[slide de Silvio Meira, professor do Cin/UFPE, parceiro no lançamento da iniciativa PD]

mais OUSADIA, mais RISCO, mais INVESTIMENTO: mais ARTICULAÇÃO, mais PARTICIPAÇÃO, mais COORDENAÇÃO.

O Bairro do Recife será o porto da economia digital de Pernambuco
[Slides usados por Cláudio Marinho, secretário de C&T]

• A economia digital de Pernambuco é qualificada e dinâmica -- mas precisa de visibilidade e escala. • A interação e cooperação entre governos, empresas e universidades são fundamentais para a competitividade na Nova Economia.

• Cultura e tecnologia produzem empresas de classe mundial. • O Bairro do Recife, pelos investimentos já feitos e projetados, reúne as condições ideais para ser o Porto Digital, o lugar das empresas, universidades e centros de pesquisa da economia digital de Pernambuco.

45

Porto Digital

to da nova economia digital de Pernambuco

Porto Digital
102 empresas instaladas +3.000 postos de trabalho em TIC e áreas afins O maior parque tecnológico urbano do Brasil Governança corporativa do APL Responsabilidade social coletiva

Pernambuco

Índice de Competitividade Estadual (ICE/F*)

*A obtenção do índice considera os fatores qualificação da força de trabalho, conhecimento e inovação e infra-estrutura 48 Fonte: Movimento Brasil Competitivo

dice de Competitividade Estadual/ICE

“Efeito Lynaldo” Grupos de pesquisa no Nordeste
(CNPq, 2000)

Grupos de pesquisa no Nordeste
(CNPq, 2002)

Grupos de pesquisa CNPq, 2004

Distribuição percentual nos Estados do

Cláudio Marinho
cmarinho@gmail.com www.scribd.com/people/view/1207 6

Master your semester with Scribd & The New York Times

Special offer for students: Only $4.99/month.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Cancel anytime.