You are on page 1of 33

ESCOLA BÁSICA DA GAFANHA DA ENCARNAÇÃO

2º ENCONTRO DE ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO

“Comportamentos de Risco” e “Segurança na INTERNET”

25 de Março de 2011 Coutada

|

Sara

Síntese dos conteúdos

Adolescência e comportamentos de risco Comportamentos de Risco: Factores de Risco e de Protecção Os Estilos Parentais
 

Definição do conceito Os diferentes estilos e sua caracterização

Síntese Final

Adolescência

Habitualmente caracterizada por inúmeras mudanças: Biofisiológic as Cognitivas Emocionais Comportament ais Sociais .Adolescência   Fase do desenvolvimento que compreende a transição da infância para a adultez.

Comportamentos de risco Drogas Internet Álcool Agressividade e vandalismo Sexualidade .

num dado momento do desenvolvimento da pessoa podem pôr em risco o seu equilíbrio psíquico e/ou a sua correcta adaptação biopsicossocial. Socioculturais Contexto envolvente Familiares Estilo parental desaprovador/ Autoritário Estilo parental Permissivo/ Negligente Individuais Baixa auto-estima e autoconceito Locus de controlo externo Dificuldades de regulação emocional Comunicação pouco eficaz Grande necessidade de aprovação externa/ social Grupo de pares Stress familiar Conflitos familiares Recursos existentes no contexto Padrão comunicacional disfuncional .Factores de Risco São variáveis ou características internas ou externas que.

Factores de Protecção Socioculturais Familiares Estilo parental Orientador/Participativo Individuais Elevada auto-estima e auto-conceito Locus de Controlo Interno Recursos existentes na comunidade Boas interacções Assertividade e autonomia Capacidade de regulação emocional Grupo de Pares Comunicação eficaz Capacidade de resolução de problemas .

Como posso Prevenir/ Ajudar o meu filho ? .

Parentalidade…  Tarefa difícil. exigente Ninguém nasce preparado! Implica erros e frustrações mas também   alegrias e orgulho…  Não é um “dom” mas implica competências que podem ser aprendidas e treinadas! .

. pode ser compreendido como o contexto em que os pais influenciam os seus filhos através de práticas que estão de acordo com as suas crenças e valores. CONJUNTO DE ATITUDES QUE DEFINEM O AMBIENTE EMOCIONAL NO QUAL AS PRÁTICAS EDUCATIVAS SE EXPRESSAM Logo.ESTILOS PARENTAIS  O CONCEITO: PADRÃO GLOBAL DE CARACTERÍSTICAS NA RELAÇÃO ENTRE PAIS E FILHOS NUMA SÉRIE DE SITUAÇÕES.

Estilos parentais NÃO HÁ EMOÇÕES MÁS!!! ATENÇÃO IMPORTANTE É LIDAR COM AS EMOÇÕES! .

Desaprovador/ Autoritário. Orientador/ Participativo e  . Permissivo/ Negligente.ESTILOS PARENTAIS Consideramos quatro estilos parentais:    Desvalorizador.

A criança sente-se ignorada ou rejeitada quando tem emoções fortes.ESTILOS PARENTAIS Desvalorizador IGNORA AS EMOÇÕES “MÁS” “não é preciso ficares triste”. “põe um sorriso na cara” “não é assim tão mau” “não é razão para ficares triste” .

agora vamos antes ao parque.ESTILOS PARENTAIS Desvalorizador Exemplo: Criança diz: “estou triste por não ir a casa da avó…” Adulto pode responder: “Não fiques triste que vais vê-la daqui a umas semanas.” ou “Que exagero! Não é motivo para tanto! Daqui a uns dias já a vês!” .

5. Insinuar que as suas emoções não são legítimas. 3. Sugerir que a experiência de tristeza não é importante ou que não deve acontecer. . 4. Desencorajar a criança de procurar os pais quando se sente triste ou irritada. Desvalorizar e diminuir a própria criança.Estilos parentais Desvalorizador Ao desvalorizar as emoções do nosso filho estamos a: 1. Criar um padrão de desvalorização emocional que a criança aprende e imita. 2.

“Não tens razão para estar triste”. A criança sente que há algo de errado consigo quando fica triste ou chateada.Estilos parentais . “Ninguém quer um choramingas”. “Se continuares com isso vais ter problemas”. .Desaprovador AS EMOÇÕES “MÁS” SÃO PUNIDAS “Pára de sentir isso”.

. acabou! Se oiço mais um soluço vais ter problemas!”. pensando que a filha apenas quer atenção. mais choro… “pronto.Estilos parentais . quer que ela pare: “não sejas fiteira!”. A filha começa a chorar e a mãe responde “pára imediatamente. já te disse para parar!”. como se a emoção fosse uma asneira. A mãe. A criança está prestes a ser castigada (punida) por se sentir assim.Desaprovador Exemplo: Criança está zangada e prestes a chorar.

. “és um inútil. . .há uma tentativa de controlar e modelar as atitudes da criança.valorização de uma obediência absoluta.ESTILOS PARENTAIS Desaprovador Características: . não gostamos mais de ti”.são escassas ou inexistentes as manifestações de afecto.são frequentes críticas ou ameaças para exibir o comportamento esperado (ex: “se não fazes os trabalhos. recorrendo a medidas punitivas para que a criança se comporte de acordo com a sua exigência. nem sabes tirar boas notas”). pois se acredita que isso aumenta a frequência dos comportamentos indesejados. mas de forma rígida. .

Têm maiores dificuldades em confiar no seu próprio julgamento. 5.Desaprovador Os filhos de pais que desaprovam as emoções: 1. 3. 2. Têm grandes dificuldades de concentração.Estilos parentais . . 4. de aprendizagem e de relacionamento com os pares. Têm muitas dificuldades em regular as suas emoções (adaptar a sua expressão aos contextos). Têm níveis de auto-estima extremamente baixos. Podem crescer a acreditar que há algo de errado consigo.

ESTILOS PARENTAIS Permissivo EMOÇÕES SEM ORIENTAÇÃO “É isso. “O que te apetecer fazer por mim está bem”. deixa o sentimento sair”. Porém. “Não me incomoda que sintas isso”. . A criança aprende que pode expressar as todas emoções e que isso é aceitável. não aprende formas de manifestar e lidar com as mesmas. “Faz o que precisas”.

geralmente mantêm apenas a satisfação de necessidades básicas. não havendo incentivo ou encorajamento de qualquer obediência. mas sem exigências de maturidade ou responsabilidade.ausência de normas e regras.Permissivo Características: .não se envolvem nos assuntos da criança nem assumem as suas funções parentais.desresponsabilização crescente dos pais ao longo da vida da criança. .Estilos parentais .geralmente há calor afectivo e comunicação positiva. . . . .

3. Frequentemente não são capazes de se acalmar quando sentem raiva. tristeza ou irritação. .Estilos parentais .Permissivo Os filhos de pais que não orientam a expressão emocional: 1. Têm grandes dificuldades de concentração e para adquirir competências novas e mais complexas. 2. Têm menores competências de interacção social e por isso podem apresentar maiores dificuldades em iniciar e manter relações de amizade.

sendo as consequências ao longo da vida muito mais drásticas… . com baixa auto-estima e um elevado índice de depressão. psicológico. mostrando-se inseguros e infelizes. Filhos de Pais permissivos/negligentes são os que apresentam maiores fragilidades a todos os níveis. emocional e social.Estilos Parentais Consequências Filhos de Pais desaprovadores/autoritários são mais obedientes. mas com maiores níveis de ansiedade.

mas não podes bater quando te sentes zangado”. . “Também já me senti assim.ESTILOS PARENTAIS ORIENTADOR/PARTICIPATIVO EMPATIA E ORIENTAÇÃO “Diz-me como te sentes”. A criança sente-se aceite e confortável a expressar emoções e aprende que o comportamento deve ter limites mesmo quando sente emoções fortes. “Vamos pensar juntos outras coisas que podes fazer quando te sentes assim”. “Estás a sentir tristeza”.

num clima de calor afectivo.ESTILOS PARENTAIS Orientador Características: . .há um claro estabelecimento de normas e limites. em função da sua idade e motivações. .a comunicação é positiva e optimista. fazendo exigências de maturidade concordantes com as capacidades e interesses da criança. .pais que adequam as suas atitudes às especificidades da criança.

Estilos parentais . . Filho: odeio a Inês! Ela estragou o meu livro! Pai: Vejo que estás irritado. eu gritei com ela. O pai sabe que a melhor altura para ensinar a expressar as emoções é quando elas ocorrem.Orientador Exemplo: O Miguel tem 5 anos e está irritado e a chorar porque a irmã mais nova acabou de estragar o seu livro preferido. Filho: eu sei. Pareces zangado com a tua irmã e agora ela está a chorar.

Pai: Miguel. eu também ficaria se a Inês rasgasse uma página do meu livro. Consegues pensar nalguma coisa? Filho: Podemos arranjar o livro? . Achas que pode ter sido um acidente? Filho: talvez… (a sua irritação começa a acalmar) Pai: lembro-me duma vez que a tua irmã também estragou o meu telefone. eu sei que estás zangado. Fiquei tão zangado que até quis vingar-me. Precisamos de encontrar uma solução melhor. Filho: E se eu puser o peluche dela na sanita? Pai: Não me parece que fazer isso seja uma boa resposta.

Orientador: Treinador de Emoções Inicia-se com a empatia. 4. Definir limites e encontrar soluções alternativas adequadas. 1. 2. 5. Percepcionar as emoções como oportunidades para intimidade e suporte. Implica cinco passos fundamentais: Estar atento às emoções da criança. Escuta empática. 3. que implica a capacidade de valorizar. baixos níveis de intensidade emocional. . inclusivamente. partilhar as experiências emocionais da criança e orientar os seus comportamentos. Ajudar a criança a nomear as emoções. reconhecendo.

Orientador: consequências Os filhos de pais que treinam as emoções apresentam: Melhores resultados académicos Melhores competências sociais e emocionais Menos problemas de comportamento Relações mais positivas com os pares Menos afecto negativo Mais afecto positivo Mais saúde física Melhor capacidade de auto-validar as suas próprias emoções .

 Evite o criticismo ou comentários humilhantes.  Seja honesto com o seu filho.  Aproveite pequenos sucessos para potenciar a confiança do seu filho.  Identifique o que o seu filho gosta e o que não gosta.Estilos Parentais Orientador Dicas: Seja paciente.  Esteja atento às necessidades físicas e emocionais do seu filho.  Capacite o seu filho apresentando-lhe alternativas e respeitando as suas vontades.  .  Evite tomar partido quando o seu filho se sente maltratado.

. Para que isso aconteça. mesmo quando há estabelecimento de limites. A comunicação está na base de todo este processo. quando se diz “não” ou quando se corrige a criança porque comete erros.ESTILOS PARENTAIS  Premissa base para a Parentalidade: É essencial que a criança sinta que os pais a amam incondicionalmente sempre. é fundamental que estas situações sejam sempre acompanhadas de uma explicação ou reflexão conjunta.

uma vez que promove diálogo e abertura em ambas as direcções: PAIS FILHOS .Estilos parentais  A adopção de um estilo Orientador/ Participativo funciona por si só como estratégia de prevenção de comportamentos de risco.

FIM .