01.

O LIRICO: A palavra lírico vem do latim, que significa lira; instrumento musical usado para acompanhar as canções dos poetas da Grécia antiga. Na poesia lírica predominam-se os sentimentos e as emoções. O poeta lírico está preocupado com o próprio "eu", por isso não se interessa muito pelo mundo exterior. O gênero lírico é a expressão do sentimento pessoal. O poeta lírico é o indivíduo isolado que se interessa somente pelos estados da alma. Uma característica principal do lírico é a ambigüidade do conteúdo expresso e da linguagem nele utilizada, resultante do fato de o poeta realizar uma auto-contemplação, na qual o eu flagela a si mesmo, na tentativa de expor ao mundo suas do res individuais. A poesia lírica arrima-se naturalmente à música. O ÉPICO: o gênero épico tem como característica predominante a narração. Em lugar da confissão de sentimentos amorosos individualista s, o poeta épico interessa-se no mundo lá fora, o mundo mais objetivo, concreto. Ele fala sobre a exaltação no mais alto estilo poético, por exemplo, de um acontecimento heróico, de uma revolução social, de um empreendimento bem sucedido (fundação de uma cidade, descoberta de um continente). As paixões não são as do poeta, mas as dos heróis.

03. O barroco se desenvolve após o processo de Reformas Religiosas, ocorrido no século XVI, a Igreja Católica havia perdido muito espaço e poder. Mesmo assim, os católicos continuavam influenciando muito o cenário político, econômico e religioso na Europa. A arte barroca surge nesse contexto e expressa todo o contraste deste período: a espiritualidade e teocentrismo da Idade Média com o racionalismo e antropocentrismo do Renascimento. A literatura barroca é fruto do conflito entre razão e fé característico de sua época. Os textos são marcados por muito pessimismo, onde a vida terrena é vista como triste e cheia de sofrimento, enquanto que a vida celestial é luminosa e tranqüila. O homem busca captar todo o sentido da miséria humana, ressaltando seus aspectos dolorosos e cruéis. Há muita intensidade na expressão das emoções fortes como o amor, o desejo e a dor. A linguagem é complicada e rebuscada, excessivamente trabalhada, através de expressões eruditas, com o uso freqüente da ordem inversa e de figuras de linguagem.

04. A teoria da literatura é o conjunto de princípios gerais e sistemáticos que visam à compreensão e explicação técnica da literatura. Preocupa-se com uma reflexão sobre o ser da literatura e analisa os aspectos que fazem um determinado texto ser literário, ou seja, volta-se para o modo de funcionamento do discurso enquanto arte da palavra. Se ocupa em identificar os elementos próprios d a literatura, em lidar com a estrutura que organiza as obras em suas particularidades de gênero . A teoria literária não trabalha apenas os aspectos formais intrínsecos de uma obra; também se preocupa com as relações que a literatura estabelece com outros ramos do conhecimento e, para tanto, lança mão de várias ciências como a Lingüística, a Semiologia, a Sociologia, a História, a Psicanálise, entre outros.

Literatura pode ser definida como a arte de criar e recriar textos, de compor ou estudar escritos artísticos; o exercício da eloquência e da poesia; o conjunto de produções literárias de um país ou de uma época; a carreira das letras. Em latim, literatura significa uma instrução ou um conjunto de saberes ou habilidades de escrever e ler bem, e se relaciona com as artes da gramática, da retórica e da poética.

01. O lexema LITERATURA pode assumir vários significados, dependendo do contexto situacional no qual estiver inserido. Esse caráter polissêmico do lexema se dá devido às mudanças socioculturais que vêm acontecendo no decorrer da História. Por exemplo, levando em conta sua derivação do radical littera, que significa letra o lexema representa o saber relativo à arte de escrever e ler, gramática, instrução, erudição. Já num contexto religioso, o termo refere-se a textos seculares e pagãos, distinguindo-se do termo escritura, usado para se referir a textos bíblicos. Podemos também falar sobre literatura nacional , nesse caso referindo-nos ao conjunto de produção literária de um determinado país.

02.

03.
Roman Jakobson vai mencionar a literatura como a expressão da função estética da linguagem

04. Uma das objeções é que todas as obras literárias não possuem exatamente traços ou padrões em comum que possam classificá-las como sendo uma obra de literatura, sendo o único denominador comum que elas apresentam o uso da linguagem. Outra objeção diz respeito ao fato de que são os leitores que fazem a literatura, e não os autores das obras. Ou seja, não se pode atribuir a ela uma qualidade objetiva, pois uma obra literária só existe através do ato cognitivo do seu leitor. Para Eagleton, "a definição de literatura fica dependendo da maneira pela qual
alguém resolve ler, e não da natureza daquilo que é lido" (EAGLETON, cit., p. 12).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful