O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária

O Documentário Animalista e o Movimento Brasileiro pelos Direitos dos Animais

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
Conceito de documentário Termo cunhado pela primeira vez quando Grierson se refere ao filme Moana (1926) de Robert Flaherty.

• Valor documental de Moana

Moana

Nanook of the North

Man of Aran

Palestra sem título sobre o documentário (1927-33)
„Com esta palestra eu quero tirá-los dos estúdios e colocá-los dentro do cinema – longe das estórias e fantasias, atuações e falsificações, longe das construções artificiais, ruas artificiais e papéis artificiais para construções reais e pessoas reais. Eu quero levá-los para dentro do universo do documentário. Não se confundam com a palavra “real”. Então, quando trata-se de documentário, trata-se do mundo atual, do mundo das ruas, dos inquilinos e das fábricas, das pessoas reais e da observação dessas pessoas, mas eu desafio você a lembrar que a sua tarefa para com a realidade diante de você não é de reprodução mas sim de interpretação.‟

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
• • Outras formas são consideradas apenas o registro e relato dos acontecimentos - atualidades, cine-jornais, filmes de viagem, sinfonias metropolitanas. O documentário tem contato direto com o material que tem sido negado às outras artes (o transcorrer do mundo). Ele não pode apenas observar o transcorrer do mundo, também pode reproduzí-lo. A superioridade documentária reside no “tratamento criativo da atualidade”. O documentário tem o poder de tratar criativamente a atualidade, mesmo que seja preciso reconstruir acontecimentos, uma vez que está ao serviço de uma causa maior: a educação nacional - princípio da utilidade pública. O pensamento de Grierson desemboca na criação de um tipo de filme diferente do filme de ficção em propósito, estética, função e ética.


• •

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
Night Mail - Correio Noturno 1936  Filme sobre o sistema de entrega de cartas na Grã-Bretanha  Cinematografia marcada por: Encenação - Não utilização de atores Ética educativa - Discurso - Voz-de-deus

Voz-de-deus: narração em off
onisciente, onipresente, e despersonificada como ferramenta ilibada para a acomodação discursiva de um fluxo de imagens.

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
O documentário clássico sustenta seu enunciado em:  Voz-over (ou voz-de-deus)  Na autoridade do conhecimento de quem enuncia  Na defesa de uma argumentação  No fluxo de imagens subordinadas ao argumento do filme  Na despersonificação do sujeito que enuncia
Housing Problems Alberto Cavalcanti The Coal Face Drifters

http://johngrierson.blogspot.com.br/

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
A ideologia contemporânea foi criada na desconfiança do sujeito nas representações objetivas da realidade e na espessura do sujeito que assume a voz de saber sobre o mundo. A narrativa que se move nessa lógica clássica de representação passa a sofrer carga crítica. Novas formas surgem a partir das restrições e limitações das formas anteriores. A postura ética do cineasta: forma com a qual ele ocupa os espaço e negocia a distanciamento do olhar, quais as estratégias de disfarce do enunciador.

Bill Nichols
Examina como cada modo estabelece diferentes caminhos éticos

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
Linha do tempo - Modos dominantes de representação documentária Modo Expositivo - Modo Poético - Modo Observativo Modo Participativo - Modo Performático - Modo Reflexivo
Anos 30 Anos 50 Anos 60 Anos 80

Expositivo Poético Reflexivo

Observativo

Participativo Performático

Documentário Contemporâneo

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária Modo poético: enfatiza
associações visuais, qualidades tonais ou rítmicas, o lirismo, enfatiza o poder da imagem em oposição ao discurso formal.

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
Modo Expositivo
Leva o espectador com vozes que argumentam sobre o mundo histórico, o uso mais recorrente é a voz-dedeus. Dominância da palavra: a edição estabelece a continuidade retórica mais do que a continuidade temporal-espacial. Levanta questões éticas sobre como o texto é dito: objetivamente, persuasivamente ou como instrumento de propaganda. O espectador, de forma típica, espera que o texto se encaminhe para a solução de um problema. Tradição descorporificada da voz da autoridade que requer a aceitação de um regime que desliga o conhecimento de quem o pronuncia.

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
Modo Observativo
 Posicionamento de recuo: mosca na parede O posicionamento da câmera passa a ser discutido como um campo éticopolítico-ideológico. Enfatiza a não-intervenção do cineasta, cede controle do que ocorre em frente a câmera. A montagem trabalha para sustentar a continuidade espaço/temporal mais do que a retórica. Isso faz do modo observativo mais acessível à experiência contemporânea e menos à investigação histórica. Como ferramenta etnográfica e configura semelhanças com a ficção já que os personagens ganham espessura de indivíduos e conduz a um senso de mundo livre e não mediado. Don’t ask. Don’t tell. Don’t repeat.

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
Modo Participativo
Advento do som direto fez com que a interatividade fosse praticável O discurso não fica reservado à sala de montagem, cinema mais próximo da experiência humana. Testemunho se torna o centro do argumento. A entrevista coloca o cineasta como árbitro da legitimidade que enquadra o outro como fonte de material, informação ou conhecimento. Presença física do cineasta através da interação entre os atores sociais.

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
Modo Reflexivo
Coloca em relevo o processo representacional, levanta a questão sobre como falamos do mundo. Dá ênfase ao encontro do cineasta com o espectador, considera o modo menos ingênuo e o mais duvidoso em termos de possibilidade de comunicação. Em sua forma mais paradigmática o modo reflexivo inspira no espectador uma consciência sobre sua relação com o texto e da problemática do relacionamento do texto com o que ele representa. No modo reflexivo apresenta as convenções da prática cinematográfica documental. O cineasta pode apresentar a si próprio como ator social em processo de fazer documental.

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
Modo Performático
 Ligação com as artes plásticas, teatro, e com a vídeo-arte Ênfase na expressão individual do cineasta - corpo Forte tendência em estetização da montagem, Filmes de arquivo

Devir Animal

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
Documentário Contemporâneo
Desconfiança na representação objetiva da realidade Expansão do campo englobando diversas estéticas e formulações, incorpora estratégias do campo ficcional, da televisão, do campo experimental. Traços estilísticos recorrentes Formatos mais alternativos – primeira pessoa ocupa espaço substancial

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
Expositivo Poético Reflexivo
Observativo Participativo Performático
Documentário Contemporâneo

Questionamentos
O ativismo é indissociável da ética educativa? O modo expositivo do documentário é a melhor contribuição que o cinema pode oferecer na comunicação pelos direiros dos animais? O documentário animalista está apegado à ética educativa da tradição documentária? A apropriação dos meios de produção é a chave para a expansão do campo do documentário animalista?

O Documentário Animalista e a Ética Educativa da Tradição Documentária
Leis de Incentivo à Cultura Leis Municipais - Secretarias de Cultura Leis Estaduais - Secretarias de Cultura Leis Federais - Ministério da
Cultura/ANCINE

Mecanismos

Fundos de Cultura – Editais Renúncia Fiscal – IR

Roaunet - Lei nº 8.313/91 - Procultura Lei do Audiovisual - Lei 8.685/93

http://cinemaanimalista.blogspot.com.br http://johngrierson.blogspot.com

"Sem forma revolucionária não há arte revolucionária" Maiakovsky

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful