You are on page 1of 27

1

LEI Nº 9.784, DE 29 DE JANEIRO DE 1999 Regula o processo administrativo no âmbito da Administração Pública Federal. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Esta Lei estabelece normas básicas sobre o processo administrativo no âmbito da Administração Federal direta e indireta, visando, em especial, à proteção dos direitos dos administrados e ao melhor cumprimento dos fins da Administração. § 1º Os preceitos desta Lei também se aplicam aos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário da União, quando no desempenho de função administrativa. § 2º Para os fins desta Lei, consideram-se: I - órgão - a unidade de atuação integrante da estrutura da Administração direta e da estrutura da Administração indireta; II - entidade - a unidade de atuação dotada de personalidade jurídica; III - autoridade - o servidor ou agente público dotado de poder de decisão. Art. 2º A Administração Pública obedecerá, dentre outros, aos princípios da legalidade, finalidade, motivação, razoabilidade, proporcionalidade, moralidade, ampla defesa, contraditório, segurança jurídica, interesse público e eficiência. Parágrafo único. Nos processos administrativos serão observados, entre outros, os critérios de: I - atuação conforme a lei e o Direito; II - atendimento a fins de interesse geral, vedada a renúncia total ou parcial de poderes ou competências, salvo autorização em lei; III - objetividade no atendimento do interesse público, vedada a promoção pessoal de agentes ou autoridades; IV - atuação segundo padrões éticos de probidade, decoro e boa-fé; V - divulgação oficial dos atos administrativos, ressalvadas as hipóteses de sigilo previstas na Constituição; VI - adequação entre meios e fins, vedada a imposição de obrigações, restrições e sanções em medida superior àquelas estritamente necessárias ao atendimento do interesse público; VII - indicação dos pressupostos de fato e de direito que determinarem a decisão; VIII - observância das formalidades essenciais à garantia dos direitos dos administrados; IX - adoção de formas simples, suficientes para propiciar adequado grau de certeza, segurança e respeito aos direitos dos administrados; X - garantia dos direitos à comunicação, à apresentação de alegações finais, à produção de provas e à interposição de recursos, nos processos de que possam resultar sanções e nas situações de litígio; XI - proibição de cobrança de despesas processuais, ressalvadas as previstas em lei; XII - impulsão, de ofício, do processo administrativo, sem prejuízo da atuação dos interessados; XIII - interpretação da norma administrativa da forma que melhor garanta o atendimento do fim público a que se dirige, vedada aplicação retroativa de nova interpretação. DOS DIREITOS DOS ADMINISTRADOS Art. 3º O administrado tem os seguintes direitos perante a Administração, sem prejuízo de outros que lhe sejam assegurados: I - ser tratado com respeito pelas autoridades e servidores, que deverão facilitar o exercício de seus direitos e o cumprimento de suas obrigações; II - ter ciência da tramitação dos processos administrativos em que tenha a condição de interessado, ter vista dos autos, obter cópias de documentos neles contidos e conhecer as decisões proferidas; III - formular alegações e apresentar documentos antes da decisão, os quais serão objeto de consideração pelo órgão competente; IV - fazer-se assistir, facultativamente, por advogado, salvo quando obrigatória a representação, por força de lei. DOS DEVERES DO ADMINISTRADO Art. 4º São deveres do administrado perante a Administração, sem prejuízo de outros previstos em ato normativo: I - expor os fatos conforme a verdade; II - proceder com lealdade, urbanidade e boa-fé; III - não agir de modo temerário; IV - prestar as informações que lhe forem solicitadas e colaborar para o esclarecimento dos fatos. DO INÍCIO DO PROCESSO Art. 5º O processo administrativo pode iniciar-se de ofício ou a pedido de interessado. Art. 6º O requerimento inicial do interessado, salvo casos em que for admitida solicitação oral, deve ser formulado por escrito e conter os seguintes dados: I - órgão ou autoridade administrativa a que se dirige; II - identificação do interessado ou de quem o represente; III - domicílio do requerente ou local para recebimento de comunicações; IV - formulação do pedido, com exposição dos fatos e de seus fundamentos; V - data e assinatura do requerente ou de seu representante. Parágrafo único. É vedada à Administração a recusa imotivada de recebimento de documentos, devendo o servidor orientar o interessado quanto ao suprimento de eventuais falhas. Art. 7º Os órgãos e entidades administrativas deverão elaborar modelos ou formulários padronizados para assuntos que importem pretensões equivalentes.

2

Os atos do processo administrativo não dependem de forma determinada senão quando a lei expressamente a exigir.Art. 20. testemunha ou representante. para fins de processo administrativo. quando conveniente. O indeferimento de alegação de suspeição poderá ser objeto de recurso. ressalvada previsão especial em ato normativo próprio. Parágrafo único. O disposto no caput deste artigo aplica-se à delegação de competência dos órgãos colegiados aos respectivos presidentes. Art. 19. IV . A competência é irrenunciável e se exerce pelos órgãos administrativos a que foi atribuída como própria. São capazes. Art. DA COMPETÊNCIA Art.a edição de atos de caráter normativo. social. 3 . 22. 8º Quando os pedidos de uma pluralidade de interessados tiverem conteúdo e fundamentos idênticos. Art. 18. A autoridade ou servidor que incorrer em impedimento deve comunicar o fato à autoridade competente. Os órgãos e entidades administrativas divulgarão publicamente os locais das respectivas sedes e. delegar parte da sua competência a outros órgãos ou titulares. III . econômica.as organizações e associações representativas. companheiros. sem efeito suspensivo. a avocação temporária de competência atribuída a órgão hierarquicamente inferior. Será permitida. § 3º A autenticação de documentos exigidos em cópia poderá ser feita pelo órgão administrativo. Um órgão administrativo e seu titular poderão. O ato de delegação e sua revogação deverão ser publicados no meio oficial. § 1º Os atos do processo devem ser produzidos por escrito. TEMPO E LUGAR DOS ATOS DO PROCESSO Art.aqueles que. abstendo-se de atuar.as pessoas ou as associações legalmente constituídas quanto a direitos ou interesses difusos. companheiro ou parente e afins até o terceiro grau. 16. § 4º O processo deverá ter suas páginas numeradas seqüencialmente e rubricadas. quando for conveniente. Parágrafo único. o processo administrativo deverá ser iniciado perante a autoridade de menor grau hierárquico para decidir. § 2º O ato de delegação é revogável a qualquer tempo pela autoridade delegante. a duração e os objetivos da delegação e o recurso cabível. § 2º Salvo imposição legal. É impedido de atuar em processo administrativo o servidor ou autoridade que: I . parentes e afins até o terceiro grau. Art. Pode ser argüida a suspeição de autoridade ou servidor que tenha amizade íntima ou inimizade notória com algum dos interessados ou com os respectivos cônjuges.pessoas físicas ou jurídicas que o iniciem como titulares de direitos ou interesses individuais ou no exercício do direito de representação. ainda que estes não lhe sejam hierarquicamente subordinados. 17. DOS INTERESSADOS Art. os limites da atuação do delegado. salvo preceito legal em contrário. têm direitos ou interesses que possam ser afetados pela decisão a ser adotada. em vernáculo. III . A omissão do dever de comunicar o impedimento constitui falta grave. se não houver impedimento legal. Art. Art. o reconhecimento de firma somente será exigido quando houver dúvida de autenticidade. em razão de circunstâncias de índole técnica. DOS IMPEDIMENTOS E DA SUSPEIÇÃO Art.as matérias de competência exclusiva do órgão ou autoridade. 13.a decisão de recursos administrativos. § 3º As decisões adotadas por delegação devem mencionar explicitamente esta qualidade e considerar-se-ão editadas pelo delegado.tenha participado ou venha a participar como perito. sem terem iniciado o processo. 21. podendo conter ressalva de exercício da atribuição delegada. jurídica ou territorial. Art. Inexistindo competência legal específica. 9º São legitimados como interessados no processo administrativo: I . os maiores de dezoito anos. Art. II . poderão ser formulados em um único requerimento.esteja litigando judicial ou administrativamente com o interessado ou respectivo cônjuge ou companheiro. em caráter excepcional e por motivos relevantes devidamente justificados. 12. no tocante a direitos e interesses coletivos. Art. Art. II . DA FORMA. 10. Não podem ser objeto de delegação: I . para efeitos disciplinares. II . a unidade fundacional competente em matéria de interesse especial. 15. ou se tais situações ocorrem quanto ao cônjuge. III . 11. com a data e o local de sua realização e a assinatura da autoridade responsável.tenha interesse direto ou indireto na matéria. 14. salvo os casos de delegação e avocação legalmente admitidos. § 1º O ato de delegação especificará as matérias e poderes transferidos.

V . Quando necessária à instrução do processo. O órgão competente perante o qual tramita o processo administrativo determinará a intimação do interessado para ciência de decisão ou a efetivação de diligências. § 2º Os atos de instrução que exijam a atuação dos interessados devem realizar-se do modo menos oneroso para estes. O desatendimento da intimação não importa o reconhecimento da verdade dos fatos. poderá ser realizada audiência pública para debates sobre a matéria do processo. Serão concluídos depois do horário normal os atos já iniciados. § 3º A intimação pode ser efetuada por ciência no processo. 25. 30. § 1º A abertura da consulta pública será objeto de divulgação pelos meios oficiais. 24. será garantido direito de ampla defesa ao interessado. Os atos do processo devem realizar-se preferencialmente na sede do órgão. por telegrama ou outro meio que assegure a certeza da ciência do interessado. a audiência de outros órgãos ou entidades administrativas poderá ser realizada em reunião conjunta. 32. No prosseguimento do processo. Parágrafo único. Art. 37 desta Lei. 29.informação da continuidade do processo independentemente do seu comparecimento. diretamente ou por meio de organizações e associações legalmente reconhecidas. 31. salvo motivo de força maior. Quando a matéria do processo envolver assunto de interesse geral. 23. VI . diante da relevância da questão. § 5º As intimações serão nulas quando feitas sem observância das prescrições legais. mas confere o direito de obter da Administração resposta fundamentada. de seu interesse. mediante despacho motivado. Cabe ao interessado a prova dos fatos que tenha alegado. Inexistindo disposição específica. que poderá ser comum a todas as alegações substancialmente iguais. a ser juntada aos autos. cujo adiamento prejudique o curso regular do procedimento ou cause dano ao interessado ou à Administração. ou fazer-se representar. cientificando-se o interessado se outro for o local de realização. § 1º A intimação deverá conter: I . se não houver prejuízo para a parte interessada. Parágrafo único. abrir período de consulta pública para manifestação de terceiros. à obtenção dos documentos ou das respectivas cópias. de ofício. 26. III . a condição de interessado do processo. As atividades de instrução destinadas a averiguar e comprovar os dados necessários à tomada de decisão realizam-se de ofício ou mediante impulsão do órgão responsável pelo processo.identificação do intimado e nome do órgão ou entidade administrativa. no horário normal de funcionamento da repartição na qual tramitar o processo. sem prejuízo do direito dos interessados de propor atuações probatórias. § 1º O órgão competente para a instrução fará constar dos autos os dados necessários à decisão do processo. poderão estabelecer outros meios de participação de administrados. a intimação deve ser efetuada por meio de publicação oficial. Art.finalidade da intimação. a juízo da autoridade.data. com a participação de titulares ou representantes dos órgãos competentes. por via postal com aviso de recebimento. Art. Os atos do processo devem realizar-se em dias úteis. Parágrafo único. O prazo previsto neste artigo pode ser dilatado até o dobro. sanções ou restrição ao exercício de direitos e atividades e os atos de outra natureza. Art. o órgão competente poderá. mas o comparecimento do administrado supre sua falta ou irregularidade. Art. Art. DA COMUNICAÇÃO DOS ATOS Art. lavrando-se a respectiva ata. 36. DA INSTRUÇÃO Art. IV . Art. § 2º A intimação observará a antecedência mínima de três dias úteis quanto à data de comparecimento. o órgão competente para a instrução proverá. Art. Devem ser objeto de intimação os atos do processo que resultem para o interessado em imposição de deveres. Art. § 4º No caso de interessados indeterminados. os atos do órgão ou autoridade responsável pelo processo e dos administrados que dele participem devem ser praticados no prazo de cinco dias.se o intimado deve comparecer pessoalmente. Antes da tomada de decisão. hora e local em que deve comparecer. antes da decisão do pedido. em matéria relevante. 37. 4 . 27. 33. fixando-se prazo para oferecimento de alegações escritas. 34. Art. II . a fim de que pessoas físicas ou jurídicas possam examinar os autos. São inadmissíveis no processo administrativo as provas obtidas por meios ilícitos. ônus. Art. nem a renúncia a direito pelo administrado. 35. 28. § 2º O comparecimento à consulta pública não confere. por si. mediante comprovada justificação. Quando o interessado declarar que fatos e dados estão registrados em documentos existentes na própria Administração responsável pelo processo ou em outro órgão administrativo. Os órgãos e entidades administrativas. Art.Art. sem prejuízo do dever atribuído ao órgão competente para a instrução e do disposto no art. desconhecidos ou com domicílio indefinido.indicação dos fatos e fundamentos legais pertinentes. Os resultados da consulta e audiência pública e de outros meios de participação de administrados deverão ser apresentados com a indicação do procedimento adotado.

laudos. na fase instrutória e antes da tomada da decisão. 45. Os interessados serão intimados de prova ou diligência ordenada. § 1º Havendo vários interessados. II . § 3º A motivação das decisões de órgãos colegiados e comissões ou de decisões orais constará da respectiva ata ou de termo escrito. não se eximindo de proferir a decisão. salvo norma especial ou comprovada necessidade de maior prazo. § 1º Os elementos probatórios deverão ser considerados na motivação do relatório e da decisão. pode ser utilizado meio mecânico que reproduza os fundamentos das decisões. renunciar a direitos disponíveis. suprir de ofício a omissão. informações.decidam recursos administrativos. responsabilizando-se quem der causa ao atraso. DO DEVER DE DECIDIR Art.deixem de aplicar jurisprudência firmada sobre a questão ou discrepem de pareceres. impertinentes. o não atendimento no prazo fixado pela Administração para a respectiva apresentação implicará arquivamento do processo. clara e congruente. à honra e à imagem.decidam processos administrativos de concurso ou seleção pública. 49. Quando deva ser obrigatoriamente ouvido um órgão consultivo. requerer diligências e perícias. Parágrafo único. desnecessárias ou protelatórias. desistir total ou parcialmente do pedido formulado ou. Art. Quando dados. as provas propostas pelos interessados quando sejam ilícitas. mediante decisão fundamentada. podendo consistir em declaração de concordância com fundamentos de anteriores pareceres. Encerrada a instrução. que. A Administração tem o dever de explicitamente emitir decisão nos processos administrativos e sobre solicitações ou reclamações. salvo se outro prazo for legalmente fixado. Art. § 2º Se um parecer obrigatório e não vinculante deixar de ser emitido no prazo fixado. juntar documentos e pareceres. mencionandose data. DA DESISTÊNCIA E OUTROS CASOS DE EXTINÇÃO DO PROCESSO Art. Art. forma e condições de atendimento. desde que não prejudique direito ou garantia dos interessados. a desistência ou renúncia atinge somente quem a tenha formulado. 42. 38. encargos ou sanções. suspensão ou convalidação de ato administrativo. bem como aduzir alegações referentes à matéria objeto do processo.importem anulação. o processo não terá seguimento até a respectiva apresentação. III . 51. a Administração tem o prazo de até trinta dias para decidir. propostas e relatórios oficiais. com indicação dos fatos e dos fundamentos jurídicos.imponham ou agravem deveres. § 1º Se um parecer obrigatório e vinculante deixar de ser emitido no prazo fixado. 41. 46. 50. Art. Art. se entender relevante a matéria. VIII . DA MOTIVAÇÃO Art. 5 . 44. encaminhando o processo à autoridade competente. Quando por disposição de ato normativo devam ser previamente obtidos laudos técnicos de órgãos administrativos e estes não cumprirem o encargo no prazo assinalado. a Administração Pública poderá motivadamente adotar providências acauteladoras sem a prévia manifestação do interessado. § 1º A motivação deve ser explícita. Em caso de risco iminente. Os atos administrativos deverão ser motivados. salvo prorrogação por igual período expressamente motivada. IV . o processo poderá ter prosseguimento e ser decidido com sua dispensa. V . Art.neguem. VII . ainda. serão expedidas intimações para esse fim. sem prejuízo da responsabilidade de quem se omitiu no atendimento. O órgão de instrução que não for competente para emitir a decisão final elaborará relatório indicando o pedido inicial. VI . em matéria de sua competência. poderá o órgão competente. o parecer deverá ser emitido no prazo máximo de quinze dias. 43. quando: I . hora e local de realização. Não sendo atendida a intimação. revogação.decorram de reexame de ofício. 47. O interessado poderá. Art. Art. serão parte integrante do ato. mediante manifestação escrita. decisões ou propostas. Art. Os interessados têm direito à vista do processo e a obter certidões ou cópias reprográficas dos dados e documentos que o integram. o órgão responsável pela instrução deverá solicitar laudo técnico de outro órgão dotado de qualificação e capacidade técnica equivalentes.dispensem ou declarem a inexigibilidade de processo licitatório. 48. o interessado terá o direito de manifestar-se no prazo máximo de dez dias. Quando for necessária a prestação de informações ou a apresentação de provas pelos interessados ou terceiros. neste caso. Art. objetivamente justificada. Concluída a instrução de processo administrativo. com antecedência mínima de três dias úteis. § 2º Somente poderão ser recusadas.Art. prazo. ressalvados os dados e documentos de terceiros protegidos por sigilo ou pelo direito à privacidade. 39. 40. mencionando-se data. § 2º Na solução de vários assuntos da mesma natureza. atuações ou documentos solicitados ao interessado forem necessários à apreciação de pedido formulado. o conteúdo das fases do procedimento e formulará proposta de decisão. limitem ou afetem direitos ou interesses. O interessado poderá.

Art. Art.417. o órgão competente para dele conhecer deverá intimar os demais interessados para que. III . 64. em vigor 3 (três) meses após a publicação) 6 . modificar. 62. § 2º Salvo exigência legal. contado a partir da ciência ou divulgação oficial da decisão recorrida. Parágrafo único. o recurso administrativo deverá ser decidido no prazo máximo de trinta dias. desde que não ocorrida preclusão administrativa. (Parágrafo acrescido pela Lei nº 11. o encaminhará à autoridade superior. § 2º Considera-se exercício do direito de anular qualquer medida de autoridade administrativa que importe impugnação à validade do ato. respeitados os direitos adquiridos. publicada no DOU de 20/12/2006. ante justificativa explícita. Art. Art. anular ou revogar. O órgão competente poderá declarar extinto o processo quando exaurida sua finalidade ou o objeto da decisão se tornar impossível. Havendo justo receio de prejuízo de difícil ou incerta reparação decorrente da execução. total ou parcialmente. § 1º Quando a lei não fixar prazo diferente.perante órgão incompetente. II . e pode revogá-los por motivo de conveniência ou oportunidade. 56. III . Salvo disposição legal em contrário. Art. § 2º O prazo mencionado no parágrafo anterior poderá ser prorrogado por igual período. o prazo de decadência contar-se-á da percepção do primeiro pagamento. REVOGAÇÃO E CONVALIDAÇÃO Art. inútil ou prejudicado por fato superveniente. se não a reconsiderar. de 19/12/2006. Se da aplicação do disposto neste artigo puder decorrer gravame à situação do recorrente. podendo juntar os documentos que julgar convenientes. Parágrafo único. 64-A. se a Administração considerar que o interesse público assim o exige. 57. Art. Art. Das decisões administrativas cabe recurso. Têm legitimidade para interpor recurso administrativo: I . dar efeito suspensivo ao recurso. é de dez dias o prazo para interposição de recurso administrativo. IV . 53. de ofício ou a pedido. salvo disposição legal diversa. Interposto o recurso. as razões da aplicabilidade ou inaplicabilidade da súmula.por quem não seja legitimado. conforme o caso. a partir do recebimento dos autos pelo órgão competente. O direito da Administração de anular os atos administrativos de que decorram efeitos favoráveis para os destinatários decai em cinco anos. sendo-lhe devolvido o prazo para recurso. a decisão recorrida. A Administração deve anular seus próprios atos.fora do prazo. caberá à autoridade prolatora da decisão impugnada.após exaurida a esfera administrativa. em face de razões de legalidade e de mérito. § 1º No caso de efeitos patrimoniais contínuos. O recurso não será conhecido quando interposto: I . Art. contados da data em que foram praticados. será indicada ao recorrente a autoridade competente. quando eivados de vício de legalidade. Art. 60. em vigor 3 (três) meses após a publicação) Art. DO RECURSO ADMINISTRATIVO E DA REVISÃO Art. 63. Art. no tocante a direitos e interesses coletivos.as organizações e associações representativas. Em decisão na qual se evidencie não acarretarem lesão ao interesse público nem prejuízo a terceiros. § 1º O recurso será dirigido à autoridade que proferiu a decisão. quanto a direitos ou interesses difusos. de 19/12/2006. DA ANULAÇÃO. a qual. 52. no prazo de cinco dias úteis. IV . salvo comprovada má-fé. publicada no DOU de 20/12/2006.417. 55. 59. antes de encaminhar o recurso à autoridade superior. (Artigo acrescido pela Lei nº 11. explicitar. O recurso interpõe-se por meio de requerimento no qual o recorrente deverá expor os fundamentos do pedido de reexame.os titulares de direitos e interesses que forem parte no processo. Art. O órgão competente para decidir o recurso poderá confirmar. Salvo disposição legal específica. Se o recorrente alegar violação de enunciado da súmula vinculante. o órgão competente para decidir o recurso explicitará as razões da aplicabilidade ou inaplicabilidade da súmula. § 2º O não conhecimento do recurso não impede a Administração de rever de ofício o ato ilegal. se não a reconsiderar no prazo de cinco dias. a autoridade recorrida ou a imediatamente superior poderá.§ 2º A desistência ou renúncia do interessado.os cidadãos ou associações. conforme o caso. 54. os atos que apresentarem defeitos sanáveis poderão ser convalidados pela própria Administração.aqueles cujos direitos ou interesses forem indiretamente afetados pela decisão recorrida. II . se a matéria for de sua competência. 61. apresentem alegações. O recurso administrativo tramitará no máximo por três instâncias administrativas. conforme o caso. o recurso não tem efeito suspensivo. § 3º Se o recorrente alegar que a decisão administrativa contraria enunciado da súmula vinculante. § 1º Na hipótese do inciso II. este deverá ser cientificado para que formule suas alegações antes da decisão. não prejudica o prosseguimento do processo. 58. a interposição de recurso administrativo independe de caução.

§ 3º Os prazos fixados em meses ou anos contam-se de data a data. § 1º Considera-se prorrogado o prazo até o primeiro dia útil seguinte se o vencimento cair em dia em que não houver expediente ou este for encerrado antes da hora normal. administrativa e penal. Terão prioridade na tramitação. Da revisão do processo não poderá resultar agravamento da sanção. 7 . aplicando-se-lhes apenas subsidiariamente os preceitos desta Lei. doença de Parkinson. síndrome de imunodeficiência adquirida. 64-B. excluindo-se da contagem o dia do começo e incluindose o do vencimento. que regula o processo administrativo no âmbito da administração pública federal. c) O desatendimento da intimação para ciência de decisão importa o reconhecimento da verdade dos fatos pelo administrado. 66. ou outra doença grave.1 . econômica. Os prazos começam a correr a partir da data da cientificação oficial. quando surgirem fatos novos ou circunstâncias relevantes suscetíveis de justificar a inadequação da sanção aplicada. a serem aplicadas por autoridade competente. Parágrafo único. assegurado sempre o direito de defesa. jurídica ou territorial. os maiores de dezesseis anos. física ou mental.pessoa com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos. Os processos administrativos de que resultem sanções poderão ser revistos. os prazos processuais não se suspendem. os procedimentos administrativos em que figure como parte ou interessado: I . b) São capazes. espondiloartrose anquilosante. de 29/7/2009) Art. deverá requerê-lo à autoridade administrativa competente. ainda que estes não lhe sejam hierarquicamente subordinados.Art. DOS PRAZOS Art. social. ) Assinale a opção correta no que se refere à Lei n. em vigor 3 (três) meses após a publicação) Art.Primeira Fase (Mai/2009) / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal.OAB . para fins de processo administrativo.º 9. que deverão adequar as futuras decisões administrativas em casos semelhantes. Acolhida pelo Supremo Tribunal Federal a reclamação fundada em violação de enunciado da súmula vinculante. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. II . neoplasia maligna. mesmo que a doença tenha sido contraída após o início do processo. § 1º A pessoa interessada na obtenção do benefício. § 3º ( VETADO) § 4º ( VETADO) (Artigo acrescido pela Lei nº 12. nefropatia grave. a pedido ou de ofício. 67. estados avançados da doença de Paget (osteíte deformante). 69. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS Art. em qualquer órgão ou instância. DAS SANÇÕES Art. hepatopatia grave. (Artigo acrescido pela Lei nº 11. sob pena de responsabilização pessoal nas esferas cível.2009 . 70. esclerose múltipla. dar-se-á ciência à autoridade prolatora e ao órgão competente para o julgamento do recurso. Salvo motivo de força maior devidamente comprovado.(VETADO) IV .pessoa portadora de deficiência. Art. Art. 69-A. d) Um órgão administrativo e seu titular poderão. os autos receberão identificação própria que evidencie o regime de tramitação prioritária. a qualquer tempo. 1 . juntando prova de sua condição. Os processos administrativos específicos continuarão a reger-se por lei própria. Se no mês do vencimento não houver o dia equivalente àquele do início do prazo. As sanções. com base em conclusão da medicina especializada. tem-se como termo o último dia do mês. que determinará as providências a serem cumpridas. § 2º Os prazos expressos em dias contam-se de modo contínuo. cardiopatia grave. § 2º Deferida a prioridade. se não houver impedimento legal.Exame de Ordem Unificado .008.Q171778 ( Prova: CESPE . III . publicada no DOU de 20/12/2006. • • • • a) Considera-se entidade administrativa a unidade de atuação integrante da estrutura da administração direta.784/1999. em razão de circunstâncias de índole técnica.pessoa portadora de tuberculose ativa. delegar parte da sua competência a outros órgãos ou titulares. hanseníase. 68. paralisia irreversível e incapacitante. ressalvada previsão especial em ato normativo próprio. 65. de 19/12/2006. quando for conveniente. contaminação por radiação. terão natureza pecuniária ou consistirão em obrigação de fazer ou de não fazer.417.

durante o horário de trabalho.Primeira Fase (Mai/2009) / Direito Constitucional / Controle de Constitucionalidade. constitui instrumento de controle concentrado de constitucionalidade a ser ajuizado unicamente no STF. O trabalho que. O trabalho em empresas circenses. e) Não está impedido de atuar em processo administrativo o servidor que esteja litigando judicial ou administrativamente com o interessado. d) A ADPF pode ser ajuizada mesmo quando houver outra ação judicial ou recurso administrativo eficaz para sanar a lesividade que se pretende atacar. • a) É tipificado como atividades abrangidas pela descrição de “Piores Formas de Trabalho Infantil”: A utilização.Q180994 ( Prova: FCC . em observância ao princípio da indeclinabilidade da prestação judicial.23ª REGIÃO (MT) . as quais integram a Declaração de Princípios Fundamentais e Direitos no Trabalho da OIT (1998).Analista Judiciário . previstos na Lei no 9. 2) causar a demissão de um trabalhador ou prejudicá-lo de outra maneira por sua filiação a um sindicato ou por sua participação em atividades sindicais fora das horas de trabalho ou.1ª fase . assinale a alternativa correta. d) É impedido de atuar em processo administrativo o servidor ou autoridade que tenha interesse indireto na matéria. recrutamento ou a oferta de crianças para a realização de atividades ilícitas. nº 111 Discriminação (emprego e ocupação) (1958).2 .Q171739 ( Prova: CESPE . nº 105 Abolição do trabalho forçado (1957). é suscetível de prejudicar a saúde.2009 . Considerando tal assertiva. tais como definidos nos tratados internacionais pertinentes. assinale a opção correta. ) Das 183 Convenções da OIT aprovadas até junho de 2001.2009 .8ª Região (PA e AP) .º 9. segundo a qual apenas as normas constitucionais que protejam direitos e garantias fundamentais podem ser consideradas preceito fundamental. o recrutamento ou a oferta de crianças para a prostituição. Esta convenção fixa que os trabalhadores. Neste sentido. a produção de pornografia ou atuações pornográficas.TRT . para efeitos disciplinares. nº 100 Igualdade de remuneração (1951). nº 87 Liberdade sindical e proteção do direito de sindicalização(1948).882/1999. c) A ADPF.1 .Estatística / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. nº 138 Idade Mínima (1973) e nº 182 Piores Formas de Trabalho Infantil (1999): defende a adoção de medidas imediatas e eficazes que garantam a proibição e a eliminação das piores formas de trabalho infantil. em particular a produção e o tráfico de entorpecentes. c) Não pode ser arguida a suspeição de servidor que tenha inimizade notória com algum dos interessados. A utilização.Exame de Ordem Unificado . inclusive os funcionários a serviço do Estado. c) A Convenção nº 100 da OIT estabelece proposições relativas ao princípio da igualdade de remuneração de homens e mulheres trabalhadores por trabalho de igual valor.2011 . 3 . as deliberações da estrutura tripartite da OIT designaram oito como fundamentais. criada com o objetivo de complementar o sistema de proteção da CF. nº 98 Direito de sindicalização e de negociação coletiva (1949). a segurança ou a moral das crianças. Estas convenções devem ser ratificadas e aplicadas por todos os Estados Membros da OIT.1ª etapa / Direito Internacional Público / OIT. com efeito suspensivo. São estas: nº 29 Trabalho forçado (1930). com exceção dos militares e suas organizações sindicais. b) A omissão do dever de comunicar o impedimento constitui falta de natureza leve. ) No que concerne ao impedimento e à suspeição.784/1999. é correto afirmar: • • • • • a) O indeferimento de alegação de suspeição poderá ser objeto de recurso. com o consentimento do empregador.Juiz . b) A Convenção nº 98 da OIT trata sobre a aplicação dos princípios do direito de sindicalização e de negociação coletiva da OIT.TRT . gozarão de adequada proteção contra atos de discriminação com relação a seu emprego. por sua natureza ou pelas condições em que é realizado. por meios adaptados aos métodos em vigor • • 8 . ) A respeito da arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF). todo País.membro deverá. com relação aos trabalhadores em geral.Q179506 ( Prova: TRT 8R . em funções de bilheteiro ou vendedor e outras semelhantes. 4 . não se admite a figura do amicus curiae. • • • • a) O conceito de preceito fundamental foi introduzido no ordenamento jurídico brasileiro pela Lei n. b) Na ADPF. sendo que essa proteção aplicar-se-á especialmente a atos que visem: 1) sujeitar o emprego de um trabalhador à condição de que não se filie a um sindicato ou deixe de ser membro de um sindicato.OAB .

cor. total a prescrição nas hipóteses em que o pagamento da complementação jamais ocorreu. portanto. Também não serão consideradas discriminatórias quaisquer medidas que afetem uma pessoa sobre a qual recaia legítima suspeita de estar se dedicando ou se achar envolvida em atividades prejudiciais à segurança do Estado. tão-somente. mesmo que não empreguem regularmente mão de obra remunerada. Assim. exclusão ou preferência. do princípio da igualdade de remuneração de mão de obra masculina e mão de obra feminina por trabalho de igual valor. ato oficial do Estado. Não são consideradas discriminatórias medidas especiais de proteção ou de assistência providas em outras convenções ou recomendações adotadas pela Conferência Internacional do Trabalho.Q173515 ( Prova: CESGRANRIO . se esta se deu antes do termo final do prazo. não se admitindo a rediscussão do acerto do julgamento da rescisória anterior. e outros organismos adequados. às seguintes atividades: mineração e pedreira. pois a parte. podendo coincidir com sábado. b) Em se tratando de rescisória de rescisória. no mínimo. já tem ciência de seu ônus processual.Juiz . c) A contagem do qüinqüídio para apresentação dos originais de recurso interposto por intermédio de fac-símile começa a fluir do dia subseqüente ao término do prazo recursal. Postulando o embargante efeito modificativo. onde as houver. ao interpor o recurso. não atingindo o direito de ação. opinião política. pelo empregador ao trabalhador em espécie ou in natura. questão.800/1999. e começa a fluir o prazo a partir da concessão da aposentadoria. e não modificação do julgado.2009 . armazenamento e comunicações. • 5 . e não do dia seguinte à interposição do recurso. após consulta com as organizações de empregadores e de trabalhadores.Q179539 ( Prova: TRT 8R . plantações. os embargos declaratórios deverão ser submetidos ao pronunciamento do Colegiado. e) Tratando-se de pedido de diferença de complementação de aposentadoria oriunda de norma regulamentar.Técnico de Enfermagem do Trabalho / Segurança e Saúde no Trabalho ) 9 . que tenha sido aprovado pela autoridade competente. 2) qualquer outra distinção. direta ou indiretamente. nos termos do artigo 2º da Lei n. Para os fins da Convenção. o vício apontado deve nascer na decisão rescindenda. não se admite rescisória calcada em violação literal disposição de lei para discussão. • • • 6 . ) Consoante as súmulas da jurisprudência do TST. porém. sendo permitida a adoção de políticas de inclusão. conteúdo decisório definitivo e conclusivo da lide. e constituir parte integrante de: a) curso de educação ou treinamento pelo qual é principal responsável uma escola ou instituição de treinamento. prevista no art. e quaisquer vantagens adicionais pagas. convertidos em agravo. quando se pretende tão-somente suprir obscuridade ou contradição.para a fixação das taxas de remuneração. a prescrição aplicável é a parcial. 557 do CPC. Todavia. domingo ou feriado.2011 . religião. na medida em que isto é compatível com os ditos métodos. se as houver. de ordem pública. mas. nacionalidade ou origem social. bem como para argüição de questões inerentes à ação rescisória primitiva. acobertado pelo manto da coisa julgada. também monocrática. 9.8ª Região (PA e AP) . as parcelas anteriores ao qüinqüênio.2ª etapa / Direito Processual do Trabalho / Ação Rescisória. Para os fins da Convenção o termo “remuneração” compreende o vencimento ou salário normal.Petrobrás . construção. após consultar organizações representativas de empregadores e de trabalhadores. tidos por violados na rescisória anterior. não se aplica a regra do artigo 184 do CPC quanto ao dies a quo. • d) A Convenção nº 111 da OIT dispõe sobre a discriminação em matéria de emprego e profissão. sexo. incentivar e. transporte. Não se tratando a juntada dos originais de ato que dependa de notificação. comporta ser esclarecida pela via dos embargos de declaração. ou c) programa de orientação vocacional para facilitar a escolha de uma profissão ou de especialidade de treinamento. assegurar a aplicação. com incentivo a contratação de mão de obra feminina. com base em raça. indústria manufatureira. a Convenção é inaplicável a trabalho feito por crianças e jovens em escolas de educação vocacional ou técnica ou em outras instituições de treinamento em geral ou a trabalho feito por pessoas de no mínimo quatorze anos de idade em empresas em que esse trabalho for executado dentro das condições prescritas pela autoridade competente.TRT . conforme pode ser determinado pelo País-membro. d) Tendo a decisão monocrática de provimento ou denegação de recurso. em face dos princípios da fungibilidade e celeridade processual. a revelia não produz o efeito da confissão tendo em visa que o que se ataca na ação é a sentença. exclusão ou preferência que tenha por efeito anular ou reduzir a igualdade de oportunidade ou tratamento no emprego ou profissão. o termo "discriminação" compreende: 1) toda distinção. outros empreendimentos agrícolas de fins comerciais. água e gás. Para os fins da Convenção o termo “igualdade” corresponde a uma situação de fato onde a mão de obra feminina não sofra discriminação em virtude do sexo. e) A Convenção nº 138 que dispõe sobre a idade mínima para admissão de emprego considera ser aplicável. contanto que à pessoa envolvida assista o direito de apelar para uma instância competente de acordo com a prática nacional. b) programa de treinamento principalmente ou inteiramente numa empresa. serviços sanitários. em decisão aclaratória. eletricidade. com equivalência de remuneração com a mão de obra masculina. e resultantes do emprego.1ª fase . propriedades familiares e de pequeno porte que produzam para o consumo local. por má aplicação dos mesmos dispositivos. assinale a opção incorreta: • • a) Na ação rescisória. sendo. em trabalho de igual valor. básico ou mínimo. a todos os trabalhadores. que tenha por efeito anular ou reduzir a igualdade de oportunidade ou de tratamento no emprego ou profissão.

853/1989 e modificada pelos Decretos nos 3.Auditor Fiscal da Receita Estadual .Transpetro . de caráter social e é. introduzida pela Lei nº 7.SEFAZ-RJ .Q177300 ( Prova: FGV .De acordo com a Portaria nº 1. e) hanseníase. c) malária.298/1999 e 5. a lesão auditiva e o registro audiométrico como: • a) • b) • c) • d) • e) 8 . o Médico do Trabalho deverá conhecer as lesões auditivas com os respectivos níveis audiométricos para promover a inserção de deficientes no mercado de trabalho. VERONEZI.2011 .339/1999/MS. ) 10 .2000) Com essa proposta social.2011 .Q177178 ( Prova: CESGRANRIO . são doenças infecciosas e parasitárias relacionadas ao trabalho. O amparo legal reconhece. Roberto apud Vieira (1995.prova 2 / Direito Comercial (Empresarial) / Sociedade Empresária. respectivamente.296/2004.Médico do Trabalho Júnior / Medicina do Trabalho ) O trabalho é uma atividade humana. ao mesmo tempo. um dos mais preciosos recursos de adaptação do indivíduo ao meio ambiente. b) dengue clássico. 7 . EXCETO • • • • • a) tuberculose. d) candidíase.

2011 .UFAL . é uma sociedade empresária. ) Com relação a prescrição e decadência no âmbito da administração pública.Assistente de Administração / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. e) A avocação difere da delegação por ser esta informada pela desnecessidade de subordinação hierárquica entre o delegante e o delegado. assinale a afirmativa correta. conforme entendimento do STJ.784/1999 e não houve má-fé do aposentado.º 9. a cargo da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro. c) O contrato de cessão produz efeitos em relação a terceiros desde a sua averbação à margem da inscrição da sociedade no Registro Público de Empresas Mercantis. ) Com relação à Lei do Processo Administrativo Federal. o prazo prescricional da multa administrativa não levará em consideração o prazo prescricional previsto para o crime. b) É legitimado como interessado no processo administrativo a pessoa ou a associação legalmente constituída quanto a direitos ou interesses difusos. assinale a opção correta. já que foi ultrapassado o prazo de 5 anos previsto na Lei n.2009 . na avocação é necessária a existência de subordinação hierárquica e o regime de responsabilização incide somente sobre a autoridade que avocou a competência. • a) Suponha que tenha sido publicado no Diário Oficial da União. localizada em um ponto empresarial altamente valorizado no Estado do Rio de Janeiro. b) Considere que uma farmácia tenha recebido uma multa da Agência Nacional de Vigilância Sanitária por ter adulterado determinado medicamento. • • 9 . a aposentadoria de determinado servidor. salvo se obtida autorização expressa. fazer a cessão do estabelecimento.784. assinale a opção incorreta. • 11 .//2/2003. desde o momento da publicação da transferência. pelo prazo de 2 (dois) anos. Por outro lado. no caso. por maioria absoluta. responde de forma subsidiária por eventuais débitos existentes anteriormente à cessão apontada. a decisão de recursos administrativos e as matérias de competência exclusiva do órgão ou autoridade. em 5/3/1995. Nessa situação. detentora de valiosa marca e linhas de crédito pré-aprovadas nos melhores bancos do Estado à sua disposição. • • • a) A sociedade empresária XYZ Produtos Alimentícios Ltda. independente de a publicação ocorrer na imprensa oficial. não pode fazer concorrência ao empresário adquirente.fé. Com sólido nome no mercado. Lei nº 9. • • • • • a) A intimação no processo administrativo observará a antecedência mínima de três dias quanto à data de comparecimento. suficientes para propiciar adequado grau de certeza. segurança e respeito aos direitos dos administrados. regularmente inscrita no órgão competente desde 1999.Q174108 ( Prova: COPEVE-UFAL . de 29 de janeiro de 1999. decaiu o direito do TCU em negar tal registro. fato esse que caracteriza infração administrativa e. de boa. c) Não podem ser objeto de delegação a edição de atos de caráter normativo. e pela responsabilização conjunta do delegante e do delegado. com alterações posteriores.") 10 .Q95001 ( Prova: CESPE . desde que não exista óbice legal. ao mesmo tempo. e que o TCU tenha negado registro a essa aposentadoria. a cessão é indispensável à expressa autorização dos credores existentes àquela época. crime.Procurador Especial de Contas / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal.TCE-ES . aproveitando ótima proposta oferecida por um empresário que já atua no mesmo ramo. Nessa situação. os sócios decidem. ainda que a sociedade possua bens suficientes para solver o seu passivo. paga ao cedente. d) No processo administrativo será observada a adoção de formas simples. conforme acórdão publicado no dia 1. somente ficando exonerado se. visando diminuir o seu custo. e) A cessão dos créditos referentes ao estabelecimento transferido produz efeitos em relação aos respectivos devedores. ATENÇÃO: Esta questão foi anulada pela banca que organizou o concurso.XYZ Produtos Alimentícios Ltda. Em relação ao estabelecimento. cujo objeto constitui a exploração do ramo de alimentos. d) A sociedade empresária XYZ Produtos Alimentícios Ltda. b) Para ser considerada eficaz.

as hipóteses de nulidade de atos lesivos ao patrimônio das entidades definidas em seu art. Nessa situação. em seu art. tenha editado determinado ato. não ocorreu a decadência do direito de se anulá-lo. visto que é imperioso que seja concedida por decisão da maioria absoluta dos membros do STF. as razões da aplicabilidade ou inaplicabilidade da súmula. • • GABARITOS: 1-D 2-C 3-D 4-D 5-D 6-E 7-D 8-E 9-E 10 . ) A Lei n. o prazo prescricional da pretensão punitiva da administração em aplicar as sanções legais previstas diante das infrações cometidas pelos respectivos servidores públicos do seu regime estatutário tem como termo inicial a data do conhecimento do fato irregular por ele cometido.º 9. nessa situação.1 . A doutrina administrativista majoritária utiliza aquele dispositivo como norteador da definição dos elementos dos atos administrativos e das situações de invalidade.Q156889 ( Prova: CESPE . • • 12 . já que houve interrupção do prazo. como houve delegação. caberá à autoridade prolatora da decisão impugnada.2009 . explicitar. julgue os próximos itens.784/1999. o qual foi concluído em 23/8/2006. ao regular a ação popular. tem legitimidade para instaurar processo relativo a pedido de concessão de pensão.º 4. • • • a) Se determinado ato for praticado com base em parecer jurídico. em 25/3/2007. é de cinco anos. conforme o caso. • a) Tal medida não poderá ser apreciada em período de recesso ou férias. no exercício de sua autotutela. com base nela. que. Nessa situação. antes de encaminhar o recurso à autoridade superior. de 10 anos de idade. decorrente da morte do titular.2010 . mesmo considerando que houve boa-fé e que esse ato trouxe vantagens econômicas para a pessoa do seu destinatário. deverá constar desse ato a transcrição daquela motivação. Consoante disposto na Lei n. e) No âmbito do estado do Espírito Santo.717/1965. não incidirá a prescrição.TCE-ES . ) Assinale a opção correta a respeito da medida cautelar em sede de ação direta de inconstitucionalidade. 12 . na hipótese. • ( ) Certo ( ) Errado 13 . esperando a decisão da autoridade competente.º.2009 .OAB .º 9. em 4/5/2004.º 9. que regula o processo administrativo. de acordo com o que dispõe a Lei n. 1. podendo convalidar aqueles que apresentem defeitos sanáveis.º. d) Suponha que um servidor público tenha recebido uma delegação de poderes e.Q98150 ( Prova: CESPE . ainda.D 11 . invalidade e controle. assinale a opção correta.Q95009 ( Prova: CESPE .784/1999).Exame de Ordem Unificado . Suponha. estabelece. após a audiência dos órgãos ou autoridades dos quais emanou a lei ou ato normativo impugnado. a administração tem o dever de anular os atos administrativos eivados de vício de legalidade. A respeito dos atos administrativos. se não a reconsiderar.Procurador Especial de Contas / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. d) Suponha que um ato administrativo tenha sido praticado em 22/8/2000 e que.Primeira Fase (Jun/2010) / Direito Constitucional / Controle de Constitucionalidade. tenha sido instaurado processo administrativo visando impugnar a sua validade. eventual impugnação judicial ao ato deve ser feita contra a autoridade delegante. Nessa situação. esse ato tenha sido anulado. desde que não acarretem lesão ao interesse público e nem prejuízo a terceiros.868/1999. independentemente de estar devidamente representada.• c) Considere que um processo administrativo no qual se apure a infração ao poder de polícia esteja paralisado em determinado órgão há mais de três anos.Advogado / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. b) Pessoa absolutamente incapaz.IBRAM-DF . que. 2. c) Na hipótese de decisão administrativa contrariar enunciado da súmula vinculante. ) No que se refere à Lei do Processo Administrativo (Lei n. e) A decisão proferida em recurso administrativo não poderá prejudicar a situação da pessoa do recorrente. não sendo suficiente a mera referência ao anterior parecer.

que compreende os serviços não exclusivos do Estado e abrange a atuação simultânea do Estado com outras organizações privadas e não estatais. ) Entre os setores do Estado. a mera conveniência no simultaneus processus. a utilização do habeas corpus. poderá. seja ela concessiva ou não. • a) Tem sido reiteradamente aceita.Q152087 ( Prova: CESPE . devendo o pedido de renovação do prazo desse procedimento ser avaliado motivadamente pelo juízo processante. exceto na hipótese de índice negativo de correção para os períodos em que ocorra deflação.Juiz / Direito Processual Penal / Da Competência. d) As OSCIPs são regidas pela Lei n. conforme as condicionantes legais. e.5ª REGIÃO .5ª REGIÃO .2011 . b) Conforme entendimento dos tribunais superiores. • • • • 15 . considerandose os relatórios apresentados pela polícia. desde que a prova se mostre de plano. assume a natureza jurídica de perdão judicial. 13 . d) O sistema geral de delação premiada está previsto na Lei n.807/1999. após a ocorrência da coisa julgada. • a) Com base no princípio constitucional de irredutibilidade do valor dos benefícios. dispensando-se vínculo objetivo entre os diversos fatos criminosos. será dotada de eficácia contra todos.2011 . 16 .º 9.• • • b) Essa medida cautelar só poderá ser concedida se ouvidos. assinale a opção correta. apesar da previsão em outras leis. c) As OSs são regidas pela Lei n. substitui as partes em litígio para pôr fim aos conflitos de interesse nas relações sociais. que terá a faculdade de julgar definitivamente a ação. que. salvo se o STF entender que deva conceder-lhe eficácia retroativa.Q152148 ( Prova: CESPE . por meio do Estado-juiz. c) A decisão proferida em sede de cautelar.Terceiro Setor. para o reconhecimento de nulidades (error in procedendo). e) Nem a OS nem a OSCIP podem ter fim lucrativo ou econômico. Habeas Corpus. e) Tratando-se de investigação de fatos delituosos. assinale a opção correta. para a configuração da conexão instrumental. ) No que se refere a delação premiada. salvo a hipótese de revisão criminal. ou definitividade. assinale a opção correta.2011 .790/1999. Considerando as semelhanças e as diferenças entre essas duas entidades paraestatais. inclusive como substitutivo de recurso próprio e. 14 . como as organizações sociais (OSs) e as organizações da sociedade civil de interesse público (OSCIPs). sucessivamente. segundo a qual o Poder Judiciário.TRF . após a prestação das informações e a manifestação do advogado-geral da União e do procurador-geral da República. em respeito ao princípio constitucional da celeridade processual. a sentença não pode ser alterada. o que implica a extinção da punibilidade. mesmo após o trânsito em julgado da ação penal e ainda que já cumprida a condenação. com efeito ex nunc.Juiz / Direito Previdenciário / Princípios da seguridade social. • • • • • a) O poder público deve celebrar contrato de gestão com a OSCIP. ou de causa de diminuição de pena.Q152101 ( Prova: CESPE .º 9. a interceptação telefônica não deve ultrapassar o prazo de seis meses.TRF .TRF . destaca-se o denominado terceiro setor — conceito surgido com a reforma do Estado brasileiro —. conexão e jurisdição. c) Uma das características da jurisdição é a substitutividade.5ª REGIÃO . d) O relator. em face da relevância da matéria e de seu especial significado para a ordem social e a segurança jurídica. b) O processo de habilitação de OS deve tramitar no Ministério da Justiça.637/1998. submeter o processo diretamente ao STF. o advogado-geral da União e o procurador-geral da República. interceptação telefônica. de acordo com o princípio da imutabilidade.Juiz / Direito Administrativo / Entidades paraestatais . não se admite redução do valor nominal do benefício previdenciário pago em atraso. é suficiente. habeas corpus. previamente. ) Em relação às fontes e princípios e à eficácia e interpretação das normas de seguridade. conforme a jurisprudência do STJ. os requisitos gerais ali estabelecidos devem ser preenchidos para a concessão do benefício.º 9.

à ISO/IEC 17799:2000. d) Em 2005. a doutrina e os costumes. Busca-se. tendo como objetivo a implantação de um SGSI. IV. mas em momentâneo estado de tensão ou de mal-estar hermenêutico. Atuação conforme a lei.Q120686 ( Prova: PUC-PR . na parte que estendeu o salário-maternidade às contribuintes individuais. a questão se resolve pela sobreposição da norma constitucional à legal. VI. Objetividade no atendimento do interesse público.º 9. por exemplo. III e IV.• b) As fontes formais do direito previdenciário consistem nos fatores que interferem na produção de suas normas jurídicas. a BS7799-2:2002 transformou-se na ISO/IEC 27001:2005. decoro e boa-fé. sem ressalvas. como. o INSS — e o segurado. Adequação entre meios e fins. 14 . sob o argumento de que a CF somente prevê o benefício expressamente às empregadas urbanas. a ISO/IEC 17799-1:2005 sofreu correções e transformou-se na ISO/IEC 27002. ) De acordo com a resolução da ANEEL. V e VI. a primeira revisão da BS7799 resulta na BS7799:1999 parte 1.Q153110 ( Prova: FCC .784. n° 233.COPEL . dando origem no ano de 2000. de 29 de janeiro de 1999. V e VI. • • • 17 . os fundamentos do surgimento e da manutenção dos seguros sociais e os costumes no âmbito das relações entre a autarquia previdenciária — no caso. d) I.2011 .876/1999. c) III. vedada a imposição de obrigações.Advogado Júnior / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. III. e não. II. • • • • a) I. b) II. 18 . IV. III. V e VI. Indicação dos pressupostos de fato e de direito que determinarem a decisão. razão pela qual o STF declarou a inconstitucionalidade formal da Lei n. em cada caso concreto. a integração da norma com os princípios norteadores e demais institutos aplicáveis. e) A interpretação teleológica das normas previdenciárias consiste na análise da norma no contexto desse ramo do direito ou do ordenamento jurídico como um todo. vedada a promoção pessoal de agentes ou autoridades. c) Em 2002 foi lançada a norma BS7799 parte 2. restrições e sanções em medida superior àquelas estritamente necessárias ao atendimento do interesse público. os seguintes critérios: I.2010 . d) Diante de aparente antinomia entre normas principiológicas ou constitucionais. segundo a doutrina dominante. dando origem à BS7799:1995 parte 1. mas pela ponderação entre os princípios. que foi proposta como norma ISO.INFRAERO . e) Em 2007. divulgação oficial dos atos administrativos. cuja solução não se dá pela exclusão de uma norma do ordenamento jurídico. c) Havendo antinomia entre norma principiológica e norma infraconstitucional. Atuação segundo padrões éticos de probidade. e. V. de 1 4 de julho de 1998. ) No contexto do histórico do modelo que abrange as normas NBR ISO/IEC 27001 e NBR ISO/IEC 27002. como ocorre com as regras em geral. II. isoladamente. não é correto. III. considerando controles selecionados a partir da ISO/IEC 27001.Analista de Sistemas . dentre outros.Rede e Suporte / Segurança da Informação / Norma ISO 17799 e 27001. falar-se em conflito. é INCORRETO afirmar: • • • • • a) Em 1995. a jurisprudência administrativa em vigor. com isso. b) Em 1999. analise as assertivas e assinale a CORRETA: Os processos administrativos observarão o disposto na Lei nº 9. a BS7799 foi aperfeiçoada pela comunidade de TI britânica. rurais e domésticas e às trabalhadoras avulsas.

• e) II. Acerca desse tema. o valor justo é o preço de transferência.º 9. b) O tempo de serviço rural anterior à vigência da Lei n. DF e municípios) e entre estes e o RGPS. Fábio Zambitte Ibrahim.IPAJM . recentes alterações na Lei n. a não ser no momento histórico de seu registro inicial. mediante indenização da contribuição correspondente ao período respectivo. assinale a opção correta. teoricamente. quando concomitantes.Q133272 ( Prova: CESPE .º 20/1998 e n. 670 (com adaptações). e) O valor que se pode obter em um mercado ativo.404/1976 introduziram o conceito de valor justo de itens do ativo.2010 .D 14 .. esses valores possam ser considerados mais aconselháveis do que a avaliação pelo custo histórico.º 6. 15 .C 13 .Analista de Correios .D 20 . julgue os itens a seguir. b) Para bens do ativo imobilizado. com o acréscimo previsto na legislação. Em relação à denominada contagem recíproca. Refletindo a discussão em torno da questão da avaliação dos itens patrimoniais.ª ed. c) É permitida a contagem de tempo de serviço público com o de atividade privada. assinale a opção correta. o valor justo é o custo de reposição. 1999.Contador / Direito Previdenciário / Contagem recíproca de tempo de contribuição. • • • • • a) Para estoques em geral. d) O tempo de serviço para o RPPS deve ser comprovado por meio de certidão emitida pelo INSS.Contador / Contabilidade Geral / Ajustes: Valor presente e Valor justo. conceito que possui aplicações variadas. com a finalidade de obtenção da aposentadoria em outro RPPS. H.IPAJM .2010 .D 15 . pode ser utilizado para contagem recíproca.Correios .2011 . • • • • • a) O servidor público ex-celetista tem direito à contagem de tempo de serviço exercido em condições especiais na forma da legislação anterior. estados. GABARITOS: 11 . 20 .B 19 .º 8. Curso de direito previdenciário. ou seja. 284 (com adaptações). p.E 16 . mesmo após as reformas das Emendas n. d) Para instrumentos financeiros sem mercado ativo.E 21 .796/1999.Administrador / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. sem contribuições à previdência social.Q116089 ( Prova: CESPE . dependendo do ativo que se quer avaliar. c) Para as matérias-primas. é o conceito de valor justo para mercadorias destinadas à venda. 12. entretanto.E 18 .D 17 . ) No que tange ao processo administrativo federal. IV. A contabilidade da era da informação: In: Temas discutidos no XV Congresso Mundial de Contadores de Paris. São Paulo: Atlas. Franco. pode oferecer dificuldades na prática. embora. os diversos regimes se compensarão financeiramente nos termos da Lei n.C 12 . o valor justo é o valor obtido por meio de modelos matemático-estatísticos de precificação. ) O princípio contábil do custo histórico não reflete o valor de uma empresa em determinado dia. p. A utilização do fair value(valor justo) ou do valor de mercado. V e VI. Havendo a mudança de regime. ainda permite a contagem recíproca de tempo de serviço entre os diversos RPPSs (União. o valor justo é o preço líquido de realização por venda no mercado.º 41/2003. decorrente de transação não compulsória realizada entre partes independentes. ) A Constituição Federal de 1988. 19 .Q116069 ( Prova: CESPE .213/1991. e) Pode ser contado o tempo de serviço anterior ou posterior à obrigatoriedade de filiação à previdência social.

• ( ) Certo ( ) Errado 22 . o servidor recorre. edição. a administração deve anular seus próprios atos de conteúdo decisório. ) Em determinado procedimento administrativo disciplinar.2 .2010 . Com base no fragmento acima. desde que não imponha pena grave. adotada pelo Comitê de Normas de Descrição em Estocolmo.Q110139 ( Prova: FGV .2011 . d) não observou o princípio do devido processo legal. ao servidor.FIOCRUZ . vindo a Administração. b) agiu em respeito aos princípios da legalidade e autotutela. c) não observou o princípio da dignidade da pessoa humana.Arquivologia / Arquivologia / ISAD (G). ) A Norma Geral Internacional de Descrição Arquivística .Consoante o princípio da autotutela.1121990 . b) especializados. trazendo equivocada reforma em prejuízo do recorrente.TermoMacaé . Essa norma é a • • • • • a) OHSAS 18001 b) NPR 5001 c) ISA 20000 d) BS 8800 e) ISO 14000 25 .Exame de Ordem Unificado . é correto afirrmar que a Administração Federal • • • • a) agiu em desrespeito aos princípios da eficiência e da instrumentalidade.2009 . c) em suporte midiático. tendo em vista a comprovação de ato de improbidade. quando eivados de vício de legalidade. a pena de advertência.Critério Remoção / Atualidades / Conhecimentos Gerais. a lhe impor a pena de demissão.2010 . autorizativos da reforma em prejuízo do recorrente. 2ª.Regime Jurídico dos Servidores Públicos Federais. (1999) esclarece que as regras contidas na norma não dão orientação para a descrição de documentos: • • • • • a) de valor secundário. trazendo equivocada reforma em prejuízo do recorrente.ISAAD (G).Q121342 ( Prova: VUNESP . a Administração federal impôs.Primeira Fase (Set/2010) / Direito Administrativo / Lei nº 8. nos termos da Lei nº 8112/90 e da Lei 9784/98. Inconformado.º 9. Processo Administrativo Federal. autorizativos da reforma em prejuízo do recorrente. 24 . d) especiais. 23 . consagrado na Lei n. que permitisse a sua avaliação e certificação nas indústrias.Tecnologista em Saúde .Engenheiro de Segurança / Segurança e Saúde no Trabalho ) Em 1999 foi publicada uma norma internacional reconhecida para Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional.TJ-SP .Q129215 ( Prova: FGV . após lhe conferir o direito de manifestação.OAB .784/1999. ) 16 .Q129873 ( Prova: CESGRANRIO . e) permanentes.Titular de Serviços de Notas e de Registros .

Garantias e Privilégios do Crédito Tributário. 670. Distrito Federal e municípios) e entre estes e o RGPS. abrigar a sede • • • • a) do Tribunal de Justiça de São Paulo. pode ser utilizado para contagem recíproca. d) da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. ) Com referência à situação hipotética descrita no texto e ao crédito tributário. • a) O lançamento tributário em tela não poderia basear-se nas informações obtidas pelo fisco estadual perante a instituição financeira relativas aos fatos geradores ocorridos antes de 2001. estados.. os diversos regimes se compensarão financeiramente nos termos da Lei n.º 9. mesmo após as reformas das Emendas n. 26 . Curso de direito previdenciário. ATENÇÃO: Esta questão foi anulada pela banca que organizou o concurso. Em relação à denominada contagem recíproca. 12. quando concomitantes.Q119189 ( Prova: CESPE . com o acréscimo previsto na legislação. com a finalidade de obtenção da aposentadoria em outro regime próprio de previdência.TJ-TO .A Estação Júlio Prestes foi reformada para.º 20/1998 e n. desde 1999.Q101481 ( Prova: CESPE . b) do Governo do Estado de São Paulo.ª ed. c) É permitida a contagem de tempo de serviço público com o de atividade privada. c) da Prefeitura do Município de São Paulo.2010 .IPAJM . • • • • • a) O servidor público ex-celetista tem direito à contagem de tempo de serviço exercido em condições especiais na forma da legislação anterior. ) A Constituição Federal de 1988. e) Pode ser contado o tempo de serviço anterior ou posterior à obrigatoriedade de filiação à previdência social. assinale a opção correta. Processo Judicial Tributário. Lançamento. d) O tempo de serviço para o regime próprio de previdência deve ser comprovado por meio de certidão emitida pelo INSS. ou seja. já que a lei complementar que permite a ampliação dos poderes de investigação não poderia ser aplicada retroativamente. ainda permite a contagem recíproca de tempo de serviço entre os diversos regimes próprios de previdência (União. 17 .º 8. Havendo a mudança de regime.") 27 .796/1999. p.Juiz / Direito Tributário / Crédito Tributário. assinale a opção correta.º 41/2003.Assistente Social / Direito Previdenciário / Contagem recíproca de tempo de contribuição.2007 . Fábio Zambitte Ibrahim. mediante indenização da contribuição correspondente ao período respectivo. sem contribuições à previdência social.. b) O tempo de serviço rural anterior à vigência da Lei n.213/1991.

se o sujeito passivo apresentar o comprovante do depósito do montante integral e em dinheiro ou prestar caução.23ª REGIÃO (MT) . na forma preconizada pela Lei n° 9.Recursos Humanos . d) Essa norma estabelece requisitos de desempenho e detalha o desenvolvimento dos SGSSOs.Área Administrativa / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. e ISO 9000. juntamente com a International Labor Organization (ILO).2010 . 10% Palestras.Técnico Judiciário .Q111484 ( Prova: FCC . 30 . 80% Ensinar os Outros/ Uso Imediato. com vistas à suspensão da exigibilidade do crédito tributário. ) Conforme Meister (1999).Analista . e) proibição de cobrança. 50% Grupos de Discussão. vedada aplicação retroativa de nova interpretação. 20% Audiovisual. constatou-se taxa média de retenção de acordo com estratégias de aprendizagem. 29 . b) A primeira versão da norma em apreço foi publicada em 1999. 10% Audiovisual.Q112145 ( Prova: CESPE . c) A norma em questão visa criar um padrão a partir do qual os sistemas de gestão de segurança e saúde ocupacional (SGSSO) possam ser avaliados e certificados. 50% Demonstrações. apresentada em uma pirâmide conforme ordem crescente relacionada abaixo: • • a) 5% Palestras. e) Os requisitos dessa norma foram definidos de modo a serem incorporados por empresas cujos SGSSOs sejam compatíveis com as normas ISO 14001. d) adequação entre meios e fins.Q109600 ( Prova: ESAF . ainda que sem autorização legal. com possibilidade de renúncia parcial de poderes ou competências. com possibilidade de imposição de obrigações em medida superior àquelas estritamente necessárias ao atendimento do interesse público.INMETRO . diante da decadência do direito de constituição do crédito tributário. os critérios de • • • • • a) atendimento a fins de interesse geral. 30% Demonstrações. 75% Ensinar os Outros/Uso Imediato.784/1999. não poderiam ser incluídos no lançamento os fatos geradores relativos ao ICMS ocorridos nos anos de 1998 e 1999. b) 5% Leitura. b) interpretação da norma administrativa da forma que melhor garanta o atendimento do fim público a que se dirige. em pesquisa do NTL Institute for Applied Behavioral Sciences. em qualquer hipótese. de 1996. Educação Corporativa.• b) Considerando-se que o lançamento ocorreu em dezembro de 2005. como um guia de gestão em segurança e saúde ocupacional. sendo possível a promoção pessoal de agentes ou autoridades. o juiz poderá conceder a tutela antecipada para autorizar a compensação do referido débito.Analista . 30% Grupos de Discussão. entre outros. até que sobrevenha o trânsito em julgado. ) Nos processos administrativos.prova 2 / Gestão de Pessoas / Treinamento e Desenvolvimento. Aprendizagem Organizacional. com outros créditos do sujeito passivo com o estado do Tocantins. de despesas processuais. assinale a opção correta.Medicina do Trabalho / Medicina do Trabalho ) Com relação à norma OHSAS (Occupational Health & Safety Advisory Services) 18001. 75% Praticar Fazendo. de 2005. em substituição à norma OHSAS 18000. o juízo que conhecer da ação declaratória somente poderá conceder a tutela antecipada. d) Se for requerida na ação em tela.2011 . 20% Leitura. de 2004.2010 . 18 . • • 28 . • • • • • a) Essa norma foi publicada pela International Organization for Standardization (ISO). c) Como já há ação executiva em curso. c) objetividade no atendimento do interesse público.CVM .TRT . 80% Praticar Fazendo. serão observados.

D 24 . de Autocrática para Controladora. b) Na tecnologia.prova 2 / Gestão de Pessoas / Mudança organizacional.E 27 .1ª REGIÃO (RJ) . de 5 de agosto de 1999. 10% Audiovisual.Analista Judiciário . Assinale a única mudança correta.C 29 . 32 . ) Segundo Meister (1999). 10% Palestras.C 31 .B 30 . de Hierarquia para Livre Estruturação. 50% Ensinar os Outros/ Uso Imediato.• • • c) 5% Palestras. a emergência da organização enxuta e flexível provocou mudanças que representam demandas totalmente novas para os trabalhadores e exigem que eles dominem papéis e qualificações totalmente novos. 80% Ensinar os Outros/ Uso Imediato. 245.Recursos Humanos . 75% Grupos de Discussão. 20% Audiovisual. 10% Leitura.2010 .TRT . 30% Praticar Fazendo.Q109605 ( Prova: ESAF . 20% Audiovisual. 80% Praticar Fazendo.2011 .Q104586 ( Prova: FCC .Analista . d) 5% Leitura. c) Na organização. 75% Demonstrações. de Homogênea para Padronizada.B 23 . e) 5% Palestras. 20% Leitura. e) Na força de trabalho.A 25 . de acordo com sua análise diplomática. 30% Demonstrações. GABARITOS: 21 . 50% Grupos de Discussão.D 26 . d) Na vantagem.E 22 . de Custo para Tempo. e atribua a cada uma das partes numeradas à direita o nome correto que têm. de Ferramentas para Desenvolver a Colaboração para Ferramentas para Desenvolver a Mente. 50% Grupos de Discussão. • • • • • a) Na liderança. 30% Demonstrações. 75% Praticar Fazendo.Arquivologia / Arquivologia ) Examine o Ato n.CVM . 19 .B 28 . 80% Ensinar os Outros/ Uso Imediato.

504.Juiz / Direito Eleitoral / Lei nº 9. d) nominação. determinação. foi alterada. e) titulação. c) no pagamento de aluguel de bens particulares para veiculação de propaganda eleitoral. notificação. exposição de motivos. consideração. c) qualificação inicial. para abrigar a instituição jurídica da captação de sufrágio.504/1997. intenção. medidas e peroração. ressalva e encerramento protocolar. mediante projeto de lei de iniciativa popular. argumentação. dispositivo. b) no pagamento de cachê de artistas ou locutores de eventos relacionados a campanha eleitoral.Eleições. em 1999. motivação. d) no aluguel de local para a promoção de ato de campanha eleitoral.º 9. imposição e validação final. Lei n. exposição. cláusulas e conclusão. ) A Lei Eleitoral brasileira.2007 . 33 .Os campos de números I a V correspondem. respectivamente. b) introdução. resolução. que se manifesta • • • • • a) na remuneração e gratificação de qualquer espécie a pessoal que preste serviços a candidaturas. à seguinte partição: • • • • • a) apresentação. 20 .TJ-PI . e) na promessa ao eleitor de emprego público com o fim de obter-lhe o voto.Q102340 ( Prova: CESPE . corroboração e protocolo final.

d) 3. A quantidade de itens certos é igual a • • • • • a) 0. não será responsabilizado criminalmente. Com base na situação hipotética acima. assinale a opção correta.455. 55 anos. d) A pena para a prática do delito de tortura deve ser majorada caso o delito seja cometido por agente público. • • • • 36 . trabalha na empresa desde Janeiro de 1999 e ocupa também a função de secretária desde Janeiro de 2010.000.2009 . IV .34 . sob pena de grave comprometimento dos recursos financeiros destinados a custear as despesas específicas de proteção. c) 2.Na hipótese em questão. ou ainda contra vítima maior de 60 anos de idade. entendeu pela sua ilegalidade. conforme a Lei n. o prazo decadencial para que o TCU anule o ato de concessão da aposentadoria é de 5 anos. permanecendo indiferente ao fato. I . já que houve boa-fé de Maria e o ato questionado lhe foi favorável.Juiz / Direito Administrativo / Controle da Administração Pública. no exercício da sua competência de apreciar tal ato.807/1999 é exclusivo para vítimas ou testemunhas ameaçadas.Q102271 ( Prova: CESPE . 35 . relativos a atos administrativos.O ato de concessão de aposentadoria é composto.º 9.º 9.00.500. não haverá como aplicar a Lei n. adolescente.PC-RN . trabalha na empresa X desde janeiro de 2008. 25 anos.2011 .º 9. e) 4.00.807/1999 não prevê a concessão de perdão judicial para o acusado que tenha colaborado efetiva e voluntariamente com a investigação e o processo criminal. II . para fins de registro. tendo sido promovida para a função de secretária em Dezembro de 2010 com salário mensal de R$ 1.º 9. Maria. o TCU não poderia anular o referido ato sem proporcionar a Maria o direito constitucional da ampla defesa e do contraditório. integrante da Comissão Nacional de Direitos Humanos.455/1997 não podem ser praticados por omissão. ) Maria teve o seu pedido de aposentadoria no serviço público federal acatado pelo seu órgão de origem.Escrivão de Polícia Civil / Direito Penal / Lei nº 9. ou mediante sequestro. de 7 de Abril de 1997 (Lei dos Crimes de Tortura).2007 . c) O programa de proteção de que trata a Lei n. de 7 de Abril de 1997 (Lei dos Crimes de Tortura). processo administrativo e precedentes do STF.º 9. com base em parecer jurídico.807/1999). III . trabalha na empresa desde Janeiro de 2007. e) Se um membro da Defensoria Pública Estado do Rio Grande do Norte. Mônica.Q98813 ( Prova: FCC .784/1999.Advogado / Direito do Trabalho / Equiparação Salarial. porém recebe salário mensal de R$ 1. criança. No entanto.455.NOSSA CAIXA DESENVOLVIMENTO .Q95645 ( Prova: CESPE . mas apenas a redução de um a dois terços na pena do réu que tenha contribuído para a localização da vítima com vida e na recuperação total ou parcial do produto da atividade criminosa.As decisões do TCU são vinculantes para a Administração Pública. b) A Lei n. for passar uma temporada de trabalho no Haiti — país que não pune o crime de tortura — e lá for vítima de tortura. 26 anos. • a) Um delegado da polícia civil que perceba que um dos custodiados do distrito onde é chefe está sendo fisicamente torturado pelos colegas de cela. uma vez que o TCU apenas aprecia a legalidade ou não do ato.º 9. 21 .º 9. b) 1. gestante ou portadora de deficiência.455/1997) e ao Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas (Lei n. ) Em relação aos crimes de tortura (Lei n.455/1997. ) Joana.TJ-PI . o TCU. não podendo ser estendido aos parentes destas. pois os delitos previstos na Lei n. Lei nº 9. julgue os itens a seguir.Na situação considerada.

é correto afirmar que. 37 .cessariamente a empresa para que supra a irregu. b) observância das formalidades essenciais à garantia dos direitos dos administrados.834/2001 estabeleceu que se aplicam aos atos e aos processos administrativos no âmbito da Administração direta e indireta do Distrito Federal. vedada a aplicação retroativa de nova interpretação. na mesma localidade. e) poderá requerer a equiparação salarial tendo como paradigma apenas Mônica. tendo em vista que Maria trabalha na empresa há mais de dez anos.Analista .laridade no prazo máximo de 48 horas e informe o ocorrido ao Sindicato da categoria. c) só poderá requer a equiparação salarial tendo como paradigma apenas Mônica.Q95356 ( Prova: FUNIVERSA .º 2.Controle Ambiental / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. tendo em vista que Mônica possui mais de cinquenta anos de idade.Auditor Fiscal de Atividades Urbanas . c) proibição de cobrança de despesas processuais. b) poderá requerer a equiparação salarial tendo como paradigmas Maria e Mônica. d) poderá requerer a equiparação salarial tendo como paradigma apenas Maria. e) necessidade de defesa técnica por advogado em todas as fases do processo administrativo.º 9. ) A Lei Distrital n.Q95221 ( Prova: FUNIVERSA . de ofício.SEPLAG-DF . do processo administrativo. no que couber. para o mesmo empregador.784/1999. ) 22 . salvo as previstas em lei. Joana • • • • • a) não poderá requerer a equiparação salarial tendo em vista que Maria trabalha na empresa desde Janeiro 1999 e Mônica desde Janeiro de 2007. desde que notifique ne.2011 .500.2009 . não será observado o critério de • • • • • a) impulsão. as disposições da Lei Federal n.00.também exercendo a função de secretária desde Julho de 2010. Tendo em vista que todas exercem a mesma função. 38 . sem prejuízo de atuação dos interessados. d) interpretação da norma administrativa da forma que melhor garanta o atendimento do fim público a que se dirige. Nesse contexto. mediante salário de R$ 1. nos processos administrativos.Planejamento e Orçamento / Inglês / Interpretação de Textos.SEPLAG-DF .

23 .

pelas obrigações que caibam a cada regime previdenciário cumprir. • • • • • a) The increase of almost 18% in the number of municipal public servants stands for an annual pattern in the whole country since 1999. ainda que solidariamente. • • • 40 . e) The text states that the increasing number of municipal public servants is of great concern to the Federal Government.Q93606 ( Prova: CESPE . assinale a opção correta.Advogado / Direito Previdenciário / Regimes de Previdência Social. b) The data collection called MUNIC 2002 started in 1999 and finished in 2002. • • a) A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo disciplinar ofende a CF.IPAJM .q d) Dados obtidos em interceptação de comunicações telefônicas e em escutas ambientais. • a) Considera-se regime de origem o regime previdenciário responsável pela concessão e pagamento de benefício de aposentadoria ou pensão dela decorrente a segurado ou servidor público ou a seus dependentes com cômputo de tempo de contribuição no âmbito do regime de origem. bem como o montante devido por cada um deles para o RGPS. que dispõe sobre a compensação financeira entre o RGPS e os RPPSs dos servidores da União. ou contra outros servidores cujos supostos ilícitos teriam despontado à colheita dessa prova. contra a mesma ou as mesmas pessoas em relação às quais foram colhidos. podem ser usados em procedimento administrativo disciplinar. judicialmente autorizadas para produção de prova em investigação criminal ou em instrução processual penal.Q93576 ( Prova: CESPE . totalizando o quanto o INSS deve para cada RPPS de servidores. dos estados. exercer controle e manter cadastro atualizado de todos os benefícios objeto de compensação financeira. do DF e dos municípios somente serão considerados regimes de origem quando o RGPS for o regime instituidor. c) Most of the municipal public servants are under a regime in which employers have to make a deposit in an employee account. b) Todos os RPPSs dos servidores da União. dos estados. c) Nos processos perante o TCU. b) Quando dados.784/1999. assinale a opção correta. do DF e dos municípios devem possuir personalidade jurídica própria. d) A lei veda expressamente que os respectivos entes federados respondam.796/1999. ) Relativamente à Lei n. c) Os RPPSs de servidores da União. atuações ou documentos solicitados ao interessado forem necessários à apreciação de pedido formulado. ) Tendo como fundamento a Lei nº 9. dos estados. como ocorre com a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria.Advogado / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. d) A relation between number of inhabitants and tributary guiding principles was mentioned in the text.IPAJM . asseguram-se o contraditório e a ampla defesa quando da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato administrativo que beneficie o interessado. reforma e pensão. mark the correct alternative. • • • • GABARITOS: 24 . do DF e dos municípios.2010 . These funds are administered by the federal government. que rege o processo administrativo brasileiro.º 9.2010 . de forma descentralizada.Based on the text II. bem como o entendimento do STF acerca do que dispõe essa lei. e) É responsabilidade de cada instituto de previdência estadual e municipal. 39 . e) É constitucional a exigência de depósito ou arrolamento prévios de dinheiro ou bens para admissibilidade de recurso administrativo. o não atendimento no prazo fixado pela administração para a respectiva apresentação importará julgamento desfavorável ao administrado.

mediados pelos conhecimentos escolares. por telegrama.Analista Judiciário .C 41 . c) o ato de delegação e sua revogação não necessitam ser publicadas no meio oficial.1ª REGIÃO .D 32 .D 36 .Pedagogo / Pedagogia ) Os estudos sobre Currículo apresentam uma discussão estabelecida entre o currículo escolar oficial e o currículo oculto. e) de ensinamentos que crianças e jovens precisam para se confrontar com a realidade. ainda que de interesse do administrado.784/1999. ) 25 .2011 . 44 .Q87727 ( Prova: FCC .) • • • • • a) das orientações dadas pelas famílias. por via postal com aviso de recebimento.Q86519 ( Prova: COPEVE-UFAL .2011 . b) dos comportamentos adquiridos pelos alunos. ) No que concerne à comunicação dos atos. alunos e alunos. tendo em vista a ocorrência do instituto da preclusão.TRF . b) a intimação pode ser efetuada por ciência no processo. Neste sentido.D 40 . administradores e alunos.E 34 . c) no caso de interessados indeterminados. o mesmo não ocorrendo para os atos de outra natureza. entretanto.UFAL .D 39 . ou ainda.784/1999.2011 .UFAL .E 38 . não sendo cabível por outro meio.Q87522 ( Prova: COPEVE-UFAL . Segundo SILVA (1999). Estudos de usuários. e o comparecimento do administrado não supre sua falta ou irregularidade. d) as intimações serão nulas quando feitas sem observância das prescrições legais.Bibliotecário Documentalista / Biblioteconomia / Serviços de referência.Área Administrativa / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal.1ª REGIÃO .31 . d) o ato de delegação não poderá ser revogado a qualquer tempo. o currículo oculto constitui-se (Assinale a opção correta. prevista na Lei nº 9.2011 .TRF . e) a avocação temporária de competência atribuída a órgão hierarquicamente inferior é admitida como regra. 43 . b) o ato de delegação não pode conter ressalva de exercício da atribuição delegada. 42 .B 37 . é correto afirmar que • • • • • a) os atos do processo que resultem para o interessado em imposição de deveres. o que se aprende no currículo oculto são fundamentalmente atitudes. ônus. ) No processo administrativo. Usuários. previsto na Lei nº 9. d) do estabelecimento das relações sociais da escola entre professores e alunos. a intimação deve ser efetuada por meio de publicação oficial. ainda que assegure a certeza da ciência do interessado. sanções ou outras restrições devem ser objeto de intimação. c) de um conjunto de disciplinas definidas para curso de um período seletivo.E 33 . desconhecidos ou com domicílio indefinido.Analista Judiciário .A 35 .Área Administrativa / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. deve ser devidamente justificada. e) a intimação observará a antecedência mínima de cinco dias úteis quanto à data de comparecimento.Q87726 ( Prova: FCC . • • • • • a) não pode ser objeto de delegação a decisão de recursos administrativos.

c) II.Bibliotecário Documentalista / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. Estudo da expectativa do usuário. como objeto de delegação.º 9.Analista Ambiental . apenas.Figueiredo (1999) propõe os seguintes métodos.784.2011 . mas não possuem direito de retirada dele.Q86472 ( Prova: COPEVE-UFAL . de 29 de janeiro de 1999. Observação da interação e do comportamento do usuário na área de referência. e) Os processos administrativos de que resultem sanções poderão ser revistos. como sendo eficientes. 26 . ) Com base na Lei n. assinale a opção incorreta: • a) É prova lícita e admissível em processo administrativo a gravação em vídeo de conversa realizada por um dos interlocutores. para medir as necessidades de informação e satisfação dos usuários: I. IV.º 9. que instituiu a política nacional de educação ambiental. apenas. cabendo.Q86387 ( Prova: CESPE . não prejudica o prosseguimento do processo. Entrevista com usuários estratégicos. quando surgirem fatos novos ou circunstâncias relevantes suscetíveis de justificar a inadequação da sanção aplicada. conforme o caso. julgue o item subsequente. com alterações posteriores.2011 . Estão corretos os itens • • • • • a) I e II. e) I. c) Encerrada a instrução. entre outros.795/1999. julgue o item seguinte. eis que esta difere da interceptação telefônica.Analista Ambiental . ) Considerando o disposto na Lei n. • • • • 46 . Grupos focais para discutir o serviço de referência e os componentes de qualidade. quando um deles está praticando crime. III e IV. d) Os interessados possuem o direito de ter vista do processo administrativo na repartição. Lei nº 9. d) I e IV.II / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. b) A desistência ou renúncia do interessado. esta sim. • ( ) Certo ( ) Errado 47 . o interessado terá o direito de manifestar-se no prazo máximo de dez dias.2011 . salvo se outro prazo for legalmente fixado.MMA . II.784/1999. apenas. que regula o processo administrativo no âmbito da administração pública federal.MMA . o agravamento da sanção. III e IV.UFAL .III / Direito Ambiental / Programa Nacional de Educação Ambiental . podendo decorrer da decisão a reformatio in pejus. II. III. Entre as diretrizes que orientam o Programa Nacional de Educação Ambiental (PRONEA). a pedido ou de ofício. ) Com relação à Lei do Processo Administrativo Federal. a edição de atos normativos e a decisão de recursos administrativos. medida que necessita de autorização judicial. destacam-se a transversalidade e a interdisciplinaridade. apenas. ou seja.Q86274 ( Prova: CESPE . a qualquer tempo. b) II e III. Um órgão administrativo e seu titular podem delegar competências a outros que não lhe sejam hierarquicamente subordinados. 45 . se a Administração considerar que o interesse público assim o exige.

estratégico.D 44 .TRT . viável.Analista Judiciário .784/1999. ) Segmentação.A 43 . b) O dever legal de decidir está condicionado à presença do interesse público e somente é estabelecido na lei n.Área Administrativa / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal.Q85104 ( Prova: FCC . especialmente quando já está estabelecida a autoria e a materialidade do ilícito administrativo. assinale a alternativa CORRETA: • • • • a) Em caso de revisão administrativa.2011 . De acordo com Kotler e Armstrong (1999). viável e sustentável. os quais provavelmente exibirão comportamentos de compra semelhantes. ) De acordo com Lei no 9. é possível se ater a cinco critérios principais. c) genérico. mensurável. permitida a aplicação retroativa de nova interpretação. mensurável. 49 .Juiz / Direito Administrativo / Processo Administrativo Federal. 9784/99. dentre outros. nos processos de que possam resultar sanções e nas situações de litígio. em regra.TJ-PR . pela Administração Pública. viável. à apresentação de alegações finais. no processo administrativo será observado.A 50 . se a matéria for de sua competência. é o processo de divisão de um mercado global em grupos de consumidores potenciais com necessidades e(ou) características semelhantes. viável e sustentável.C 42 . b) impulsão do processo administrativo mediante atuação dos interessados. GABARITOS: 41 . caso possam ser usados ou acionados em marketing. o critério de • • • • • a) garantia dos direitos à comunicação. d) A verdade sabida é admitida em processos administrativos sumários. Com base nessas informações. anular ou revogar a decisão a ser revista. cada segmento deve ser • • • • • a) distinto.E 45 . mensurável.E 46 . 50 . após 60 dias prorrogáveis por igual período depois de concluída a instrução do processo administrativo. de ofício.C 27 . no que se refere ao turismo. 9784/99. permitida. e) genérico.Técnico Especializado II / Marketing / Segmentação de Mercado.EMBRATUR . apropriado e sustentável. não havendo tal cobrança apenas em hipóteses excepcionais previstas em lei. apropriado e sustentável. c) O direito da Administração de anular os atos administrativos de que decorram efeitos favoráveis para os destinatários decai em 05 (cinco) anos contados da data em que foram praticados. à produção de provas e à interposição de recursos. salvo comprovada má-fé. vedada a impulsão. que devem ser aplicados a qualquer segmento. o órgão competente para decidir poderá confirmar. ) Em relação ao Processo Administrativo e à lei n. c) cobrança de despesas processuais.Q85978 ( Prova: FUNIVERSA .C 47 .• ( ) Certo ( ) Errado 48 . d) distinto. Chisnall (1985). apropriado.Q84568 ( Prova: TJ-PR .E 48 .2011 . Middleton e Hawkings (1998). estratégico. viável.B 49 .24ª REGIÃO (MS) . b) distinto. estratégico. apropriado e sustentável. modificar. a renúncia total ou parcial de poderes ou competências.2010 . d) interpretação da norma administrativa da forma que melhor garanta o atendimento do fim público a que se dirige. e) atendimento a fins de interesse geral.