Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof.

Junior Frota
[1]
A FORÇA ELÉTRICA

1. A carga elétrica puntiforme

Denomina-se carga elétrica puntiforme o corpo eletrizado cujas dimensões são
desprezíveis em relação às distâncias que o separam de outros corpos.

2. Força entre duas cargas elétricas puntiformes

Considere duas cargas elétricas puntiformes, Q
1
e Q
2
, separadas por uma
distância d e situada no vácuo (fig. 1).
Dependendo do sinal dessas cargas, elas se atraem ou se repelem. No vácuo,
as forças obedecem ao Princípio de Ação e Reação. Adotemos F

+ e F

÷ como as
forças que atuam em cada um das cargas.











3. A Lei de Coulomb

A intensidade da força entre as duas cargas puntiformes depende:
- do módulo das cargas elétricas, Q
1
e Q
2
;
- da distância d que as separa;
- do meio ambiente onde se encontram as cargas puntiformes.

Charles Augustin de Coulomb foi quem determinou, em 1725, pela primeira
vez, uma relação entre a intensidade da força eletrostática e os dois primeiros fatores
acima. Ele usou, na ocasião uma balança de torção e estabeleceu uma lei que hoje
leva seu nome.
Segundo a Lei de Coulomb, a intensidade da força eletrostática entre duas
cargas puntiformes é diretamente proporcional ao produto dos módulos das
cargas elétricas e inversamente proporcional ao quadrado da distância que as
separa.
Podemos escrever:
|
|
.
|

\
| ·
=
2
2 1
0
d
| Q | ! Q |
K F
Obs.:
As cargas elétricas Q
1
e Q
2
devem ser usadas em módulo, pois estamos
calculando a intensidade da força elétrica, grandeza vetorial.
A constante de proporcionalidade K
0
é denominada constante de Coulomb ou
constante eletrostática. No caso, ela foi indicada por K
0
, pois as cargas elétricas estão
no vácuo. Seu valor é
2 2 9
0
C m N 10 9 K · · = .

R1. Duas cargas puntiformes, C 10 1,0 Q
8
1
÷
· = e C 10 5,0 Q
8
2
÷
· = , são colocadas no vácuo e
separadas pela distância de m 10 3,0
2 ÷
· . Determine a intensidade da força de repulsão
elétrica.

Solução:
A constante eletrostática no vácuo é
2 2 9
0
C m N 10 9 K · · = . Nesse caso, as duas cargas
elétricas são positivas, e nem precisamos trabalhar com módulo.
Figura 1 – Cargas elétricas puntiformes no vácuo.
F

+ F

÷
+ –
Q
1
Q
2
d

F

+ F

÷
+ +
Q
1
Q
2
d

F

+ F

÷
– –
Q
1
Q
2
d

[a] Cargas elétricas de sinais
contrários atraem-se.
[b] Cargas elétricas de mesmo sinais repelem-se.
Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Junior Frota
[2]

( ) ( )
( )
¬
·
· · ·
· = ¬
|
|
.
|

\
| ·
=
÷
÷ ÷
2
2
8 8
9
2
2 1
0
10 3,0
10 5,0 10 1,0
. 10 9,0 F
d
Q Q
K F

N 10 5,0 F
10
10 5,0
F
10 9,0
10 10 10 5,0 1,0 9,0
F
3
4
7
4
8 8 9
÷
÷
÷
÷
÷ ÷
· = ¬
·
= ¬
·
· · · · ·
= ¬

R2. No vácuo estão duas cargas elétricas puntiformes idênticas de valor 5,0 nC cada uma. A
distância entre elas é igual a 1,0 mm. Determine a intensidade da força elétrica. Use
2 2 9
0
C m N 10 9 K · · = .

Solução:
Inicialmente devemos converter todas as unidades para o SI:

C 10 5,0 nC 5,0 Q Q
9
2 1
÷
· = = =
m 10 1,0 mm 1,0 d
3 ÷
· = =

Usando a equação de Coulomb:

( ) ( )
( )
¬
·
· · ·
· = ¬
|
|
.
|

\
| ·
=
÷
÷ ÷
2
3
9 9
9
2
2 1
0
10 1,0
10 5,0 10 5,0
. 10 9,0 F
d
Q Q
K F

¬
·
= ¬
·
· · · · ·
= ¬
÷
÷
÷
÷ ÷
6
9
6
9 9 9
10
10 225,0
F
10 1,0
10 10 10 5,0 5,0 9,0
F

N 10 2,25 F ou N 10 225 F
1 3 ÷ ÷
· = · = ¬

5. A Constante de Coulomb K

A constante K que aparece na Lei de
Coulomb tem o valor de
9
0
10 9 K · = apenas
quando as cargas estão no vácuo. Estando as
cargas puntiformes em um meio que não seja o
vácuo, a constante assume valores inferiores ao
de K
0
, conforme mostramos na tabela ao lado.






R3. Duas cargas puntiformes, de sinais contrários, Q
1
= + 1,0 µC e Q
2
= – 1,0 µC atraem-se, no
vácuo, com uma força de intensidade N 10 9,0 F
3 ÷
· = .
a) Determine a distância que as separa. Use
2 2 9
0
C m N 10 9 K · · = .

Solução:
É importante que trabalhemos com o módulo das cargas.
( ) ( )
¬
·
· · ·
· = ¬
|
|
.
|

\
| ·
= ¬
|
|
.
|

\
| ·
=
÷
÷ ÷
3
6 6
9 2
2 1
0
2
2
2 1
0
10 9,0
10 1,0 10 1,0
. 10 9,0 d
F
Q Q
K d
d
Q Q
K F

m 1,0 d 1,0 d
10 9,0
10 10 10 9,0
d
2
3
6 6 9
2
= ¬ = ¬
·
· · ·
= ¬
÷
÷ ÷


Valores da constante eletrostática K
meio
2 2
C m N K · =
vácuo
9
10 9 ·
ar seco
9
10 9· ~
benzeno
9
10 3 , 2 ·
petróleo
9
10 6 , 3 ·
etanol
8
10 3,6 ·
água
8
10 1 , 1 ·
Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Junior Frota
[3]
b) Se as cargas fosses imersas em óleo, mantidas à distância anterior, qual a nova intensidade
da força elétrica? Continuaria a ser uma força de atração? Use, para o óleo,
2 2 9
C m N 10 3 K · · ~ .

Solução:
No óleo a intensidade da força diminuirá, porém continuará a ser de atração, pois as cargas
têm sinais contrários. Ocorrerá, então:

( ) ( )
N 10 3,0 F'
1,0
10 1,0 10 1,0
. 10 3,0 F'
d
Q Q
K F'
3
2
6 6
9
2
2 1
÷
÷ ÷
· = ¬
· · ·
· = ¬
·
· =

Observamos que:
F
3
1
F'
3
1
F
F'
10 9
10 3
F
F'
K
K
F
F'
9
9
0
= ¬ = ¬
·
·
= ¬ =

Dessa forma, a nova força ficou reduzida a 1/3 do seu valor inicial, no vácuo.

Exercícios Propostos

P1. Determine a intensidade da força elétrica entre Q
1
= 1,0 nC e Q
2
= 5,0 pC, no vácuo, que
estão separadas uma da outra por m 10 3,0 d
3 ÷
· = . Dados:
2 2 9
0
C m N 10 9 K · · =


P2. Determine a intensidade da força elétrica de atração entre C 10 4,0 Q
10
1
÷
· ÷ = e
C 10 2,5 Q
10
2
÷
· ÷ = no vácuo, separadas uma da outra por 0,30 mm. Dado:

2 2 9
0
C m N 10 9 K · · =


P3. Determine a força elétrica entre duas cargas puntiformes C 10 8,0 Q
6
1
÷
· = e
C 10 5,0 Q
6
2
÷
· = , colocadas no vácuo e separadas por uma distância de 50 cm. Dado:
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = .

P4. Que distância separa duas cargas elétricas puntiformes, no vácuo, sabendo que Q
1
= Q
2
=
1,0 nC; N 10 9,0 F
5
· = e
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = .

P5. (Fuvest-SP) Duas partículas, eletricamente carregadas com C 10 8,0
6 ÷
· + cada uma, são
colocadas no vácuo a uma distância de 30 cm, onde
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = . A força de
interação eletrostática entre essas cargas é:
a) de repulsão e igual a 6,4 N.
b) de repulsão e igual a 1,6 N.
c) de atração e igual a 6,4 N.
d) de atração e igual a 1,6 N.
e) impossível de ser calculada.

P6. Duas partículas eletrizadas com cargas elétricas opostas, + 2,0 µC e – 2,0 µC, são
colocadas, no vácuo, próximas uma da outra, e atraem-se com uma força de intensidade
N 10 9,0 F
3
· = . Determine a distância que as separa. Use
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = .

P7. (UF-RS) O afastamento entre duas cargas elétricas idênticas é D. Nestas condições, F é o
módulo da força elétrica. Se dobrarmos as cargas e dobrarmos o afastamento, o módulo da
força de repulsão será:
a)
4
F

b)
6
F

c) F
d) 2F
e) 4F
Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Junior Frota
[4]
O CAMPO ELÉTRICO

1. O conceito de campo elétrico

O espaço que envolve uma carga elétrica se torna modificado, pois surge nele um
campo de forças elétricas. Isso significa que qualquer partícula eletrizada, colocada nessa
região, fica sujeita a uma força elétrica de atração ou repulsão, conforme os sinais das cargas
envolvidas.
Aproximando-se uma carga de prova q de uma carga Q, fonte geradora do campo
elétrico, sendo q << |Q|, esta ficará sujeita a uma força elétrica que, dependendo das cargas
elétricas, pode ser de atração ou repulsão:










Em torno de uma carga elétrica, sempre haverá um campo elétrico que perde sua
intensidade conforme a distância d da carga geradora do campo elétrico aumente. Se usarmos
uma fonte geradora Q (A) e uma carga de prova q (B), a força elétrica que age sobre B será
tanto menor quanto maior for a distância entre as duas cargas.








2. O campo elétrico é vetorial

Do mesmo modo que o campo de gravidade do nosso planeta é vetorial, ou seja, tem
uma direção e um sentido em cada ponto do espaço, também o campo elétrico é vetorial. Em
torno da carga elétrica fonte, ele tem direção e sentido definidos. Para exemplificar,
apresentamos na figura abaixo uma esfera de dimensões irrelevantes, ora eletrizada com
carga positiva [a], ora eletrizada com carga negativa [b], na qual indicamos a direção e o
sentido do campo elétrico. Para representá-lo, usaremos o vetor E

, que denominaremos
campo elétrico.













Por convenção, o campo da carga fonte Q > 0 é de afastamento, e o da carga fonte Q
< 0 é de aproximação.





– –
– –
– –
+
q > 0
F


B
Q +
A
+
+
+ +
+ +
+ +
+
q > 0
F


B
Q +
A
[a] Cargas de mesmo sinal se repelem. [b] Cargas de sinais diferentes se atraem.
+
+
+ +
+ +
+ +
+
q
2
F


B
Q
A
+
q
1
F

B
+ + | F | | F |
1 2
 
<
Figura 1 – Carga elétrica q situada próxima a uma fonte geradora de campo elétrico Q.
+
E


E


E


E



E


E


E


E


Figura 2 – Convenção do sentido do campo E

.
[a] [b]
Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Junior Frota
[5]

3. Uma relação com a força

Por definição, a relação entre o campo E

, a força F

e a carga de prova q é
dada por:
E q F ou
q
F
E
 


· = =

Dessa definição surge a unidade para o campo elétrico, no SI, que é o N/C.

Veja bem!

- O campo elétrico gerado numa região do espaço depende exclusivamente da carga fonte e
do meio.
- O campo elétrico em determinado ponto do espaço não depende da carga de prova q usada
no experimento.
- A existência de um campo elétrico em determinado ponto do espaço independe de haver ou
não nesse ponto uma carga de prova q.
- Se o campo elétrico de uma região não varia com o decurso do tempo, ele será chamado de
campo eletrostático.

4. Mecanismo de ação do campo na carga de prova q

Vamos tomar uma região do espaço onde exista um campo elétrico, sem nos
importarmos com a carga fonte Q. conhecemos, por hipótese, a direção e o sentido
desse campo e vamos representá-lo pelo vetor E

(a). Se colocarmos aí uma carga de
prova q, surgirá nela uma força elétrica F

, valendo as seguintes considerações:

- Sendo positiva a carga de prova q, a força elétrica F

terá a mesma direção e mesmo
sentido do campo elétrico E

(b).
- Sendo negativa a carga de prova q, a força elétrica F

terá a mesma direção do campo
elétrico E

, mas sentido oposto a este (c).

Visualizemos as duas propriedades:








R1. Uma carga de prova de módulo igual a 2,0 pC é colocada numa região do espaço onde
existe um campo elétrico de intensidade E = 2,0 N/C, direção horizontal e sentido para direita.
a) Determine a direção, o sentido e a intensidade da força elétrica, sendo positiva a carga de
prova.

Solução:

A direção da força elétrica é sempre igual a do campo elétrico. Sendo positiva a carga de
prova, então o sentido da força é o mesmo do campo elétrico. A intensidade da força pode ser
calculada da seguinte maneira:

pN 4,0 F ou N 10 4,0 F 2,0 ) 10 (2,0 F E | q | F
12 12
= · = ¬ · · = ¬ · =
÷ ÷


Resposta: Direção horizontal, sentido para direita e intensidade N 10 4,0 F
12 ÷
· = .

E


[a]
E




[b]
F




+
E




[c]
F





Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Junior Frota
[6]


b) Determine a direção, o sentido e a intensidade da força elétrica, sendo negativa a carga de
prova.

Solução:

Como visto na questão anterior, a direção da força elétrica é sempre a mesma do campo
elétrico. Sendo negativa a carga de prova, o sentido da força é contrário ao do campo elétrico.
A intensidade da força pode ser calculada da seguinte maneira:

pN 4,0 F ou N 10 4,0 F 2,0 | 10 2,0 | F E | q | F
12 12
= · = ¬ · · ÷ = ¬ · =
÷ ÷


Resposta: Direção horizontal, sentido para a esquerda e intensidade N 10 4,0 F
12 ÷
· = .

R2. Uma partícula eletrizada com carga elétrica C 10 1,0 q
10 ÷
· = é colocada, próxima ao solo,
numa região em que existe um campo elétrico uniforme, vertical e de sentido ascendente.
Devido à sua carga elétrica e ao campo, ela permanece em equilíbrio, apesar da ação da
gravidade. Dado g = 9,8 m/s
2
, e sabendo ainda que C N 10 1,96 E
2 ÷
· = , determine a massa da
partícula.

Solução:

Seja F

a força elétrica e P

o peso da partícula. Como a partícula permanece
em equilíbrio, concluímos que essas duas forças se cancelam. Assim,
teremos:

¬
·
= ¬ · = · ¬ = ¬
)
`
¹
· =
· =
g
E q
m E q g m F P
E q F
g m P


¬
·
= ¬
· · ·
= ¬
÷ ÷ ÷
9,6
10 1,96
m
9,8
) 10 (1,96 ) 10 (1,0
m
12 2 10


kg 10 2,0 m 10 0,2 m
13 12 ÷ ÷
· = · = ¬


P1. Numa região do espaço existe um campo elétrico vertical, com sentido de
baixo para cima e intensidade constante igual a C N 130 E = , como mostra a
figura ao lado. Uma partícula de massa kg 10 1,0 m
6 ÷
· = é colocada nesse
campo e permanece em equilíbrio. Dado g = 10 m/s
2
, determine a carga da
partícula.

P2. (Mackenzie-SP) Uma carga elétrica puntiforme com 4,0 µC, que é colocada em um ponto P
do vácuo, fica sujeita a uma força elétrica de intensidade 1,2 N. O campo elétrico nesse ponto
P tem intensidade de:
a) C N 10 3,0
5
·
b) C N 10 4 , 2
5
·
c) C N 10 2 , 1
5
·
d) C N 10 0 , 4
6 ÷
·
e) C N 10 8 , 4
6 ÷
·

P3. Uma carga elétrica q = – 4,0 µC é colocada no campo elétrico uniforme
da figura ao lado.
a) Sabemos que esse campo tem intensidade constante C N 10 0 , 2 E
7
· = .
Determine a intensidade da força na carga q.
b) Represente a força elétrica que atua sobre a carga q.

E


g


q
P


g


q
F


E


E


g


q
E


g


q
E


q
Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Junior Frota
[7]


P4. (Fuvest-SP) Numa dada região do espaço existe um campo elétrico uniforme de
intensidade C N 10 0 , 1 E
5 ÷
· = . Sua direção é horizontal e o sentido é da esquerda para a
direita.
a) Represente as linhas de força desse campo.
b) Qual a intensidade da força elétrica que atua sobre um próton no interior desse campo?
(Carga do próton: C 10 6 , 1
19 ÷
· .)


5. Intensidade do campo elétrico de carga puntiforme

Sabemos que, à medida que nos afastamos da carga produtora do campo
elétrico, a intensidade desse campo diminui. No entanto, não entendemos ainda de que
modo ocorre essa variação. Vamos então procurar uma equação que nos permita
relacionar a intensidade do campo com a carga elétrica fonte, com o meio e com a
distância.
Consideremos a carga fonte puntiforme Q, no vácuo, e uma carga de prova q,
separadas por uma distância d. Seja P o ponto geométrico onde se encontra a carga
de prova.





Temos as seguintes equações:

[1] força) da de (intensida
d
| Q | | q |
K F
2
0
·
=
[2] campo) do de (intensida
| q |
F
E E | q | F = ¬ · =

Substituindo [1] em [2], vem:

2
0
2
0
d
| Q |
K E
| q |
d
| Q | | q |
K
E = ¬
·
=

A equação deduzida nos mostra que:

- a intensidade do campo elétrico é inversamente proporcional ao quadrado da distância do
ponto P à carga fonte Q;
- a intensidade do campo elétrico em P não depende do valor da carga de prova q, pois esta foi
cancelada na dedução acima;
- a intensidade do campo depende do meio que envolve a carga fonte.

R3. Uma carga elétrica puntiforme C 10 3,0 Q
10 ÷
· = gera, no vácuo, um campo elétrico.
Determine sua intensidade a 3,0 mm dela. Adote
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = .

Solução:

Devemos fazer d = 3,0 mm = m 10 3,0
3 ÷
· , para trabalhar no SI.

C N 10 3,0 E
10 9,0
10 27
E
) 10 (3,0
10 3,0
10 9,0 E
d
| Q |
K E
5
6
1
2 3
10
9
2
0
· = ¬
·
·
= ¬
·
·
· · = ¬ · =
÷
÷
÷
÷


Q q
P
d
F

F

÷
Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Junior Frota
[8]
R4. A que distância d de uma carga puntiforme Q = – 4,0 pC, no vácuo, o campo elétrico tem
intensidade igual a C N 10 9,0
1 ÷
· . Use
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = .

Solução:
De
2
0
d
| Q |
K E · = , vem:
E
| Q | K
d
0 2
·
=

m 10 2,0 d 10 4,0 d 10 4,0 d
10 9,0
) 10 (4,0 ) 10 (9,0
d
1 2 2 2
1 -
12 9
2 ÷ ÷ ÷
÷
· = ¬ · ± = ¬ · = ¬
·
· · ·
=

Obs.: Não consideramos o sinal negativo para o valor da distância d.

P5. Uma carga puntiforme Q = + 2,0 µC, gera, no vácuo, um campo elétrico de afastamento.
Considere um ponto P a 3,0 mm da carga. Dado
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = , determine:
a) a intensidade do campo elétrico em P;
b) a intensidade da força elétrica que atuaria sobre uma carga de prova q = – 3,0 pC colocada
em P. Essa força é de atração ou repulsão?

P6. (Mackenzie-SP) A intensidade do campo elétrico, num ponto situado a 3,0 mm de uma
carga elétrica puntiforme Q = 2,7 µC no vácuo (
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = ), é:
a) C N 10 2,7
3
·
b) C N 10 1 , 8
3
·
c) C N 10 2,7
6
·
d) C N 10 1 , 8
6
·
e) C N 10 2,7
9
·

P7. Uma carga C 10 2,0 Q
-6
· = gera no espaço que a envolve um campo elétrico E

.
Determine sua intensidade num ponto P a 0,50 m de Q e num ponto R a 1,0 m dela. Dado:
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = .


6. Campo elétrico gerado por diversas cargas puntiformes

Se um campo elétrico for gerado por diversas cargas
elétricas, então em cada um de seus pontos o campo elétrico
resultante será dado pela soma vetorial dos campos parciais
produzidos por cada carga isoladamente.
Para melhor exemplificar, estudemos um campo
elétrico gerado por apenas duas cargas elétricas puntiformes
no vácuo: Q
1
e Q
2
. Tomando um ponto P qualquer, próximo ás
duas cargas, observamos que:
- A carga Q
1
gera em P um campo elétrico E
1
. Como Q
1
é uma
carga positiva, desenhamos o vetor
1
E

afastando-se dela.
- A carga Q
2
gera em P um campo elétrico E
2
. Como Q
2
é uma
carga negativa, desenhamos o vetor
2
E

aproximando-se dela.

Assim, o campo resultante em P será dado por:

2 1 res
E E E
  
+ =

A intensidade (módulo) do campo elétrico resultante é:

α cos E E 2 E E E
2 1
2
2
2
1 res
· · · + + =


Q
1

Q
2

d
1

+

d
2

P
α
res
E

1
E

2
E

Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Junior Frota
[9]




R5. Na figura ao lado, o triângulo ABC é retângulo isósceles. No
vértice A temos uma carga elétrica puntiforme Q
1
= + 3,0 nC e
no vértice B outra carga elétrica puntiforme Q
2
= + 4,0 nC. O
meio é o vácuo e
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = . Determine o módulo
(intensidade) de cada campo parcial, bem como do campo
resultante em C.

Solução:

Cada campo é calculado como se a outra carga elétrica não
existisse. Para calcular | E |
1

usamos apenas Q
1
e para calcular
| E |
2

usamos apenas Q
2
.


Atenção: d = 3,0 cm = m 10 3,0
-2
· .

C N 10 3,0 E
10 9,0
27,0
) 10 (3,0
10 3,0
10 9,0
d
| Q |
K E
4
1
4 2 2
9
9
2
1
0 1
· = ¬
·
=
·
·
· · = =
÷ ÷
÷


C N 10 4,0 E
10 9,0
36,0
) 10 (3,0
10 4,0
10 9,0
d
| Q |
K E
4
2
4 2 2
9
9
2
2
0 2
· = ¬
·
=
·
·
· · = =
÷ ÷
÷


A intensidade do campo elétrico resultante pode ser calculada por:

α cos E E 2 E E E
2 1
2
2
2
1 res
· · · + + =

Nesse caso, em que
2 1
E E
 
± , podemos usar o Teorema de Pitágoras. As duas expressões
são equivalentes, pois cos 90°= 0.

C N 10 5,0 E ) 10 (4,0 ) 10 (3,0 E E E E
4
res
2 4 2 4 2
res
2
2
2
1
2
res
· = ¬ · + · = ¬ + =

R6. Na figura abaixo, os pontos A, M e B estão alinhados. Sabe-se que AM = 2,0 cm e MB =
3,0 cm. O meio é o vácuo, onde
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = . Colocamos em A uma carga elétrica
puntiforme Q
1
= + 4,0 pC e em B uma carga elétrica puntiforme Q
2
= + 3,0 pC. Ambas criam um
campo elétrico na região que as envolve. Determine o campo elétrico resultante em M (módulo,
direção e sentido).



Solução:

Como as duas cargas Q
1
e Q
2
são positivas, elas
geram, independentemente, os respectivos campos
2 1
E e E
 
que se afastam de sua fonte. Assim:
1
E

afasta-se de Q
1
e
2
E

afasta-se de Q
2

O campo resultante em M é dado por:
2 1 res
E E E
  
+ = .
Temos, então:

3,0 cm
A
B C
3,0 cm
A
B
C
+
+
Q
1

Q
2

1
E


2
E

res
E


A M B
2,0 cm 3,0 cm
A M B
2,0 cm 3,0 cm
A
M
B
+ +
Q
1
Q
2

1
E


2
E

Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Junior Frota
[10]
C N 90 E C N 10 9,0 E
10 4,0
10 36,0
E
) 10 (2,0
) 10 (4,0
10 9,0 E
1
1
1
4
3
1
2 2
12
9
1
= ¬ · = ¬
·
·
= ¬
·
·
· · =
÷
÷
÷
÷


C N 30 E C N 10 3,0 E
10 9,0
10 27,0
E
) 10 (3,0
) 10 (3,0
10 9,0 E
2
1
2
4
3
2
2 2
12
9
2
= ¬ · = ¬
·
·
= ¬
·
·
· · =
÷
÷
÷
÷


Como
2 1
E e E
 
têm sentidos opostos, para calcular o módulo do campo resultante em M, basta
fazer:
C N 60 E 30 90 E E E E
res res 2 1 res
= ¬ ÷ = ¬ ÷ =

Sendo |E
1
| > |E
2
|, resulta que E
res
tem o sentido de
E
1
, como mostra a figura ao lado.



P8. Desenhe o vetor campo elétrico em P, resultante das ações das cargas, de mesmo
módulo, que aparecem nas figuras:












P9. Na figura ao lado os pontos A, M e B estão alinhados.
Sabe-se que AM = MB = 2,0 mm e que o meio é o vácuo,
onde
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = .

Determine a intensidade do campo elétrico em M, sabendo que em A e em B foram colocadas
duas cargas elétricas de mesmo módulo e sinais contrários, sendo Q
A
= + 2,0 µC e Q
B
= – 2
µC.

P10. (Mackenzie-SP) Considere a figura abaixo:








As duas cargas elétricas puntiformes Q
1
e Q
2
então fixas, no vácuo, onde
2 2 9
0
C m N 10 9,0 K · · = , respectivamente sobre os pontos A e B. O campo elétrico resultante
no ponto P tem intensidade:
a) zero
b) C N 10 4,0
5
·
c) C N 10 5,0
5
·
d) C N 10 9,0
5
·
e) C N 10 8 , 1
6
·


+ +

P
– –

P
+ –

P
A
M
B
+ +
Q
1
Q
2

res
E

A
M
B
+ –
Q
A
Q
B

A
P
B
+ +
Q
1
Q
2



20 cm
1,2 m
Q1 = 4,0 µC Q2 = 0,1 mC

0  10 9 C d  1.0  10 [2] .0  10  4 10  4 R2.6  10 8 11  10 8 .0  10 9 . R3.Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. de sinais contrários. Duas cargas puntiformes.3  10 9 3.6  10 9 3.0  10 3 m Usando a equação de Coulomb:  Q1  Q 2 F  K0  d2  9 9    F  9. com uma força de intensidade F  9.0 mm  1.0  10  5.0  5.0  10 9  10 6  10 6  d 2  1.0  5.0 nC cada uma. A distância entre elas é igual a 1. 1.0  1.0  10 6 10 6  F  225  10 3 N ou F  2. Junior Frota  Q1  Q 2 F  K0  d2  8 8    F  9.25  10 1 N 5.0  10  2  3. Use K 0  9  10 9 N  m 2 C 2 . Estando as cargas puntiformes em um meio que não seja o vácuo.0 nC  5.0  10 F  K0      F d2 9.0  5. Determine a intensidade da força elétrica. conforme mostramos na tabela ao lado.0  10 3       F 9.0  10  5.0 m 3 9.0 µC e Q2 = – 1. no vácuo. Valores da constante eletrostática K K  N  m2 C2 meio vácuo ar seco benzeno petróleo etanol água 9  10 9  9  10 9 2.0  10  2  1. 1.0  10  1.0 mm.0  10 9 F  1. 5. No vácuo estão duas cargas elétricas puntiformes idênticas de valor 5. Solução: É importante que trabalhemos com o módulo das cargas.0  10 9 .0 µC atraem-se.0  10 3 N . Solução: Inicialmente devemos converter todas as unidades para o SI: Q1  Q 2  5. a) Determine a distância que as separa.0  10 9 .0  10 3 N 9. 6 6  Q1  Q 2   Q  Q2    d2  K 0  1   d 2  9.0  10  2       F 9. Use K 0  9  10 9 N  m 2 C 2 .0  10 9  10 9  10 9 225. Q1 = + 1. a constante assume valores inferiores ao de K0.0  10 7 F  F  5.0  10 9  10 8  10 8 5.0  d  1. A Constante de Coulomb K A constante K que aparece na Lei de Coulomb tem o valor de K 0  9  10 9 apenas quando as cargas estão no vácuo.0  10 3         d2  9.

a nova força ficou reduzida a 1/3 do seu valor inicial. que estão separadas uma da outra por d  3. no vácuo. eletricamente carregadas com  8. mantidas à distância anterior. (Fuvest-SP) Duas partículas. c) de atração e igual a 6.0 pC. A força de interação eletrostática entre essas cargas é: a) de repulsão e igual a 6. F é o módulo da força elétrica.0  10 3 m . separadas uma da outra por 0.30 mm. porém continuará a ser de atração. Duas partículas eletrizadas com cargas elétricas opostas. são colocadas no vácuo a uma distância de 30 cm.5  10 10 C no 2 vácuo.0 µC e – 2.0  10 10 C e Q 2   2. pois as cargas têm sinais contrários. d) de atração e igual a 1. Determine a intensidade da força elétrica de atração entre Q1   4.0  10 5 N e K 0  9. Dado: K 0  9  10 N  m C 9 2 P3. Ocorrerá.6 N. Junior Frota b) Se as cargas fosses imersas em óleo. Dado: K 0  9.0  10 9. + 2. Nestas condições.0  10 6 C e Q 2  5. P5. Determine a intensidade da força elétrica entre Q1 = 1.0 nC. Dados: K 0  9  10 9 N  m 2 C 2 P2. o módulo da força de repulsão será: d) 2F F a) e) 4F 4 F b) 6 c) F [3] . P6.Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. e) impossível de ser calculada.0  10 3 N . (UF-RS) O afastamento entre duas cargas elétricas idênticas é D. no vácuo.6 N.0  10 6 C cada uma. b) de repulsão e igual a 1.0  10 9 N  m 2 C 2 .0  10 6 C .0 µC.4 N. Determine a força elétrica entre duas cargas puntiformes Q1  8.0 nC e Q2 = 5. P4. 1. então: F'  K  Q1  Q 2 d 2  F'  3. colocadas no vácuo e separadas por uma distância de 50 cm. Que distância separa duas cargas elétricas puntiformes. Determine a distância que as separa. para o óleo. onde K 0  9.0  10 9 N  m 2 C 2 . Exercícios Propostos P1. Use K 0  9.0  10   F'  3.0  10 9 N  m 2 C 2 . sabendo que Q 1 = Q2 = 1. no vácuo. K  3  10 9 N  m 2 C 2 .0  10 9 N  m 2 C 2 .0  10 6 6 3 1. F  9.4 N.0  10   1. Se dobrarmos as cargas e dobrarmos o afastamento. são colocadas. P7. qual a nova intensidade da força elétrica? Continuaria a ser uma força de atração? Use. no vácuo. Solução: No óleo a intensidade da força diminuirá.0 2 N Observamos que: F' K F' 3  10 9 F' 1 1       F'  F 9 F K0 F 9  10 F 3 3 Dessa forma. e atraem-se com uma força de intensidade F  9. próximas uma da outra.

na qual indicamos a direção e o  sentido do campo elétrico. ele tem direção e sentido definidos. esta ficará sujeita a uma força elétrica que. Para representá-lo. ou seja. conforme os sinais das cargas envolvidas. sendo q << |Q|. Aproximando-se uma carga de prova q de uma carga Q. colocada nessa região. Figura 1 – Carga elétrica q situada próxima a uma fonte geradora de campo elétrico Q. sempre haverá um campo elétrico que perde sua intensidade conforme a distância d da carga geradora do campo elétrico aumente. O campo elétrico é vetorial Do mesmo modo que o campo de gravidade do nosso planeta é vetorial. que denominaremos campo elétrico. apresentamos na figura abaixo uma esfera de dimensões irrelevantes. Isso significa que qualquer partícula eletrizada. o campo da carga fonte Q > 0 é de afastamento. pois surge nele um campo de forças elétricas. ora eletrizada com carga positiva [a]. Para exemplificar. Em torno da carga elétrica fonte. tem uma direção e um sentido em cada ponto do espaço. Junior Frota O CAMPO ELÉTRICO 1. a força elétrica que age sobre B será tanto menor quanto maior for a distância entre as duas cargas. [b] Por convenção.   E E +  E  E  E –  E  E  E [a] Figura 2 – Convenção do sentido do campo  E. pode ser de atração ou repulsão: + + + + Q + A + + + q>0  F + B – – – – Q – A – – –  F q>0 + B [a] Cargas de mesmo sinal se repelem. [4] . dependendo das cargas elétricas. usaremos o vetor E . Em torno de uma carga elétrica. + + + + Q + A + + + q + B  F1 q + B  F2   | F2 |  | F1 | 2. [b] Cargas de sinais diferentes se atraem. O conceito de campo elétrico O espaço que envolve uma carga elétrica se torna modificado.Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. também o campo elétrico é vetorial. fica sujeita a uma força elétrica de atração ou repulsão. e o da carga fonte Q < 0 é de aproximação. Se usarmos uma fonte geradora Q (A) e uma carga de prova q (B). fonte geradora do campo elétrico. ora eletrizada com carga negativa [b].

a direção e o sentido  desse campo e vamos representá-lo pelo vetor E (a). a força elétrica F terá a mesma direção e mesmo  sentido do campo elétrico E (b).Se o campo elétrico de uma região não varia com o decurso do tempo. Veja bem! . Mecanismo de ação do campo na carga de prova q Vamos tomar uma região do espaço onde exista um campo elétrico. mas sentido oposto a este (c).0 N/C.Sendo positiva a carga de prova q. surgirá nela uma força elétrica F .0 pC é colocada numa região do espaço onde existe um campo elétrico de intensidade E = 2. A intensidade da força pode ser calculada da seguinte maneira: F | q | E  F  (2. Uma relação com a força   Por definição. valendo as seguintes considerações:  . a) Determine a direção. . a força F e a carga de prova q é dada por:   F   E ou F  q  E q Dessa definição surge a unidade para o campo elétrico. conhecemos.Sendo negativa a carga de prova q.  . Se colocarmos aí uma carga de  prova q.A existência de um campo elétrico em determinado ponto do espaço independe de haver ou não nesse ponto uma carga de prova q.0  10 12 N ou F  4. a força elétrica F terá a mesma direção do campo  elétrico E . . Solução: A direção da força elétrica é sempre igual a do campo elétrico. o sentido e a intensidade da força elétrica. a relação entre o campo E . então o sentido da força é o mesmo do campo elétrico.0  F  4. no SI.0  10 12 N . que é o N/C. Visualizemos as duas propriedades:  E + [a]  E  F  F  E – [b] [c] R1. Sendo positiva a carga de prova. [5] .O campo elétrico gerado numa região do espaço depende exclusivamente da carga fonte e do meio.0 pN Resposta: Direção horizontal. ele será chamado de campo eletrostático. sendo positiva a carga de prova.O campo elétrico em determinado ponto do espaço não depende da carga de prova q usada no experimento. por hipótese. sentido para direita e intensidade F  4. . Uma carga de prova de módulo igual a 2. Junior Frota 3. 4. direção horizontal e sentido para direita.Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. sem nos importarmos com a carga fonte Q.0  10 12 )  2.

determine a carga da partícula. Como a partícula permanece em equilíbrio.2  10 12  m  2. e sabendo ainda que E  1.0 µC é colocada no campo elétrico uniforme da figura ao lado.0  F  4. a) Sabemos que esse campo tem intensidade constante E  2. q  E [6] .96  10 2 N C . Dado g = 10 m/s .0 pN Resposta: Direção horizontal.0  10 6 kg é colocada nesse 2 campo e permanece em equilíbrio.4  10 5 N C e) 4.8 m/s . A intensidade da força pode ser calculada da seguinte maneira: F | q | E  F | 2.0 µC. Sendo negativa a carga de prova. numa região em que existe um campo elétrico uniforme. Solução: Como visto na questão anterior. b) Represente a força elétrica que atua sobre a carga q. Assim.96  10 2 ) 1.2 N. concluímos que essas duas forças se cancelam. como mostra a figura ao lado.Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Devido à sua carga elétrica e ao campo. Numa região do espaço existe um campo elétrico vertical.0  10 13 kg P1.0  10 10 )  (1. (Mackenzie-SP) Uma carga elétrica puntiforme com 4. O campo elétrico nesse ponto P tem intensidade de: a) 3. o sentido e a intensidade da força elétrica. R2. o sentido da força é contrário ao do campo elétrico.0  10 12 N . sentido para a esquerda e intensidade F  4.0  10 12 N ou F  4.96  10 12 m  9. Determine a intensidade da força na carga q.0  10 10 C é colocada. Solução:  g  E   Seja F a força elétrica e P o peso da partícula. apesar da ação da 2 gravidade. Uma partícula de massa m  1. Uma partícula eletrizada com carga elétrica q  1.6  m  0.0  10 6 N C b) 2.0  10 5 N C d) 4.0  10 12 | 2. fica sujeita a uma força elétrica de intensidade 1.8 9. vertical e de sentido ascendente.  g  E q P2. próxima ao solo. sendo negativa a carga de prova. Junior Frota b) Determine a direção.0  10 7 N C . que é colocada em um ponto P do vácuo. a direção da força elétrica é sempre a mesma do campo elétrico. teremos: P  m  g qE    P  F  m g  qE  m  F  qE g q  g  F q  P  E m (1. c) 12  10 5 N C P3. ela permanece em equilíbrio. determine a massa da partícula. Dado g = 9.8  10 6 N C . Uma carga elétrica q = – 4. com sentido de baixo para cima e intensidade constante igual a E  130 N C .

0 mm dela. Solução: Devemos fazer d = 3. b) Qual a intensidade da força elétrica que atua sobre um próton no interior desse campo? (Carga do próton: 16  10 19 C .0  10 3 ) 2 9.0  10 5 N C (3. 5. no vácuo.0 mm = 3. R3.a intensidade do campo depende do meio que envolve a carga fonte. à medida que nos afastamos da carga produtora do campo elétrico. Consideremos a carga fonte puntiforme Q. Junior Frota P4. com o meio e com a distância.0  10 9 N  m 2 C 2 .0  10 9  3. não entendemos ainda de que modo ocorre essa variação. Uma carga elétrica puntiforme Q  3.0  10 3 m . separadas por uma distância d. Sua direção é horizontal e o sentido é da esquerda para a direita. no vácuo. E  K0  |Q| d2  E  9.) .Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. intensidade E  10  10 5 N C . Adote K 0  9. Intensidade do campo elétrico de carga puntiforme Sabemos que. Determine sua intensidade a 3.  Q F d q P  F Temos as seguintes equações: F  K0 | q||Q| d2 (intensida de da força) [1] F | q | E  E  Substituindo [1] em [2]. um campo elétrico. (Fuvest-SP) Numa dada região do espaço existe um campo elétrico uniforme de . para trabalhar no SI. . a) Represente as linhas de força desse campo. Seja P o ponto geométrico onde se encontra a carga de prova. Vamos então procurar uma equação que nos permita relacionar a intensidade do campo com a carga elétrica fonte.0  10 10 27  10 1 E  E  3.0  10 10 C gera.a intensidade do campo elétrico em P não depende do valor da carga de prova q. vem: F (intensida de do campo) [2] |q| E K0 |q||Q| d2 | q|  E  K0 |Q| d2 A equação deduzida nos mostra que: .0  10 6 [7] . No entanto. a intensidade desse campo diminui. e uma carga de prova q. pois esta foi cancelada na dedução acima. .a intensidade do campo elétrico é inversamente proporcional ao quadrado da distância do ponto P à carga fonte Q.

um campo elétrico de afastamento.0 pC colocada em P. Determine sua intensidade num ponto P a 0.0 pC.0  10 12 )  d 2  4.0  10 9 N  m 2 C 2 ).0  10 2  d   4. Dado: K 0  9. (Mackenzie-SP) A intensidade do campo elétrico.50 m de Q e num ponto R a 1.1  10 6 N C e) 2.0  10 9 )  (4. Para melhor exemplificar. Dado K 0  9. A que distância d de uma carga puntiforme Q = – 4.0  10 Obs. Como Q1 é uma  carga positiva.0 mm de uma carga elétrica puntiforme Q = 2. 6.A carga Q2 gera em P um campo elétrico E2.Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Essa força é de atração ou repulsão? P6.0  10 9 N  m 2 C 2 .0  10 9 N  m 2 C 2 . desenhamos o vetor E 1 afastando-se dela.7  10 6 N C d) 8. Junior Frota R4. Tomando um ponto P qualquer.7  10 9 N C  P7. Uma carga puntiforme Q = + 2.: Não consideramos o sinal negativo para o valor da distância d. o campo elétrico tem intensidade igual a 9. Solução: De E  K 0  K0 | Q | E |Q| d 2 .7 µC no vácuo ( K 0  9.A carga Q1 gera em P um campo elétrico E1. no vácuo.0 m dela. é: a) 2. Como Q2 é uma  carga negativa. num ponto situado a 3.0 µC. observamos que: .0  10 -6 C gera no espaço que a envolve um campo elétrico E .0  10 1 N C . Uma carga Q  2. gera. b) a intensidade da força elétrica que atuaria sobre uma carga de prova q = – 3. então em cada um de seus pontos o campo elétrico resultante será dado pela soma vetorial dos campos parciais produzidos por cada carga isoladamente.0  10 9 N  m 2 C 2 .0  10 2  d  2. determine: a) a intensidade do campo elétrico em P. desenhamos o vetor E 2 aproximando-se dela.0  10 1 m -1 9. próximo ás duas cargas. Campo elétrico gerado por diversas cargas puntiformes Se um campo elétrico for gerado por diversas cargas elétricas. no vácuo. .1  10 3 N C c) 2.0 mm da carga. P5. Considere um ponto P a 3. estudemos um campo elétrico gerado por apenas duas cargas elétricas puntiformes no vácuo: Q1 e Q2. o campo resultante em P será dado por:    E res  E 1  E 2 Q1 + d1  E2 P α  Eres  E1 Q2 – d2 A intensidade (módulo) do campo elétrico resultante é: 2 Eres  E1  E 2  2  E1  E 2  cos α 2 [8] . Assim. vem: d 2  d2  (9.7  10 3 N C b) 8. Use K 0  9.

Assim:   E 1 afasta-se de Q1 E 2 afasta-se de Q2 e    O campo resultante em M é dado por: E res  E 1  E 2 . E1  K 0 | Q1 | d2  9.0  10 ) 9. Na figura abaixo. elas + geram. em que E 1  E 2 . onde K 0  9.0  10 9 27.0 cm Atenção: d = 3.0 pC e em B uma carga elétrica puntiforme Q2 = + 3.0 cm B + Q2 [9] .0 cm C A Q1 + B 3.0  10 9  4.0  10 9   E2  E res C  E1 + B Q2 3.0  10 ) 9. bem como do campo resultante em C.0  10 -2 m . direção e sentido).0  10 4 N C 2 2 (3. A 3. Determine o campo elétrico resultante em M (módulo. 2 2 2 E res  E1  E 2  E res  (3. Temos.0 pC.0  10  4 E2  K 0 | Q2 | d2  9. os respectivos campos   Q1 E1 e E 2 que se afastam de sua fonte.0  10 4 N C 2 R6.Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Para calcular | E 1 | usamos apenas Q1 e para calcular  | E 2 | usamos apenas Q2.0  10 9 N  m 2 C 2 . Sabe-se que AM = 2. O meio é o vácuo.0 nC.0  10 4 ) 2  E res  5. No vértice A temos uma carga elétrica puntiforme Q1 = + 3.0   E1  3. As duas expressões são equivalentes. O meio é o vácuo e K 0  9. Junior Frota R5.0  10 9 36. Colocamos em A uma carga elétrica puntiforme Q1 = + 4.0  10 9 N  m 2 C 2 .0 cm e MB = 3. Ambas criam um campo elétrico na região que as envolve.0  10  4 A intensidade do campo elétrico resultante pode ser calculada por: 2 Eres  E1  E 2  2  E1  E 2  cos α 2   Nesse caso. Determine o módulo (intensidade) de cada campo parcial.0 cm Solução:  A E2 M Como as duas cargas Q1 e Q2 são positivas.0 cm. o triângulo ABC é retângulo isósceles. pois cos 90° = 0. A M B 2.0  10 4 ) 2  (4.0 nC e no vértice B outra carga elétrica puntiforme Q2 = + 4. Na figura ao lado.0  10 4 N C 2 2 (3. independentemente. os pontos A. então:  E1 3. podemos usar o Teorema de Pitágoras.0   E 2  4.0 cm = 3. M e B estão alinhados. Solução: Cada campo é calculado como se a outra carga elétrica não  existisse.

0  10 9 N  m 2 C 2 .0 mm e que o meio é o vácuo.0  10 1 N C  E 2  30 N C (3.1 mC B + Q2 As duas cargas elétricas puntiformes Q1 e Q2 então fixas. M e B estão alinhados. de mesmo módulo.0  10 9  E 2  9.0  10 12 ) 36.0  10 9  (4.0  10 N C .0  10  4   Como E1 e E 2 têm sentidos opostos. onde K 0  9.0  10 9 N  m 2 C 2 .0 µC e QB = – 2 µC.0  10 1 N C  E1  90 N C (2. Desenhe o vetor campo elétrico em P.2 m Q1 = 4. A + QA M B – QB Determine a intensidade do campo elétrico em M. (Mackenzie-SP) Considere a figura abaixo: A P Q1 + 20 cm 1. para calcular o módulo do campo resultante em M. Junior Frota E1  9. P10.0  10  4 (3.0  10 2 ) 2 4. sabendo que em A e em B foram colocadas duas cargas elétricas de mesmo módulo e sinais contrários. resultante das ações das cargas.Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof.0  10 5 N C 5 b) 4. sendo Q A = + 2.0  10 12 ) 27.0 µC Q2 = 0.0  10 3  E1   E1  9.0  10 3  E2   E 2  3. A + Q1 M  Eres B + Q2 P8. Na figura ao lado os pontos A.0  10 N C [10] . O campo elétrico resultante no ponto P tem intensidade: a) zero d) 9. que aparecem nas figuras: P● P● P● + + – – + – P9. onde K 0  9. como mostra a figura ao lado. resulta que Eres tem o sentido de E1. basta fazer: Eres  E1  E 2  Eres  90  30  Eres  60 N C Sendo |E1| > |E2|.0  10 2 ) 2 9. respectivamente sobre os pontos A e B. Sabe-se que AM = MB = 2. e) 18  10 6 N C 5 c) 5. no vácuo.

0 ⋅ 10 -6 C 3º e 4º Períodos Prof.0 nC. Dado: . Junior Frota . K 0 = 9.0 ⋅ 10 9 N ⋅ m 2 C 2 parcial.A carga Q1 gera em P um campo elétrico E1.0 cm B 2 A 1 + 3 3. o campo resultante em P será dado por:    E res = E 1 + E 2 A intensidade (módulo) do campo elétrico resultante é: 2 E res = E 1 + E 2 + 2 ⋅ E 1 ⋅ E 2 ⋅ cos α 2 C.0 Q R5. Solução: [11] . próximo ás duas cargas. então em cada um de seus pontos o campo elétrico resultante será dado pela soma vetorial dos campos parciais produzidos por cada carga isoladamente.A carga Q2 gera em P um campo elétrico E2. desenhamos o vetor aproximando-se dela. O meio é o vácuo e .  E1 . Como Q2 é uma carga negativa. Na figura ao lado.0 nC e no vértice B outra carga elétrica puntiforme Q 2 = + 4. estudemos um campo elétrico gerado por apenas duas cargas elétricas puntiformes no vácuo: Q1 e Q2. observamos que: .Apostila de Física – 3º Ano “A” P7. Uma carga Q = 2. bem como do campo resultante em C. Campo elétrico gerado por diversas cargas puntiformes – + Q1 d2 P1 α2 Se um campo elétrico for gerado por diversas cargas elétricas. Determine o módulo (intensidade) de cada campo K 0 = 9. o triângulo ABC é retângulo isósceles.0 ⋅ 10 9 N ⋅ m 2 C 2 6. gera no espaço que a envolve um campo elétrico  E Determine sua intensidade num ponto P a 0.0 m dela. Como Q1 é uma carga positiva. Tomando um ponto P qualquer. No vértice A temos uma carga elétrica puntiforme Q1 = + 3. desenhamos o vetor afastando-se dela.  E2 Assim.50 m de Q e num ponto R a 1. Para melhor exemplificar.

0 ⋅ 10 4 ) 2 + (4.0 ⋅ 10 − 4 4.0 ⋅ 10 ) 9.0 = ⇒ E 2 = 4. elas geram.0 ⋅ 10 -2 m .0 ⋅ 10 4 ) 2 ⇒ E res = 5. O meio é o vácuo.0 = ⇒ E 1 = 3.0 ⋅ 10 9 ⋅ 3. onde .0 cm = 3.0 cm. pois cos 90° = 0. Atenção: d = 3.0 cm e MB = 3.Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof.0 pC e em B uma carga elétrica puntiforme Q2 = + 3.0 ⋅ 10 − 4 E2 = K 0 = 9. os pontos A.0 ⋅ 10 ) 9.0 R6.0 cm B A 3. 2 2 2 E res = E 1 + E 2 ⇒ E res = (3. M e B estão alinhados.0 ⋅ 10 4 N C −2 2 (3. Para calcular  | E1 | usamos apenas Q1 e para calcular  | E2 | usamos apenas Q2. M1 B A2 + Q Como as duas cargas Q1 e Q2 são positivas. Determine o campo elétrico resultante em M (módulo. Na figura abaixo. Colocamos em A uma carga elétrica K 0 = 9.0 ⋅ 10 9 ⋅ A intensidade do campo elétrico resultante pode ser calculada por: 2 E res = E 1 + E 2 + 2 ⋅ E 1 ⋅ E 2 ⋅ cos α 2 Nesse caso. As duas expressões são equivalentes. E1 = K 0 | Q1 | d2 | Q2 | d2 = 9. Junior Frota Cada campo é calculado como se a outra carga elétrica não existisse.0 ⋅ 10 4 N C −2 2 (3. Sabe-se que AM = 2. Assim:   E1 e E 2 [12] .0 ⋅ 10 4 N C 2 M 2. em que   E1 ⊥ E 2 .0 ⋅ 10 −9 36. Ambas criam um campo elétrico na região que as envolve. independentemente. direção e sentido). podemos usar o Teorema de Pitágoras.0 pC.0 ⋅ 10 −9 27.0 ⋅ 10 9 N ⋅ m 2 C 2 puntiforme Q1 = + 4. os respectivos campos que se afastam de sua fonte.

sabendo que em A e em B foram colocadas duas cargas elétricas de mesmo módulo e sinais contrários.0 ⋅ 10 9 N ⋅ m 2 C 2 Determine a intensidade do campo elétrico em M.0 ⋅ 10 −3 ⇒ E2 = ⇒ E 2 = 3.0 ⋅ 10 9 ⋅ Como   E1 e E 2 têm sentidos opostos.0 ⋅ 10 − 4 E 2 = 9. M e B estão alinhados.0 mm e que o meio é o vácuo. de mesmo módulo.0 ⋅ 10 − 4 (3. sendo QA = + 2. O campo resultante em M é dado por:    E res = E 1 + E 2 Temos.0 µC e QB = – 2 µC. resultante das ações das cargas.24.0 ⋅ 10 −2 ) 2 4.0 ⋅ 10 −12 ) 27. então: E 1 = 9. Desenhe o vetor campo elétrico em P.0 ⋅ 10 −2 ) 2 9.0 mC +1 Q 2 1 [13] .0 ⋅ 10 9 ⋅ (4. Q20 cm µC B m P2 = 0.Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos e afasta-se de Q2 Prof.1 A1. como mostra a figura ao lado. P8. Junior Frota  E1 afasta-se de Q1  E2 . que aparecem nas figuras: ● P – + MA B AB – + Q P9. onde . K 0 = 9. Na figura ao lado os pontos A.0 ⋅ 10 −12 ) 36.0 ⋅ 10 1 N C ⇒ E 2 = 30 N C (3.0 ⋅ 10 −3 ⇒ E1 = ⇒ E 1 = 9. para calcular o módulo do campo resultante em M.0 ⋅ 10 1 N C ⇒ E 1 = 90 N C (2. resulta que Eres tem o sentido de E1. Sabe-se que AM = MB = 2. basta fazer: M1 B A2 + Q Sendo |E1| > |E2|.

0 ⋅ 10 5 N C e) 5. no vácuo. respectivamente sobre os pontos A e B.0 ⋅ 10 N C 5 1. O campo elétrico resultante K 0 = 9.8 ⋅ 10 6 N C [14] . (Mackenzie-SP) Considere a figura abaixo: As duas cargas elétricas puntiformes Q1 e Q2 então fixas.0 ⋅ 10 N C c) 9.0 ⋅ 10 9 N ⋅ m 2 C 2 no ponto P tem intensidade: a) zero b) d) 5 4.Apostila de Física – 3º Ano “A” 3º e 4º Períodos Prof. Junior Frota P10. onde .