Autismo – Turma da Mônica

Diagnóstico em bebês e crianças e desenho animado.

Autismo – História

Descrito pela primeira vez em 1943 por KANNER no artigo “Distúrbios Autísticos do Contato Afetivo”.

Em 1944 ASPERGER descreveu em “Psicopatologia Autística da Infância”. Nas décadas de 50 e 60 foi comum a hipótese de “Mãe Geladeira”.

* Ainda na década de 60 evidenciava-se que o autismo era um transtorno cerebral presente desde a infância e encontrado em todos os países e grupos socioeconômicos e etnico-raciais.

Na década de 80 o autismo foi incluído como Transtorno Invasivo do Desenvolvimento no DSM-III-R.

O termo Transtorno Invasivo do Desenvolvimento foi adotado em seguida pelo CID-10 na classificação do autismo.

Autismo – Características

DSM IV - Características Diagnósticas

As características essenciais do Transtorno Autista são a presença de um desenvolvimento acentuadamente anormal ou prejudicado na interação social no comportamento e na comunicação e um repertório marcantemente restrito de atividades e interesses. As manifestações do transtorno variam imensamente, dependendo do nível de desenvolvimento e idade cronológica do indivíduo.

Podendo assim haver anormalidades no desenvolvimento das habilidades cognitivas. em geral na faixa moderada (QI de 35-50). existe um diagnóstico associado de Retardo Mental.  . Aproximadamente 75% das crianças com Transtorno Autista funcionam em um nível intelectual inferior à média.Autismo x Deficiência Mental Características e Transtornos Associados  Na maioria dos casos.

incluindo hiperatividade.Características e Transtornos Associados  Os indivíduos com Transtorno Autista podem apresentar uma gama de sintomas comportamentais. particularmente em crianças mais jovens. impulsividade.. reações exageradas à luz ou a odores. fascinação com certos estímulos) podem ser observadas. agressividade. Pode haver anormalidades na alimentação (por ex. despertar noturno com hiperatividade extrema).. acessos de raiva. comportamentos auto-agressivos e. limitação a poucos alimentos na dieta) ou no sono (por ex.  Respostas incomuns a estímulos sensoriais (por ex. hipersensibilidade aos sons ou ao ser tocado. alto limiar para a dor. . desatenção.

bater a cabeça ou morder os dedos. risadinhas ou choro sem qualquer razão visível. Pode haver ausência de medo em resposta a perigos reais e temor excessivo em resposta a objetos inofensivos. uma aparente ausência de reação emocional(não chora e/ou não reage ao apanhar de um colega. Uma variedade de comportamentos autolesivos pode estar presente (por ex.. . p. mãos ou pulsos).Características e Transtornos Associados  Anormalidades do humor ou afeto (por ex.) podem estar presentes.ex..

e o TID não totalmente explicado  Seu sinal mais comum é o déficit de interação social associado aos déficits de comunicação verbal e não-verbal e a comportamentos estereotipados e repetitivos.Espectro  Transtorno do desenvolvimento com diversas apresentações clínicas que variam de gravidade (leves a profundos) denominadas de transtorno do espectro autista. .    Asperger Síndrome de Rett Transtorno desintegrativo da infância ( antigo Heller).

não existem atrasos clinicamente significativos na linguagem (isto é.Espectro  As características essenciais do Transtorno de Asperger são um prejuízo severo e persistente na interação social e o desenvolvimento de padrões restritos e repetitivos de comportamento. ocupacional ou outras áreas importantes de funcionamento  Contrastando com o Transtorno Autista. palavras isoladas são usadas aos 2 anos. interesses e atividades. . frases comunicativas são usadas aos 3 anos). A perturbação deve causar prejuízo clinicamente significativo nas áreas social.

Espectro  A fala lúcida aparece antes de idade 4 anos. comportamento adaptativo (outro que não na interação social) e curiosidade acerca do ambiente na infância  .O tom de voz tende a ser plano e emotionless . . . não existem atrasos clinicamente significativos no desenvolvimento cognitivo ou no desenvolvimento de habilidades de auto-ajuda apropriadas à idade.As conversações revolvem ao redor do ego Além disso. a gramática e vocabulário normalmente são muito bons .A fala às vezes é formal e repetitiva .

Pensamento concreto (contra o abstrato) COMPORTAMENTO . problemas de escrita e dificuldade com matemática .Obcecado com tópicos complexos . mas exibições de interação recíproca imprópria.Autismo de alto funcionamento Asperger COGNIÇÃO ( APRENDIZAGEM ) . . varia nos indivíduos do espectro .socialmente atento.O Q. . etc. muitos abaixo do normal na habilidade verbal e acima da média em habilidades de desempenho .I.Falta “bom senso”. música . história . . como padrões . . .movimentos tendem a ser desajeitados . .Muitos têm dislexia.Freqüentemente descrito como excêntrico.

CD – Turma da Mônica Pianista Asperger  .

o crescimento craniano se desacelera . O interesse pelo ambiente social diminui nos primeiros anos após o início do transtorno. entre os 5 e os 30 meses de idade. Existe também. severo prejuízo no desenvolvimento da linguagem expressiva ou receptiva. Os indivíduos têm um período prénatal e peri natal aparentemente normal com desenvolvimento psicomotor normal durante os primeiros 5 meses de vida. Aparecem problemas na coordenação da marcha ou movimentos do tronco. Entre os 5 e os 48 meses. uma perda das habilidades voluntárias anteriormente adquiridas das mãos. O perímetro cefálico ao nascer também está dentro dos limites normais. . com severo retardo psicomotor.Síndrome de Rett A característica essencial do Transtorno de Rett é o desenvolvimento de múltiplos déficits específicos após um período de funcionamento normal durante os primeiros meses de vida. com desenvolvimento subseqüente de movimentos estereotipados característicos. que se assemelham a torcer ou lavar as mãos. Ocorre também. embora a interação social possa freqüentemente se desenvolver mais tarde.

o Transtorno de Rett caracteriza-se por um severo prejuízo no desenvolvimento da linguagem expressiva e receptiva . existe um padrão característico de desaceleração do crescimento craniano. períodos de regressão no desenvolvimento podem ser observados após o desenvolvimento normal. porém não tão severos ou tão prolongados quanto no Transtorno de Rett.Síndrome de Rett x Autismo Típico No Autismo. No Transtorno de Rett. Contrastando com o Transtorno de Asperger. perda de habilidades manuais voluntárias adquiridas anteriormente e aparecimento de marcha e movimentos do tronco incoordenados.

* controle intestinal ou vesical. * jogos ou habilidades motoras. interesses e atividades.Infância – Síndrome de Heller A característica essencial do Transtorno Desintegrativo da Infância é uma regressão pronunciada em múltiplas áreas do funcionamento. . Existe um prejuízo qualitativo na interação social e na comunicação e padrões restritos. após um período de pelo menos 2 anos de desenvolvimento aparentemente normal. a criança sofre uma perda clinicamente significativa de habilidades já adquiridas em pelo menos duas das seguintes áreas: * linguagem expressiva ou receptiva. jogos e comportamento adaptativo apropriados à idade. relacionamentos sociais. repetitivos e estereotipados de comportamento.D.T. * habilidades sociais ou comportamento adaptativo. Os indivíduos com este transtorno exibem os déficits sociais e comunicativos e aspectos comportamentais geralmente observados no Transtorno Autista. O desenvolvimento aparentemente normal é refletido por comunicação verbal e não-verbal. Após os primeiros 2 anos de vida (mas antes dos 10 anos).

000 indivíduos.  Incidência maior em meninos.Prevalência  Os estudos epidemiológicos sugerem taxas de Transtorno Autista de 2-5 casos por 10. cerca de 4 meninos para 1 menina.  . Causas ainda não totalmente conhecidas (genética/alimentar/infecciosa etc).

p.)  Apresentam desde seus primeiros anos de vida uma incapacidade acentuada de desenvolver relações pessoais sendo esta já observada com a figura materna . o início do Transtorno Autista ocorre antes dos 3 anos de idade. os pais relatam sua preocupação com a criança desde o nascimento desta ou logo após. Em alguns casos.Características    Por definição. permanecendo sem linguagem ou mostrando peculiaridades na fala que impedem ou dificultam em muito a comunicação – linguagem não funcional. Normalmente faz parte do histórico de uma criança autista a desconfiança inicial dos pais de que o filho seja surdo ou tenha problemas sérios de audição. em vista de sua falta de interesse pela interação social. Não adquirem linguagem como crianças normais.ex. (ecolalia.

Características    Apresentam comportamentos estereotipados em vários níveis desde movimentos simples de corpo a complexos rituais de seqüência de comportamentos (comportamentos não funcionais). permanecendo com conduta rígida. . Ausência de uma atitude de antecipação. Segundo Ajuriaguerra e Marcelli (1991) os principais marcos do despertar psicomotor do primeiro ano de vida estão modificados: ausência do sorriso social (terceiro mês) e ausência de reação de angústia diante do estranho (oitavo mês).

podem não procurar ser acariciadas e não esperar ser reconfortadas pelos pais quando têm dor ou quando têm medo. ignorando-os e não reagindo à afeição e ao contato físico. Entretanto outras mantêm um contato visual dando a impressão de que seu olhar “atravessa”a outra pessoa. . sua mão ou um detalhe do vestuário.Características   Pode ser indiferente aos outros. Às vezes se interessam por uma parte do outro. Em algumas ocorre uma falta de contato visual (mãe/objeto etc).

.Características  Inaptidão para brincar em grupo ou para desenvolver laços de amizade. não participam de jogos cooperativos .Normalmente. pouca simpatia ou pouca empatia por outros (podendo desenvolver ou aprender (??)melhorias nas relações interpessoais. mostrando pouca emoção.

.

Pensamento: * Inabilidade em dar sentido às suas experiências (falta do conceito de sentido não estabelecendo uma relação entre idéias e eventos). máquinas etc). pequenos pedaços no chão etc. em sua maioria. menos capazes de acessar a importância relativa dos detalhes observados. (p. . Alguns notam outros detalhes sensoriais (som do ventilador.). *Foco excessivo em detalhes.Padrões Cognitivos e Comportamentais do Autista. porém são. especialmente os visuais (fios de linha. ao atravessarem a rua). se concentram no fio de linha balançando à sua frente e não percebem a aproximação de um ônibus chegando.ex.

. * Grande dificuldade de interpretar e priorizar a importância da estimulação externa e de pensamentos que os “bombardeiam”. * Mudam rapidamente seu foco de atenção de uma sensação para outra.Padrões Cognitivos e Comportamentais do Autista. contar. etc). * Se concentram em sensações produzidas por estimulação interna ou por processos cognitivos (rimar. Distratibilidade: * Fontes de distração normalmente são visuais.

particularmente quando estes conceitos parecem ser de alguma forma contraditórios. Dificuldade em Combinar ou Integrar Idéias: * É mais fácil para pessoas com autismo entender fatos ou conceitos isolados do que combinar conceitos ou integrá-los com informações relacionadas a este. Cada palavra significa “apenas uma coisa”. não tendo conotações adicionais ou associações subjacentes. 15) .Padrões Cognitivos e Comportamentais do Autista. pag.(Jovem no camping. Pensamento Concreto: * Apresentam maior dificuldade com conceitos lingüísticos simbólicos ou abstratos do que com fatos e descrições objetivos.

não entenderam a relação entre as etapas ou o sentido destas etapas em relação ao objetivo final. Dificuldade em Organizar e Seqüenciar: Estes problemas estão relacionados com a dificuldade geral de integrar múltiplas informações.). As habilidades de organização são difíceis para pessoas com autismo porque demandam ao mesmo tempo a habilidade em concentrarse tanto na tarefa imediata quanto no resultado almejado. etc. sobrepor duas fatias de pão e uma de carne por cima. Demonstram que apesar de ter dominado as etapas isoladas de um processo complexo.Padrões Cognitivos e Comportamentais do Autista. (Escovação dos dentes em todas as etapas que isso envolve) . Seqüenciar é difícil por demandar habilidades similares. (Levantar pela manhã pentear o cabelo antes de tomar banho e lavar o cabelo no banho.

Esfregar cabelo 7.Esfregar cabelo 10.Lavar rosto 12.Vestir .Entrar no chuveiro 5.Passar cabelo por água 11.Lavar corpo 14.Passar cabelo na água 8.Colocar creme na mão 9.Molhar cabelo e rosto na água 6.1 .Abrir água 3.Passar água no corpo 15.Passar rosto na água 13.Colocar shampoo na mão 4.Secar corpo Secar rosto Secar cabelo 16. Tirar a roupa 2.

mas tem grande dificuldade em transferi-las para outra situação. Dificuldade em Generalizar: Pessoas com autismo com freqüência aprendem habilidades ou comportamentos em uma situação. Aprender a escovar os dentes com uma escova de dentes AZUL e depois conseguir repetir o mesmo processo usando uma escova de dentes VERDE . Lavar pratos e utilizar o mesmo processo para lavar copos.Padrões Cognitivos e Comportamentais do Autista.

Forte Impulsividade: Pessoas com autismo são freqüentemente extraordinariamente persistentes em buscar coisas que eles desejam. não importando que estas sejam objetos preferidos.Padrões Cognitivos e Comportamentais do Autista. experiências ou sensações. controlar e canalizar estes comportamentos é o maior desafio. Direcionar. .

Uma dose desta ansiedade é provavelmente atribuível a fatores biológicos.Padrões Cognitivos e Comportamentais do Autista. . A ansiedade e a agitação são reações compreensíveis diante desta constante incerteza.Por causa de seus déficits cognitivos os autistas têm dificuldade em entender o que é esperado deles e o que está acontecendo ao seu redor. Ansiedade Excessiva: Muitas pessoas com autismo tendem a apresentar altos níveis de ansiedade. Além disso ela pode ser resultado de constantes confrontações com um ambiente visto como “imprevisível e opressivo”.

. - Ainda: Preferências alimentares bastante incomuns. Todos os itens acima fazem parte das “Anormalidades Sensório-perceptuais” presentes no Autismo... - . ..Olhar os dedos em movimento.Escolhem se balançar por horas.Parecem não sentir dor.Sentir as vibrações produzidas por um “tapa no ouvido”.com um padrão repetitivo.Padrões Cognitivos e Comportamentais do Autista. . . .

.  Atualmente o Teacch é adotado em escolas públicas em vários estados americanos e em instituições por todo o mundo. Crianças eram colocadas em internatos longe dos pais (maléficos) A PARTIR DA DÉCADA DE 60: Déficit social visto como um aspecto do autismo (e não sua causa) Pais “normais” Construção de um programa psicoeducacional a participação ativa dos pais (co-terapeutas) e profissionais.História do TEACCH   TEACCH –  Treatment na Education of Autistic and related Comunication handicapped Children. Até a década de 60 o autismo era considerado: Uma estranha e obscura doença psiquiátrica ou  Uma forma precoce de esquizofrenia  Conseqüência de um isolamento social Diagnóstico era feito em centros psiquiátricos e haviam muitas discordâncias.

Linguagem Receptiva. com a finalidade de avaliar habilidades e déficits de crianças autistas. Apoiar o autista em seu desenvolvimento visando o máximo de AUTONOMIA possível Ajudar o autista a compreender o mundo que o cerca ensinando habilidades de COMUNICAÇÃO. Imitação. assim como seu nível de desenvolvimento em 5 diferentes áreas funcionais: Prontidão. . COMO ???? Entendendo a avaliação como a melhor ferramenta para a seleção de estratégias pedagógicas que deverão ser estabelecidas individualmente o TEACCH criou o PEP (Schopler e Reichler – 1976) atualmente denominado PEP-R (Perfil Psicoeducacional Revisado). RELACIONAMENTO e ESCOLHA (até onde for possível). Linguagem Expressiva e Acadêmica.Objetivos do TEACCH    Desenvolvimento da COMUNICAÇÃO e da INDEPENDÊNCIA através da educação.

 . Serve de base para o desenvolvimento de um plano pedagógico individualizado de cada aluno da instituição tendo por norte a potencialidade facilitadora e eficiente do ensino estruturado (segundo Teacch) e sua capacidade de ajudar o aluno autista a superar seus déficits e a ser bem sucedido em seu processo de aprendizagem. das que estão em processo de aquisição e das que ainda realmente não foram conquistadas.A “Avaliação Informal”.  Na APAE de Ipatinga utilizamos a “Avaliação Informal”com itens baseados no PEP-R capazes de proporcionar um levantamento das habilidades já adquiridas pelo aluno autista.

  . com fome ou com dor – birras e agressões.ex. Dificuldades na comunicação expressiva:Não conseguindo se comunicar quando cansado.   Dificuldades na memória seqüencial:Podem não reter na memória seqüência de eventos – não saber qual atividade é a próxima.Déficits Autistas e seus possíveis efeitos:  Dificuldades na linguagem receptiva: A maioria dos alunos autistas da sala de aula convencional. não compreende a linguagem tanto quanto possa pensar o professor – falta de iniciativa. Hiper sensibilidade sensorial: Coisas ou barulhos corriqueiros podem fazêlos perder o controle ou distrair-se facilmente. problemas de comportamento p. Falta de interação social: Não se motiva simplesmente pela vontade de agradar ao professor ou para receber elogios. mesmo já tendo realizado a mesma atividade por várias vezes anteriormente.

estruturar fisicamente o ambiente de aprendizado da criança autista. pode aliviar os efeitos desses déficits e suas conseqüências no aprendizado dessas crianças. .Déficits Autistas e seus possíveis efeitos:  Assim. de acordo com seu nível de compreensão.

informações desnecessárias e estímulos que possam desviar a atenção da criança devem ser evitados Pode ter crianças com níveis de desenvolvimento diferentes. Deve contemplar áreas de: - Aprendizado (Mesa) Trabalho Independente (Mesa) Descanso ou Lazer Rotina Diária/Programa Visual (Comunicação Alternativa) . desde que tenha uma estrutura adequada que ofereça a cada uma a oportunidade de aprender de acordo com suas próprias potencialidades.Estrutura TEACCH  Sala de Aula Deve ser estruturada de forma visualmente clara.

Os materiais devem ser adequados e as atividade apresentadas de modo que o aluno consiga entender a proposta visualmente. O programa deve levar em conta que o aluno precisa aprender em pequenos passos inclusive a aumentar a sua tolerância ao tempo de trabalho.   .Estrutura TEACCH  Todas essas áreas devem ser distinguidas claramente. A rotina ou a seqüência de atividades deve encontrar-se disponível de modo claro para cada aluno bem como a forma de transição entre uma atividade e outra.

Estante de Atividades .

.

.

.

.

na seqüência em que ocorrerão. Em geral cada criança vai até sua foto no painel de rotina.Estas representações podem ser objetos (fixados com velcro auto-colante).Programação Visual  As atividades de cada aluno da sala no período são apresentadas visualmente de acordo com o nível da criança. Crianças mais habilidosas podem utilizar agendas convencionais. marcando assim a transição. A forma mais comum de programação visual é um painel geral colocado na horizontal ou na vertical em local de fácil visualização contendo a foto da criança acompanhada de seu símbolo e de representações das atividades de seu dia escolar.   . vai até o local de trabalho (ou lazer) e coloca a referência no local adequado (check-in). pega a referência de sua atividade. fotos ou tiras escritas. desenhos esquemáticos.

.

.Programa Visual – Educação Física segundo Teacch.

Aprender a resistir por tempos mais longos de trabalho também é um aprendizado importante.somente.a classificar 2 peças de cada cor. depois 3 e assim por diante.: Se a criança aprende a atividade de classificar cores. aos poucos. Porém.  Todo novo conhecimento é introduzido individualmente pelo professor. . p.Mesa de Aprendizado.ex. Tem também a função de ensinar à criança a fazer uma atividade repetida por um número maior de vezes. Inicialmente ela deverá trabalhar com 2 cores e 1 peça de cada cor.nessa mesa. na mesa do aprendizado. ela deverá passar.

.

Organizar a mesa e os materiais de modo a indicar ao aluno CLARAMENTE o que ele deve fazer Não apresentar um número grande de materiais ao mesmo tempo Estar certo de que as indicações utilizadas são adequadas para o nível e estilo de aprendizado do aluno As indicações devem ser apresentadas antes que o aluno responda de forma incorreta (APRENDIZAGEM SEM ERROS) O local de trabalho deve ser montado de forma que o aluno não receba falsas indicações. Deve estar atento em utilizar a linguagem verbal de acordo com o nível de compreensão de cada criança.Mesa do Aprendizado  - - Questões a serem consideradas: O professor deve preocupar-se em conseguir a atenção da criança antes de dar instruções. .

Deve utilizar uma hierarquia de procedimentos para ensinar uma determinada atividade a um aluno: 1 2 3 4 – – – – a estrutura dos materiais indica a atividade a ser realizada demonstração feita pelo professor Apoio verbal do professor Apoio físico   .Mesa do Aprendizado  Prestar atenção para que a resposta que o aluno recebe a erros ou comportamentos inadequados seja clara. O aluno deve ter sempre à sua disposição recursos para pedir ajuda quando necessário.

    . sem lugar à dúvida. O professor deve ter fácil acesso visual às áreas de trabalho de cada aluno Cada aluno deve ter definido o lugar onde guardar o trabalho terminado (mais ou menos comprometidos) As atividades de trabalho independentes devem estar disponíveis ao lado das áreas de trabalho e sempre com indicações para que os alunos possam localizá-las (símbolos).Mesa de Trabalho Independente  As áreas de trabalho devem ser marcadas de forma que o aluno possa dirigir-se a elas sozinho. As fronteiras entre as áreas devem ser claras. assim os trabalhos a serem realizados devem ser imediatamente reconhecidos.

.

Mesa de Trabalho Individual/Independente Painel de Rotina Agenda Check-in .

.

.

I.I. . no painel de rotina realiza o check-in na M. fotos) das tarefas a serem executadas e por último a representação do painel (PAINEL DE ROTINA)para que.  A M. figuras. como se inicia a atividade.T. pois muitas vezes entendendo o que deve ser feito e o que se espera dela.I.O conceito de independência está estritamente relacionado ao de comunicação.e só após inicia as atividade da agenda. há um pequeno painel (CHECK-IN)onde a criança após ter retirado o símbolo de M. típica tem um painel à sua frente (AGENDA) com as representações (objetos. a criança é capaz de trabalhar de forma eficiente e independente.Mesa de Trabalho Independente  Nessa mesa o aluno exercita a sua capacidade de trabalhar e organizar-se de forma independente. Ainda na M. terminada a atividade a criança retorne a ele para ver o que fará a seguir. o que fazer. quando terminou e o que fazer após o término.I.T.T.T.

Mesa de Trabalho Independente  Crianças mais comprometidas podem ter estrutura diferente nessa mesa. p.ex. executa a atividade e coloca a atividade executada na cesta de pronto do lado direito.uma prateleira à esquerda com uma cesta de atividades e uma caixa de pronto à direita da criança. Assim ela pega a primeira cesta do lado esquerdo. A ultima cesta de atividades deve conter uma referência de retorno ao painel de rotina. .

. de onde começa a atividade.Estruturação de Atividades e Materiais  Deve dar uma indicação clara para a criança da tarefa a ser executada.  Deve ser estruturada a fim de facilitar que a criança trabalhe sempre da esquerda para a direita e de cima para baixo que são as direções naturais da escrita e se necessário a atividade deve conter um modelo da tarefa pronta. o que fazer e de quando a atividade estará terminada.Esta tarefa já deve ter sido aprendida na Mesa do Aprendizado.

. Deve-se observar o bom estado dos matérias.Estruturação de Atividades e Materiais   Os materiais devem ser os mais concretos possíveis e uma vez montados pela criança não devem ser desmontados facilmente. A CRIANÇA REALIZA A ATIVIDADE MAS NÃO DEVE DESMONTÁ-LA.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

com outro aluno ou com o professor O descanso é o intervalo entre uma atividade e outra e o número de intervalos deve ser avaliado de acordo com a tolerância de cada aluno ao trabalho O tempo de descanso deve também ser avaliado individualmente para cada aluno não devendo porém ser longo. Devem ser oferecidos brinquedos do interesse de cada aluno (revistas. bonecos (as) etc. cartões.Área de Descanso ou Lazer  Deve ser distinguida claramente das áreas de trabalho   A criança pode brincar sozinha.   . tampinhas. legos.

.

.

.

.

CHECK-IN da área de descanso.

Rotina Diária

Devem ser tomados todos os cuidados para que a rotina diária seja adequada. A rotina diária deve estar definida claramente para o professor e para cada aluno (painel de rotina). A forma de comunicar a rotina ao aluno é muito importante e deve ser compreensível a ele. A forma de comunicar a rotina deve servir de apoio para as transições indicando claramente aonde ir, o que fazer e quando começa e termina uma atividade.

Postura Profissional
  

O ambiente da sala deve ser o mais claro e agradável possível Pode-se trabalhar com música ambiente desde que seja calma ou orquestrada. Os adultos da sala devem falar o mínimo possível, usar tons de voz baixos e palavras pausadas e com significado o mais concreto possível. Por ter déficit de comunicação, é comum ao autista não compreender as frases do adulto, ficar confuso e em função disso agitar-se. Uma prática profissional para a comunicação verbal com crianças autistas é falar próximo à criança e se ela não entender, depois de repetir a fala pela segunda vez, apoiar fisicamente a criança para que ela execute corretamente a ordem solicitada.

Postura Profissional  É importante ainda organizar um sistema de registro de atividades e desempenho diário. os problemas e as buscas de soluções. . a fim de acompanhar a evolução da criança e poder compartilhar com a família os sucessos.

até o português e a matemática. programas de ABVD’s. sempre partindo de tarefas mais simples para as mais complexas. por isso é imperioso trabalharmos. Dentro do programa Teacch é imprescindível o registro dos dados de desempenho dos alunos para que possa ser realizado um acompanhamento do aprendizado e de sua consolidação. classificação. Áreas devem ser exploradas desde o emparelhamento. Treino Motor e Comunicação Expressiva e Receptiva. ordenação. mas também o desenvolvimento de sua autonomia.Programa Pedagógico – Considerações Finais  Um programa pedagógico para autistas deve cobrir habilidades acadêmicas na medida do potencial de cada criança.   . (Ver exemplos impressos). Devemos nos preocupar não apenas com o desenvolvimento psicopedagógico do indivíduo. além das habilidades acadêmicas.

Referências Bibliográficas  SCHOPLER. M. Erick et al. Walter Camargos e col.. Transtornos Invasivos do Desenvolvimento 3* Milênio . César. & Marcus. Desenvolvimento Psicológico e Educação: Transtornos do Desenvolvimento e Necessidades Educativas Especiais. Brasília: CORDE. Lansing.. L. Texas: Proed. 2004. Bashford. Porto Alegre: Artmed. R. JUNIOR.. A.M. org. Psychoeducational Profile Revised (PEP-R). Álvaro & PALÁCIOS. Jésus..D. 2ª edição. Reichler. 2* edição. 2005  . J. MARCHESI. 1990   COLL.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful