MODA E CINEMA

Profª Ms. Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012.1

MODA E CINEMA Profª Ms. ainda que permanecendo essencialmente o mesmo – contínuo ou “idêntico”. O centro essencial do eu era a identidade de uma pessoa. Nascia com ele e se desenvolvia. dotado das capacidades da razão.MODA E IDENTIDADE Três concepções de identidade Sugeito do Iluminismo: Estava baseado numa concepção da pessoa humana como um indivíduo totalmente centrado. de consciência e de ação. unificado.1 . Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012.

O sujeito ainda tem um núcleo ou essência interior que é o “eu real”. mas era formado na relação com as outras pessoas importantes para ele.1 . A identidade é formada na “interação”entre o eu e a sociedade. sentidos e símbolos – a cultura – dos mundos que ele/ela habitava. MODA E CINEMA Profª Ms. que mediavam para o sugeito os valores. mas este é formado e modificado num diálogo contínio com os mundos culturais “exteriores”e as identidades que esses mundos oferecem.MODA E IDENTIDADE Três concepções de identidade Sugeito sociológico: Refletia a crescente complexidade do mundo moderno e a consciência de que este núcleo interior do sujeito não era autônomo e autosuficiente. Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012.

Composto não de uma única. Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012.MODA E IDENTIDADE Três concepções de identidade Sugeito pós-moderno: As coisas agora estão mudando…. está se tornando fragmentado. mas de várias identidades. previamente vivido como tendo uma identidade unificada e estável. algumas vezes contraditórias ou não resolvidas. O sujeito.1 . MODA E CINEMA Profª Ms.

essencial e permanente. tornou-se mais provisório. O Sujeito assume identidades diferentes em diferentes momentos. Esse processo produz o sujeito pós-moderno. estão entrando em colapso. através do qual nos projetamos em nossas Identidades culturais. conceptualizado como não tendo uma identidade fixa. como resultado de mudanças estruturais e institucionais.MODA E IDENTIDADE Três concepções de identidade Sugeito pós-moderno: As identidades que compunham as paisagens sociais “lá fora” e que asseguravam nossa conformidade subjetiva com as “necessidades” objetivas da cultura.1 . O Próprio processo de identificação. variável e problemático. Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012. Identidades que não são unificadas ao redor de um MODA E CINEMA “eu”. Profª Ms.

1 . resultando nas identidades abertas. fragmentadas do sujeito pósmoderno. inacabadas. MODA E CINEMA Profª Ms. foi descentrado. Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012. visto como tendo uma identidade fixa e estával. contraditórias.MODA E IDENTIDADE Três concepções de identidade Sugeito pós-moderno: O Sujeito do iluminismo.

A princípio. MODA E CINEMA Profª Ms.MODA E IDENTIDADE Ainda sobre identidade… Ciampa afirma que “no seu conjunto. p.1 . cada uma por ela”(1987. 127). ao mesmo tempo que são constituídas. as identidades constituem a sociedade. porém não acreditamos que um traço estático e imutável possa definir alguém de imediato. o nome próprio tem como função identificicar um sujeito. assim como o sobrenome nos iguala a eles. Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012. Seu objetivo inicial é nos diferenciar de nossos familiares. O nome próprio é apenas uma representação de nossa identidade – uma griffe de nós mesmos.

MODA E CINEMA Profª Ms. estão especialmente os papeis sociais. O INDIVÍDUO NÃO MAIS É ALGO: ELE É O QUE FAZ = Identidade que é re-posta.1 . Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012. entre elas. A identidade que no início era rotulada por um nome próprio adquire novas predicações.MODA E IDENTIDADE Ainda sobre identidade… Então revelamos um dos segredos da Identidade: ELA É A ARTICULAÇÃO DA DIFERENÇA E DA IGUALDADE.

estéticas e psicológicas. parecem consequentemente preencher um certo número de funções sociais. Surge também a fragmentação do homem que passa a cofundir identidade com papéis sociais. Essa crise é fundamentada pela abundância de opções que as pessoas têm a disposição. de uma maneira geral. MODA E CINEMA Profª Ms.1 . elas juntam-nas e expressam-nas todas simultaneamente” Nas sociedades ocidentais modernas não existe roupa fora de moda. a “crise de identidade”é o mal do homem moderno. linguagem e identidade Segundo Wilson (1985 apud Embacher. Para Lash (1990). Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012.MODA E IDENTIDADE Moda. a moda estabelece os termos de todos os comportamentos em relação ao modo de vestir. 1996) “às roupas.

a moda era em grande parte só para os ricos mas. porque por um lado podemos expressar nosso individualismo e por outro temos um temos de não sermos capaz de sustentar essa autonomia do eu. Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012. com a moda produzida em massa. “Na sua origem . linguagem e identidade Nesse cenário. auxiliar-nos nessa questão. muitas vezes. a partir do período industrial. a identidade passa a ser um dos principais problemas. a produção em massa do vestuário de moda tornou possível a utilização da moda como meio de AUTO-AFIRMAÇÃO e de AUTO-EXPRESSÃO para a maioria das pessoas”.MODA E IDENTIDADE Moda.1 . O Vestuário pode. Segundo Wilson. Mas isso só é possível na sociedade atual. “podemos encarar o vestuário da moda no mundo ocidental como um meio através do qual um eu sempre fragmentado é unificado e aparenta uma certa identidade. MODA E CINEMA Profª Ms.

ao permitir que o indivíduo se confunda com o grupo e desapareça num todo maior que lhe dá apoio e segurança”. a identidade é metamorfose. faz parte da trama que liga o nosso organismo cultural. “A moda é um dos instrumentos mais poderosos de integração e desempenha uma fúnção niveladora importante. o ser-por-si. construida a partir das relações sociais onde o indivíduo busca a auto-determinação.MODA E IDENTIDADE Moda.1 . MODA E CINEMA Profª Ms. linguagem e identidade Segundo Mello e Souza (1987). Ela é essencial para o mundo atual. um movimento contínuo. Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012. Para Ciampa (1987) .

ao se livrar da reificação de papeis. mas que por um poder maior de reflexão e de auto-determinação.1 . a individualidade.a mesmidade? MODA E CINEMA Profª Ms. passa de “escravo da moda”para “escravo de si mesmo”. linguagem e identidade É possível pensar um sujeito com um estilo próprio? Um sujeito cuja maneira de se vestir acompanhe o movimento da identidade metamorfose? Um sujeito que não busque apenas a diferenciação.MODA E IDENTIDADE Moda. Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012.

1 . Bárbara Gollner Núcleo de Design – UFPE-CAA 2012. capaz de expressar a mesmidade do sujeito. ou seja. linguagem e identidade Então… Como o vestuário participa da construção da identidade e é por ela constituído? É possível pensar em um estilo próprio.MODA E IDENTIDADE Moda. a sua identidade metamorfose? MODA E CINEMA Profª Ms.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful