You are on page 1of 23

ASSALTO TÁTICO E RESGATE DE REFÉNS

INSTRUÇÃO DE PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS.

Aula 01- Conceitos, Constituição, Fundamentos, Alternativas e Posicionamento no Teatro de Op.

Objetivos
Padronizar os procedimentos de atuação da COE em ocorrências com tomada de reféns Condicionar tecnicamente os Grupos de serviço a implementarem com excelência a invasão tática Criar o GTI, bem como condicioná-lo

tecnicamente a implementar com
excelência a invasão tática e o tiro de precisão

a fim de completar todas as ações de ataque antes que os oponentes tenham a capacidade de reagir”.Assalto Tático “Técnica de invasão dos grupos de intervenção. onde se busca o impacto psicológico. . durante uma crise. com uso de métodos de distração.

SWAT (Armas e Táticas Especiais): INÍCIO Década de 60 /Los Angeles EUA ORIGEM Comandos das Forças Armadas. criados durante a II Guerra Mundial COMANDOS Realizam as Operações Especiais .Grupo Tático .

Atuação em crises: .

Resgate de reféns: CRISES COM REFÉNS .

Alternativas táticas NEGOCIAÇÃO TECNOLOGIAS DE BAIXA LETALIDADE ASSALTO TÁTICO SNIPER .

Constituição dos Grupos Táticos SW A T A S S A LT ERS S N I PER .

Equipe de Assalto / Time Tático PONTA COBERTURA LIDER ASSISTENTE GRANADEIRO ARROMBADOR SEGURANÇA À RETAGUARDA .

Pode ser precedido de uma negociação tática ou de um tiro de sniper.Assalto Tático Deve ser a última opção a ser utilizada. Pessoal altamente treinado e especializado. Combina SURPREZA + RAPIDEZ + AÇÃO DE CHOQUE. . Usado nos casos de violência contra os reféns. Envolve grandes riscos e a presença do “fator sorte”.

Equipe de Sniper ATIRADOR AUXILIAR/ASSISTENTE .

. Quando necessário. Solução eficiente (minimiza riscos). equipamento e treinamento adequados.Sniper (Tiro de Precisão) Neutralização do TR através de um disparo. Necessita de armamento. atingir área vital (bulbo) para evitar espasmos musculares.

Atuação do Grupo Tático .

dar treinamento e “operar” Equipamentos e armamentos diferenciados Expectativa de demanda de ocorrência .Critérios para formação de Grupo Tático Respeito aos 3 momentos: treinar.

disciplina e lealdade. Compromisso de neutralizar. Dedicação exclusiva ao grupo.Fundamentos doutrinários Unidade de pequeno porte ( 5 a 10 homens). . Treinamentos constantes e reais. Recrutamento: voluntário. Hierarquia.

Fundamentos éticos Responsabilidade coletiva. Fidelidade aos objetivos doutrinários. Dever do silêncio . Voluntariado.

Em Crises com reféns a Lei Complementar n° 053/2006. Art. XX atribui às Polícias Militares. em seu Artigo 144. . parágrafo 5 º. o que. 4. requer as repressivas. estabelece que “as Polícias Militares cabem a polícia ostensiva da ordem pública”. além de exigir ações predominantemente preventivas. para restaurar de imediato a normalidade.Fundamentos legais A CF. dentre outras atribuições previstas em lei: Gerenciar as situações que envolva reféns.

Fundamentos teóricos SURPRESA Cobertura dos negociadores Momento escolhido Disciplina GT AGRESSIVIDADE DA AÇÃO Mecanismo distração Cargas Explosivas Postura GT .

Fundamentos teóricos RAPIDEZ Quanto mais tempo. mais risco de vida dos reféns Quanto mais rápido. menos pensa o GT “Tão rápido que a cabeça acompanhe os pés“ .

Gerente ou CTO Grupo de Negociação Grupo Tático Apoio Operacional Policiamento Ordinário “quem está presente deve ter uma função.Posicionamento no Teatro de Op. Personagens principais no Cenário da Crise: Gerenciador. quem não tem uma função não deve estar presente” .

ZAT ZAO .

etc.A. Público.O. Posto de Comando . Imprensa.PERÍMETRO EXTERNO PERÍMETRO INTERNO Ponto Crítico Z. Z.A.T.

Dúvidas? INTERVALO – 15 MIN .