You are on page 1of 22

Slackware: O Linux Preguiçoso

Página 1

SLACKWARE: O LINUX PREGUIÇOSO

Autor: RODRIGO ZIMMERMANN E-mail: bilufe@yahoo.com.br

Slackware: O Linux Preguiçoso

Página 2

Licenciamento
Esta obra está protegida por direitos autorais, conforme segue: - Nenhuma outra obra poderá basear-se nesta obra, salvo pequenas citações quando a obra fizer referência à obra original; - O autor garante o direito de cópia desta obra para qualquer dispositivo (smartphone, tablet, computador, etc) que pertença a quem adquiriu esta cópia. - Ao utilizar citações desta obra, deve-se haver referência à mesma; - É proibido revender esta obra, salvo com autorização do autor; - É proibido explorar esta obra para fins comerciais, salvo com autorização do autor; - O autor garante o direito de repassar cópia desta obra para outros, resguardando o direito de gratuidade da cópia.

Todas as marcas e todos os logotipos citados nesta obra são responsabilidade de seus proprietários.

..........................19 Conclusão......................................................................................................................8 A Distribuição Slackware..........6 História do Slackware..............................................................................10 A estrutura do sistema de arquivos...........................................................................................................................................11 Interface com o usuário..........................................................3 O Linux........................................................................................................................................................................................................................................................................................................3 O que é o Slackware?..............................3 História do Linux..............................20 Bibliografia..........................................................................................................................17 Pontos fortes...........................................12 Aplicativos...........................................................................................................................................................................15 Características.........................................................................................................................................................................................................................................17 Pontos fracos.............................................................................Slackware: O Linux Preguiçoso Página 3 Sumário Slackware: O Linux Preguiçoso.................................21 ........................................................................................................................................4 O que são distribuições ou distros?....................................................................................................................................................................................................................................................

Algumas empresas tem adotado o modelo de desenvolvimento de software livre para que seus produtos possam . Muitos outros sistemas operacionais já morreram. A liberdade de melhorar o programa e de tornar as modificações públicas de modo que a comunidade inteira beneficie da melhoria. isto significa que ele atende a quatro regras: 1. já o Linux é livre e mesmo que o seu criador deixe de ter interesse no sistema ele continuará a ser desenvolvido por programadores voluntários. AmigaOS da Atari. O núcleo Linux é software livre.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 4 Slackware: O Linux Preguiçoso O que é o Slackware? Para começar a falar sobre o Slackware. Os sistemas operacionais que utilizam o núcleo Linux são popularmente conhecidos como distribuições. é o caso do MS-DOS (que deu lugar ao Windows). A liberdade de executar o software para qualquer uso. criado pelo programador finlandês Linus Torvalds. 2. Não fosse o fato do Linux estar disponível como software livre. inicialmente será abordado um pouco sobre o Linux. Portanto. ou distros. ele criou a Free Software Foundation e o projeto GNU. 4. 3. BeOS da Be Corporation e alguns outros. talvez nunca teríamos ouvido falar nele ou já teria sido enterrado. A diferença entre eles e o Linux é que os sistemas citados eram proprietários. A liberdade de estudar o funcionamento de um programa e adaptá-lo para as suas necessidades. OS/2 da IBM. A liberdade de redistribuir cópias. pois é impossível entender o Slackware sem entender o que é o Linux. de Linux. O conceito de software livre foi criado por Richard Stallmann na década de 80. como tem sido feito até os dias de hoje. será necessário primeiramente fazer uma breve apresentação do Linux. e para desenvolver os objetivos do software livre . O Linux Linux é um termo popularmente usado para referir-se a diversos sistemas operacionais que utilizam como núcleo Linux.

da Apple). AIX. o Projeto GNU foi iniciado por Richard Stallmann em 1984 e . Tru64 UNIX. Para início de conversa. é semelhante ao Unix. Diferentemente do que algumas pessoas acreditam. São sistemas operacionais do tipo Unix: SCO. mas não é do tipo Unix. Para entender melhor esta questão. ou seja. ele nunca obteve a certificação necessária para ser considerada um sistema operacional do tipo Unix.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 5 evoluir a passos mais largos. NCR UNIX SVR4 e o Darwin (que é o núcleo do MacOS X. Para entender melhor a história do Unix. Apesar do Linux ter sido desenvolvido para ser semelhante ao Unix. NEC UX/4800. é o caso do Lightworks. o Linux não é um sistema operacional do tipo Unix. A verdade é que o Linux é um sistema operacional Unix-like. HP/UX. pois foram ferramentas disponibilizadas por este projeto que permitiram que o criador do Linux desenvolvê-lo. veja a imagem abaixo: História e evolução do sistema operacional UNIX História do Linux Não há como iniciar uma explanação sobre a história do Linux sem mencionar o projeto GNU. uma aplicação utilizada na produção cinematográfica e que recentemente foi transformado em software livre. faz-se necessário saber que para um sistema operacional ser considerado do tipo Unix é necessário que ele siga algumas especificações. objetivando a compatibilidade entre os sistemas. IBM z/OS. Solaris.

próximo do estágio em que poderá ser utilizado (embora possa não ser o que você esteja esperando). Inspirado no Minix. quando homens serão homens e escreverão seus próprios "device drivers"? Você está sem um bom projeto e esta morrendo por colocar as mãos em um S. e o Linux caiu como uma luva para o projeto: disponibilizando um núcleo que alcançou rapidamente a maturidade almejada. o projeto GNU já possuía várias ferramentas de desenvolvimento e outros aplicativos que foram utilizados por Linus Torvalds para criar o núcleo Linux. O Minix.. Após um certo período sozinho trabalhando eu seu projeto.. que serviu como fonte de inspiração para Torvalds.. sendo que o sistema é inspirado no UNIX e tinha o objetivo de permitir o estudo do funcionamento dos sistemas operacionais. Por sua vez. a Free Software Foundation reinvidica que o Linux deve ser chamado de GNU/Linux. Linus Torvalds iniciou o desenvolvimento do núcleo Linux quando ainda estava na Univesidade de Helsink. Tanenbaum. gcc. Através da rede Usenet (uma antecessora da Internet).O.. em 1990 Linus Torvalds iniciou um projeto particular. similar ao Minix para computadores AT.02. pois o mesmo deu o nome Linux ao FTP usado para carregar o código fonte. porém este ainda não havia alcançado uma maturidade que permitisse o seu uso em ambiente de produção (como até hoje não tem alcançado).1. Ele está.minix da rede USERNET: “Você suspira por melhores dias do Minix-1. Como eu mencionei a um mês.O. Devido a ligação com o projeto GNU. Ele está na versão 0. etc. sendo que muitos escritores e adeptos do software livre utilizam a nomeação recomendada pela FSF. Linus Torvalds revelou que não acreditava que o Linux chegaria a ser o sistema operacional que hoje é. porém em 1991 ele começou a receber contribuições de programadores do mundo todo. O Minix foi criado para fins de estudos nas universidades. o Hurd. O nome Linux foi dado pelo administrador do servidor FTP da Universidade de Helsink. gnu.make.386. gnu-sed. compressão. é um sistema operacional criado por Andrew S. o projeto GNU já possuía um núcleo para seu sistema operacional livre. Em entrevista recente. e eu estou disposto a colocar os fontes para ampla distribuição. que na época foi batizado de Freax.” - .os.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 6 tinha como objetivo criar um sistema operacional livre. Quando o Linux nasceu. Nele. estou trabalhando em uma versão independente de um S. na Finlândia. Linus convocou programadores de todo o mundo para ajudar a desenvolver o projeto. autor do livro "Operating Systems Design and Implementation" de (1987). contudo eu tive sucesso rodando bash. Linus decidiu enviar a seguinte mensagem para o grupo comp. no qual você possa modificar de acordo com suas necessidades? Você está achando frustrante quando tudo trabalha em Minix? Chega de atravessar noites para obter programas que trabalhem correto? Então esta mensagem pode ser exatamente para você. finalmente.

Atualmente. Pode-se reparar. comunidades ou programadores independentes criaram distribuições do Linux. Quando o Linux surgiu. que gostava muito destes animais e afirmava ter adquirido uma “penguinite” após ter sido mordido por um deles. e isto significa que o Linux alcançou tal maturidade que permite aos administradores de sistemas confiar nele para substituir o todo poderoso sistema operacional UNIX. através da mensagem. é necessário que outras ferramentas sejam integradas ao sistema para que este possa funcionar. Deste modo. A idéia do mascote ser um pinguim partiu de Linus Torvalds. Cisco. configurar tudo isto e então teria um sistema funcionando. Algumas distribuições surgiram para atender diferentes necessidades dos usuários ou a . Epson. pois se ela não tivesse sido enviada é bem possível que o Linux jamais tivesse saído da universidade. O grande diferencial do Linux. entre elas IBM. para o concurso da escolha do mascote do Linux. LG. Panasonic. porém com a capacidade de rodar em diferentes arquiteturas de computadores. Huawei. que Torvalds não imaginava que seu pequeno núcleo faria tanto sucesso nos anos seguintes. Talvez a mensagem acima tenha sido decisiva para o sucesso do Linux. Ele foi criado por Larry Ewing em 1996. diversas empresas. Motorola. disponibilizando todo o software em um único pacote que permitia o uso. pois elas integram as ferramentas necessárias para o funcionamento do sistema operacional e disponibilizam para que seja utilizada pelo usuário final. Yahoo!. O que são distribuições ou distros? O núcleo Linux por si só não consegue fazer nada. O mascote do Linux é um simpático pinguim gorducho e que tem o ar de satisfeito e saciado. algo impensável a pouco tempo atrás.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 7 [Linus Torvalds]. Samsung. sendo que cada uma das distribuições incluem ferramentas. é o fato dele ser uma espécie de clone do sistema operacional UNIX. Intel. Dell. configurações e aplicativos diferentes. O Linux vem amplamente substituindo o UNIX nos servidores. seu nome é Tux. Red Hat. Nokia. Google. É neste contexto que entram as distribuições. e que hoje seria patrocinado por mais de 300 empresas do mundo da informática. quem quisesse utilizá-lo deveria compilar todas as ferramentas necessárias. Toshiba. Adobe. AMD. As distribuições surgiram para facilitar esta tarefa. Nvidia. Citrix. e que talvez seja este o motivo que tenha levado o sistema ao enorme sucesso que faz. Oracle. Sony.

smartphones e tablets (Android. dispositivos embarcados (urna eletrônica. Atualmente. caixas eletrônicos). GPS. supercomputadores.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 8 um segmento específico da informática. Maemo e alguns outros sistemas para dispositivos móveis são sistemas operacionais que utilizam o núcleo Linux). São exemplos de distribuições Linux de propósito especial: • • • • • Android: criado pelo Google para ser utilizado em smartphones e tablets. Meego. Estas três distribuições foram pioneiras. trata-se das distribuições mãe: Slackware. . conversor de TV digital. Linux Educacional: distribuição voltada para fins educacionais. o Slackware por sua leveza e simplicidade e o Debian pelo seu conceito de liberdade. BrasilFW: criado para ser utilizado em servidores que fazem a tarefa de firewall. sendo que o Red Hat é muito conhecido no mundo corporativo. tarefas de missão crítica. Red Hat e Debian. Slitaz: distribuição voltada para computadores antigos e com baixo desempenho. Existe uma espécie de trindade das distribuições Linux. o Linux tem uma boa aceitação nos servidores. Ubuntu Studio: distribuição voltada para edição de áudio e vídeo.

O nome Slackware teve sugestiva origem da "The Church Of The SubGenius" (Igreja dos Sub-Gênios). Ele foi extensivamente testado para sistemas 386. Eu poderia ser persuadido a compilar alguns núcleos personalizados para disponibilizar no FTP. Criado em 1993 por Patrick Volkerding. onde traduziria bem a filosofia do sistema.0) agora está disponível para FTPs anônimos. satírica e ironicamente. de onde idealiza-se o termo "SLACK" que. mas ele pode ser carregado sob demanda. independência e originalidade para alcançar suas metas pessoais". e que deu inspiração ao mascote do Slackware “Tux com cachimbo”. O núcleo padrão não suporta SCSI. Esta versão é baseada no SLS Linux. o Slackware é conhecido como um produto “preguiçoso”.5 polegadas. O símbolo dessa pseudo-religião é o “Bob com cachimbo”. ou seja. Este .Slackware: O Linux Preguiçoso Página 9 História do Slackware Como já foi citado anteriormente. incorpora-se o "senso de liberdade. Igreja dos Sub-Gênios é uma pseudo-religião que satiriza religiões e crenças envolvendo conspirações mundiais. por Patrick Volkerding. Eis o anúncio da primeira versão: A distribuição do Linux Slackware (1. profecias. É a mais antiga distribuição do Linux em atividade. é um sistema operacional que utiliza o núcleo Linux. Assim como o título deste trabalho. Patrick Volkerding. Há duas séries de disquetes principais. pois o termo “Slack” pode ser traduzido como preguiça e o termo “ware” como produto. porém foi substancialmente modificada. extra-terrestres etc. o Slackware era baseado na distribuição SLS Linux (Softlanding Linux System) e fornecido em imagens de disquetes de 3½ polegadas disponibilizadas em FTPs anônimos. o Slackware é uma das muitas distribuições do Linux. a série A em 13 disquetes e a série X (com a interface gráfica) em 11 disquetes…. Este é um sistema completo destinado a computadores com suporte a inicialização por meio de disquetes de 3.

A necessidade de suportar o novo sistema de gerenciamento de módulos (drivers de dispositivos de hardware e recursos do núcleo Linux) fez com que fosse deixada de lado o antigo sistema.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 10 termo realmente identifica o Slackware. o ambiente gráfico Gnome foi removido da futura versão do Slackware. Outra polêmica do mesmo lançamento foi a inclusão do HAL. foi a primeira versão a vir com o núcleo Linux 2. devido à política de apenas incluir software estável. Na versão 13. o Slackware pulou da versão 4. uma camada de abstração de hardware que oferece montagem automática de discos nos sistemas Linux.0 do Slackware foi um marco. o Hotplug. o Slackware passou a carregar automaticamente a maioria dos módulos necessários. os ambientes gráficos gerenciam a área de trabalho (ícones. pois um dos seus principais conceitos é o fato do sistema exigir que o usuário configure manualmente o sistema. etc) e o Linux possui diversos ambientes gráficos que podem ser instalados e utilizados. Lxde. e foi adotado o KDE como ambiente gráfico oficial do Slackware.2 do Slackware. Esta decisão foi tomada por Patrick Volkerding. Xfce. modo preferido por usuários mais experientes. e fosse iniciado um esforço para integrar a nova tecnologia a partir da versão 11. Para informação. algo que o Slackware vinha evitando até então. mas que não pode evitar devido a uma dependência do ambiente gráfico oficial. Unity. Volkerding está a frente do Slackware até os dias atuais. Obviamente. onde pela primeira vez na história um lançamento do Slackware utilizou a versão mais recente do Linux. atalhos para programas. como um esforço de marketing para mostrar que o Slackware estava tão atualizado quanto as demais distribuições do Linux. o KDE. KDE.6. a comunidade passou a oferecer o Gnome para ser instalado no Slackware. . Em 1999. sem intervenção do usuário. a exemplo podemos citar: Gnome. No começo. permitindo que o Slackware possa ser executado nos computadores mais modernos com um melhor suporte ao processador utilizado. Com isto.0 para a versão 7. esta versão foi duramente criticada por ter desviado-se de seus próprios princípios. Trinity Desktop Environment. Mate. A versão 12. Disponibilizada em 2 de julho de 2007. aparência. Apesar da remoção do Gnome.0 e terminado o trabalho na versão 12.0 foi disponibilizado o suporte a processadores de 64 bits.0 (não houveram versões intermediárias). Patrick Volkerding mantinha a distribuição sozinho. Em 2005. após alguns anos aceitou a ajuda de alguns colaboradores.

e equipamentos mais antigos como o i486 de 32 bits. AMD x86_64. o Slackware é conhecido como um software preguiçoso. mesmo sendo através da edição de arquivos de textos que compõem o sistema. IBM S/390 e processadores da arquitetura ARM. Desde a primeira versão. qualquer distribuição do Linux instala em poucos passos e não exige que o usuário entenda sobre o sistema. mas o Slackware exige que o usuário saiba o que é um disco rígido. o Slackware é um sistema muito bem documentado e a configuração. isto implica em softwares antigos e que novas funcionalidades dos softwares demorem a chegar. seu funcionamento e algumas outras questões. Mas o que isto significa para o usuário? Significa que dificilmente o Slackware irá travar. A distribuição suporta as seguintes arquiteturas de computadores: Intel x86. o usuário passa a ter um maior controle sobre o funcionamento do sistema operacional e do computador. Justamente pelo motivo de não incluir automatizações na distribuição. Atualmente. e por fim que este tenha um maior controle sobre a máquina e o software.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 11 A Distribuição Slackware Como já citado anteriormente. Apesar de não incluir automatizações. O Slackware é formado por pacotes considerados estáveis. ou seja. A partir deste ponto serão apresentadas as particularidades do Slackware. exigindo que o usuário tenha um maior conhecimento sobre o próprio sistema e edite arquivos de configuração. o Slackware é uma distribuição do Linux. A distribuição não inclui automatizações. A utilização do Slackware pode ser aplicada em computadores modernos com processadores de 64 bits. isto significa que todos os aplicativos e funcionalidades do sistema foram amplamente testados e tiveram inúmeros problemas corrigidos antes de fazerem parte do sistema Slackware. em 1993. bem como na maioria das distribuições do Linux. o Slackware é considerada a distribuição do Linux mais próxima do UNIX. entenda sobre particionamento e configuração de sistemas GNU/Linux. Os softwares aplicativos no Slackware. . não é difícil para quem está disposto a aprender. Por outro lado. um sistema operacional que utiliza o núcleo Linux. Apesar da dificuldade. O sistema foi totalmente organizado para que tudo seja compreensível para o usuário. apresentar falhas ou problemas.

permitindo gerenciar os pacotes assim como as outras distribuições que prezam pela facilidade de uso. não existe automatização na instalação de pacotes. como o pacote libsdl que provê uma camada de interação com o som e o vídeo do computador e é comumente usada em jogos. é instalado através da ferramenta pkgtool. Na maioria das distribuições do Linux. Contudo. No Slackware. mas apenas o primeiro CD-ROM é necessário para a instalação. a comunidade de usuários do Slackware criou algumas ferramentas que automatizam a tarefa de instalação de softwares. e ainda permite que o usuário faça uma instalação personalizada somente com os programas que irá utilizar. e os pacotes que contém as bibliotecas requeridas pelo novo aplicativo e se desejar poderá instalar outros pacotes para funcionalidades opcionais. Por exemplo. o jogo Alien Arena está dividido em dois pacotes: alien-arena. e o alien-arena-data. Apache. a instalação de um novo aplicativo no Slackware requer que o usuário instale todos os pacotes que compõem o aplicativo. mas eficiente. e outros pacotes disponibilizam bibliotecas que são utilizadas por vários aplicativos a fim de realizar uma tarefa em comum. desde servidores até estações de trabalho. O Slackware inclui os principais aplicativos de código aberto: Samba.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 12 são divididos em pacotes: alguns pacotes disponibilizam os executáveis. para atender a isto. Um pacote. porém o Slackware possui uma política de permitir o máximo controle do usuário sobre o sistema e. sendo que os demais possuem softwares adicionais e o código fonte dos aplicativos incluídos no Slackware. Basicamente o pkgtool extrai o conteúdo do pacote na raiz do sistema (/) e executa um script que existe dentro do pacote. A estrutura do sistema de arquivos Sistema de arquivos é uma estrutura lógica que possibilita o armazenamento e recuperação de arquivos. PHP. que contém o executável do jogo. o usuário não precisaria se preocupar com os pacotes. está disponível em 6 CD-ROMs. os quais são . OpenOffice e KDE. pois geralmente a distribuição se encarrega de instalar tudo o que é necessário para o aplicativo funcionar. A instalação permite selecionar um conjunto de aplicativos para diversas finalidades. Portanto. é um conceito muito simples. outros pacotes disponibilizam arquivos necessários para o executável funcionar. Obviamente. no Slackware. arquivos são contidos em diretórios (ou pastas). incluindo todos os pacotes. e pode necessitar de pacotes adicionais que contém bibliotecas. O sistema completo. que contém os sons mapas e outros arquivos necessários para o jogo.

quando se está a utilizar a interface gráfica o sistema acessa os arquivos contidos nestes dispositivos da mesma maneira que o Windows faz. Veja a tabela do sistema de arquivos raíz (/) do Slackware: / /bin /boot /sbin /dev /etc /home /proc /root /usr /tmp /var É a raiz da estrutura de diretórios do Linux. CDs. é definido pela propriedade e atribuições aplicadas aos arquivos. Contém o núcleo Linux e a configuração do gerenciador de boot. O processo de conectar a árvore de diretórios de um dispositivo de armazenamento à árvore de diretórios raiz é chamado de "montar dispositivo de armazenamento" (montagem) e é realizada por meio do comando mount. Contém arquivos usados para acessar os periféricos do computador. DVDs. desta forma se um programa necessitar acessar um periférico ele irá dirigir-se ao arquivo que representa o periférico e que está dentro do diretório /dev. e por consequência também do Slackware. É um sistema de arquivos virtual usado pelo núcleo. usado para armazenar informações temporárias. Contém as pastas e arquivos dos usuários. O acesso a arquivos e periféricos. Um dos principais conceitos do Linux. Contém os comandos do terminal que somente o administrador pode executar. Apesar da necessidade de montar outros dispositivos de armazenamento que são conectados ao computador. Como pode ser visto na tabela acima. Contém os comandos do terminal que o usuário pode executar. Contém os arquivos de programas. /mnt ou /media Exibe o conteúdo de outros discos que estão conectados ao computador. . ele não existe fisicamente. a comunicação entre entidades e processos e até mesmo a comunicação do computador com seus periféricos. o diretório /dev contém arquivos que representam os periféricos do computador. sistemas de arquivos em rede) precisam ser conectados à árvore para que seu conteúdo possa ser acessado. A montagem associa o dispositivo a um subdiretório. Mesmo os arquivos que se encontram em dispositivos de armazenamento diferentes (discos rígidos. Contém as pastas e arquivos do administrador do sistema. Contém dados que são alterados quando o sistema está funcionando normalmente. é que quase tudo é arquivo: desde um programa.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 13 conectados em uma árvore que começa no diretório raiz (designado por /). Contém os arquivos de inicialização e configuração do sistema. Cada dispositivo de armazenamento possui a sua própria árvore de diretórios. É um diretório temporário. disquetes.

Suponha-se que esteja sendo implantado um servidor de arquivos. que requer maior quantidade de memória e processamento. Alguém pode questionar “estamos em pleno século 21 e o Slackware ainda usa a linha de comandos”. porém é bom lembrar que em alguns computadores. cujo objetivo é oferecer uma ferramenta similar à linha de comando. porém os comandos podem ter muitas diferenças. integrou uma ferramenta denominada PowerShell. inclusive com uma linguagem de script para automatizar tarefas. Para fins de informação. principalmente os servidores. A interface gráfica é opcional. mas a instalação desta não interfere na interface de linha de comando. ou modo texto. em suas versões mais recentes. . sendo que o modo de operação é o mesmo em ambos. ou ainda que sequer possua um monitor? Será realmente necessário uma interface gráfica. a linha de comando é extremamente necessária para o gerenciamento do computador. e gráfica.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 14 Interface com o usuário A interface do Slackware com o usuário ocorre de duas maneiras: linha de comando. O Microsoft Windows. Esta nova ferramenta surgiu da necessidade de tornar o Windows mais fácil de ser utilizado em servidores. a linha de comando é similar ao “Prompt de Comando” existente no sistema operacional Windows. será mesmo necessária a interface gráfica em uma máquina que dificilmente irá ter que exibir informações na tela. em um computador que será um servidor? Emulador de terminal: um exemplo de linha de comando.

ou modo texto.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 15 A interface de linha de comando. e ainda funcionam em qualquer outro sistema operacional que siga o padrão POSIX. oferece uma linguagem de programação denominada Shell Script. permite mudar para uma nova pasta. Copia arquivos ou pastas. Renomeia ou move arquivos ou pastas. os mesmos comandos também estão presentes no MacOS X. Procura arquivos. funções e argumentos. Por exemplo. Exibe um calendário. Os principais comandos do modo texto foram dispostos na tabela abaixo: ls cd mkdir rm mv cat file cal df du top free uname cp chmod diff find Exibe os arquivos e pastas contidos no diretório atual. Alterar o diretório atual. precisamos também de um gerenciador de janelas. o objetivo é permitir a criação de tarefas automatizadas através de scripts que são interpretados pelo computador. Haiku. Exibe informações sobre um arquivo. Monitora os processos (programas) que estão sendo executados. Apaga arquivos ou pastas. Cria uma nova pasta. . A interface gráfica do Slackware é provida por um software denominado X Window System. estrutura de repetição. Exibe várias informações sobre o sistema. Mostra o tamanho de arquivos ou pastas. Alterar permissões de arquivos e pastas. Mostra o espaço em disco do sistema de arquivos. definições de variáveis e escopo destas. Os comandos dispostos na tabela acima funcionam em qualquer sistema operacional que utiliza o núcleo Linux. do Unix. Exibe a utilização da memória RAM pelo sistema. não faz muita coisa. A linguagem do Shell Script é bastante similar à linguagem C de programação e sua estrutura é composta da maioria dos comandos que compõem uma linguagem de programação moderna: estrutura de decisão. O Xwindow funciona como gerenciador de exibição e por si só. Exibe o conteúdo de um arquivo de texto. que foi esenvolvido no MIT (Massachussets Institute of Technology). Compara dois arquivos e exibe a diferença entre eles. FreeBSD e outros. Para termos um ambiente gráfico produtivo e completo.

provê um ambiente de trabalho parecido com o existente no Windows. o KDE é o gerenciador de janelas padrão do Slackware. porém. menus etc. O Slackware utiliza o KDE como gerenciador de janelas padrão do sistema. O Xwindow funciona como servidor e interage diretamente com o mouse. Fluxbox. botões. O gerenciador de janelas funciona como cliente e se aproveita dos recursos disponibilizados pelo Xwindow. Enlightenment. dizemos que seu ambiente gráfico é do tipo cliente-servidor. Como o gerenciador de exibição (X Window System) é separado do gerenciador de janelas. truques de mouse. como Window Maker.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 16 O gerenciador de janelas proporciona ao ambiente gráfico a aparência e as funcionalidades esperadas incluindo as bordas das janelas. Xfce. porém muito mais poderoso e elegante. . proporcionou o surgimento de dezenas de gerenciadores de janelas diferentes. Como já foi dito. se o usuário desejar poderá instalar outro gerenciador de janelas ao seu gosto. O KDE oferece a maior parte dos aplicativos que o usuário utiliza. Gnome e outros. A área de trabalho do KDE e o gerenciador de arquivos Dolphin O KDE. além de oferecer o gerenciador de janelas. O fato do gerenciador de exibição ser separado do gerenciador de janelas. o teclado e o vídeo.

d. Zero Ballistics. Sauerbraten. Eclipse. Koffice MySQL. A tabela a seguir mostra alguns dos principais aplicativos disponíveis para o Slackware. Lazarus. Bluefish. Navegadores de Internet Firefox. Wolfeinstein: Enemy Territory. Arora. Smokin's Guns.000 lights years into space Jogos de RPG Eternal Lands. Planeshift.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 17 Aplicativos O Slackware possui cerca de 15. Savage. 7zip Dosbox. Nvu . Simcity (Micropolis). Kopete. Opera. Doom III. Quake Live. Liferea Xchat LibreOffice. Monodevelop. Assault Cube. Audacity. Anjuta Ark. Red Eclipse. Warsow. World of Padman. Konqueror Clientes de e-mail Clientes de RSS Cliente IRC Office Banco de Dados Editor de vídeo Editor de Áudio Compositor de áudio Programação Compactador Emuladores Virtualização Jogos FPS Kmail. OpenArena. Thunderbird Thunderbird. Heroes of Newerth. OpenTTD. Quake III. Pidgin. Akregator. Dark Oberon. Claws. Americas Army. RuneScape Nem todos os programas citados na tabela acima estão inclusos nas mídias de instalação Mensageiros da internet aMSN. The Battle for Wesnoth. True Combat Elite. Ardour. Dosemu. epsxe. Wakfu.a. Kdenlive. Unreal Tournament 2004. Urban Terror. OpenOffice.000 aplicativos que vão desde pequenos utilitários a jogos e aplicativos científicos. Chromium. Stella. eMeSeNe. Kmess Desenvolvimento WEB Aptana. Ryzom. Command And Conquer. Lives. Dofus. Virtualbox Alien Arena. pcsx Qemu. Rezound Rosegarden Netbeans. Legends. Google Chrome. PostgreeSQL Pitivi. Bluegriffon. Gambas. Tremulous. Codeblocks. Simutrans. Postal 2 Jogos de estratégia 0. Zsnes. Jakasha LMMS. QtCreator. CinePaint. Spiral Knights. Xonotic. Padre. psX. Nexuiz. Kdevelop. 20. Warzone 2100. Cinelerra. FreeCiv. LincityNG. PaintBall 2. Glest. MegaGlest. Cube. Rocks and Diamonds.

Também não é preciso uma licença para utilizá-lo. Suporte a 63 terminais virtuais. ou seja. Macintosh. Possui compilações para processadores de 32 e 64 bits. pois dispõem gratuitamente dos melhores softwares do mercado para tais tarefas. robusto e considerado um dos melhores do mundo. E-Mail. 12. Permite que dois ou mais usuários façam requisições simultâneas e utilizem os recursos da máquina ao mesmo tempo. 9. na maior parte dos casos. 6. e fazendo-o excelente para ambientes multiusuários e que requerem um uso intenso e constante de disco. 15. News. Sparc. Organiza os arquivos de forma inteligente. 14. O firewall é pequeno. Permite a montagem de servidores Web. A instalação é modular. etc. Carrega na memória o módulo necessário e o descarrega após não ser mais necessário. 7. Permite executar dois ou mais programas ao mesmo tempo. 16. Sun. O código fonte está disponível na internet e nos CDs do Slackware. A instalação ou alteração de harware não necessita que o sistema seja reiniciado. etc com um baixo custo. 2. diretórios e programas. permitindo visualizar o código que faz o sistema funcionar. evitando perdas de dados e a fragmentação do disco. Windows.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 18 Características Pontos fortes 1. 13. é multitarefa. 11. 3. revistas especializadas ou com outros usuários do Slackware. e caso tenha-se o conhecimento necessário é possível modificar o sistema para atender as necessidades das empresas ou usuários. 4. bem como para processadores ARM e computadores IBM S/390. Pode conectar-se à outras plataformas como Apple. . PowerPC. permitindo o usuário escolher apenas os softwares que irá utilizar. tanto novos quanto antigos. É gratuito e de fácil obtenção através da internet. 8. Permite ser executado em máquinas com poucos recursos. 10. 5. Utiliza permissões de acesso a arquivos. Suporte a diversos periféricos existentes no mercado. ARM. Dos. Geralmente. Unix. Alpha.

seguem um padrão de acessibilidade e permitem ao usuário utilizá-lo facilmente. ou modo texto. permitindo a execução de outros sistemas operacionais dentro do Slackware. 22. pois o núcleo Linux oferece uma boa quantidade de drivers para os periféricos mais populares. Possui uma linguagem de script poderosa. . 30. O suporte é comunitário. O ambiente gráfico KDE é muito familiar para quem está migrando do Windows. Pode ser usado por longos períodos (podendo alcançar a marca de alguns anos) sem precisar desligar ou reiniciar. o sistema utiliza uma partição criada no disco rígido especialmente para criar uma memória virtual. 25. banco de dados. 20. 26. dificilmente causam problemas. Os aplicativos. 24. 31. quem tem o maior controle sobre a máquina é o administrador. planilha. contando com toda a estrutura das modernas linguagens de programação.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 19 não há a necessidade de instalar drivers. navegador de internet. Memória virtual usando paginação: na falta de memória RAM. 21. aplicações de servidor. bastando conectar e usar. 28. O usuário poderá usar o gerenciador de janelas de sua preferência. substituindo o registro do sistema existente no Microsoft Windows. inclusive editor de texto. isto deve estar sempre diretamente ligado a boas práticas do uso do computador. A configuração está organizada em arquivos dispostos na pasta /etc. 29. 32. Devido às permissões de acesso. Os aplicativos são estáveis e intensamente testados. ou poderá ser contratado suporte de empresa especializada. Porém. Permite que o usuário tenha um maior controle sobre a máquina. Suporte à virtualização. do Unix. 19. 27. A estrutura e funcionamento do Slackware é muito similar a sistemas operacionais que seguem o padrão POSIX. Em um ambiente multitarefa. etc. 23. A estrutura e funcionamento do Slackware é muito familiar para quem está migrando do Mac OS X. 18. Vários programas para diversas finalidades estão disponíveis. em sua maioria. Possui interface de linha de comando. e interface gráfica. a segurança dos dados é maior. 17.

alguns periféricos podem ter problemas para funcionarem no Slackware ou simplesmente não funcionam. sendo mais difícil encontrar empresas especializadas no suporte ao Slackware e Linux. o Slackware é considerado difícil de ser instalado e configurado. . Apesar de um amplo suporte a hardware. Por incluir apenas softwares altamente testados. uma vez instalado e configurado o sistema dificilmente tem problemas. Nem todos os fabricantes de hardware criam drivers para Linux. é difícil ter um único padrão de área de trabalho. Existem alguns programas específicos. o usuário do Slackware terá que recorrer ao terminal para executar algumas rotinas do sistema. Devido a existência de vários gerenciadores de janelas e da ampla personalização possível. 5. etc) não possuem versão para Linux. Por incluir apenas softwares altamente testados. A interface é personalizável. como instalar ou remover programas. Atualizações são disponibilizadas com bastante frequência. para as mais diversas áreas.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 20 33. 6. adicionar ou remover funcionalidades da área de trabalho. 4. e com isto fica mais difícil prestar suporte. As diversas assistências técnicas existentes geralmente só prestam suporte ao Windows. Apesar de sua poderosa interface gráfica. como a suíte de edição de vídeo da Autodesk (usada nas produções cinematográficas de Hollywood). 36. Existem milhares de aplicativos gratuitos. Softwares criados para alguns nichos específicos (softwares de engenharia. existe uma maior segurança. e o usuário poderá alterar toda a aparência. 7. edição de áudio e vídeo. 3. Pontos fracos 1. 8. os aplicativos são um pouco antigos e não oferecem todos os recursos das versões mais recentes. Existem poucos aplicativos voltados ao setor comercial e automatização de sistemas. Porém. gráficos. muitas vezes vulnerabilidades são corrigidas antes mesmo de serem exploradas. 2. 35. Por sua falta de automatizações. e alguns até tentam impedir que programadores voluntários criem drivers para outros sistemas operacionais. porém é praticamente inacessível aos pequenos estúdios. além da estabilidade garantida. 34.

no Slackware o usuário está no controle de tudo: desde o software que será instalado no sistema até a configuração do hardware. mas ele manterá um bom número de usuários e colaboradores (e quem sabe até com algum crescimento). pelo menos. Ubuntu. Red Hat. Resta esperar para saber o que futuro reserva. porém que requer um maior nível de conhecimento ou. O mundo móvel também abriu novas possibilidades para o Linux: atualmente. época em que foi lançado. tanto para o Slackware quanto para todas as distribuições do Linux. cerca de 16% dos smartphones e tablets estão rodando algum sistema operacional que usa o núcleo Linux. Android. este não parece ser o objetivo do sistema. o futuro é bastante promissor: a nuvem está aí e ele tem as tecnologias que são utilizadas. resultando numa ótima plataforma para servidores e uma estabilidade invejável por qualquer outro sistema operacional. Mesmo com a evolução da informática. etc). o Slackware mantém-se desde 1993. Para o Linux em si. Isto significa que o Slackware tem uma grande comunidade de usuários que foi capaz de trazer este sistema até os dias de hoje. Debian. O sistema segue os princípios de maior proximidade possível com o sistema operacional UNIX. vontade e tempo de aprender. Seguindo a filosofia de que automatizações não são bem vindas. adotando uma organização que facilita o entendimento pelo usuário. Ele continuará caminhando lado a lado com as demais distribuições do Linux por um bom tempo. Para o futuro. Uma única coisa é certa: em breve o computador pessoal será transformado. . seguindo os mesmos princípios ortodoxos. Mandriva. Isto pode resultar em um sistema com melhor desempenho. Quanto tempo? Não dá para prever. e a busca cada vez maior por facilidades e automatizações. Meego.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 21 Conclusão O Slackware é um sistema operacional que faz uso do núcleo Linux. assim como diversos outros sistemas operacionais (Google Chrome OS. Outro princípio que chama a atenção é que a distribuição é feita apenas com softwares altamente testados. como o Ubuntu que vem fazendo um incrível trabalho e popularizando o Linux. Maemo. Mesmo com a evolução das demais distribuições Linux. o Slackware continuará tendo o seu espaço. o Slackware não tende a ganhar muitos usuários. Quem está correndo atrás do tempo perdido é a gigante da Redmond.

br/~laureano/puc_2007/asu/caracteristicas.uol.linuxfoundation.wikipedia.org/wiki/Linux Wikipedia – Projeto GNU (acessado em 02/08/2012) http://pt.org/wiki/Unix Shell Script (acessado em 05/08/2012) http://pt.org Unix (acessado em 05/08/2012) http://pt.org/filosofia/ Members – The Linux Foundation (acessado em 03/08/2012) http://www.wikipedia.hsw.vivaolinux.html Características gerais do Linux (acessado em 05/08/2012) http://informatica.wikipedia.wikipedia.br/artigo/Curiosidades-e-mitos-sobre-Slackware Características do Unix e Linux (acessado em 05/08/2012) http://www.pucpr.com.htm .ubuntu-br.br/linux2.org/about/members Guia Foca Online (acessado em 04/08/2012) http://www.com.org/wiki/Projeto_GNU Wikipedia – A enciclopédia Livre (acessado em 02/08/2012) http://pt.ppgia.Slackware: O Linux Preguiçoso Página 22 Bibliografia Wikipedia – Linux (acessado em 01/08/2012) http://pt.org/wiki/Slackware_Linux Associação Nacional para o Software Livre (acessado em 02/08/2012) https://ansol.guiafoca.org/ComandosBasicos Curiosidades e Mitos Sobre Slackware (acessado em 05/08/2012) http://www.org/wiki/Shell_script Comandos Básicos – Ubuntu Brazil (acessado em 05/08/2012) http://wiki.wikipedia.