Cristina Bernardes

LER É SABER

Biblioteca Escolar AE Mesão Frio
Cristina Bernardes é doutoranda em Ciências da Educação, em Pedagogia Social. É Directora Pedagógica no Colégio da Imaculada Conceição. Acredita no “fascínio das palavras” tal como acredita que “a herança mais valiosa que podemos deixar aos nossos filhos é uma educação de qualidade”. A missão do seu projecto educativo é “Educar e formar cidadãos para o mundo”.
Direcção do Agrupamento de Escolas de Mesão Frio. .Departamento Pré-Escolar A. E. Mesão Frio; Ana Cardoso; Carmo Reis; Cristina Correia. .Professora Bibliotecária e Coordenadora da Biblioteca Escolar A. E. Mesão Frio, Isabel Ramos.

(texto adaptado) http://florestadasleituras.blogspot.com

Telefone: 254 892 345 Fax: 254 891 404 eb23secmesafrio@telepac.pt becremesafrio@gmail.com http://jardinsembarcorabelo.blogspot.com/ http://bibliomesafrio.blogspot.com http://moodle.eb23-mesao-frio.rcts.pt

1 Encontro 1 Escritor
Cristina Bernardes 2 de Março de 2010

1 Encontro 1 Escritor
Alunos do pré-escolar e 1º CEB
. Promover o livro e a leitura; . Explorar diferentes abordagens à escrita e à leitura infantil; . Estimular a criatividade; . Conhecer escritores regionais; . Proporcionar a Articulação curricular entre ciclos, tendo em conta a promoção de aprendizagens partilhadas ao longo do percurso escolar do aluno.

1 Encontro 1 Escritor
Da sua bibliografia, são de destacar:

1 Encontro 1 Escritor

Estratégias
. Organizar um conjunto de actividades, envolvendo os Alunos na dinâmica e na utilização da Biblioteca Escolar e dos livros infantis; . Realizar actividades na área da expressão dramática; . Criar um ambiente informal, onde os alunos se sintam à vontade para escutar as histórias, incentivando-os para o contacto com o livro, o seu autor e personagens da história; . Desenvolver o gosto pela leitura, o enriquecimento do léxico e a compreensão dos textos. «O sol brilhava alto no céu quando as primeiras nuvens começaram a aparecer no horizonte. Cinzentas e brancas, rebolavam as nuvens, umas sobre as outras, brincando com o vento, com risinhos e gargalhadas. Oceana olhava para as suas irmãzinhas com carinho e doçura, mas já cansada da brincadeira...» “Eu penso que o riso acabou – porque a humanidade entristeceu. E entristeceu – por causa da sua imensa civilização. (...) Quanto mais uma sociedade é culta - mais a sua face é triste. (...) O Infeliz está votado ao bocejar infinito. E tem por única consolação que os jornais lhe chamem e que ele se chame a si próprio – O Grande Civilizado.” In, Floresta das Leituras (blogue)