You are on page 1of 3

MARX, Karl. O Capital - Crítica da Economia Política. Livro Primeiro O Processo de Produção do Capital. Volume I.

Rio de Janeiro Civilização Brasileira, 2011. 29ed.
CAPÍTULO 1: A MERCADORIA 1. Os dois fatores da mercadoria: valor-de-uso e valor (MARX, 2011: 57-63)

Valor-de-uso de uma mercadoria é a utilidade que ela tem. Na sociedade capitalista, os valores-de-uso são, ao mesmo tempo, os veículos materiais do valor-de-troca. Aqui, valor é a quantidade de trabalho humano inserida na produção de determinado produto, sem nenhum valor-de-uso, sem nenhum valor-de-troca, ou seja, puramente o valor do trabalho. O valor-de-troca de uma mercadoria é determinado a partir da igualdade entre duas mercadorias distintas, e da medida de suas grandezas. Um valor-de-uso só tem valor porque nele está corporificado trabalho humano abstrato. Então, como medir o valor de uma mercadoria? Mede-se por meio da quantidade de trabalho corporificado que ela tem. A quantidade de trabalho é medida pelo tempo de trabalho médio empregado na produção da mesma. E esse tempo é medido por frações de tempo (dia, hora, etc.). A grandeza do valor de uma mercadoria muda com qualquer variação na produção: quando você demora menos tempo do que antes para fazer tal artigo, o valor dele diminui (valor como sendo trabalho corporificado, não como valor-de-troca); quando é muito mais difícil produzir um artigo, quando é necessário mais trabalho para obtê-lo, o valor é mais alto. A produtividade sofre intervenção de: - condições naturais; - desenvolvimento das forças produtivas; - destreza média dos trabalhadores; - organização social do processo de produção; - volume e eficácia dos meios de produção. Pode existir valor-de-uso sem valor (trabalho): o ar, o mato, a terra, etc. Existe valor-de-uso com valor, mas sem ser mercadoria, porque não é feito para trocar, e sim para satisfazer a si mesmo (horta para consumo próprio). Para ser mercadoria, o objeto tem que ter valor de uso para outras pessoas, para quem vai comprá-lo, e para isso, tem que haver uma relação de troca. Esse é o conceito básico de mercadoria, logo está provado que não é necessário o emprego do dinheiro como elemento fundamental de um produto para ele ser mercadoria, então mercadoria existe antes da sociedade capitalista (uma vez que foi nessa sociedade que os objetos começaram a ter o dinheiro como valor comum). Então, não é valor se não é objeto útil. Se não é objeto útil, o trabalho contido na mercadoria também não é útil. Se o trabalho não tem utilidade, não tem valor nenhum.

. mas isso não caracteriza uma mercadoria. A riqueza material precisa do trabalho do homem e de elementos fornecidos pela natureza (fonte de tudo). 2011: 63-68) Cada mercadoria tem um valor-de-uso e um valor-de-troca. como já foi dito. porque criar valores-de-uso é indispensável à existência do homem. 3. A expressão do valor mais simples de uma mercadoria é a relação de valor entre duas mercadorias diferentes. que ele estuda pormenorizadamente nos próximos itens. As mercadorias só têm valor quando têm trabalho inserido nelas. 2011: 70-84) Uma quantidade determinada de mercadoria equivale à outra quantidade de outra mercadoria. A) A forma simples. exemplo: faz-se o casaco para servir como vestimenta). ou A = B. A relação entre mercadoria e o trabalho que a confecciona depende da relação do homem com a natureza. singular ou fortuita do valor (MARX. Exemplo: 20 metros de linho = 1 casaco. O valor-de-uso é determinado pelo trabalho empregado na produção do produto para algum fim (para dar utilidade ao produto. logo não são mercadorias permutáveis entre si. que é a força de trabalho que toda pessoa tem naturalmente. o papel desses dois conceitos: para medir o valor de uma mercadoria. Mercadorias têm duplo valor: além da utilidade. Esses elementos constituem o substrato. Por exemplo: 20 metros de linho = 1 casaco. 2011: 69-105) As mercadorias vêm ao mundo somente com valor-de-uso. Trabalho abstrato é o trabalho físico ou intelectual. que diz que o trabalho é o pai da produção. deve-se igualar a mesma à outra mercadoria diferente. Isso só é possível igualando-se o elemento comum nas duas mercadorias (que são diferentes): o trabalho socialmente necessário para a produção delas. 1) Os dois polos da expressão do valor: a forma relativa do valor e a forma equivalente (MARX. O duplo caráter do trabalho materializado na mercadoria (MARX. e a mãe é a terra. economista e cientista britânico. um filósofo. Quando você tem um fim para tal trabalho. pura e simplesmente. a forma relativa e a forma equivalente. A forma do valor ou valor-se-uso (MARX. 2011: 70-71) Marx escreve que existem dois polos da expressão do valor em uma mercadoria. A saber.2. Marx cita uma frase de William Petty. ele passa a ser concreto. Marx agora fala sobre o trabalho simples. com utilidade. elas têm um valor-de-troca contido. a base comum de qualquer mercadoria quando se exclui o trabalho humano contido. O tempo necessário para a produção de 20 metros de linho é igual ao tempo necessário para a produção de 1 casaco. Existe uma forma comum de valor entre as mercadorias: o dinheiro do valor (que será desenvolvido depois). Valores-de-uso iguais não se trocam.

porque é através dela que se determina o valor-de-troca da primeira.No estudo da expressão do valor. e B (casaco). Logo. relativamente. passivo. porque essa expressão não expressa o valor de A. por exemplo: A = A. o valor necessário para a produção do linho cai pela metade. que é o linho. uma vez que o tempo de trabalho necessário para a produção de 2 casacos é igual ao tempo de trabalho necessário para a produção de 20 metros de linho. a primeira mercadoria. só pode ser expresso em outra mercadoria. por qualquer motivo. e de qualquer outra mercadoria. “20 metros de linho = 20 metros de linho” não é uma expressão de valor (quanto vale 20 metros de linho. mas é possível identificar o valor-de-uso. Sobre a magnitude do valor: I) Se a produção de linho ficar mais demorada. Na expressão citada é impossível identificar o valor. se a produção de linho sofre um avanço. Em outras palavras. isso porque o valor do linho. II) Agora. ocupa uma forma relativa. o tempo de produção do fio duplicará. linho. e consegue-se produzir o mesmo que antes pela metade do tempo. A (linho) tem papel ativo. Não é possível medir mercadorias iguais. A segunda mercadoria tem forma equivalente. pois seu valor é relativo a algo. afinal?). Agora a mercadoria 20 metros linho passará a ter valor relativo a 2 casacos. ou seja. logo. 20 metros de linho não terão mais o mesmo valor que antes (equivalente a 1 casaco). . valendo agora ½ casaco.