DEBRIEFING DAS ENTREVISTAS

PRINCIPAIS IDEIAS A RETER

DISTRIBUIDORES
Country Manager de Private Banking a operar em Portugal
“Há muita oferta de imobiliário para reformados estrangeiros, mas a ideia é sempre a mesma: transformar hectares em m2 e esquecem-se dos serviços e do estilo de vida que os cliente procuram. A vossa proposta é muito interessante e é um pouco “back to the basics”, e vai de encontro a algo que eu encontro recorrentemente nos meus clientes: estão fartos da solidão da cidade. Os meus clientes não querem ir para um hotel ou resort 5 estrelas onde já sabem que o pequeno almoço é igual aqui ou em Singapura, querem ser surpreendidos todos os dias. É muito importante vocês proporcionarem primeiro uma experiência de Life Style, o cliente tem que ver pelos seus olhos se gostaria efectivamente de viver em Portugal”

DISTRIBUIDORES Retail Project Manager de um banco
“Este projecto vai de encontro à nossa estratégia de apresentar aos nossos clientes com mais de 55 anos serviços adicionais prestados através dos nossos parceiros. Estamos à procura de um serviço de “Life Stage” e vocês podem muito bem encaixar aí. Para nós o mais relevante não será a comissão que iremos ganhar, mas sim fidelizar o cliente.”

Head of Direct and Partnership de uma seguradora
“Um serviço como o vosso precisa de ter uma seguradora por trás. Nós já temos várias parcerias, sobretudo no Algarve para providenciar uma rede mais alargada de serviços aos nossos clientes. A vossa proposta é bastante inovadora e faz todo o sentido.”

PARCEIROS
Presidente da Câmara da Sertã
“Vive-se mal no litoral porque há gente a mais, e vive-se mal no interior porquê à gente a menos. Nós somos um país rico, não o sabemos é aproveita.”

Vereadora do Turismo e da Acção Social da CM da Sertã
“Estamos perante uma ideia inovadora que representa uma oportunidade única e valiosa para o Concelho da Sertã.”

CEO da AFPOP
“A existência de um serviço integrado de A a Z que planeie e facilite a vinda de cidadãos estrangeiros vai de encontro ao que procuramos. As questões logísticas são muito importantes, mas também a questão da língua e da cultura. Não se esqueçam que as pessoas confiam mais em alguém que fala a sua língua e que é do seu país, e que, para o vosso target, têm que se focar em serviços de qualidade.”

PARCEIROS
Ex-director criativo de um grande Agência Publicitária
“Não se esqueçam que os investidores também se convencem pela emoção. O vosso serviço faz todo o sentido, mas há que dramatizar a necessidade da ideia.”

Deputado da AR, ex-autarca, responsável pela relação com a ANP
“O que vocês estão a propor vai de encontro ao que a Associação Nacional de Municípios defende. Não é preciso construir ou investir mais, é preciso saber tirar partidos dos recursos existentes.
A vossa proposta traz também uma grande vantagem para os vários concelhos do país que é a questão do marketing. Os autarcas têm que fazer “marketing” para os seus eleitores, mas vocês vão promover lá fora os vários concelhos do nosso país.”

PARCEIROS
Partner da Spirituc
“Em termos de CRM e gestão de projectos conseguimos recorrer a ferramentas muito baratas ou até “free” e que no arranque da actividade vão servir muito bem. O fundamental é apostar numa plataforma onde vocês possam pedir orçamentos aos vários prestadores de serviços e controlar a prestação desses mesmos serviços junto dos vossos clientes finais.”

Partner da Deloitte
“O regime especial fiscal em Portugal para residentes não habituais é o mais competitivo da Europa. A única dificuldade é a burocracia do processo para que um cidadão estrangeiro possa beneficiar desse regime. Infelizmente, este regime, contrariamente à Lei Beckham em Espanha, não pode ser aplicado a desportistas. Se assim fosse creio que os melhores golfistas do mundo viriam viver para Portugal.”

CLIENTES
“Ao contrário dos Portugueses eu não tenho saudade do meu país, o meu país é onde está o meu coração, e o meu coração está em Portugal” “Recebi uma carta das finanças e não percebi nada do que está escrito. Tenho que levar isto à alguém.” “Tinha uma empresa de sucesso nos EUA e pensei que em Portugal teria o mesmo sucesso, mas não conhecia a cultura e as pessoas certas. Foram tempos muito difíceis. Se vocês existissem na altura talvez a história tivesse sido diferente.” “Quando tive que ir ao SEF senti-me incomodado. Foi a minha pior experiência. A papelada para comprar casa e depois gerir um subempreiteiro também foi uma dor de cabeça. Precisava do vosso serviço a 200%.” “Eu também quero partilhar, dar algo de mim aos outros. Tenho 60 anos, mas sou jovem de coração. “