You are on page 1of 10

Legislação social e trabalhista

Aula 03 Princípios do Direito do Trabalho
Objetivos da aula: Determinar a natureza, função e definição do Direito do Trabalho. Estudar os princípios que norteiam este ramo específico do Direito. Pontuar características específicas do Direito do Trabalho Antes de entrarmos diretamente no tema principal da aula, para melhor entendimento faremos considerações sobre a natureza e função do Direito do Trabalho. Cabe desde logo ressaltar o aspecto social do Direito Trabalhista, devemos nos lembrar que o próprio surgimento deste se deu por transformações e revoluções de cunho puramente social. Se hoje todos os grupamentos sociais lutam e buscam justiça social, com certeza um instrumento é o direito do trabalho, longe de ser perfeito é bem certo, porém essencial. Vamos de início estudar o conceito do Direito do Trabalho.

Direito do Trabalho - Conceito
No início do século XX, em 1937, o legislador utilizou o termo Legislação Social para referir-se ao Direito do Trabalho, posteriormente em 1956, alterou-se a nomenclatura para Legislação do Trabalho.

Faculdade On-line UVB

20

em decorrência do papel exercido e cultura de cada época. a greve. Direito Individual do Trabalho: tem por objeto o estudo das relações entre empregado e empregador. adotaremos a seguinte definição: “É o ramo do Direito que regula as relações individuais entre empregado e empregador. Atualmente a Constituição Federal. estaremos tratando do Direito do Trabalho. Para conceituarmos o Direito do Trabalho de forma objetiva. Direito Social. dessa maneira ao nos referirmos ao termo legislação social. Direito Operário. Direito Social.Legislação social e trabalhista O Direito do Trabalho já foi denominado de: Direito Laboral. tratamos de aspectos públicos e aspectos privados presentes no Direito do Trabalho. Vale lembrar que na aula 02 de Direito Público e Direito Privado. os conflitos coletivos de trabalho. O termo Legislação Social indica um corpo de leis trabalhistas. Direito Coletivo do Trabalho: estuda a organização sindical. utiliza o termo: Direito do Trabalho. O Direito do Trabalho divide-se em dois grandes ramos: o Direito Individual do Trabalho e o Direito Coletivo do Trabalho. os acordos e convenções coletivas de trabalho e o poder negocial e de representação de entidades sindicais. Faculdade On-line UVB 21 . em seu artigo 22. bem como trata também da organização sindical”. Semestre. Entendo que vale a pena você reler esta aula para melhor entendimento do presente curso. 2º. entre outros.

o interesse geral. imóveis. terras. Há ainda uma outra categoria. Existe uma troca entre os bens excedentes dos ricos e os serviços dos pobres. o bem comum. em relação aos auto-suficientes. O Direito do Trabalho tem por função primordial: Proteger aquele indivíduo que vende seu trabalho para sobreviver. por intermédio dessa proteção o Estado visa assegurar a paz social. pois para viver e sustentar sua família dependem do produto de seu trabalho. Faculdade On-line UVB 22 .Legislação social e trabalhista Função do Direito do Trabalho Economicamente falando encontramos dois tipos de pessoas: os proprietários e os não-proprietários. o remunera pela força de trabalho subordinado. que são os auto-suficientes em posição econômica superior. Os hipossuficientes estão. Os não-proprietários são denominados de “hipossuficientes”. maquinarias. são denominados de: “auto-suficientes”. Os não-proprietários têm somente a força de trabalho para vender ao proprietário. Os proprietários de capitais. os “hipersuficientes”. numa situação de hipossuficiência absoluta. busca equilibrar as desigualdades sociais da relação empregado/ empregador. mercadorias.

sendo estas as definições dadas pela língua portuguesa. O princípio é a base. porque dizem respeito diretamente aos interesses particulares. sustentam e norteiam. Para melhor didática repetiremos aqui a idéia principal. como de relações jurídico-públicas. o núcleo da ciência jurídica. começo. porque dizem respeito aos interesses diretos do Estado primeiramente. o alicerce. integrase tanto nas relações jurídico-privadas. como exemplo principal podemos citar a obrigatoriedade de registro na Carteira de Trabalho e Previdência Social do trabalhador. cujo expoente máximo é o contrato de trabalho. No Direito. (aula 02 curso de Direito Público e Direito Privado). o Direito do Trabalho é misto. origem. o fundamento. podemos citar a liberdade que existe entre empregado e empregador para negociar salários. no caso a base do Direito do Trabalho.Legislação social e trabalhista Natureza do Direito do Trabalho Já foi objeto de estudo a natureza mista do Direito do Trabalho. O Direito do Trabalho também possui normas que podem ser consideradas como pertencentes ao ramo do Direito Público. para as categorias cabíveis. Princípios do Direito do Trabalho Princípio significa início. o início. princípio significa a base. Para a doutrina. O Direito do Trabalho possui normas que podem ser consideradas como pertencentes ao ramo do Direito Privado. como exemplo principal. portanto. em que o Estado aparece como garantidor da ordem pública trabalhista e como administrador de uma complexa trama de serviços públicos laborais. Faculdade On-line UVB 23 .

Condição mais benéfica. que é protecionista. O Direito do Trabalho é orientado fundamentalmente pelo Princípio da Proteção. linhas diretrizes ou postulados que inspiram o sentido das normas trabalhistas e configuram a regulamentação das relações de trabalho. Princípios são ainda. Princípio da Aplicação da Norma mais Favorável No caso de haver mais de uma norma aplicável ao caso concreto. pois ampara uma das partes da relação jurídica.Legislação social e trabalhista Nas religiões existem princípios e dogmas. em outra definição específica. no caso do Direito do Trabalho. não se aplica a hierarquia das leis. Faculdade On-line UVB 24 . Portanto. que. Principío da Proteção Refere-se este princípio à função precípua do Direito do Trabalho. ao invés de se inspirar num propósito de igualdade. conforme critérios distintos dos albergados por outros ramos do Direito. considerando-a economicamente mais fraca. que se constituem na base das mesmas. responde ao objetivo de estabelecer um amparo preferencial a uma das partes: qual seja. In dúbio pró-mísero. o trabalhador. Este princípio se subdivide em outros três: Aplicação da norma mais favorável. aplica-se a norma que melhor favorecer o trabalhador. mas a que for mais favorável.

ainda assim. não podem ainda serem substituídas por outra menos benéficas. sob pena de nulidade a cláusula infringente desta garantia. este novo valor para esta categoria prevalecerá sobre o valor previsto na Constituição Federal. se uma Convenção Coletiva estabelecer que para determinada categoria este trabalho seja remunerado com 50% sobre a hora normal.Legislação social e trabalhista Examinemos dois exemplos para melhor elucidação: A CLT prevê que ao trabalho noturno seja dado um adicional de 20% sobre a hora normal. resultantes de contrato. e repete-se especificamente na CLT artigo 468. não podem ser modificadas para pior. Vantagens já conquistadas. desde que não resultem. Neste caso. valor da hora extra superior a 50%. aplica-se a norma convencional e não a norma consolidada. de lei.F. Inciso XXXVI. em uma de suas cláusulas. e. Princípio da Condição mais Benéfica Por este princípio. artigo 5º. prejuízos ao empregado. Faculdade On-line UVB 25 . cláusulas benéficas para o trabalhador não podem ser retiradas do contrato. A Constituição Federal de 1988 prevê o pagamento adicional de horas extras extraordinárias em 50% sobre o valor da hora normal. constituem-se em Direito Adquirido. se o acordo coletivo de trabalho da respectiva categoria prever. que a seguir transcrevemos: “Nos contratos individuais de trabalho só é lícita a alteração das respectivas condições por mútuo consentimento. O fundamento geral do Direito Adquirido encontra-se na C. de normas coletivas. direta ou indiretamente. ou até mesmo regulamento da empresa.

Aplica-se também o princípio do in dúbio pró-mísero na análise do caso concreto. Faculdade On-line UVB 26 . o juiz deve optar pelo julgamento da causa em favor do empregado. não pode renunciar à proteção legal. Princípio do In Dúbio Pró-Mísero ou In Dúbio Pró-Operário Existindo duas interpretações a um texto legal. Se num procedimento judicial existem dúvidas. deve-se aplicar a interpretação que melhor atenda aos interesses do trabalhador. Princípio da Irrenunciabilidade aos Direitos Trabalhistas O trabalhador não pode renunciar aos direitos a ele assegurados pela legislação trabalhista. Aplica-se aqui princípios do direito público à legislação trabalhista. Existe a máxima que resume este princípio: “É melhor um empregador pagar duas vezes a mesma dívida. anteriormente ocupado.Legislação social e trabalhista Parágrafo único: Não se considera alteração unilateral a determinação do empregador para que o respectivo empregado reverta ao cargo efetivo. deixando o exercício de função de confiança“. O artigo 9º. do que um empregado que tenha direito deixar de receber”. Da CLT determina: “Serão nulos de pleno direito os atos praticados com o objetivo de desvirtuar. impedir ou fraudar a aplicação dos preceitos contidos na presente Consolidação”.

Por exemplo. não ter registro em carteira. mesmo recebendo-as em dinheiro. Princípio da Primazia da Realidade No Direito do Trabalho vale o que acontece no mundo real e não no mundo formal. e sem dúvidas.Legislação social e trabalhista Não pode. Sempre que existir uma relação de trabalho. Princípio da Continuidade da Relação de Emprego Há sempre a presunção de que o trabalhador não deseja deixar o emprego. no caso de uma reclamação na Justiça. o empregado alega que começou a trabalhar em 2000. mas exercia um serviço autônomo. pois existe a presunção de que o empregado não deseja perder o emprego. e ainda necessidade de prova de abandono do emprego. Fato provado prevalece sobre documento em sentido contrário. Este princípio consiste em dar preferência à realidade dos fatos existentes na relação de emprego: prevalece o que é vivenciado na vida real. por exemplo. etc. O mesmo acontece com o pedido de demissão. Apresentando prova testemunhal Faculdade On-line UVB 27 . conforme demonstra registro na CTPS. Revela-se também o princípio da continuidade a necessidade de fazer prova de despedimento pelo empregador. presumese que esta será com vínculo de emprego. o empregador terá de provar que o trabalhador não era seu empregado. renunciar a férias. a empresa contesta afirmando que iniciou em 2001. Isto quer dizer que. que deverá ser claro.

e prevalece sobre a prova documental apresentada pela empresa. Editora Saraiva. A. Referências Bibliográficas AF. Antonio Carlos Flores. e MORAES. Muitas vezes o direito do trabalho é entendido como paternalista ou muito protecionista. Editora LTR. e também importantes para entendimento da nossa disciplina. E. Esta aula individualizou aspectos específicos do Direito Trabalhista. FILHO. o objetivo é buscar equilíbrio entre duas parcelas da sociedade que gozam de diferentes poderes econômicos. Edição. Ives Gandra Silva Martins. Faculdade On-line UVB 28 . pois nesse caso. porém. FILHO. Direito Social. Editora LTR. terá o empregado ganho de causa. Manual Esquemático de Direito e Processo do Trabalho.Legislação social e trabalhista que comprove o trabalho desde 2000. Introdução ao Direito do Trabalho. Marly. Cesarino Jr e CARDONE. 2001. Depreende-se que o Direito do Trabalho tem características específicas. 2º. que vêm de acordo com a origem social intervencionista do mesmo. o depoimento testemunhal reflete a realidade vivenciada. Vol I. importantes para entendimento da dinâmica deste ramo do Direito. de Moraes.

NASCIMENTO. Iniciação ao Direito do Trabalho. 1993. São Paulo: Editora LTR. ZAINAGHI. M. Editora WVC. 2003. 2003. Princípios de Direito do Trabalho. Faculdade On-line UVB 29 . Editora LTr/ Edusp. São Paulo: Editora Atlas. RODRÍGUEZ. São Paulo. A. 2003. Domingos Sávio. Compêndio de Introdução ao Direito do Trabalho. Curso de Legislação Social.Legislação social e trabalhista MELLO. César Augusto. Américo Plá.