You are on page 1of 26

SILICOSE EM TRABALHADORES DE PEDREIRAS EM CARIDADE

Dr. Paulo Gurgel

SITUAÇÃO INICIAL
• 13 trabalhadores sintomáticos respiratórios, procedentes de Caridade, atendidos no Hospital de Messejana (HM), no período de 1996 – 2001 • N = 14, pela inclusão de 1 caso de 1993 (oriundo de Paramoti, município vizinho) • Todos pertencentes ao sexo masculino, com idades entre 30 e 58 anos • Ocupação anterior ou atual em pedreiras de Inhuporanga (distrito de Caridade), em períodos de 9 meses a 8 anos

HOSPITAL DE MESSEJANA CRONOLOGIA DOS CASOS DE SILICOSE ORIUNDOS DE CARIDADE Ano 1993 1996 1997 1998 2000 2001 Total Casos 1 1 4 3 4 1 14

TRABALHADORES EM PEDREIRAS DE CARIDADE SITUAÇÃO INICIAL DA DISTRIBUIÇÃO POR FORMAS
3 SIMPLES COMPLICADA 11

14 casos de silicose: 3 (21,2%) com formas simples 11 (78,8%) com formas complicadas
(4 associadas com pneumotórax; 2 com silicotuberculose)

TRABALHADORES EM PEDREIRAS DE CARIDADE EVOLUÇÃO CLÍNICA DOS CASOS

6 VI VOS 8 ÓBI TOS

8 óbitos em 5 anos de observação (período 1996 – 2001)

01 / 2001 - CARIDADE EQUIPE MULTIPROFISSIONAL RESPONSÁVEL PELA VISITA
Médico do HM Enfermeira da CEADI/SESA-CE Médico da DRT-CE Geólogo da DRT-CE

SITUAÇÃO GEOGRÁFICA DAS PEDREIRAS
• Estado: CEARÁ • Microrregião: CANINDÉ • Cidade: CARIDADE (a 100km de Fortaleza, com acesso pela rodovia BR 020) • Distrito: INHUPORANGA (antigo CAMPOS BELOS), com cerca de 6.000 habitantes • Pedreiras: 2

Jijoca de Jericoacoara Barroquinha Chaval Granja Martinópole ( Senador Sá ( Massapê Viçosa do Ceará Meruoca Coreau Alcântras Frecherinha Ubajara Ibiapina Mucambo Sobral Forquilha Groairas Camocim Cruz

Acarau Itarema

Bela Cruz ( Marco Morrinhos Trairi Santana do Acaraú Amontada Paraipaba Miraima Itapipoca Tururu São Luís do Curu Paracuru

Uruoca Moraujo

N

Uruburetama Itapagé Irauçuba Tejuçuoca

Tiangua

Umirim Pentecoste Apuiarés

São Gonçalo do Amarante Caucaia

Fortaleza

Ê

Maracanaú Eusébio Maranguape Itaitinga Aquiraz

Cariré Pacujá Graça Reriutaba Carnaubal Varjota Guaraciaba do Norte Pires Ferreira São Benedito Ipú Croatá Hidrolândia Ipueiras Nova Russas Poranga Ararendá

General Sampaio Paramoti

Santa Quitéria

( Itatira Catunda

Pacatuba ( Guaiuba Horizonte Palmácia ( Cascavel Acarape Pacoti Caridade Pacajus Beberibe Redenção Guaramiranga Barreira Chorozinho Mulungu Baturité Canindé Aracoiaba Aratuba Capistrano Ocara It api úna Palhano

Fortim U % Aracati Itaiçaba Jaguaruana Icapui

Tamboril Ipaporanga

Monsenhor Tabosa

Choró Madalena Quixadá Ibaretama Russas Ibicuitinga Quixerê Boa Viagem Morada Nova Limoeiro do Norte Quixeramobim Banabuiú São João do Jaguaribe Tabuleiro do Norte

Crateús

Independência Pedra Branca Novo Oriente Senador Pompeu Jaguaretama Jaguaribara Quiterianópolis Mombaça Piquet Carneiro Tauá Pereiro Parambu Arneiroz Iguatu Jucás ( Aiuaba Saboeiro Antonina do Norte Assaré Campos Sales U Potengi ( ( Arapipe Tarrafas Farias Brito Várzea Alegre Granjeiro Caririaçu Juazeiro do Norte Crato Missão Milagres Barbalha Velha Abaiara Brejo Santo Jardim Porteiras Jati Penaforte Aurora Lavras da Mangabeira ( Cariús Cedro Icó ( Catarina Acopiara Quixelô Orós Milhã Solonópole Iracema Jaguaribe Ereré Alto Santo

Potiretama

Dep. Irapuã Pinheiro

Umari Baixio ( Ipaumirim

Altaneira Nova Olinda Santana do Cariri

Barro

Salitre

ESTADO DO CEARÁ MUNICÍPIO DE CARIDADE

Mauriti

DISTRITO DE INHUPORANGA PEDREIRA

Foto: Igor Câmara

INSPEÇÃO DAS PEDREIRAS

• • • •

Pedreira A Localização urbana Em funcionamento Trabalho em galpão Borrifação

• • • •

Pedreira B Localização peri-urbana Parada Trabalho ao ar livre Direção do vento e máscaras

MATERIAL E OPERAÇÕES

Pedras coletadas na região (3 tipos)  quebra manual  trituração em máquinas  produção de agregados  peneiração: brita, pedrisco e pó (<0,075mm)  transporte, empilhamento, mesclagem e ensacamento

INFORMAÇÕES DA COMUNIDADE
• 1982: instalação das pedreiras • 1989: primeiro caso de silicose em Inhuporanga (diagnóstico em SP) • Incômodos e doenças respiratórias ocasionadas pela exposição ocupacional e ambiental às poeiras produzidas nas pedreiras • Óbitos atribuíveis ao trabalho nas pedreiras que não constavam da lista do HM

PEDREIRAS - MEDIDAS DE CONTROLE Coordenação Estadual: CEADI/SESA • Análise litológica (FUNDACENTRO) • Saúde e segurança do trabalho (DRT) • Cadastramento dos trabalhadores e ex-trabalhadores em pedreiras (ACS) • Questionário de sintomas respiratórios (PSF) • Radiografias de tórax e leituras (HM) • Avaliação funcional (HM) • Seguridade e assistência social (INSS, SAS)

ANÁLISE QUÍMICA DAS ROCHAS CONTEÚDO EM SÍLICA LIVRE
AMOSTRA 1 2 3 COR BRANCA MARROM PRETA % SiO2 2,50 97,72 23,83 TIPO CALCÁRIO QUARTZO BASALTO

NUTEC – DIVISÃO DE TECNOLOGIA MINERAL

CADASTRAMENTO
N = 123 Obs. - Trabalho realizado por 6 agentes de saúde sob a supervisão da equipe de PSF de Inhuporanga

CADASTRAMENTO

TEMPO DE TRABALHO NAS PEDREIRAS

< 1 ano 56 (46%)

1–5 anos 44 (36%)

> 5 anos 23 (18%)

Total 123 (100%)

QSR
Município: ________________ Distrito: ________________ Paciente:__________________________________________ Data de nascimento:___/____/_____ Trabalho em pedreiras de _______/______ a ______/______ (mês) (ano) (mês) (ano) Dispnéia (0) (1) (2) (3) Outros sintomas: __________________________________ ________________________________________________ Fumante (S) (Ex) (N). Anos-maço: _______ Tuberculose (S) (N). Caso sim, houve confirmação? (S) (N). Tratamento: completado ( ), interrompido ( ), em curso ( ). Outras co-morbidades: _____________________________ Data: ___/___/_____ _____________________________ (profissional de saúde)

EXAMES CLÍNICO-RADIOLÓGICOS
• N1 = 123 (cadastrados) • N2 = 123 – (14 – 8) = 123 – 6 = 117 (a examinar, após excluídos os óbitos dos casos antigos) • N3 = 88 (examinados novos) • N4 = 14 + 88 = 102 (examinados antigos e novos) • N5 = 37 (reexaminados) • N6 = 14 + 31 = 45 (casos antigos e novos) • N7 = (8 + 1) + 3 = 12 (óbitos dos casos antigos e novos)

TRABALHADORES EM PEDREIRAS DE CARIDADE EXAMINADOS: 102 - CASOS DE SILICOSE: 45 SITUAÇÃO ATUAL DA DISTRIBUIÇÃO POR FORMAS
20 15 11 10 5 0 3 ANTIGOS NOVOS 19

12 SIMPLES COMPLICADA

9 ÓBITOS

3 ÓBITOS

CONTROLE DA TUBERCULOSE

• Tuberculose pulmonar anteriormente confirmada (tratada) em 2 pacientes • Foram realizadas pesquisas de BAAR no escarro de 12 outros pacientes Tuberculose pulmonar confirmada em 3 deles • Tuberculose pleural confirmada em 1 paciente; tuberculose pleuropulmonar confirmada em 1 outro (diagnóstico por biópsia pulmonar a céu aberto)

CONTROLE DO TABAGISMO
TABAGISMO ASSOCIADO

N 32 (26%)

S 64 (52%)

Ex 27 (22%)

Total 123 (100%)

52% dos trabalhadores e ex-trabalhadores das pedreiras informaram no cadastramento a condição de fumante

Usamos o momento do atendimento no HM para a orientação anti-tabágica

ESPIROMETRIAS = 14
RESULTADO Normal Restritivo Leve Restritivo Grave Obstrutivo Leve Obstrutivo Grave Nºs 2 2 6 (*) 2 2
(*) 2 com fluxos supra-normais

BIÓPSIA PULMONAR TRANSBRÔNQUICA: 5

PACIENTE 1. FHF (pedreira) 2. JBBA (pedreira)

HISTOPAT0LOGIA Fibrose incipiente; septos alveolares espessados.S/ granuloma Tecido fibroso colagenizado. S/ granuloma Nódulo fibroso colagenizado. S/ granuloma Tecido colágeno hialinizado Pneumonite crônica GRANULOMATOSA e inespecífica em vias de cura por fibrose

BIRREFRINGÊNCIA NEGATIVA POSITIVA (em citoplasma de macrófagos) POSITIVA NEGATIVA NEGATIVA

3. FLSR (pedreira) 4. RSF (pedreira) 5. FLB (pedreira)

CONCLUSÕES
• A atividade de britagem em pedreiras praticada no distrito de Inhuporanga, município de Caridade – CE, ao ocasionar, dentre 102 indivíduos examinados, 45 (44,1%) casos de silicose tem-se mostrado como de alto risco para adoecimento por silicose • Dos 45 casos deste estudo, em 23 (51,1%) deles a doença se apresentou sob a forma complicada (de mau prognóstico) • 12 (26,6%) pacientes vieram a falecer durante o período da observação • A busca ativa, como vem sendo efetivada, poderá ainda detectar novos casos da doença • O caráter marginal de funcionamento das pedreiras tem dificultado a implantação das medidas de controle e de erradicação da silicose na região

GRATO PELA ATENÇÃO

pgcs@ig.com.br