PROPOSTAS PARA A SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL

PROVIDÊNCIAS NECESSÁRIAS:

Há um pequeno número de providências que devem ser tomadas para que se implante uma situação de segurança pública no Brasil. Sem a implantação dessas medidas, tudo o que se fizer produzirá apenas matéria para a mídia. Será mera enganação. As medidas necessárias são:

1- A EXTINÇÃO DO INQUÉRITO POLICIAL - IP O Inquérito Policial (IP) não é praticado mais em lugar nenhum do mundo – só no Brasil – e os outros países o abandonaram entre outras coisas, porque o IP não tem valor probatório, tudo o que está no IP não tem validade processual e, portanto, o IP só produz dois frutos, à saber: A) Retardar a aplicação da justiça e, como consequência, sensação de impunidade; B) Oportunidade para a corrupção e, como consequência, impunidade (efetiva).

2- ADOÇÃO DO RELATÓRIO POLICIAL – RP O Relatório Policial é o documento produzido pelas polícias dos países de todo o mundo – é o procedimento policial universalmente adotado em substituição ao Inquérito Policial. O Relatório Policial deverá parecer com o Relatório de Conclusão do Inquérito – ser o mais detalhado porém objetivo possível, descrevendo o que o policial descobriu sobre o assunto observado, buscando indicar:

A) O quê aconteceu; B) Quando aconteceu; C) Onde aconteceu; D) Como aconteceu; E) Quem fez o quê; F) Quais as motivações das pessoas envolvidas; G) Etc. O Relatório Policial deverá ser redigido pelo policial (militar, civil, federal, guarda municipal...) que atuou no caso e não mais apenas o delegado ou oficial da PM. O Relatório Policial deverá ser acompanhado de todos os documentos e objetos que possam servir de provas. O Relatório Policial deverá ser encaminhado diretamente ao Promotor de Justiça do Ministério Público e não mais ao Poder Judiciário – pelo interesse da celeridade. O Ministério Público poderá solicitar à Unidade Policial à qual o policial pertença quantas outras diligências entender necessárias para encontrar a verdade ou instruir o processo. 3- RESPOSTA POLICIAL DIFERENCIADA A legislação competente deverá, quando da extinção do Inquérito Policial, prever que à Polícia Civil caberá obrigatoriamente investigar: - Homicídio; - Estupro; - Sequestro; - Tráfico de drogas e de armas, no âmbito estadual; - Crimes com uso de armas; - Enfim: crimes de maior relevância, que exija uma investigação mais

O Governo Federal não demonstra grande preocupação com o tráfico de armas e de drogas e. a execução do policiamento de fronteiras terrestres. com organização militar. dividida em quatro segmentos: 1. Por tratar-se de uma corporação policial. designou a Polícia Federal para fingir que tenta evitar e punir aos traficantes. 3. para a sua criação. Observação: não se pode confundir o Código de Processo Penal (que precisa ser atualizado) com o Código Penal. Portanto. estado-maior e para os corpos terrestres. E essa estrada está de tal modo defeituosa que está praticamente impossível chegar ao fim de uma viagem por ela. Istoé é cabe ao Governo Federal e à Polícia Federal impedir que o tráfico ocorra e punir a aqueles que consigam fazê-lo. tornando o processo mais rápido. 4. E. Essa providência é de urgência urgentíssima.Contra funcionário público se cometido em razão da profissão da vítima (o que inclui os policiais). a POLÍCIA BRASILEIRA DE FRONTEIRA. E 4. não tem uma polícia de fronteiras. Para efeito de comparação. O Brasil não é um país organizado e assim.importante.PREVISÃO DE PENAS ESPECIAIS Prever no Código Penal aumento de 50% das penas em caso de crimes: . 5. Em outros países minimamente organizados existem polícias específicas para isto: POLÍCIAS DE FRONTEIRAS.TRÁFICO DE ARMAS E DE DROGAS O tráfico de armas e de drogas é um crime de competência federal.não protestam e tentam oferecer respostas caseiras com as suas polícias estaduais. As fronteiras brasileiras. para a sua criação. seriam tratados de um modo mais sumário pelas Polícias Militares. como nos casos desvios de verba etc). de aeroportos e de apoio tático e aproveitar. Os crimes mais simples. Essa nova corporação poderia aproveitar.o Corpo de Policiamento Terrestre. urge atualizá-lo. À Polícia Federal cabe.ADEQUAÇÃO (ATUALIZAÇÃO) DO CÓDIGO PROCESSUAL PENAL O Código Processual Penal brasileiro. entre outras missões. SUGESTÃO: que seja criada um polícia específica para a missão específica de policiamento de fronteira.o Corpo de Policiamento de Aeroportos. devido à sua gigantesca ineficiência inviabiliza a justiça no Brasil. 2. para as funções de comando geral. a Gendarmaria Argentina. terrestres e marítimas são gigantescas e o efetivo da Polícia Federal é pequeniníssimo. profissionais oficiais dos ciclos superior e intermediário do Exército Brasileiro.o Corpo de Policiamento Aquático. . um polícia federal. a maioria.Com utilização de armas (de fogo e branca – revolver e faca). o Código Penal é como o carro e o Código de Processo Penal é como a estrada. para tanto. os profissionais aproveitados da Marinha de Guerra e do Exército deveriam fazer um estágio de habilitação para o serviço policial nas polícias militares . Até a Argentina que não é um país organizado tem uma polícia de fronteiras. de profissionais oficiais dos ciclos intermediários e subalterno e Praças Graduadas da Marinha de Guerra do Brasil.o Corpo de Apoio Tático. . Tem sim uma simulação muitíssimo malfeita de policiamento de fronteira. aeroportuárias e marítimas. O Governo Federal está fingindo que o problema não é dele em grande parte porque os Estados Membros da federação brasileira – vítimas desta inoperância . 6.Prejuízo (doloso) de patrimônio público (desde um banco de praça até o tesouro. A Polícia Federal sempre que é questionada sobre a enorme quantidade de armas e de drogas que entram ilegalmente no Brasil alega que não tem efetivo suficiente para executar o policiamento das fronteiras brasileiras.

que seriam os Corpos de Polícia. O Corpo de Policiamento Aquático – seria a versão brasileira da Guarda Costeira dos Estados Unidos. e inopinadas. Paraguai. O Corpo de Apoio Tático apoiaria os outros três corpos da corporação . O Corpo de Apoio Tático – seria um efetivo sempre pronto para apóia os outros corpos da Polícia Brasileira de Fronteiras e as corporações de Polícias Militares estaduais. Ou seja. por exemplo. de armas. Colômbia. que por sua vez se subdividiria em batalhões. aquático e de aeroportos. um Estado-Maior e. Posteriormente. Argentina. algo semelhante a um Comando de Divisão.dos Estado de São Paulo ou de Minas Gerais. nos rios e lagos fronteiriços. para tirar a previsibilidade e diminuir a possibilidade de acordo entre os policiais do comando local e traficantes. Peru. Não apenas o policiamento aduaneiro mas também policiamento móvel e frequente. . essa corporação deverá formar os seus próprios profissionais.executaria o policiamento em aeroportos. Bolívia. através de patrulhas por selvas e caminhos camuflados nas regiões rurais. as chamadas operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). O Corpo de Apoio Tático apoiaria as corporações de Polícias Militares estaduais em substituição à Força Nacional pois nesse caso sugerido. Sobretudo nas Unidades Especializadas. o policiamento efetivo destras fronteiras. A POLÍCIA BRASILEIRA DE FRONTEIRA. permanente e freqüente nas bordas aquáticas brasileiras. como abaixo se explica: O Corpo de Policiamento Terrestre – seria responsável para fazer esse trabalho que a Polícia Federal não faz em nossas fronteiras terrestres desde o Uruguai. sobretudo em zonas portuárias. no mar. O Corpo de Policiamento Marítimo não se confundiria com a Marinha de Guerra devido à sua finalidade policial. como em vésperas de natal. o Governo Federal já teria um efetivo próprio. O Corpo de Policiamento Aquático teria como objetivo apenas assuntos de interesse policial como o tráfico de drogas. que são referências. executando o policiamento efetivo. teria um Comando Geral. por exemplo. o Corpo de Apoio Tático poderia inclusive ser empregado em situações nas quais hoje se empregam tropas das Forças Armadas. de seres humanos e de animais. Neste último caso. terrestre. A Marinha de Guerra do Brasil continuaria com as suas atribuições bélicas e de controle naval do país. preparado e pronto para emprego de natureza policial militar. em operações programadas. Venezuela e Guianas. O Corpo de Policiamento de Aeroportos .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful