r

I

I
lista 6: Gabarito
1) Dar um sistema de geradores para cada um dos seguintes sub-espaços do R 3 :
a) U = {(x,y,z)

°

E

R31x-2y

= O};

Como x-2y = temos x = 2y. Assim:
(x, y, z) = (2y,y,z) = y.(2,1,0)+z.(0,0,1)
Portanto U =[(2,1,0),(0,0,1)].

°

b) V = {(x,y,z) E R3Ix+z=
e x-2y = O};
Como x + z = Otemos z = -x. De x -2y = temos -2y = -x ou y = x/2. Assim:
(x, y, z) = (x,x/2, -x) = x.(1, Yz, -1)
Logo V = [(1, Y2, -1) ].
c) W = {(x,y,z)

E

°

R31x + 2y - 3z = O};

Temos x = 3z-2y. Assim:
(x, y, z) = (3z-2y,y,z) = y(-2,1,0)+z(3,0,1)
Logo W = [(-2,1,0), (3,0,1)].
d) UnW;
(x,y,z) E U nW se e só se x-2y = e x +2y- 3z = O.
Logo x = 2y e 2y+2y-3z = o que implica em z = 4y/3. Assim:
(x,y,z) = (2y,y,4y/3) = y.(2,1,4/3) e U nW = [(2,1,4/3)].

° °

e) V + W.
V = [(1, Yz , -1)]
W = [(-2,1,0), (3,0,1)]
V + W = {v + w I v E V e W E W} = {a(1, Yz, -1) + b(-2,1,0) + c(3,0,1) I a,b,c E R}
Assim V + W = [(1, Yz , -1), (-2,1,0), (3,0,1)], o que conclui o solicitado. Mas, sendo
(x,y,z) E R3, veja que da igualdade:
(x,y,z) = a. (1, Y2, -1) + b. (-2,1,0) + c. (3,0,1) = (a-2b+3c, a/2 +b, -a+c)
obtemos o sistema linear:
-2b
+Sc =
-2b
x
+Sc =

{~:

+b
+c

r

=

xy~

=

z

r

-4b

+3c

=

x-2y~

-2b

+4c

=

x+z

-2b

+3c

=

x

-4b

+3c

=

x-2y

5c

=

x+2y+2z

que é possível e determinado. Logo V+W = R3.
2) Verificar se as seguintes matrizes geram o espaço vetorial M 2 (R):

;.,.::,

\

d (1 yoo gera o sistema linear: x +y x a +w = b z +w = C +z +2w = d +y = a +w = b z +w = C +z +3w = y R} .2). Como a igualdade 1J+z(0 = y X E 11 °J+w(O 12 1J.0.(3.3.-1.Denotemos M.1)} e {(-1.=(a +y x x bJ = a +w = b z +w = C +z +2w = d-a y -y cd +y y z d-a+b = a +w = b +w = C +2w = d-a+b-c que é possível.(3.-4)} mesmo sub-espaço vetorial do R 3• geram o \ . 3) Mostrar que os dois conjuntos {(1.3). (R) ~ {( : x(l 01 0J+ : ]a.-2. c. b. temos que as matrizes dadas geram M2 (R).

-1) = (0.(1.5)}.0.0).0.(1.0) °°~ = ° a + b + 3c = a + 2b + 2c = Como o sistema { a +b .0. lista 7: Gabarito 1) Verificar se os subconjuntos do R3.1).0.0. 1)+d(2. c) {x(x-l). a(1.0.0) a Como o sistema b { ° ° =° + 2d = + 3d = c + 5d é indeterminado temos que o conjunto dado é LD.1.x2 -i Lx-i-Lx" -1}.2.x-l.O.1).•. b) {2x.2.0.b )+( c.c °° .a)+(b. a+2b+2c.x3 .0)+c(0. O conjunto dado é LD pois ele contem o vetar nulo.0) (a+b+c. 2) Verificar independentes: se os subconjuntos a) {1.1).0.-2c) = (0.0.0) Como o sistema {: + b + c : ~ ~ {a :: a + b .0.2b.3.b+3d.O)+(O.b.I) +b(1.0) (a.O)+(O.3c = ° conjunto dado é LI.0.0. de P4 (R). são linearmente independentes: a) {(1.1)+c(3.0) (a+2d.-1)}.2.3d.O.-2) = (0.1) +b(1.0.I.0.1. - x2 . (0.0) (a.3).(0.O.0. dados abaixo.(3. a(1 .a.3.a)+(b.0).(1.5d) = (0.c )+(2d.1.0) (a+b+3c. abaixo. d) {(1.0.0) (a.0.-c) = (0.(1. b) {(1.=° {a + b + c = b .0). c) {(0.b)+(3c.1.1). O conjunto dado não é LI. a(1.c+5d) = (0.5) = (0. 2. são linearmente .1)+c(1. a. 1.1.0.2x3 O conjunto dado não é LI.(4.c = é determinado temos que o 4c conjunto dado é LI. (2. a+b-2c) = (0.1).-2)}.2.x2 +Zx +Lx"].2c.-2)}.2c = ° :: : ~ é determinado temos que o . O conjunto dado não é LI.0)+b(0.a.x}.0. a+b-c) = (0.

Para mi-O o conjunto é LI. Para m i.m -I}.(2.1 e n i.o conjunto é LI.m.5 o conjunto é LI. v.d) {X4 + x-I. ° 4) Seja {u.1). Para m i. v+ w} .u+ 3v-w.n). x ' O conjunto dado é LI.m+ 1. éLD.m + n.x2 -I}.3w.2.3)}.(2.1O)}. sejam LI: dados abaixo. a) {(3. X + 1.5m. b) {(1. (1.5). w} um conjunto LI de vetores de um espaço vetorial V. 3) Determinar m e n para que os conjuntos de vetores do R3.4). Provar que o conjunto: {u+ v.0. c) {(6.(3.3.

0) = (0.0) (2aI. t) ° E R 4!X.lista 8: Gabarito 1) Dar uma base e a dimensão a) W={(x.l. a2.1.1)+z(0.1 )+a2(0. Portanto V + W = R3.0.0. d)UnV. ai) = (0.0. Então. (0. Logo (x.1.0)} é base de W e dim W = 2. Uma base é {(1. Logo (x.0) = (0. y.2)} e a dimensão é 3.1. ai. e W = [(1.1.0.1).1)} e a dimensão é 2.0. B = { (1.0. (0.1)} e a dimensão é 1.0.0.0) (2al.0.0). consideremos E R31x U = {(x.1.0. onde: do sub-espaço R4!x-y=y·ex-3y+t=0}.0) geram W.1.2.0. Vamos verificar se VI e V2 são LI: al(1.1. Determinar uma base e a dimensão de cada um dos seguintes sub-espaços: a) U. aI.-3)+z(0. y..0). Uma base é {(0. c) W. t) = (y. Uma base é {(1.0. Portanto. z.0.z) os seguintes E = 3 R !y-2z= sub-espaços: O}. y.0). ° Como x-y = y temos x = 2y e como x-3y + t = temos t = 3y-x= 3y -2y = y.1. (0.1.y.0).0.0.-3y) = y(1.0) = (0.-3al)+ (0.0.0.0) = (0.-3)+a2(0. z. -3al) = (0. z. 1. t) = (2y.t) E W do R 4 .1.0) (ai.2. a2.0.0). ° ° 2) No espaço vetorial R3. O}.1. os vetores VI = (2. a2.0.0. Uma base é {(1.0) geram W. Vamos verificar se VI e V2 são LI: aI (2.0. z.0.0. Então.-3)e V2=(0.O.0.0.2)} e a dimensão é 2.0.1. e) V + W.y.0).1.1). y.(0.0.0.0.0)} é base de W e dim W = 2.-3). Logo ai = e a2 = e VI e V2 são LI.1. y) = y(2. (0.0) (a. (0.0). b) W = {(x. y.1)} e a dimensão é 2.0.0. ° ° Logo ai = e a2 = e VI e V2 são LI.y = ° e x + 2 y + t = O}. .0).y.1.0.0.z. (0.1. ° Como x-y = temos x = y e como x+2y+t = temos t = -x-2y = -y-2y = -3y. (0. B = { (2.0. Portanto.2.. a2.1. Uma base é {(0. z. b) V.1) e V2 =(0.0. a. os vetores VI = (1.2)].0).0. al)+ (0. ai.0.z) V = {(x.

0. . 4) Determinar uma base de R 4 que contenha os seguintes vetores: (1.t = y + 2z .f) U + v + w.I.1..2.1). y .4t = 2y + 5z + t = . l+t " 1-t2 -e e 1-t-t2 .1). 6) Determinar uma base e a dimensão do espaço solução do sistema: rx-y-z-t=O S:~3x- l X { S: 3x . ° {X °~ ° y +2z-4t=0. Como 1 1 1 1 ° (1 1 (0. O) R} e aSSImo seu conjunto so uçao e Z E Logo uma base é {( -} . 0)1 uma base do R é {(l.l.t = 2y + 5z + t = ° {X °~ ° 1 .0).0). 3) Mostrar que as matrizes: formam uma base de M2 (R).z . - Y .0) e (1.{( 2 -3 z. (1.z . formam uma base de P3(R).1. 1 5) Mostrar que os polinômios: 1.1. 2 -5 z.1)}. z.1. 4 (0.0.2. 2y + 5z + t = - ° Y .1. 3 Observe que U + V + W = R e portanto a dimensão é 3 e uma base é a base canônica.O)} e a dimensão é I.0.t = 2y + 5z . -. .z 2y + 5z - t = t = 2t = ° ° ° .1. .

4) No espaço R3. Sendo C = Ic.2).1- e} para uma base C. b) {(1.1). C2} temos: 2 c1 = 1(I+t) + 1(1-t ) {c .0)}.1(1-t2) 2 = 2(I+t) d d 2 b {c1 =_t +t+2 e on e o temos c2 =t2 +2t+l C = {-e +t+2.0).1. ambas do mesmo sub-espaço de P2 (R) é: Determinar a base C. c) {(1.(1.2. As coordenadas são [ -:5) . consideremos relacionadas da seguinte maneira: L .-5. em relação à base: +1.1)..1.e3} e C={gpg2.3) E R3.4)}. -3 1 °1 3) A matriz de mudança da base {I + t.2-t.lista 9: gabarito 1) Determinar as coordenadas do vetor u = (4.(1. as bases B={epe2. As coordenadas são 1 111 21/ 1 .t2 As coordenadas são e E P3(R).2. em relação às bases: a) Canônica.I+t+e}. ogo: e +2t+1}. (3.3. As coordenadas são [ ~5 ) .(0.g3} .1. 4J{ 23/ 111 2) Determinar as coordenadas do polinômio {1.

+ e3 a) Determinar a matriz de mudança da base B para a base C e da base C para a base B. quais as coordenadas de u em relação à base C? Seja Y as coordenadas de u em relação à base C. 2.r gl ~ g2 193 = e1 = = 3e1 - e2 - e3 2e2 + 3e3 . A matriz de mudança da base B para a base C é P = [~ 1 ~ -1 1 da base C para a base B é p- = 3 ~J. 1 3 -2 b) Se um vetor u de R 3. apresenta as coordenadas 1. e 3 em relação à base B. Sendo P a matriz de mudança da base B para a base C temos que: y~p-lm~[~~ =3:}2mJ ~ [-n . A matriz de mudança 1 [=~ =: ~J.

7) + z(-2.O).z) = (x. y.2. d) F4(x. Temos: (x.3x2 +2Y2.O) = (5.O) + yF(O. + Sccy.3.y.x.y. F(O. É uma transformação linear.a(3x.X2 +7Y2 +7z2) = = F(x]. = (a(2x1 +5Y1-2z.y.x. Determinar F(x. +x2)+7(y.z). +5Y2 -2z1 -2z2.I.) .I) = x(2.O) + y(O. +2x2 +SY2 -2z2.O.3x] +Zy. +7z.lista 10: gabarito 1) Quais das seguintes aplicações de R 3 ~ R 3 são transformações lineares? a) F](x.).O.x+y.z) é um vetor genérico do R3. +7z. 3 3 2) Seja F: R ~ R o operador linear assim definido na base canônica: F(l.y.7).1).I).y.O.3.a(x1 +7y.Z2). +SY1 -2zp3x1 +2Ypx1 +7y.z2)ER3e F((xpypz])+(X2'Y2.2. Seja (x.Z2»=F(x] = (2(x] +x2)+S(Y1 aER: +x2'Y] +Y2'Z] +Z2) +Y2)-2(Z1 +z2).O.I. z) é um vetor genérico do R 3.O.y. b) F2(x.O) + z(O. É uma transformação linear. -2azp3ax. +7az.y. F(O.z) = xF(1.7).1) + y(S.).z) = (2x-y+z.(X2'Y2. c) F3(x.0.I) = (-2. +2aYpax] +7ay.) + F(x2.z) onde (x.O.O).O. +2y.X1 +x2 +7y.2zp3x] + 2y" x1 + 7y] + 7z.0. +7zJ) = a(2x] + Sy. Mostrar que F realmente é um operador linear. É uma transformação linear.y.)+(2x2 +SY2 -2z2. +Y2)+7(z.z) = (x-y. F(a(xpypz]» = F(axpaYpaz1) = (2ax.z) = x(1.x).3(x1 +x2)+2(Y1 +Y2)'(X.O) = (2. +7Y2 +7z1 +7z2) =(2x] +SY1 -2z.7) = (2x + Sy . x + 7y + 7z). Sejam (xpypz])ER3.) = aF(x"y"z1)' Logo F é uma transformação linear. +Z2» = (Zx. 3x + 2y. +x2 +7Y2 +7z2) (Zx. Y2 .2z.3x1 +3x2 +2Y1 +2Y2. +3x2 +2Y2'X. ypz. Logo: F(x. .I. +7y. +2x2 +Sy. Não é uma transformação linear.O) + zF(O.z) = (2x2 +3y.

4) = 2F(1.O) = (2.z.x- z.y.z) = (2x - A matriz canônica é C 2 = c) F3(x.0.x.1.18).x).O).y. e assIm temos y=- 4 e x=-.4).y. 4) Seja F o operador linear do R2 tal que: F(1. b) F(u) = (1.0).0.z. 1 A matriz canônica é C3 = 1 [ 1 °° ° .I) = x(2.I) = (1. Y+ z. F(x.0.O).1) + 4(1. a) Determinar F(2. y.4).y) E R2 tal que F(x. x + t) é um operador linear.t) = (x.z.t) = (x + 1. { x + 4y = 3 7y = 4 .y. t) não é um operador linear.x+y. 5.3).4) = (8.z.y. z + 1.ouseJa.y.t) um vetor genérico do R4• Quais das aplicações definidas abaixo são operadores lineares do R 4 ? a) F( u) = u + (1.y) = -. 7 (5 4) (x.0) + 4F(0.O) + yF(O. F(x..y + z. F(2.y) = xF(1.y.1) e F(O. 7 7 7 5) Para cada uma das transformações lineares do exercício 1) determine a matriz canônica: a) F1(x.3). 2° -1° lJ [ ° ° ° O.1) não é um operador linear.x-i t).1) = 2(2. b) Determinar (x. Logo: 2X + Y = 2 ~ {2X + Y = 2. c) F(u) = (x. y + z.1.1). F(x.z) 1 O. F(x. x .z.3) Seja u=(x. 1 -1 0J [ ° ° ° A matriz canônica é C1 = 1 b) F2 (x. = (x.4) = (2.y) = (2.1) + y(1.t) = (1.O.1.z) = (x-y.

b.O. b3.O) = . (0.0. C3.O. d-.lista 11: gabarito 1) Para cada uma das transformações dimensão do núcleo e da imagem: a) F:R3 ~ R dada por F(x.O) = (-1.O.O.O.. Uma base para Ker(F) é B = {(-1.I) deve ser diferente de (0.0).O. b2.O.0.0.0).l. ~ O.1.0. a.x+b. a2.1. (R) Ker(F) ~ {( ~ t) = (x- = 2. (R) = (2x. (0.y+c.O).z. C4 e d.0).z.0) e (1. d) F:M.1. Ker(F) = {(O.t.O.T(1.x+b. ~ 2 ~ 4.1)} e assim dimflrruf') c) F:R3 uma base e a x+y-z. Y .y.0.-y).0.0.1.1)} Como Im(F) = R temos dimrlmff') = 1.y.0).x + Y + z. Como T(1.y+c-z+d-t.0.1. (-1.. Como desejamos um operador escolhemos: T(1.0.0. Sabemos que se T : R 4 ~ R 4 é definida por: T(x.0) pois caso contrário (0.-1.2x- y+ z. linear do R 4 cujo núcleo é gerado por: (1. ~J[~~JG~J[~:)}e é B ~ {[ ~ ~ = ~) -> M. d.XM onde M ~ (~ Uma base para Ker(F) 2) Determinar 2.1.1) E Ker(F) o que não é verdade pois Ker(T) = [(1.2.0) + (0.0. determinar ) } e assim dim(lm(F)) 2 ~ 4 ~). d3. = O. T(O. (R) dada por F(X) ~ MX + X onde M ~ (~ Uma base para Im(F) é C ~ {[~ Uma base para Im(F) é C ~ {[ ~ um operador J[~ ~)} J[~ _° assim diln(lm(F)) e assim dim(Ker(F)) 2 -0 3.0)} e assim dimflnuf') -> M.0.0). aa.1.O) = (0.t) = (a.1).O) = (0.. Observe ainda que T(O.0) = (1. c. Ker(F) = {(O..O) = (1.-1). (-1.0. a3.x+bay+caz+dat) onde ai.1.0) e .0.0. Além disso T(O. são números reais para todo (x. (R) dada por F(X) ~ MX .O)} e assim dim(Ker(F» = O.t) E R4 é um operador linear. a-x+b-y+c-z+d-t. a.1.O)} e assim dim(Ker(F» Uma base para Im(F) é C = {(1.l.1.0.O.O.0.0).l.I.0.y. C2.y) = e assim dim(Ker(F» ~ R 4 dada por F(x. Uma base para Im(F) é C = {(2.y.x+y).z+d. ~)} e assim dim(Ker(F)) e) F: M. b.0) e (0.0.0) segue que: T(O.z) = lineares ~ R2 dada por F(x.0. b) F:R2 abaixo.z.0.O.0). (1.1.z.

Logo: F(x.O..C2.z) = xF(1. Daí: Uma base para Ker(F) é B = {(1.1. a2.O.b2. De T(O.y+c.0.y.0).0. 4) Seja F:R 3 ---+ R 3 definida por: F(l.2) + z(0. y.z) = x(1. C3.b3.l.0).2).-1.0.0) e T(O. (0.0.0. Temos: (x.0. Logo T(x.z.y.0. Seja (x.O.d2.0) obtemos (bI.1. 0.0) e (CI.a2.O) + y(O.O) = (0.a3) = (0.0. a2x+b2Y+C2Z.l.0.O.y.0.O).C3)= (0.b3.0.1.l.x+b.l) = x(1.O) = (0.1. b2. (b1.0. Como dim(Ker(T)) = 1 temos que dim(Im(T)) = 2 e assim podemos escolher: T(l. De T(l.a3. Observe que não poderíamos escolher também T(O.d4) = (0.O.0).O) = (1. t).O) + yF(O. De T(O.0) obtemos (c] .y.0.O. z) é um vetor genérico do R3.C2.0.O.0.l) = (k. x + y.a3.z. b.a3x+b3Y+C3Z.b2.O.0). e C4são números reais para todo (x.z.) E R3 é um operador linear.0. Sabemos que se T : R 3 ---+ R 3 é definida por: T(x.O. Daí obtemos (aI.1). C2.O.l . F(O.l.0.l) = (0. pois neste caso dim(Im(T)) = 1 contradizendo o teorema do núcleo e da imagem.O.0.l.O. T(O.y.0.O) = (1.1)} e assim dim(Im(F)) = 2.O) = (1..O) + z(O.l) = (0.0).0.l) = (0. Logo T(x.O. .0.O.T(O.O) + y(1. Determinar uma base para Ker(F) e Im(F). z).0.b4) = (-1. y.(4.1.O.0. b. Uma base para Im(F) é C = {(1.0.1).1. 0.a2.b3) = (0.{4) = (1.l).z) = (O.z) = (a.O) = (0. 2y+ 2z).com k s R*.1).O. c].t) = (x-y.O.C4) = (0.(4x+b4Y+C4Z) onde a.d3.0) obtemos (aI.O) = (-1.0).l) = (0.O.1) obtemos (dI.O.2).C3.0.2) = (x + y. De T(O.0).y. 3) Determinar um operador linear do R3 cujo núcleo tenha dimensão 1.O.1).1)} e assim dim(Ker(F)) = l.O) + zF(O.l. F(O.