You are on page 1of 5

O Anticristo (2Ts 2:1-12) Lição 12

VERSO PARA MEMORIZAR:

15 a 22 de setembro “Não deixem que ninguém os engane de modo algum. Antes daquele dia virá a apostasia e, então, será revelado o homem do pecado, o filho da perdição” (2Ts 2:3, NVI).

O apóstolo Paulo advertiu a igreja a não esperar a vinda de Cristo em seu tempo. "Porque não será assim", diz ele, "sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado." II Tess. 2:3. Não poderemos esperar pelo advento de nosso Senhor senão depois da grande apostasia e do longo período do domínio do "homem do pecado". Este "homem do pecado", que também é denominado "mistério da injustiça", "filho da perdição", e "o iníquo", representa o papado, que, conforme foi anunciado pelos profetas, deveria manter sua supremacia durante 1.260 anos. Este período terminou em 1798. A vinda de Cristo não poderia ocorrer antes daquele tempo. Paulo, com a sua advertência, abrange toda a dispensação cristã até ao ano de 1798. É depois dessa data que a mensagem da segunda vinda de Cristo deve ser proclamada. Semelhante mensagem jamais foi apresentada nos séculos passados. Paulo, como vimos, não a pregou; indicara aos irmãos a vinda do Senhor num futuro então muito distante. Os reformadores não a proclamaram. Martinho Lutero admitiu o juízo para mais ou menos trezentos anos no futuro, a partir de seu tempo. Desde 1798, porém, o livro de Daniel foi descerrado, aumentou-se o conhecimento das profecias, e muitos têm proclamado a mensagem solene do juízo próximo. O Grande Conflito, p. 356. Objetivo: Entender que as profecias referentes a volta de cristo, necessitava primeiramente do cumprimento profético relativo apostasia, e ao homem do pecado, o filho da perdição, diferentemente da época dos tessalonicenses, que isso estava no futuro, temos esse fato cumprido de forma precisa, e a nossa mensagem é que Jesus está perto, as portas. Domingo: O problema (2Ts 2:1-3) 1. Qual é o tema abordado por Paulo no capítulo 2 da segunda carta aos Tessalonicenses? Qual é a importância dessas palavras para nós hoje? Apesar das diferenças do nosso contexto, temos desafios semelhantes a respeito dos eventos finais (marcação de datas, teorias da conspiração, etc.)? Enfrentamos tendências semelhantes às que o texto apresenta? 2Ts 2:1-3 Irmãos, no que diz respeito à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com ele, nós vos exortamos a que não vos demovais da vossa mente, com facilidade, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como se procedesse de nós, supondo tenha chegado o Dia do Senhor. Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniqüidade, o filho da perdição, (2 Ts 2:1-3) - Com referência a vinda de cristo, Paulo persuadia os tessalônios para que não ficassem confusos, nem assustados se alguém afirma-se que o Dia do Senhor aconteceria imediatamente, mesmo que digam isso como se fosse minha instrução, não deixem ninguém enganá-los com nada disso, porque isto não acontecerá assim, antes desse dia, terá de aparecer o homem do pecado, o filho da perdição, que se materializa no poder papal, que faria guerra contra santos do altíssimo, e levantaria uma revolta mundial contra o Deus criador. As palavras de Paulo não deviam ser mal-interpretadas. Não pretendiam elas ensinar que ele, por especial revelação, tivesse advertido os tessalonicenses da imediata vinda de Cristo. Tal posição causaria confusão de fé; pois o desapontamento muitas vezes leva à incredulidade. O apóstolo, pois, advertia os irmãos a não receberem tal mensagem como vinda de sua parte ... Terríveis eram as provas que deviam alcançar a igreja verdadeira. Mesmo no tempo em que o apóstolo estava escrevendo, já "o mistério da injustiça" começara a operar. Atos dos Apóstolos, 265-266. Segunda: A breve resposta de Paulo (2Ts 2:3, 4) 2. O que Paulo nos diz sobre “o homem da iniquidade”? Que princípios nos ajudam a entender o que ele estava apresentando? 2Ts 2:3, 4 Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniqüidade, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus. (2 Ts 2:3-4) - O Homem da iniquidade será contra o governo que Deus estabeleceu. Ele vai se colocar acima de todos e até mesmo vai entrar e sentar-se no Templo de Deus e afirmar que é Deus! O apóstolo Paulo, em sua segunda carta aos tessalonicenses, predisse a grande apostasia que resultaria no estabelecimento do poder papal. Declarou que o dia de Cristo não viria "sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição; o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer". II Tess. 2:3 e 4. E, ainda mais, o apóstolo adverte os irmãos de que "o mistério da injustiça opera." II Tess. 2: 7. Mesmo naqueles primeiros tempos viu ele, insinuando-se na igreja, erros que preparariam o caminho para o desenvolvimento do papado. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com

Pouco a pouco, a princípio furtiva e silenciosamente, e depois mais às claras, à medida em que crescia em força e conquistava o domínio da mente das pessoas, o mistério da iniquidade levou avante sua obra de engano e blasfêmia. Quase imperceptivelmente os costumes do paganismo tiveram ingresso na igreja cristã. O Grande Conflito, p. 49. O Desafio de Satanás à Autoridade de Deus Deus denuncia Babilônia porque "tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição". … Deus fez o mundo em seis dias e descansou no sétimo, santificando este dia e separando-o de todos os outros como sagrado a Sua própria Pessoa, para que fosse observado por Seu povo durante todas as suas gerações. Mas o homem do pecado, exaltando-se acima de Deus, assentando-se no templo de Deus e ostentando-se como se fosse o próprio Deus, cuidou em mudar os tempos e as leis. Este poder, tencionando provar que não somente era igual a Deus, mas estava acima de Deus, mudou o dia de repouso, colocando o primeiro dia da semana onde deveria estar o sétimo. E o mundo protestante tem admitido que este filho do papado seja considerado sagrado. Na Palavra de Deus, isto é chamado de sua fornicação. (Apoc. 14:8.) SDA Bible Commentary, vol. 7, pág. 979. Satanás usurpa, assim, as prerrogativas de Jeová. O homem do pecado assenta-se no templo de Deus, ostentando-se como se fosse Deus e agindo acima de Deus. Carta P-28, 1900. Terça: O detentor (2Ts 2:5-7) 3. De acordo com Paulo, que duas coisas caracterizavam a situação do mundo no momento em que ele escrevia? Como podemos ver o grande conflito revelado nesses versos? 2Ts 2:6, 7 E, agora, sabeis o que o detém, para que ele seja revelado somente em ocasião própria. Com efeito, o mistério da iniqüidade já opera e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém; (2 Ts 2:6-7) O mistério da iniquidade estava agindo, mas sendo detido por um poder antagônico e superior, o Espirito Santo de Deus. O espírito de transigência e conformidade fora restringido durante algum tempo pelas terríveis perseguições que a igreja suportou sob o paganismo. Mas, em cessando a perseguição e entrando o cristianismo nas cortes e palácios dos reis, pôs ela de lado a humilde simplicidade de Cristo e Seus apóstolos, em troca da pompa e orgulho dos sacerdotes e governadores pagãos; e em lugar das ordenanças de Deus colocou teorias e tradições humanas. O Grande Conflito, p. 49. “sabeis o que o detém” O príncipe da potestade do mal só pode ser mantido em sujeição pelo poder de Deus na terceira pessoa da Trindade, o Espírito Santo. Special Testimonies, Série A, nº 10, pág. 37. O Espírito Santo era o mais alto dos dons que Ele [Jesus] podia solicitar do Pai para exaltação de Seu povo. Ia ser dado como agente de regeneração, sem o qual o sacrifício de Cristo de nenhum proveito teria sido. O poder do mal se estivera fortalecendo por séculos, e alarmante era a submissão dos homens a esse cativeiro satânico. Ao pecado só se poderia resistir e vencer por meio da poderosa atuação da terceira pessoa da Trindade, a qual viria, não com energia modificada, mas na plenitude do divino poder. O Desejado de Todas as Nações, pág. 671. Cumpre-nos cooperar com os três poderes mais altos no Céu - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - e esses poderes atuarão por nosso intermédio, fazendo-nos coobreiros de Deus. Special Testimonies, Série B, nº 7, pág. 51. O poder e malignidade de Satanás e seu exército deveriam com razão alarmar-nos, não fosse o caso de podermos encontrar refúgio e livramento no superior poder de nosso Redentor. ... Os que seguem a Cristo estão sempre seguros sob Sua proteção. Anjos magníficos em poder são enviados do Céu para protegê-los. O maligno não pode romper a guarda que Deus pôs em redor de Seu povo. O Grande Conflito, pág. 517. “aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém” Deixando Ele o santuário, as trevas cobrem os habitantes da Terra. Naquele tempo terrível os justos devem viver à vista de um Deus santo, sem intercessor. Removeu-se a restrição que estivera sobre os ímpios, e Satanás tem domínio completo sobre os que finalmente se encontram impenitentes. Terminou a longanimidade de Deus: O mundo rejeitou a Sua misericórdia, desprezou-Lhe o amor, pisando Sua lei. Os ímpios passaram os limites de seu tempo de graça; o Espírito de Deus, persistentemente resistido, foi, por fim, retirado. Desabrigados da graça divina, não têm proteção contra o maligno. Satanás mergulhará então os habitantes da Terra em uma grande angústia final. Ao cessarem os anjos de Deus de conter os ventos impetuosos das paixões humanas, ficarão às soltas todos os elementos de contenda. O mundo inteiro se envolverá em ruína mais terrível do que a que sobreveio a Jerusalém na antigüidade. O Grande Conflito, págs. 613 e 614. “Aqui há sabedoria, que lê entenda”. Corações que correspondem à influência do Espírito Santo, são condutos por onde fluem as bênçãos divinas. Fossem os servos de Deus tirados da Terra, e Seu Espírito retirado dentre os homens, este mundo seria entregue à desolação e destruição, o fruto do domínio de Satanás. Conquanto os ímpios não o saibam, devem até mesmo as bênçãos desta vida, à presença do povo de Deus no mundo, esse povo que desprezam e oprimem. Mas se os cristãos o são apenas de nome, são como o sal que perdeu o sabor. Não exercem nenhuma influência para bem no mundo. São, pela falsa representação de Deus, piores que os incrédulos. Desejado de Todas as Nações, p. 306.

Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com

Ao deixar Jesus Sua posição como intercessor do homem junto a Deus, faz-se o solene anúncio: "Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda." Apoc. 22:11. Então o Espírito repressor de Deus é retirado da Terra. Patriarcas e Profetas, p. 201. Somente os que têm mãos limpas e coração puro resistirão no tempo da prova . ... Agora, enquanto os quatro anjos estão contendo os ventos, é o tempo de fazer firme a nossa vocação e eleição. Primeiros Escritos, pág. 58. 4. De acordo com outras passagens do Novo Testamento, o que está detendo a segunda vinda de Cristo? Mt 24:14; Mc 13:10; Ap 14:6, 7 E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim. (Mat. 24:14) Mas é necessário que primeiro o evangelho seja pregado a todas as nações. (Mar. 13:10) Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra , e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. (Apoc. 14:6-7) - O Senhor não demora em cumprir a sua promessa, como julgam alguns. Pelo contrário, ele é paciente dando extensa oportunidade, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento e sejam salvos. Pedro conservou viva em seu coração a esperança da volta de Cristo, e assegurou à igreja a certeza do cumprimento da promessa do Salvador: "Se Eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para Mim mesmo." João 14:3. Aos provados e fiéis a vinda de Cristo poderia parecer estar sendo demasiado dilatada, mas o apóstolo assegurou-lhes: "O Senhor não retarda a Sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrependerse. ..." II Ped. 3:9-18. Atos dos Apóstolos, págs. 535 e 536. Quarta: O Anticristo revelado (2Ts 2:8-10) Conforme o método historicista de interpretação (método usado por Deus no período da reforma) encontramos facilmente, e com detalhes, o anticristo em Daniel 7, 8, 9, 10, 11 e 12, em II Tessalonicenses 2, e em Apocalipse 13. ... e prosseguia [O Apóstolo Paulo] dando ênfase ao fato de que o poder papal, tão claramente descrito pelo profeta Daniel, devia ainda levantar-se, e fazer guerra contra o povo de Deus. Até que este poder tivesse realizado sua obra mortal e blasfema, seria em vão a igreja esperar pela vinda do Senhor. "Não vos lembrais", interrogava Paulo, "de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco?" II Tess. 2:5. Atos dos Apóstolos, p. 266. Este "homem do pecado", que também é denominado "mistério da injustiça", "filho da perdição", e "o iníquo", representa o papado, que, conforme foi anunciado pelos profetas, deveria manter sua supremacia durante 1.260 anos. Este período terminou em 1798. O Grande Conflito, p. 356. “Ao apresentar a mensagem, não façam investidas pessoais contra outras igrejas, nem mesmo à católica romana. Os anjos de Deus veem nas diversas denominações muitos que só podem ser alcançados com a maior precaução. Portanto, sejamos cuidadosos com nossas palavras... Sobre esses temas, o silêncio é eloquente. Muitos se acham enganados. Falem a verdade em tons e palavras de amor” Evangelismo, p. 576. - E vital que apresentemos somente a bíblia que traz a profecia e a história que confirma seu fiel cumprimento, deixem que os próprios que foram perseguidos e mortos por sua fidelidade, deem seu testemunho sobre os fatos, e assim a verdade iluminará e afastará as trevas da tradição, do engano e da dúvida, e ganhará almas para o salvador. 5. Leia 2 Tessalonicenses 2:8-10. Como podemos entender esses eventos? O que é especialmente importante a respeito da expressão “não acolheram o amor da verdade”?
... Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos. (2 Ts 2:8-10)

Deus é a verdade (Sua Personalidade Jer. 10:10; Sal 31:5; João 14:6; I Jo. 5:6; Sua palavra Jo. 17:17; e Seu caráter Sal. 119:142 e 151). Não amar a verdade, significa rejeitar Sua pessoa, Seu amor, sábio conselho, proteção, e eternidade, é equivalente a se colocar diretamente na mão de satanás, o destruidor, é na prática ser suicida. “Mas quem pecar de propósito, tanto o israelita de nascimento como o estrangeiro, será culpado de ofender a Deus, o SENHOR. Essa pessoa será morta, pois rejeitou o que o SENHOR disse e desobedeceu ao seu mandamento porque quis. Essa pessoa será responsável pela sua própria morte”. Num. 15:30. NTLH Os judeus haviam forjado seus próprios grilhões; eles mesmos encheram a taça da vingança . Na destruição completa que lhes sobreveio como nação, e em todas as desgraças que os acompanharam depois de dispersos, não estavam senão recolhendo a colheita que suas próprias mãos semearam. Diz o profeta: "Para tua perda, ó Israel, te rebelaste contra Mim", "pelos teus pecados tens caído." Osé. 13:9; 14:1. Seus sofrimentos são muitas vezes representados como sendo castigo a eles infligido por decreto direto da parte de Deus. É assim que o grande enganador procura esconder sua própria obra. Pela obstinada rejeição do amor e misericórdia divina, os judeus fizeram com que a proteção de Deus fosse deles retirada, e permitiu-se a Satanás dirigilos segundo a sua vontade. As horríveis crueldades executadas na destruição de Jerusalém são uma demonstração do poder vingador de Satanás sobre os que se rendem ao seu controle. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com

Não podemos saber quanto devemos a Cristo pela paz e proteção de que gozamos. É o poder de Deus que impede que a humanidade passe completamente para o domínio de Satanás. Os desobedientes e ingratos têm grande motivo de gratidão pela misericórdia e longanimidade de Deus, que contém o cruel e pernicioso poder do maligno. Quando, porém, os homens passam os limites da clemência divina, a restrição é removida. Deus não fica em relação ao pecador como executor da sentença contra a transgressão; mas deixa entregues a si mesmos os que rejeitam Sua misericórdia, para colherem aquilo que semearam. Cada raio de luz rejeitado, cada advertência desprezada ou desatendida, cada paixão contemporizada, cada transgressão da lei de Deus, é uma semente lançada, a qual produz infalível colheita. O Espírito de Deus, persistentemente resistido, é afinal retirado do pecador, e então poder algum permanece para dominar as más paixões da alma, e nenhuma proteção contra a maldade e inimizade de Satanás. A destruição de Jerusalém constitui tremenda e solene advertência a todos os que estão tratando levianamente com os oferecimentos da graça divina e resistindo aos rogos da misericórdia de Deus . Jamais foi dado um testemunho mais decisivo do ódio ao pecado por parte de Deus, e do castigo certo que recairá sobre o culpado. O Grande Conflito. Pág. 36. A paciência de Deus para com Jerusalém tão somente confirmou os judeus em sua obstinada impenitência. Em seu ódio e crueldade contra os discípulos de Jesus, rejeitaram a última oferta de misericórdia. Deus retirou, então, a Sua proteção de sobre a nação, removendo o poder restritivo que exercera sobre Satanás e seus anjos, de modo que a nação foi deixada sob o controle do líder que escolhera. A Verdade Sobre os Anjos. Pag. 240. 6. Que obra anterior de Deus ao longo da história será falsificada por Satanás no engano final? Compare 2Ts 2:9 com At 2:22 Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira, (2 Ts 2:9) Varões israelitas, atendei a estas palavras: Jesus, o Nazareno, varão aprovado por Deus diante de vós com milagres, prodígios e sinais, os quais o próprio Deus realizou por intermédio dele entre vós, como vós mesmos sabeis; (Atos 2:22) - Jesus para cumprir o que estava profetizado a Seu respeito, operou sinais, milagres e prodígios no meio do povo juntamente com o ensino prático conduzindo ao reconhecimento, respeito e obediência a Deus, portanto trazia o beneficio físico, mental e espiritual, que é o bem estar completo e a salvação eterna. Já o homem do pecado falsificará está prática, fará sinais, milagres e prodígios no meio do povo, só que conduzirá estes a desobediência a Deus através da rebelião contra o Seu caráter que é manifesto em sua lei, para que ele próprio receba adoração, pois se colocou no lugar de Deus como sendo Deus. 2 Ts 2:4. O resultado desse maligno engano será a própria destruição, tanto do pretenso usurpador, como dos que rejeitarem o amor da verdade, e aceitarem a adorar por consciência ou por pressão, a esse poder que “é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos”. 2 Ts 2:9-10 Como ato culminante no grande drama do engano, o próprio Satanás personificará Cristo. A igreja tem há muito tempo professado considerar o advento do Salvador como a realização de suas esperanças. Assim, o grande enganador fará parecer que Cristo veio. Em várias partes da Terra, Satanás se manifestará entre os homens como um ser majestoso, com brilho deslumbrante, assemelhando-se à descrição do Filho de Deus dada por João no Apocalipse (cap. 1:13-15). ... O povo se prostra em adoração diante dele, enquanto este ergue as mãos e sobre eles pronuncia uma bênção, assim como Cristo abençoava Seus discípulos quando aqui na Terra esteve. Sua voz é meiga e branda, cheia de melodia. Em tom manso e compassivo apresenta algumas das mesmas verdades celestiais e cheias de graça que o Salvador proferia; cura as doenças do povo, e então, em seu pretenso caráter de Cristo, alega ter mudado o sábado para o domingo, ordenando a todos que santifiquem o dia que ele abençoou. … Apenas os que forem diligentes estudantes das Escrituras, e receberem o amor da verdade, estarão ao abrigo dos poderosos enganos que dominam o mundo. ... Somos advertidos de que nos últimos dias ele trabalhará com sinais e prodígios de mentira. E continuará esses prodígios até ao fim da graça, para que os indique como prova de que ele é um anjo de luz e não de trevas. Review and Herald, 17 de novembro de 1885. Os anjos maus estão em nossos calcanhares a cada momento. ... Eles ocupam novo território, e operam maravilhas e milagres a nossa vista. ... Alguns serão tentados a aceitar essas maravilhas como sendo de Deus. Enfermos serão curados à nossa vista. Milagres se efetuarão aos nossos olhos. Estamos nós apercebidos para a prova que nos aguarda quando as mentirosas maravilhas de Satanás forem mais amplamente exibidas? Não serão muitas pessoas enredadas e arrebatadas? Separando-se dos positivos preceitos e mandamentos de Deus, e dando ouvido às fábulas, o espírito de muitos se está preparando para receber esses milagres de mentira. Cumpre buscarmos todos armar-nos para o combate em que nos havemos de em breve empenhar. A fé na Palavra de Deus, o estudo apoiado pela oração e aplicado praticamente, será nossa proteção contra o poder de Satanás, levando-nos à vitória pelo sangue de Cristo. Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 100. São os prodígios de mentira do diabo que levarão o mundo cativo, e ele fará descer fogo do céu à vista dos homens. Ele operará milagres; esse maravilhoso poder operador de milagres abrangerá todo o mundo. Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 51.

Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com

Quinta: Verdade e mentiras (2Ts 2:10-12) 7. Por que Deus permite que tantas pessoas sejam enganadas? O que os perversos rejeitaram? 2Ts 2:10-12 e com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para serem salvos. E por isso Deus lhes envia a operação do erro, para que creiam na mentira; para que sejam julgados todos os que não creram na verdade, antes tiveram prazer na injustiça. II Tess. 2:10-12. - Deus faz tudo para conscientizar das terríveis consequências, mas aceita a escolha, mesmo está sendo desprezo e rejeição, ao que se refere a expressão usada “Deus lhes envia a operação do erro, para que creiam na mentira” na prática significa que a permissão divina consiste em respeitar a decisão, “Podemos fazer tudo o que queremos. ” Sim, mas nem tudo é bom. “Podemos fazer tudo o que queremos”, mas nem tudo é útil. I Cor. 10:23. NTLH. Ele por Seu caráter perfeito, não pode obrigar nem forçar “Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos”. Zac. 4:6. Eles lutam contra cristo, abrem mão de Sua graça, obstinadamente resistem a Seu Santo Espírito Atos 7:51-53, com seu direito de escolha ou livre arbítrio, escolhem a mentira, e encontram seu prazer na injustiça; Então é justo que sejam julgados com base na decisão que tomaram “então retribuirá a cada um segundo as suas obras”. Mat. 16:27. Os homens não podem rejeitar impunemente as advertências que Deus em Sua misericórdia lhes envia. Deus retira Seu Espírito dos que persistem em desprezar essas advertências, deixando-os na dependência do engano que amam. Atos dos Apóstolos, p. 266. Quando os que "não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniquidade" (II Tess. 2:12), forem abandonados para que recebam a operação do erro e creiam a mentira, a luz da verdade brilhará então sobre todos os corações que se acham abertos para recebê-la, e os filhos do Senhor que permanecem em Babilônia atenderão ao chamado: "Sai dela, povo Meu." Apoc. 18:4. O Grande Conflito, pp. 389-390. Os piedosos não precisam ser enganados se são estudantes das Escrituras e obedientes, ao seguir o caminho claramente indicado a eles na Palavra de Deus. No Deserto da tentação, pp. 107-108. Sexta: Estudo adicional Conclusão: Em “O Anticristo” (2Ts 2:1-12) aprendi que … - As profecias referentes a volta de cristo, necessitava primeiramente do cumprimento profético relativo apostasia, e a o homem do pecado, o filho da perdição, O Anticristo, diferentemente da época dos tessalonicenses, que isso estava no futuro, temos esse fato cumprido de forma precisa, e a nossa mensagem é que Jesus está perto, as portas. - O problema com referência a vinda de cristo, fez com que Paulo persuadisse os tessalônios para que não ficassem confusos, nem assustados se alguém afirma-se que o Dia do Senhor aconteceria imediatamente, e mesmo que dissessem que fosse sua instrução, ninguém deveria ser enganado com nada disso, porque isto não acontecerá assim, antes desse dia, terá de aparecer o homem do pecado, o filho da perdição, que se materializa no poder papal, que faria guerra contra santos do altíssimo, e levantaria uma revolta mundial contra o Deus criador. - A breve resposta de Paulo esclareceu que primeiramente apareceria o homem da iniquidade, o representante de satanás, que seria contra o governo que Deus estabeleceu, e que ele se colocaria acima de todos, e até mesmo entraria e sentaria no Templo de Deus e afirmaria ser Deus! - O mistério da iniquidade estava agindo mas O detentor intervia como um poder antagônico e superior, este poder é o Espirito Santo de Deus, o único que pode refrear e desviar o mal do coração humano. O que está “detendo” ou “retardando” a segunda vinda de cristo? O Fato é que o Senhor não demora em cumprir a sua promessa, como julgam alguns. Pelo contrário, ele é paciente dando extensa oportunidade, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento e sejam salvos. (II Ped. 3:9-18). - O Anticristo revelado conforme o método historicista de interpretação (método usado por Deus no período da reforma) encontramos facilmente, e com detalhes o anticristo em Daniel 7, 8, 9, 10, 11 e 12, em II Tessalonicenses 2, citado por Paulo e em Apocalipse 13, visto por João. (Ver definição no estudo de quarta deste material). E vital que apresentemos somente a bíblia que traz a profecia e a história que confirma seu fiel cumprimento, deixem que os próprios que foram perseguidos e mortos por sua fidelidade, deem seu testemunho sobre os fatos, e assim a verdade iluminará e afastará as trevas da tradição, do engano e da dúvida e ganhará almas para o salvador. Deus é a verdade (Sua Personalidade Jer. 10:10; Sal 31:5; João 14:6; I Jo. 5:6; Sua palavra Jo. 17:17; e Seu caráter Sal. 119:142 e 151). Não amar a verdade, significa rejeitar Sua pessoa, Seu amor, sábio conselho, proteção, e eternidade, é equivalente a se colocar diretamente na mão de satanás, o destruidor, é na prática ser suicida. - Verdade e mentiras: Deus faz tudo para conscientizar das terríveis consequências, mas aceita a escolha, mesmo está sendo desprezo e rejeição, ao que se refere a expressão usada “Deus lhes envia a operação do erro, para que creiam na mentira” na prática significa que a permissão divina consiste em respeitar a decisão humana. Deus retira Seu Espírito dos que persistem em desprezar essas advertências, deixando-os na dependência do engano que amam. Atos dos Apóstolos, p. 266.

Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com