You are on page 1of 17

MEDIDAS DE BIOSSEGURANÇA

Monitora: Maria Angélica da Silva Santos

INFECÇÃO
Cadeia de infecção: Agente infeccioso

Reservatório

Porta de saída do reservatório Hospedeiro Modo de transmissão Porta de entrada

FATORES QUE INFLUENCIAM O POTENCIAL DO PATÓGENO:
Número;  Virulência;  Capacidade de entrar e sobreviver no hospedeiro;  Suscetibilidade do hospedeiro.

MODOS DE TRANSMISSÃO
Contato - Direto – vírus da hepatite A; - Indireto – vírus da hepatite B;  Gotículas – vírus da gripe;  Ar – vírus da tuberculose;  Vetor – malária, cólera

PROCESSO INFECCIOSO
Período de incubação;  Fase de pródromo  Fase da doença  Convalescença.

DEFESAS CONTRA INFECÇÃO
Flora normal;  Resposta inflamatória;  Defesas do sistema corporal.

INFECÇÃO HOSPITALAR
Infecção iatrogênica;  Infecção exógena;  Infecção endógena.

Fatores risco - Número de profissionais; - Número e tipo de procedimentos invasivos; - Tempo de hospitalização.  Principais áreas de infecção: feridas cirúrgicas, trato respiratório e urinário e corrente sanguínea.

CCIH
Profissionais;  Detectar casos e riscos de infecção hospitalar;  Elaborar normas;  Controlar a prescrição de antibióticos;  Apoiar a administração hospitalar.

LIMPEZA
Reduzir a carga microbiana natural dos artigos;  Extrair contaminantes orgânicos e inorgânicos;  Remover a sujidade dos artigos.  Proteção do profissional: máscara, óculos e luvas de borracha.

DESINFECÇÃO

Garantir o manuseio e utilização segura do produto para a saúde de um paciente e outro diminuindo os riscos de contaminação.

ESTERILIZAÇÃO Calor úmido sob pressão (autoclave) termocoagulação  Calor seco (estufa) – oxidação e dessecação celular.

CATEGORIAS DE ESTERILIZAÇÃO,
DESINFECÇÃO E LIMPEZA Itens críticos: instrumentos cirúrgicos, cateteres cardíacos ou intravasculares, cateteres vesicais e implantes;  Itens semicríticos: equipamento respiratório e de anestesia, endoscópios, cânulas endotraqueais, endoscópios gastrointestinais;  Itens não críticos: comadres, manguitos de pressão arterial, grades de cama, roupas de cama, estetoscópios, mesa de cabeceira e mobília do paciente, utensílios para alimentação.

ASSEPSIA CIRÚRGICA
Procedimentos usados para eliminar todos os microorganismos, inclusive os patógenos.  Princípios : - Um objeto permanece estéril quando tocado por outro objeto estéril; - Fora do campo de visão, o objeto não é considerado estéril; - Exposição prolongada ao ar torna o objeto contaminado; - Em líquidos estéreis, despreza-se o primeiro jato.

EPI
Luvas;  Máscara;  Óculos de proteção;  Roupão ou capote.

LAVAGEM DAS MÃOS

As mãos constituem a principal via de propagação de microorganismos durante a assistência.

Sabões: remove a sujidade visível, age por ação mecânica.  Antissépticos: - Àlcoois; - Iodóforos; - Clorohexidina.

FLORA DA PELE
Flora colonizadora ou residente – não é facilmente removida por antissépticos, são viáveis por um longo período de tempo;  Flora transitória ou contaminante – facilmente removível com água e sabão, viáveis por curto período de tempo.

OBRIGADA!