Metabolismo Das Purinas...

O que São Purinas?   Purinas: Purinas são bases nitrogenadas que compõem o nucleotídeo. uma vez que metade das bases do DNA são purinas. por ponte de hidrogênio. se ligam às pirimidinas Timina (T) e Citosina (C). Adenina (A) e Guanina (G) são purinas que. As purinas estão presentes nos alimentos ingeridos e também em proteínas do nosso próprio organismo. Geralmente são pouco solúveis em água de pH neutro e bastante abundantes na natureza. . respectivamente.

porém. Segundo a Regra de Chargaff. GTP. descarboxilação oxidativa do ácido pirúvico anterior ao ciclo de Krebs). elas também são componentes de várias outras moléculas indispensáveis ao organismo como o ATP (armazenamento de energia). A principal utilização das purinas é a síntese do DNA. como o ATP. as purinas são componentes importantes de várias biomoléculas. NADH. e Coenzima A.a proporção de bases púricas no Dna é de 60% (A=T)e de bases pirimídicas é de 40% (C=G). . AMPc. o NADH (transportador de elétrons em reações bioquímicas da célula) o GTP (molécula de transporte de energia) AMPc (molécula responsável pela transdução de sinais na célula) e a Coenzima A (síntese e oxidação de ácidos graxos.

formando 5fosforibosilamina + glutamato + pirofosfato. GDP e posteriormente GTP.Síntese das purinas! Ribose 5-fosfato. . que poderá formar Adenilsuccinato ou XMP. produzido na via das pentoses-fosfato. Este PRPP reage com glutamina. e é a principal reação reguladora da biossíntese de purinas (é irreversível). A reação é catalisada pela Glutamina PRPP amido transferase. reage com ATP formando AMP e 5-fosforibosil 1-pirofosfato (PRPP). que forma ADP para depois formar ATP. O adenilsuccinato forma AMP. o XMP forma GMP. Através de outras reações há formação de IMP. .

mas com uma enzima diferente. Uma dessas vias de salvamento se resume a uma única reação.As vias de salvamento de purinas e pirimidinas são processos bioquímicos de reciclagem das bases nitrogenadas. onde a adenosina livre reage com o PRPP formando a adenina nucleotídeo correspondente. que são vias bem simples. que é catalisada pela enzima adenosina fosforribosil transferase.  As purinas livres são formados pela degradação de nucleotídeos purínicos (que contém adenina ou guanina) e são em grande parte recuperadas e empregadas novamente na síntese de nucleotídeos. Isto ocorre pelas vias de recuperação. utilizadas na composição dos nucleotídeos e dos ácidos nucleicos.  . A guanina livre e a hipoxantina são recuperadas de forma similar.

quanto maior for a quantidade desta enzima maior a formação de ácido úrico. .Catabolismo das purinas: Vale ressaltar que a velocidade e a quantidade de ácido úrico formado a partir das purinas dependem da xantina oxidase.

que pode atingir até 80 % da excreção diária de ácido úrico. A degradação é provocada pelas bactérias intestinais. a degradação e eliminação do ácido úrico são extremamente aumentadas pelo intestino. Veremos.Na falência do rim. mais detalhes sobre essas duas alterações do ácido úrico. dizemos que há hiperuricemia e.  . se diz que há hipouricemia.  Quando o ácido úrico está aumentado no sangue. a seguir. quando as taxas se encontram diminuídas.

A hipouricemia pode ser primária (permanente) ou adquirida (intermitente). .HIPOURICEMIA .

HIPOURICEMIA primária (permanente). como conseqüência. ele está diminuído no plasma. .  ocorre em casos hereditários ou quando há grandes perdas de xantina pela urina (hiperxantinúria). A perda de xantina diminui muito o material necessário para a transformação de xantina em ácido úrico e.

Outro tipo de hipourecemia adquirida ocorre com o uso indiscriminado e não controlado de alopurinol.Hipouricemia (Adquirida). ácido ascórbico.  Quando o ácido úrico está muito baixo porque é eliminado em grandes quantidades pela urina. benziodarona. Isto pode ocorrer pelo uso de substâncias uricosúricas que aumentam a perda de ácido úrico pela urina como aspirina em altas doses. probenecide. substância inibidora da ação da enzima xantina oxidase. . citrato. estrógenos e outros. que transforma a xantina em ácido úrico.

HIPERURICEMIA  A hiperuricemia é o termo referente ao estado sangüíneo no qual o ácido úrico no plasma (soro) está acima de 6 mg% nas mulheres e 7 mg% nos homens. Geralmente assintomática. a hiperuricemia está relacionada a outras doenças. como: . A hiperuricemia ocorre em 10-15% da população acima de 40 anos. os homens hiperuricêmicos têm o início da elevação do ácido úrico na puberdade. De uma maneira geral. mas os sintomas clínicos surgem de 10 a 20 anos após.

uso abusivo de diuréticos e. Gota. . Diabete. de cálculos renais. Leucemia.      Alcoolismo. em certos casos. Hipertiroidismo. A acidose metabólica.

deve-se usar antiinflamatórios e analgésicos nas crises de dor. Pode ocorrer um ataque agudo articular. provocando a artrite úrica (gota). Neste caso. por isso. A hiperuricemia é um fator de risco para as doenças cardio-vasculares e renais. é necessário que o médico procure as causas do aumento e oriente o tratamento adequado. é necessário que o ácido úrico plasmático se mantenha normal. Para isso. Quando há superprodução de ácido úrico devem ser usadas substâncias hipourecemiantes pelo bloqueio da enzima xantina-oxidase. .

Fim! .