You are on page 1of 21

Vamos Ele admitiu a derrota .

VTD função: núcleo do retomar o suj objeto direto período classe: substantivo simples do exemplo Trocando o termo a derrota anterior e pela oração que foi derrotado, observar a teremos o período composto classe equivalente: gramatical e a função sintática da Ele admitiu que foi derrotado . suj VTD palavra

derrota:

função: objeto direto equivale: substantivo derrota

Observe, então, que a oração que foi derrotado, ao mesmo tempo que exerce a função de objeto direto, ocupa o lugar de um substantivo. Por isso ela recebe o nome de substantiva. Portanto, que foi derrotado é uma oração subordinada substantiva objetiva direta. Para sintetizar os conceitos acima, complete o seguinte quadro.

É oração porque tem verbo. É subordinada porque

Que foi derrotado

É substantiva porque É objetiva direta porque

Classificação das Subordinadas Substantivas

Oração subordinada substantiva
1. subjetiva 2. objetiva direta

Função no período composto
sujeito da oração principal

Classificar uma oração subordinada substantiva significa indicar a função sintática que ela exerce no período. No quadro ao lado estão os nomes que uma oração subordinada substantiva pode receber, dependendo da função sintática que ela exerce no período.

objeto direto do verbo da oração principal
objeto indireto do verbo da oração principal predicativo do sujeito da oração principal complemento nominal de um nome da oração principal aposto de um nome da oração principal

3. objetiva indireta

4. Predicativa

5. Completiva nominal 6. Apositiva

1. As estruturas do período simples (PS) e do período composto (PC) são equivalentes. 2. A classificação de uma oração subordinada substantiva depende de determinadas estruturas básicas (sujeito + verbo transitivo direto; verbo de ligação + predicativo etc.) presentes na oração principal.

3. A oração subordinada substantiva exerce sempre função de um termo que falta na oração principal. (vide quadro de
classificação das subordinadas substantivas)

Subordinada substantiva subjetiva
da oração principal.
Estruturas básicas:

função de sujeito

Verbo de ligação + predicativo
Oração principal

or. subord. Subst. subjetiva

Você deve “ler” a estrutura básica acima assim: toda vez que a oração principal apresentar verbo de ligação + predicativo, a oração subordinada substantiva será subjetiva. Essa orientação vale também para todas as estruturas que seguem. Exemplo:

PS PC

VL

pred. do suj

suj.

É

conveniente

seu regresso.

É conveniente
or. principal

que você regresse.
or. subord. subst. subjetiva

Verbo unipessoal
Oração principal Exemplo:

or. subord. Subst. subjetiva

PS
PC

suj.

No relatório não

consta

a presença dele.

No relatório não consta
or. principal

que ele esteja presente.
or. subord. subst. subjetiva

Observação: Verbos que mais comumente são usados como unipessoal (isto é, na 3ª pessoa): constar, convir, parecer, importar, interessar, suceder, acontecer.

Verbo na voz passiva
Oração principal Exemplo:
verbo impessoal

or. subord. Subst. subjetiva

PS
PC

suj.

Foi divulgado
Foi divulgado
or. principal

o seu retorno.
que você retornaria.
or. subord. subst. subjetiva

No exemplo acima, o verbo da oração principal está na voz passiva analítica, mas ele pode estar também na voz passiva sintética.

Exemplo:

Divulgou-se
or. principal

que você retornaria.
or. subord. subst. subjetiva

Observações:
1) Veja, portanto, que existem três estruturas de oração principal que exige oração subordinada substantiva subjetiva. verbo de ligação + predicativo verbo unipessoal + verbo na voz passiva 2) Como a subordinada substantiva subjetiva funciona como sujeito da oração principal, é claro que, dentro da oração principal, não poderá haver sujeito. or. subord subst. subjetiva

Subordinada substantiva objetiva direta
de objeto direto do verbo da oração principal.

função de

Estruturas básicas:

(sujeito) + VTD
Oração principal

or. subord. Subst. Objetiva direta

Exemplo:
suj. VTD OD

PS PC

A prefeitura

exigiu

o pagamento das despesas. que as despesas fossem pagas.
or. subord. subst. objetiva direta

A prefeitura exigiu
or. principal

Observação:
Na estrutura básica desse caso e dos próximos, o termo que está entre parênteses pode, às vezes, não aparecer (o sujeito pode estar oculto ou indeterminado).

Exemplo:
Dizem
VTD

que ele sumiu.
or. sub. subst. objetiva direta

Subordinada substantiva objetiva indireta
de objeto indireto do verbo da oração principal.

função

Estruturas básicas:

(sujeito) + VTI
Oração principal

or. subord. Subst.Obj. indireta

Exemplo:
suj. VTI OI

PS PC

Seus amigos

confiam

em sua vitória em que você vença.

Seus amigos confiam
or. principal

or. subord. subst. objetiva indireta

Observação:
Note que, da mesma forma que o objeto indireto, a oração objetiva indireta também se inicia por preposição, que pode, às vezes, estar oculta. Exemplo:
Ninguém se lembrava
VTI

que ele havia voltado.
(de)
or. subord. subst. objetiva indireta

Subordinada substantiva predicativa
predicativo do sujeito da oração principal.
Estruturas básicas:

função de

(sujeito) + verbo de ligação
Oração principal

or. subord. subst. predicativa

Exemplo:

PS PC

suj.

Verbo de ligação

predicativo

Nossa preocupação Nossa preocupação era
or. principal

era

a chuva. que chovesse.

or. subord. subst. predicativa

Subordinada substantiva completiva nominal
principal.
Estruturas básicas:

função de complemento nominal de um nome de sentido incompleto da oração

(sujeito) + verbo + nome incompleto
Oração principal

or. sub. subst. comp. nominal

Exemplo:

PS PC

suj.

verbo

nome incompleto

Complemento nominal

Seu irmão

estava

certo

de sua volta.

Seu irmão estava certo
or. principal

de que você voltaria.
or. subord. subst. completiva nominal

Observação:
A oração subordinada substantiva completiva nominal, da mesma forma que o complemento nominal, inicia-se por preposição, que pode estar subentendida no texto. Exemplo:
Ela tem receio que você não aceite o convite.
or. subord. subst. completiva nominal Nome incompleto (de)

Subordinada substantiva apositiva
de um nome da oração principal.
Estruturas básicas:

função de aposto

(sujeito) + verbo + nome
Oração principal
Exemplo:
suj. verbo

or. subord. subst. apositiva

PS PC

nome

oposto

Nos

defendemos uma idéia:

a invasão da casa.

Nós defendemos uma idéia: que a casa seja invadida.
or. principal or. subord. subst. apositiva

Em geral, a oração apositiva vem após dois ponto, ou, mais raramente, entre vírgulas. Exemplo: Seu grande plano, que o time vencesse, não deu certo. Observações:
1ª) É claro que, para analisar uma oração subordinada substantiva, você não precisa comparar o período composto com o período simples correspondente. Isso porque, além de desnecessária, essa comparação nem sempre é possível. Nos exemplos acima, a comparação foi feita para que você compreendesse melhor a estrutura do período composto. Na prática, basta que você analise a estrutura da oração principal e verifique que termo falta nela; a oração subordinada substantiva terá o nome do termo que estiver faltando na principal. 2ª) Em geral, as orações subordinadas substantivas são iniciada pelas conjunções que e se, chamadas conjunções integrantes. Mais raramente, essas orações vêm iniciadas por outras palavras.

Exemplos:

Ninguém
suj.

perguntou VTD

quando você voltaria.
advérbio
or. subord. subst. objetiva direta

oração principal

Eu nunca soube
suj.

onde

encontrá-los.

VTD Pronome relativo

oração principal

SÍNTESE DA UNIDADE
Oração subordinada substantiva Estrutura da oração principal
 Verbo de ligação + predicativo É bom que voltes. Verbo unipessoal Convém que nos ajudem. Verbo na voz passiva Será divulgado que ele virá.  (sujeito) + VTD Ela disse que viria cedo. (sujeito) + VTI Não concordo com que ele jogue sujo conosco. Sujeito + verbo de ligação O certo é que ele sumiu. (sujeito) + verbo + nome incompleto Ele está certo de que venceu. (sujeito) + verbo + nome + aposto Só lhe peço isso: que me ajude.

Subjetiva:(função: sujeito)

Objetiva direta: (função: objeto direto)
Objetiva indireta: (função: objeto indireto) Predicativa: (função: predicativo) Completiva nominal: (função:
complemento nominal)

Apositiva

Observações: 1ª) Os termos que estão entre parênteses podem, ocasionalmente, não aparecer na estrutura da oração principal. 2ª) As conjunções que iniciam subordinadas substantivas chamam-se conjunções subordinativas integrantes (em geral, que e se)

Para facilitar o reconhecimento de uma oração subordinada substantiva, você poderá substituí-la pelo pronome substantivo ISTO. Veja:

a) Ela disse o que o viu. OU Ela disse isto.

Oração

subordinada substantiva
Objetiva direta

Pronome substantivo

b) O melhor é que venhas.

Oração Subordinada substantiva Predicativa

OU
O melhor é isto.

Pronome substantivo