You are on page 1of 40

AULA 1

Elementos de um sistema de
comunicações
EE –05
Princípios de Telecomunicações
COMUNICAÇÃO


TRANSMISSÃO DE INFORMAÇÃO DE
UM PONTO A OUTRO, ATRAVÉS DE
UMA SUCESSÃO DE PROCESSOS.
Processos de Comunicação
 Geração de sinais de mensagem: voz, música,
imagens ou informações de computadores;

 A descrição do sinal de mensagem com precisão
adequada, através de um conjunto de símbolos:
elétricos, auditivos ou visuais;

 A codificação destes símbolos de forma que possa
ser possível a sua transmissão através de um meio
físico de interesse;
Processos de Comunicação
 A transmissão deste código ao destino
desejado;

 A decodificação e reprodução dos símbolos
originais;

 A recriação da mensagem original, com um
nível de degradação aceitável, degradação
esta, devido às imperfeições do sistema.

Elementos básicos de um sistema
de comunicação
Modos de Comunicação
 “Broadcasting” – Utilização de um único
transmissor e vários receptores. A
informação flui em um único sentido.

 Comunicação ponto a ponto – A
comunicação acontece entre um único
emissor e um único receptor. Normalmente
o fluxo é bidirecional.
Recursos primários dos sistemas
de comunicação
 Dois recursos primários são empregados:
A) Largura de faixa do canal – Banda de
freqüências alocadas para a transmissão do
sinal da mensagem;

B)Potência Transmitida – Potência média
transmitida do sinal.

Objetivo ÷ Utilizar estes dois recursos da
forma mais eficiente possível.
Classificação dos canais de
comunicação
 “Power Limited” – Sistemas cuja limitação
é a potência do sinal transmitido. Ex.: canal
de satélite.

 “Band Limited” – Sistemas cuja limitação é
a faixa de freqüência alocada. Ex.: circuitos
de telefonia.
Ruído
 Ondas eletromagnéticas que tendem a perturbar a
transmissão e o processamento de sinais de
mensagem em um sistema de comunicação.

 Suas fontes podem ser internas ou externas ao
sistema.

 Medida quantitativa do ruído é SNR(Signal Noise
Ratio).


ruído do Potência
sinal do Potência
log . 10 SNR =
Fontes de Informação
 Quatro tipos fundamentais de fontes de informação: Fala,
Música, Imagens e sinais de computadores.

 Sinal é definido como uma função do tempo que faz o papel
de variável independente, cujo valor em cada instante de
tempo é único.

 Pode ser:
a) unidimensional no no caso de fala, música ou sinais de
computadores;
b) bidimensional no caso de imagens;
c) Tridimensional – Vídeo;
Fontes de Informação
 Fala – O espectro de freqüência é formatado
pela seletividade em freqüência do trato
vocal. O espectro de potência indica
potências praticamente nulas para para
freqüências próximas do zero, atingindo um
pico para algumas centenas de Hertz. Ex.: A
telefonia utiliza uma largura de faixa de
300 Hz a 3100 Hz.
Fontes de Informação
 Música – Origina-se de instrumentos
musicais. Possui estrutura melódica
(seqüência de sons) e harmônica (sons
simultâneos). A diferença entre a música e a
fala é que a última ocupa uma largura de
faixa muito maior, podendo-se extender
acima de 15 KHz.
Fontes de Informação
 Imagens – Podem ser dinâmicas (vídeo) ou
estáticas(fotografias). As imagens a fim de
serem transmitidas, devem ser convertidas
em sinais elétricos. Para tal devem ser
escaneadas seqüencialmente.

 Desta forma um sinal bidimensional é
convertido em um sinal unidimensional.
PROCESSO DE
ESCANEAMENTO
Fatores limitantes da qualidade
de reprodução da TV
 Número de linhas disponíveis (limita
resolução vertical);

 Largura de Faixa para a transmissão do
sinal de vídeo(limita resolução horizontal),
Fontes de Informação
 Sinais de Computadores – Textos transmitidos,
utilizando o ASCII (American Standard Code
for Information Interchange).
 Cada caracter do ASCII é representado por
sete bits. Assim é possível obter-se 2
7
= 128
caracteres diferentes.
 Esses bits são enviados deste o menos
significativo b
1
, até o mais significativo b
7
.


Representação do envio de um bit
através do padrão RS-232
Fontes de Informação -
Computadores
 “Bursting nature” – Períodos de atividade,
entremeado por períodos de silêncio.

 Computadores são utilizados para download de
arquivos comprimidos. Há dois tipos de
compressão de arquivos:
a) Compressão sem perdas (Lossless compression)
Remove informações redundantes, porém é
possível reconstruir exatamente a informação
original;
b) Compressão com perdas (Lossy compression) Há
uma perda controlada de informações.
Compressão de áudio e vídeo
 Padrões standard de compressão:
a) JPEG image coding standard (Joint Photographic
experts group) – os pixels são agrupados em
blocos de 8X8, aplica-se a transformada de
Fourier cosseno discreta, obtendo-se 64
coeficientes, esses coeficientes são codificados em
8 bits, passam por uma compressão tipo lossless e
finalmente são decodificados através do processo
inverso no outro computador.
Compressão de áudio e vídeo
 B) MPEG-1/video coding standard (Motion
Photographic Experts Group) A compressão
neste padrão utiliza-se de redundâncias, tais
como: redundâncias entre frames,
redundâncias entre pixels.
Compressão de áudio e video
c) MPEG-1/Audio coding standard – A
amplitude em função do tempo do sinal
original se aproxima bastante da forma de
onda original, sem alterar substancialmente
sua qualidade, pois leva em consideração o
sistema de percepção do ouvido humano.


Sinais
 Classificação:
a) Real ou complexo:Sinais podem ser
representados por funções ou valores reais
ou complexos.
real sinal ) t f 2 cos( A ) t ( f
0
÷ t =
complexos sinal ) t f 2 j ( sen A j ) t f 2 cos( A ) t f 2 j exp( A ) t ( f
0 0 0
÷ t + t = t =
Sinais
 Classificação:
b) Periódico e aperiódico:
1) Periódico: Um sinal é periódico se f(t) = f(t+nT
o
),
onde n é um inteiro qualquer.

Sinal periódico
Sinais
 Classificação:
b) Periódico e aperiódico:
1) Aperiódico: Sinais aperiódicos são que não
possuem T
0
que satisfaça a condição de
periodicidade.

Sinal aperiódico
Sinais
 Classificação:
c) Analógicos, discretos e digitais:

1) Analógicos: Podem assumir qualquer valor em
amplitude no tempo.

Sinais
 Classificação:
c) Analógicos, discretos e digitais:

2) Discretos: São sinais definidos a intervalos
regulares de tempo e representáveis por
seqüências de números .

Sinal discreto: senóide amostrada, de amplitude A e (sinal contínuo em pontilhado)
Sinais
 Classificação:
c) Analógicos, discretos e digitais:

3) Digitais: São sinais discretos no tempo e em
amplitudes, com estas codificadas
numericamente.

Sinais
 Classificação:
d) Determinísticos e aleatórios

1) Determinísticos: Não há incerteza quanto ao seu
valor em nenhum instante de tempo. Tais sinais
podem ser representados no tempo através de
fórmulas matemáticas.

f t A f t ( ) cos( ) = 2
0
t
Sinais
 Classificação:
d) Determinísticos e aleatórios

2) Aleatórios: É aquele cujo valor é desconhecido até
o instante da sua manifestação. Este tipo de sinal
é caracterizado através de médias estatísticas.

p x
x x
x
x
x x
( ) exp
( )
= ÷
÷

¸

(
¸
(
(
¦
´
¦
¦
¦
¹
¦
¦
¦
1
2 2
2
2
2
o t o
o
o
, onde
é o valor mé dio
é a vari ância ou dispersão
é o desvio padrão
x
x
Sinais
 Classificação:
e) Energia e Potência

A potência de um sinal f(t) é definida, supondo-se
a resistência normalizada igual a 1 O. Assim, a
sua Energia e potência média são dadas por:

E f t dt
T
T
T
=
÷·
÷
} lim ( )
2
P
T
f t dt
T
T
T
=
÷·
÷
} lim ( )
1
2
Sinais
 Classificação:
e) Energia e Potência:
Um sinal é dito de energia se 0 <E < ·

Um sinal é dito de potência se 0 < P < ·

Regra geral: sinais periódicos e os aleatórios são sinais
de potência.(power signal) e os determinísticos
aperiódicos são sinais de energia (energy signal).
Modulação e Codificação
 São processos efetivados no transmissor,
visando uma transmissão eficiente e
confiável.

 Modulação – Tratamento dado ao sinal que
se quer transmitir para melhor adequá-lo ao
canal desejado ou disponível.
Modulação
 Classificação:
A) de acordo com a portadora:
1) CW –Continuous wave
Modulação cw (a) em amplitude: AM; (b) em freqüência: FM

Modulação
 Classificação:
A) de acordo com a portadora:
2) Pulsos
Modulação de pulsos (a) amplitude (PAM); (b) duração (PWM)

Modulação
 Classificação:
B) de acordo com o sinal modulador:
1) Sinal modulador analógico ou contínuo
2) Sinal modulador pulsado, modulação PSK, FSK
ou ASK

Os diversos tipos de modulação podem ser utilizados
em combinação. Ex.: sinal de TV.
Por que Modular?
 Transmissão eficiente;

 Reduzir problemas de Hardware;

 Para reduzir efeitos de interferência e ruído;

 Para alocação de freqüências;

 Para multiplexagem em freqüência.

Por que Modular?
 Reduzir problemas de Hardware;
Dois sinais de mesma largura de faixa, mas largura de faixa fracionária diferentes (fora de escala)

Por que Modular?
 Para reduzir efeitos de interferência e ruído;

 Para alocação de freqüências;
Por que Modular?
 Para multiplexagem em freqüência.
Lei de Hartley-Shannon
 A capacidade de um canal é dada por:


bits/s
C B
S
N
= + log ( )
2
1
B – largura de Faixa
S/N é a relação sinal ruído

Conclusão – Quanto maior a relação sinal
ruído, maior é a capacidade do canal.


COMUNICAÇÃO

TRANSMISSÃO DE INFORMAÇÃO DE UM PONTO A OUTRO, ATRAVÉS DE UMA SUCESSÃO DE PROCESSOS.

Processos de Comunicação

Geração de sinais de mensagem: voz, música, imagens ou informações de computadores; A descrição do sinal de mensagem com precisão adequada, através de um conjunto de símbolos: elétricos, auditivos ou visuais; A codificação destes símbolos de forma que possa ser possível a sua transmissão através de um meio físico de interesse;

Processos de Comunicação

A transmissão deste código ao destino desejado; A decodificação e reprodução dos símbolos originais; A recriação da mensagem original, com um nível de degradação aceitável, degradação esta, devido às imperfeições do sistema.

Elementos básicos de um sistema de comunicação .

Modos de Comunicação  “Broadcasting” – Utilização de um único transmissor e vários receptores.  . A informação flui em um único sentido. Comunicação ponto a ponto – A comunicação acontece entre um único emissor e um único receptor. Normalmente o fluxo é bidirecional.

Recursos primários dos sistemas de comunicação Dois recursos primários são empregados: A) Largura de faixa do canal – Banda de freqüências alocadas para a transmissão do sinal da mensagem. Objetivo  Utilizar estes dois recursos da forma mais eficiente possível.  B)Potência Transmitida – Potência média transmitida do sinal. .

“Band Limited” – Sistemas cuja limitação é a faixa de freqüência alocada. Ex.: canal de satélite. Ex.  .: circuitos de telefonia.Classificação dos canais de comunicação  “Power Limited” – Sistemas cuja limitação é a potência do sinal transmitido.

log Potência do ruído .Ruído  Ondas eletromagnéticas que tendem a perturbar a transmissão e o processamento de sinais de mensagem em um sistema de comunicação.  Suas fontes podem ser internas ou externas ao sistema.  Medida quantitativa do ruído é SNR(Signal Noise Ratio). Potência do sinal SNR  10.

 . música ou sinais de computadores. cujo valor em cada instante de tempo é único. c) Tridimensional – Vídeo. Sinal é definido como uma função do tempo que faz o papel de variável independente. b) bidimensional no caso de imagens.  Pode ser: a) unidimensional no no caso de fala. Imagens e sinais de computadores.Fontes de Informação  Quatro tipos fundamentais de fontes de informação: Fala. Música.

O espectro de potência indica potências praticamente nulas para para freqüências próximas do zero.Fontes de Informação  Fala – O espectro de freqüência é formatado pela seletividade em freqüência do trato vocal. . Ex.: A telefonia utiliza uma largura de faixa de 300 Hz a 3100 Hz. atingindo um pico para algumas centenas de Hertz.

A diferença entre a música e a fala é que a última ocupa uma largura de faixa muito maior. . podendo-se extender acima de 15 KHz. Possui estrutura melódica (seqüência de sons) e harmônica (sons simultâneos).Fontes de Informação  Música – Origina-se de instrumentos musicais.

 . devem ser convertidas em sinais elétricos. As imagens a fim de serem transmitidas.Fontes de Informação  Imagens – Podem ser dinâmicas (vídeo) ou estáticas(fotografias). Para tal devem ser escaneadas seqüencialmente. Desta forma um sinal bidimensional é convertido em um sinal unidimensional.

PROCESSO DE ESCANEAMENTO .

 .Fatores limitantes da qualidade de reprodução da TV  Número de linhas disponíveis (limita resolução vertical). Largura de Faixa para a transmissão do sinal de vídeo(limita resolução horizontal).

 Cada caracter do ASCII é representado por sete bits.  Esses bits são enviados deste o menos significativo b1. até o mais significativo b7. utilizando o ASCII (American Standard Code for Information Interchange).Fontes de Informação Sinais de Computadores – Textos transmitidos.  . Assim é possível obter-se 27 = 128 caracteres diferentes.

Representação do envio de um bit através do padrão RS-232 .

Há dois tipos de compressão de arquivos: Compressão sem perdas (Lossless compression) Remove informações redundantes. porém é possível reconstruir exatamente a informação original.  a) b) . Computadores são utilizados para download de arquivos comprimidos. Compressão com perdas (Lossy compression) Há uma perda controlada de informações.Fontes de Informação Computadores  “Bursting nature” – Períodos de atividade. entremeado por períodos de silêncio.

obtendo-se 64 coeficientes.Compressão de áudio e vídeo Padrões standard de compressão: a) JPEG image coding standard (Joint Photographic experts group) – os pixels são agrupados em blocos de 8X8.  . esses coeficientes são codificados em 8 bits. passam por uma compressão tipo lossless e finalmente são decodificados através do processo inverso no outro computador. aplica-se a transformada de Fourier cosseno discreta.

tais como: redundâncias entre frames. .Compressão de áudio e vídeo  B) MPEG-1/video coding standard (Motion Photographic Experts Group) A compressão neste padrão utiliza-se de redundâncias. redundâncias entre pixels.

Compressão de áudio e video c) MPEG-1/Audio coding standard – A amplitude em função do tempo do sinal original se aproxima bastante da forma de onda original. pois leva em consideração o sistema de percepção do ouvido humano. . sem alterar substancialmente sua qualidade.

f ( t )  A cos(2f 0 t)  sinal real f ( t )  A exp( j2f 0 t)  A cos(2f 0 t)  jAsen( j2f 0 t )  sinal complexos .Sinais  a) Classificação: Real ou complexo:Sinais podem ser representados por funções ou valores reais ou complexos.

onde n é um inteiro qualquer.Sinais Classificação: b) Periódico e aperiódico: 1) Periódico: Um sinal é periódico se f(t) = f(t+nTo).  Sinal periódico .

 Sinal aperiódico .Sinais Classificação: b) Periódico e aperiódico: 1) Aperiódico: Sinais aperiódicos são que não possuem T0 que satisfaça a condição de periodicidade.

. discretos e digitais: 1) Analógicos: Podem assumir qualquer valor em amplitude no tempo.Sinais  c) Classificação: Analógicos.

Sinais  c) Classificação: Analógicos. de amplitude A e (sinal contínuo em pontilhado) . discretos e digitais: 2) Discretos: São sinais definidos a intervalos regulares de tempo e representáveis por seqüências de números . Sinal discreto: senóide amostrada.

discretos e digitais: 3) Digitais: São sinais discretos no tempo e em amplitudes. . com estas codificadas numericamente.Sinais  c) Classificação: Analógicos.

f (t )  A cos(2 f 0 t ) . Tais sinais podem ser representados no tempo através de fórmulas matemáticas.Sinais  d) Classificação: Determinísticos e aleatórios 1) Determinísticos: Não há incerteza quanto ao seu valor em nenhum instante de tempo.

px ( x )  1 x  exp   2  x é o v alor mé dio   2  (x  x)   . onde  x 2 é a vari ncia ou dispersão â 2 x 2      svio padrão  x é o de . Este tipo de sinal é caracterizado através de médias estatísticas.Sinais  d) Classificação: Determinísticos e aleatórios 2) Aleatórios: É aquele cujo valor é desconhecido até o instante da sua manifestação.

supondo-se a resistência normalizada igual a 1 . a sua Energia e potência média são dadas por: T E  lim T  f T 2 (t )dt P  lim 1 T T T  f T 2 ( t ) dt . Assim.Sinais  e) Classificação: Energia e Potência A potência de um sinal f(t) é definida.

.(power signal) e os determinísticos aperiódicos são sinais de energia (energy signal).Sinais  e) Classificação: Energia e Potência: Um sinal é dito de energia se 0 <E <  Um sinal é dito de potência se 0 < P <  Regra geral: sinais periódicos e os aleatórios são sinais de potência.

 .Modulação e Codificação  São processos efetivados no transmissor. Modulação – Tratamento dado ao sinal que se quer transmitir para melhor adequá-lo ao canal desejado ou disponível. visando uma transmissão eficiente e confiável.

Modulação Classificação: A) de acordo com a portadora: 1) CW –Continuous wave  Modulação cw (a) em amplitude: AM. (b) em freqüência: FM .

Modulação Classificação: A) de acordo com a portadora: 2) Pulsos  Modulação de pulsos (a) amplitude (PAM). (b) duração (PWM) .

. Ex.: sinal de TV. FSK ou ASK  Os diversos tipos de modulação podem ser utilizados em combinação.Modulação Classificação: B) de acordo com o sinal modulador: 1) Sinal modulador analógico ou contínuo 2) Sinal modulador pulsado. modulação PSK.

Reduzir problemas de Hardware. Para multiplexagem em freqüência.   Para alocação de freqüências.Por que Modular?    Transmissão eficiente. Para reduzir efeitos de interferência e ruído. .

Por que Modular?  Reduzir problemas de Hardware. Dois sinais de mesma largura de faixa. mas largura de faixa fracionária diferentes (fora de escala) .

Para alocação de freqüências.  .Por que Modular?  Para reduzir efeitos de interferência e ruído.

Por que Modular?  Para multiplexagem em freqüência. .

Lei de Hartley-Shannon  A capacidade de um canal é dada por: C  B log 2 (1  S N ) bits/s B – largura de Faixa S/N é a relação sinal ruído Conclusão – Quanto maior a relação sinal ruído. maior é a capacidade do canal. .