UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO-UEMA CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE CAXIAS CURSO DE MEDICINA DISCIPLINA: SAUDE DO ADULTO E IDOSO PROF

. DR. JORGE LUIS MONTOYA

Prevenção de Violência e Acidentes

Thiago do Vale

Introdução
  

Os acidentes e as violências no Brasil configuram um problema de saúde pública; Forte impacto na morbidade e na mortalidade da população; POLÍTICA NACIONAL DE REDUÇÃO DA MORBIMORTALIDADE POR ACIDENTES E VIOLÊNCIAS; Resultam de ações ou omissões humanas e de condicionantes técnicos e sociais.

emocionais. classes. que ocasionam danos físicos. morais e ou espirituais a si próprio ou a outros (Minayo e Souza. nações. grupos. 1998) .Violência é o evento representado por ações realizadas por indivíduos.

mulher e idoso repercutem no perfil de morbidade. violência psicológica e violência institucional. Fortes pressões socioeconômicas. Ambiente sociocultural complexo e exigente. adolescente. O uso abusivo de bebidas alcoólicas.       Agressão física. abuso sexual. Criança. . Educação rígida e punitiva. Os homens sofrem mais violência que levam a óbito.

Acidente é entendido como o evento não intencional e evitável. da escola. de esportes e o de lazer. causador de lesões físicas e ou emocionais no âmbito doméstico ou nos outros ambientes sociais. como o do trabalho. . do trânsito.

1995) – sob a denominação de causas externas. 1985 e OMS. Conjunto de eventos consta na Classificação Internacional de Doenças – CID (OMS.  Conjunto de agravos à saúde. que pode ou não levar a óbito. . no qual se incluem as causas ditas acidentais e causas intencionais.

.

.

ONDE ATROPELAMENTOS E COLISÕES SÃO OS MAIORES CAUSADORES DE DEFICIÊNCIAS E MORTALIDADE.  A VIOLÊNCIA NO TRÂNSITO OCUPA A 2ª POSIÇÃO ENTRE AS CAUSAS EXTERNAS. . AS AGRESSÕES PROVOCADAS POR ARMA DE FOGO E ARMAS BRANCAS SÃO RESPONSÁVEIS PELO MAIOR NÚMERO DE ÓBITOS DENTRE AS CAUSAS EXTERNAS.

muito provavelmente em decorrência do Estatuto do Desarmamento implantado a partir do final de 2003. desde o início dos anos 90.  As agressões apresentaram uma tendência crescente. . Reversão veio a acontecer no ano de 2004.

Entre os acidentes de trânsito.   Na década de 90. permanecem como principal desafio os atropelamentos e os acidentes de motocicleta. Foram alguns dos fatores reconhecidos para o declínio observado na mortalidade. a obrigatoriedade do uso de cinto de segurança. . a melhoria do sistema de atendimento pré e intra-hospitalar e a introdução do Código de Trânsito Brasileiro. principalmente entre ocupantes de veículos motorizados – exceto motocicletas.

Valor Gasto = R$ 349.  O impacto econômico dos acidentes e das violências no Brasil pode ser medido diretamente por meio dos gastos hospitalares com internação: GASTO POR INTERNAÇÕES/ ANO DE 2004 .Valor Médio por Internação = R$ 696.15 .Valor Médio da AIH = R$ 695.78 .264.253 .252.Média de Internação = 3 a 16 dias Fonte: SIH –SUS / 2004 .49 .N° de Internações = 501.

. posto que não deve ser negado e precisa de resposta profissional. Superar a crença de que a violência é problema minoritário. Atender a todas as necessidades de saúde que permitam o bem-estar da pessoa agredida.É responsabilidade da saúde pública      O desenvolvimento de Políticas Públicas voltadas ao atendimento à pessoa vitima de violência. Trabalhar a prevenção do agravo. Tratar os casos cientificamente.

 Desenvolver e operacionalizar estratégias Estaduais e Municipais de prevenção e atenção nos níveis prioritários da assistência à saúde.  Formação das Redes de Apoio Psicossocial Integral. compostas por serviços de saúde. justiça. trabalho e emprego. CONASEMS e Conselho Nacional de Saúde. assistência social.  .Responsabilidades das esferas de governo Garantir que a discussão sobre a temática da violência no Brasil esteja integrada à agenda do Ministério da Saúde. do CONASS. educação e outros colaboradores.

de casos de suspeita ou de confirmação de maus-tratos contra crianças e adolescentes atendidos no Sistema Único de Saúde.POLÍTICA NACIONAL DE REDUÇÃO DA MORBIMORTALIDADEPOR ACIDENTES E VIOLÊNCIAS  PORTARIA GM/MS1.968/01:  Dispõe sobre a notificação. às autoridades competentes. .

. violência.969/01  Dispõe sobre o preenchimento da Autorização de Internação Hospitalar para os casos de acidentes. acidentes de trabalho e doenças relacionadas ao trabalho de pacientes atendidos no Sistema Único de Saúde. PORTARIA GM/MS1.

.

.

Estruturação e consolidação do atendimento voltado à recuperação e à reabilitação. Apoio ao desenvolvimento de estudos e pesquisas.Diretrizes que acompanham o programa        Promoção da adoção de comportamentos e de ambientes seguros e saudáveis. ampliação e consolidação do atendimento pré-hospitalar. . Assistência interdisciplinar e intersetorial às vítimas de acidentes e de violências. Sistematização. Monitorização da ocorrência de acidentes e de violências. Capacitação de recursos humanos.

. que visa a redução da morbimortalidade por lesões provocadas pelo trânsito. A Política Nacional de Promoção da Saúde. publicada em 2006. a prevenção da violência e o estímulo à cultura da paz. que contempla a parte assistencial do plano de enfrentamento das causas externas. publicada em 2003.Outras meios de prevenção implantados pelo MS   A Política Nacional de Atenção às Urgências.

o levantamento do perfil da violência atendida nas urgências hospitalares em 39 Municípios sentinelas distribuídos por todas as Regiões do País. com os seus dois componentes :   a notificação da violência contra mulheres. crianças e adolescentes e idosos. .Outras meios de prevenção implantados pelo MS  A estruturação da Vigilância de Violências e Acidentes (VIVA).

. além de contribuir para oneração dos gastos públicos.Conclusão O governo brasileiro vêm procurando nos últimos anos realizar a prevenção de acidentes e violência baseado em programas integrados da saúde e educação. principalmente pautados na consciência dos riscos e agravantes.

2003. Brasil. Portaria GM no 737. Ministério da Saúde. de 19 de maio de 2004. Brasília: Ministério da Saúde. Análise da morbidade hospitalar por lesões e envenenamentos no Brasil em 2000. 18 maio 2001. Fonseca IG. Portaria GM no 936. Veiga JPC. Brasília. Seção 1e. Ministério da Saúde. In: Minayo MCS. Souza ER. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz. Seção 1. Malaquias JV. Souza ER. Diário Oficial da União no 96. Silva CFR. Minayo MCS. 20 maio 2004d. Dispõe sobre a estruturação da Rede Nacional de Prevenção da Violência e Promoção da Saúde e a implantação e implementação de núcleos de prevenção à violência em Estados e Municípios. Dispõe sobre a Política Nacional de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências. Diário Oficial da União. Reis AC. Plano Nacional de Saúde 2004-2007. Santos NC. A infrapolítica da contemporaneidade brasileira. Violência sob o olhar da saúde. de 16 de maio de 2001. . Brasília. organizadores.Referências Bibliográficas     Brasil.