Nutrição e Distúrbios Alimentares

Vagner Simonin Nutricionista Mestre em Nutrição

Anorexia e Bulimia Nervosa
Ocorrência
Família de nível socioeconômico médio Conflitos não resolvidos Cultura pró-magreza Indivíduos afetados  Vulneráveis Predominante em mulheres 50% dos anoréticos desenvolvem bulimia

Características
Anorexia
Hábitos alimentares bizarros Recusa a alimentação Perda de 25 a 35 % do peso corpóreo Abuso de laxantes ou diuréticos Vômito espontâneo Exercícios físicos demasiados Distorção da imagem corpórea

Sinais físicos da anorexia nervosa
Depleção de depósitos de gordura Perda muscular Amenorréia Queliose Descamação Pele seca Hirsutismo Cabelo fino, seco e quebradiço Alopécia Degradação das unhas Acrocianose Hipotensão postural Desidratação Edema Bradicardia Bradipnéia Hipotermia Constipação Disturbios do sono

Características
Bulimia
Restrição da ingestão de alimentos Vômito forçado e/ou laxantes Excesso Usualmente mais próximos do peso normal Compulsivos Culpa sobre o ciclo de alimentação

Sinais físicos da bulimia nervosa e machucados Danos aos dentes Lábios inchados
Irritação da garganta Inflamação esofágica Vasos sanguíneos rompidos na face Sangramento retal

Sintomas específicos da bulimia nervosa renal Desidratação Dano
Desequilíbrio eletrolítico Fístulas gastrintestinais superiores Miopatias reversíveis Hipocalcemia

ANORÉTICO RESTRITO X ANORÉTICO BULÍMICO

Características
Distúrbio Compulsivo Alimentar
Excesso de alimentação
2x na semana por 6 meses Angústia marcante Pré-condição Fase de gatilho Manutenção Fase final Fase pós-alimentação em excesso

1. 2. Cinco fases 3. 4. 5.

15000 a 20000 kcal Mais comum nos que fazem dieta Freqüentemente obeso

Etiolologia
Anorexia
Descrita pela primeira vez em 1874 Sexualidade Família Mídia

Etiolologia
Anorexia
Dualidade
Distúrbio Psicológico Anorexia Distúrbio Físico Disfunção hipotalâmica ou pituitária

Etiologia
Anorexia
TMB

Atividade Causa Orgânica

Menstruação

Termorregulaç ão

Etiologia
Anorexia

Etiologia
Bulimia
Predisposição genética e fisiológica Famílias com componentes de alcoolismo e depressão Resposta boa a antidepressivos Influência da mídia

• Tratamento
• Psicoterapia
• Familiar e individual • Mudança de foco • Hospitalização  Estágio avançado • Não é eficiente sem que haja a renutrição do paciente • Psicoterapia a longo prazo  após a reabilitação

• Tratamento
• Cuidado Nutricional
• Mudar a idéia do paciente em relação aos alimentos • Depende do ritmo do paciente • Hospitalização  Desmaio, fala lenta, falta de força para realizar as atividades normais e perda muscular • Alimentação oral • Terapia enteral ou parentaral  somente se houver ameaça da vida

Objetivos para o cuidado nutricional na anorexia nervosa Nutrição parenteral em casos severos Realimentação lenta  800 – 1200 kcal  2 semanas Dietas balanceadas nutricionalmente Suplementos de vitaminas e minerais  RDA Fibra dietética  grãos Alimentação  Freqüência e Volume Visar ingestão adequada de calorias e não ganho de peso Usar suplementos somente quando o alimentos não atingir os objetivos Alimentos com temperatura / Lanches Aconselhamento nutricional interativo Ingestão de cafeína

Objetivos para o cuidado nutricional na bulimia nervosa Refeições e lanches planejados Ingestão de energia adequada  manutenção do peso Gordura e fibras  saciedade Evitar o “fazer dieta”, exercícios excessivos e estratégias associadas Minimizar recusa de alimentos “anteriormente proibidos” Manutenção e revisão dos registros dietéticos Controlar estímulos Pesar-se em intervalos agendados

Tratamento
Necessidades de energia para ganho de peso
4000 a 5000 kcal/dia  1 a 1,5 kg/semana a cada 3 ou 5 dias 5 a 30 kcal/kg/dia kcal 10 70 – 100 kcal/dia 50 kcal/kg/dia  após objetivos atingidos 30 kcal/kg/dia  manutenção de peso Não há hipercatabolismo

Prognóstico
Precocidade do tratamento mortalidade 10 – 2 % 20 – 30 % conviverão com problemas por toda vida Avaliação dos sintomas durante toda vida

Exercícios
Em relação a ocorrência de anorexia e bulimia podemos afirmar: c)Somente ocorre em classes mais pobres, devido a pouca oferta de alimentos d)A relação familiar é determinante na ocorrência destas doenças e)A cultura do modelo ideal de beleza não influencia mais nestas doenças, devido a mudança de “beleza magra” para “beleza eutrófica” f)Não há relação entre anorexia e bulimia, são doenças distintas e, logo não afetam os

“A anorexia está na moda feminina”. Esta afirmação pode ser fundamentada pelo seguinte argumento: b)A mulher é muito ligada a modismos, logo fazer uma dieta para perda de peso pode ser saudável e chique c)A anorexia atinge principalmente profissões que a magreza é tida como padrão, como exemplo tem-se as modelos. d)Esta afirmação não procede para os dias atuais, uma vez que a mulher gordinha está na moda e)O medo de perder peso é natural nas mulheres, logo esta doença é cultural entre esse grupo

Em relação ao distúrbio compulsivo alimentar, podemos afirmar que: b)Está ligado a sexualidade c)Só está caracterizado se for freqüente (2x na semana) em 4 meses d)Geralmente ocorre em obesos, todavia a ingestão calórica não passa de 2000 kcal e)Caracteriza-se por eventos de alto consumo alimentar chegando

São sinais físicos da bulimia nervosa: c)Dor de dente, miopia e magreza d)Lábios inchados e anasarca e)Lábios inchados e danos nos dentes f)Períodos de obesidade e magreza

Em relação ao tratamento da anorexia nervosa, podemos afirmar que: b)A ingestão calórica deve começar imediatamente em torno de 5000 kcal, decaindo conforme o tempo de tratamento c)O tratamento nutricional deve começar com um consumo inicial de 30 kcal/kg/dia aumentando gradativamente para 100 kcal/kg/dia. Para a manutenção do peso deve-se diminuir essa ingestão gradativamente para 30 kcal/kg/dia d)O anabolismo do anorético é acelerado, logo uma ingestão de 30 kcal/kg/dia é o suficiente para o ganho de peso. e)Estudos mostram que a ingestão de 70 kcal/kg/dia está ligada a manutenção do peso. Todavia esta deve ser de consistência líquida ou semi-líquida

São sintomas da bulimia nervosa: b)Hepatite e gastrenterite c)Fístulas gastrintestinais superiores e Hipercalcemia d)Hipocalcemia e distúrbio eletrolítico e)Hiperhidratação e dano renal

Sobre o tratamento nutricional na bulimia nervosa não podemos afirmar que: b)A ingestão de 25kcal/kg diárias é suficiente para a manutenção do peso corporal c)O registro dietético é uma boa ferramenta para auxiliar no tratamento nutricional d)Deve-se estimular a manutenção da dieta anteriormente seguida, estimulando o consumo dos alimentos anteriormente ditos

A etiologia da anorexia nervosa ainda não está totalmente elucidada. Essa afirmação pode ser fundamentada por algumas das afirmativas abaixo, portanto, para as verdadeiras marque V e para as falsas, F. ( ) Possui uma dualidade, uma vez que está ligada a distúrbios psicológicos e físicos, como a disfunção da paratireóide de do hipotálamo ( ) As mudanças típicas nas funções corpóreas, como a termorregulação, menstruação, taxa metabólica basal e atividade, levam à especulação que este distúrbio pode ter uma causa orgânica ( ) A disfunção hipotalâmica e outras alterações endócrinas podem ser secundárias a inanição, desnutrição ou doença psiquiátrica