U

N

I V

E

R

S

I D

A

D

E

E

S

T

A

D

CAPÍTULO S 4 E 7

A LINGUAGEM CARTOGRÁFICA E A ESCALA GEOGRÁFICA
CLERES DO NASCIMENTO MANSANO

)p . 2 3 .O q u e é u m m a pa ? O m a p a é a re p re s e n ta ç ã o lin g u a g e m s e m ió tic a c o m d e c o d i f i c a r o s s í m b -os el o (s P pA a 1 9 9 -24 4. .

000 ou razão 1:10. Ex. cada 1 cm no papel (mapa) corresponde a 10. Normalmente.000.: 1:10.TIPOS DE ESCALA Escala numérica: É representada em forma de fração 1/10. a escala gráfica é apresentada em quilômetros. 2.000.000. .000 cm no espaço real. Lemos: 1 por 10. 1. Escala Gráfica: Representa de forma gráfica Significa que o espaço gráfico corresponde a 50 km na realidade.

r ac . c o m o o p.l (amn ea tpa e a re) r. : E5 x0 0 . e t a l h e s .x0 0 0 e 5 . : E .E S C A L A P E Q U E N AE S C A L A G R A N D P a r a r e p r e s e n t a r u m P ga r a n rd ee p re es sp eanç toa r r eu aml e s ( m a p e a r ) . s e r i a r e p mr eps oe sn st íavd eol s s e rs ãu oa m a i r e p r e s e n t a ç ã o n o p a pd ee lt. E s c a l a p r ee qp ur ee sne an :t a E spcoa ul c o s gr er pa rne ds e n: t a m a d e t a l h . oesuse cj a .a l h e s .:e s1 .l ua m ga r a n d e ( m s ac iao lra d o q o e t a m a n h o d o s o b j e t o st i ldirzae ap pr ea sr ae n rt ea pd ro es s e én t a r u p e q u e n o e c o m p o u cs oe sj a d. pt ao ms a anoh o o i c o n trá rio . 0 0 0 .: s1. 0 0d 0e t a l h .o um t iol i zu-sam a c T e s e u pme aq u e n a.

5 a p u d M A R Q U E S .ghr á f icsa n ív e is d e h ie r a r q u i a e s p o c o n f o r m e r e p r e s e n ta o e s q u e m a a b a ix o : PLANETA C O N T IN E N T E R E G IÃ O LOCAL F ig u r F O R M A1M 9. 05028. . p2.N Í V E I S DE H I E R A R Q U I A E S P A C I A L T E R R E N a e s c a la g e o. G2A L 9 . a: 9 . 00 O .

16). tornando-se desta maneira. em diferentes escalas (local.GLOBALIZAÇÃO e GEOGRAFICIDADE [. nacional. p.. capazes de influenciar na produção de lugares mais democráticos (KATUTA. regional.] é por meio do diálogo entre as geograficiades ou as maneiras como os fenômenos se organizam espacialmente. planetária.. estadual. . que os estudantes podem melhor compreender as determinações dos mesmos. 2009. entre outras).

.

São Paulo: Contexto. A Geografia das representações e sua aplicação pedagógica: contribuições de uma experiência vivida. O estudo de bacias hidrográficas: uma estratégia para educação ambiental. MANSANO. RUFFINO. SOUZA. C. SOUZA. 2003. Mapas e percepção ambiental: do mental ao material e vice-versa. Edição especial: I Encontro sobre percepção e conservação ambiental: a interdisciplinaridade no estudo da paisagem. Jörn.. 1. n. 2004. OLAM – Ciência e Tecnologia. Ambiente. de. um ponto de partida para a educação ambiental. 4. KATUTA. representação social e percepção. In: DEL RIO. E. RODRIGUES. p. 239-257. interpretar e representar o ambiente vivido e “telepercebido”. ZAMPLERON. de. TEIXEIRA. Rosangela D. Mapas mentais: para perceber.REFERÊNCIAS ALMEIDA. NOGUEIRA. 2006. Lívia de. LEME. PASSINI. Maringá. . O estudo de bacias hidrográficas: uma estratégia para Educação Ambiental. p. 2003. 246-250. 200-233. ed. de. OLAM-Ciência e Tecnologia. n. B. percepção e interpretação ambiental na conservação dos recursos naturais e culturais. 1996. Dietrich et al. da UFSCar. p. 11. 13. São Carlos: Rima. 2001. 2. A escola e o bairro: percepção ambiental e interpretação do espaço de alunos do Ensino Fundamental. Salete K. OLIVEIRA. Lívia de. v. Y. v. Gelze S. 673-678. da UNESP.19. P. O método de Joseph Cornell para aprendizagem seqüencial na natureza. São Paul: Humanistas. 2002. Angela M. p. São Paulo: Contexto. GEOUSP – Espaço e Tempo. 170 f. Universidade Estadual de Maringá.. José G. O espaço geográfico: ensino e representação. Sonia L M. 2001. São Paulo: Ed. Patrícia C. n. Rio Claro. Maringá. Percepção e representação do espaço geográfico. ALMEIDA. abr. Do desenho ao mapa: iniciação cartográfica na escola. Rio Claro. Cognição. Silva. PASSINI. Paulo H. p. A Geografia das representações: um estudo das paisagens do Parque Nacional da Serra da Canastra – MG. 2006. 2001. set. São Paulo: Ed. 21–28. O desfio da articulação das diversas linguagens no campo do ensino da Geografia Escolar: um debate promissor. In: SCHIEL. Sandra. v. João P. T. 3. 1999. p. Vicente. v. 2003. 69-94. Alfabetização cartográfica e o livro didático: uma análise crítica. 1. São Paulo. Dietrich et al. Percepção ambiental: a experiência brasileira. n. SEEMANN. Dissertação (Mestrado em Educação para o Ensino de Ciências e da Matemática) – Centro de Ciências Exatas. 187–212. OLIVEIRA. Belo Horizonte: Editora Lê. p. FAGLONATO. E. D. Luciana C. Geografia e conhecimentos cartográficos: a Cartografia e o movimento de renovação da Geografia brasileira e a importância do uso de mapas. Revista do Departamento de Geografia (USP). 1. Boletim de Geografia. Cleres do N. In: SCHIEL. Amélia R. CD-ROM. Y. R. 1994 PEZZATO.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful