You are on page 1of 38

Dor

Conceito, Classificação, Taxonomia Elizabeth Teixeira Noguera Servin

Dor - Conceito

IASP – Associação Internacional para o Estudo da Dor, Comitê de Taxonomia, Protocolo de Kyoto, Pain 2008.

“experiência sensitiva e emocional desagradável, decorrente ou descrita em termos de lesões teciduais reais ou potenciais”

Dor - conceito

componente somático, discriminativo (cada um sente sua dor, do seu modo, e a descreve em intensidade, localização, duração ).

componente afetivo (o sentimento da dor, baseado em experiências passadas e no estado afetivo do paciente, ansiedade, depressão, medo).

A dor é subjetiva, tudo que o paciente descreve como dor, deve ser aceito como dor.

.Dir Geral da SaúdeDivisão de Doenças Genéticas. O registo sistemático da intensidade da Dor. “Escala Qualitativa” ou “Escala de Faces”.09/DGCG – MS. A inclusão na folha de registo de SSVV de um espaço próprio para registo da intensidade da Dor. e determina: 1. 2. 3. “Escala Numérica”. Crônicas e Geriátricas  5º sinal vital. A utilização para mensuração da intensidade da Dor: “Escala Visual Analógica” (convertida em escala numérica para efeitos de registo).N.

br/08/ampe1.comvidasemdor.  . revista.aliviador.org.dor.cremepe.br (25/06/2009 às 21h: Uso de Opióides na Dor Oncológica) {Dr João Marcos Rizzo do RS e Dr João Batista Garcia do MA}.php www.br/projetossemdor.asp www.com.org.Programas de Ensino e de Políticas Públicas     www.org/ www.

Aguda: fisiológica. fuga ou remoção da causa. dura até a resolução do processo. tendo valor biológico como alerta para ocorrência de lesão. surge em situações de estresse. mecanismo de defesa. ativa mecanismos de sensibilização.Classificação  Quanto ao Tempo: 1.Dor . . De 3-6 meses. ativando reações de defesa.

Geralmente após 3-6 meses. corresponde a mecanismo adaptativo que leva a incapacidade e repercussões desfavoráveis: físicas.Classificação  Quanto ao Tempo (cont) 2. sociais e financeiras.Dor . Crônica: sem valor biológico. Causa já não está presente ou não pode ser removida. emocionais. .

Nociceptiva Somática/Visceral Neuropática Central (inclui Psicogênica) Qto à Origem: 1-orgânica 2-psicogênica . 2. 3.Classificação (cont)  Qto ao mecanismo fisiopatológico: 1.

como a serotonina. . a bradicinina.1. os quais podem ser mecânicos. a substância P.  Os nociceptores podem ser sensibilizados por estímulos químicos endógenos (substâncias algogênicas). as prostaglandinas. e a histamina. Dor Nociceptiva  ativação de nociceptores (fibras A-delta e C) através de estímulos dolorosos. térmicos ou químicos.

. Ex.1. pós-operatórias. conforme a lesão básica. aliviada pelo repouso. Dor Nociceptiva (classif)  Dor Somática: rude. exacerbada ao movimento (dor "incidental"). dores músculo-esqueléticas.: dores ósseas. bem localizada e variável.

referente ao pâncreas. . em escápula referente a vesícula biliar. mal localizada. Dor Nociceptiva (cont)  Dor Visceral: é provocada por distensão de víscera oca. obstrução intestinal. vômitos. e sudorese. como por exemplo. Associa-se a sensações de náuseas. metástase intraperitoneal. Ex. profunda. opressiva. em ombro ou mandíbula relacionadas ao coração.: câncer de pâncreas. Muitas vezes há dores locais referidas.1. e em dorso. constritiva. etc.

agulhada. acompanhada ou não de parestesias (formigamento. . pode decorrer de doenças degenerativas. pós-herpética. choque. Dor Neuropática  Lesão/ Disfunção do SNC ou periférico  Associada ou não a lesão. em queimação. adormecimento). Geralmente descrita como ardente. Ex: neuralgia do trigêmio. diabética. peso.2. penetrante. compressão de raiz nervosa.

decorrente de dano ao sistema somatossensorial. . e as dores precipitadas por lesões centrais (dor talâmica. AVC.3. Dor Central  Dor por Desaferentação: neuropática. secundárias a metástases ou a tumores cerebrais. etc). Ex: lesões periféricas (dor fantasma).

mecanismo pode ser  é diagnóstico de exclusão e de ocorrência muito rara. uma vez que mesmo puramente psiquiátricas. . mesmo que somente bioquimicamente. são manifestações de alterações orgânicas e identificáveis.3. Dor Central (cont)  Dor Psicogênica: nenhum nociceptivo ou neuropático identificado. Muitos autores consideram-na virtual.

Dor Central (cont)  Dor neuropática. Provocar tanta limitação quanto as próprias consequências de um AVC.  Entre 60 e 70% das pessoas que sofrem lesões na medula vão ter essa dor.  .3. Qualquer lesão na via espino tálamo cortical (medula. com lesão no centro produção e de distribuição de informações: cérebro e medula. tálamo e córtex) pode provocar a dor neuropática central ou apenas dor central.

insidioso. falta de repouso. calor. Desencadeantes: movimento. estresse. piora com barulho.Características da Dor 1. procedimentos médicos. . Irradiação: corre para a região inguinal. Fatores de melhora/piora: frio. comidas. Como começou? Duração: Quando começou? Periodicidade: Contínua? Semanal? Mensal? Diária? Noturna? 2. 4. Início: súbito. 3. repouso. para a 5. Piora com movimento. 6. sono. lento e gradual.

de entender.Escalas de Dor  Fáceis de aplicar. dão avaliação pontual da dor. permitem acompanhar a eficácia terapêutica. .

Escalas de Dor .

Escalas de Dor .

Escalas de Dor Não chorando Choro Chorando Relaxado Postura Tenso Escore 0 1=LEVE Escore 1 2= MODERADA 3=INTENSA Escore 0 4=PIOR DOR Escore 1 Escore 0 Escore 1 Escore 0 Escore 1 Relaxado ou Feliz Expressão Estressado Responde quando perguntado Não responde Resposta .

Localizando a Dor .

Diretrizes no Tratamento da Dor   Evitar a demora Tratar a dor de acordo com as necessidades específicas de cada doente Prescrever drogas de resgate p/ dor incidental Abordar outros problemas: psicológicos. espirituais e sociais Regra dos 3 “P”: Pelo relógio: horário regular e não em SOS físicos.     .

Diretrizes: Escada Analgésica da OMS .

25 m/s (1-4mm) . sensíveis a um estímulo nocivo (mecânico. químico) efetivo ou potencialmente lesivo.Nociceptores São estruturas sensoriais sem envoltório (terminações nervosas livres das fibras A δ e C). térmico. e que se despolarizam em resposta a esse estímulo. Fibras Aδ : mielinizadas. dor-temperatura-tato velocidade 5 .

Transmitem a dor mais lentamente (0. § Fibras C .5-2 m/s) com localização mais difusa.Nociceptores § Fibras Adelta . .Transmitem a dor rapidamente (20-30 m/s) com localização mais precisa. Responsável pela primeira dor .Aguda.

lise de  . resposta humoral e imunológica. radicais livres de O2→ ruptura mitocôndrias. Eventos vasculares: vasodilatação. peroxidação. cininas.Nocicepção  A LESÃO: induz ativação das cascatas de inflamação. redução veloc fluxo (estase). coagulação. ↑ permeabilidade (edema). marginação leucocitária. sistema complemento. liberação enzimas líticas e fatores de transcrição (vão codificar neuropeptídeos).

ciência  Dor: IASP. reconhecimento da nocicepção.  Nocicepção: nóxicos da superiores. carreamento de estímulos periferia para os centros .Taxonomia da Dor   Do Grego Tassein = “para classificar” Nomos = lei.

. mas não há nocicepção.Dor x Nocicepção  Uma pode existir sem a outra:  Anestesia do nervo mandibular para cirurgia dentária: há nocicepção.  Dor talâmica: há dor. mas não há dor.

Cognição . Modulação 4. Transdução 2. Transmissão 3.Nocicepção: 4 partes 1.

cinzenta. mecânicos e térmicos. ascendem para cérebro.1. 2. Transmissão  Fibras aferentes primárias levam o estímulo até o corno posterior da medula (lâminas I.IV). . Projeções dos neurônios se organizam em Tratos. cruzam linha média. terminam na subst. Transdução  Nociceptores reconhem os estímulos químicos.II. e os transformam em potencial de ação.

os opióides endógenos (endorfina e encefalina) e os sistemas adrenérgico e serotoninérgico. 4.3. atenuam ou inibem a nocicepção. Cognição  integração afetivo-emocional. funções . amplificam. Modulação  substâncias neuroquímicas como as taquicininas (substancia P).

  PERIFÉRICA: quando ocorre na periferia  CENTRAL: no SNC . Redução do Limiar: o corpo fica mais sensível a estímulos. 2. Aumento da resposta a estímulo supralimiar.Sensibilização  1.

.Limiar de Dor  “Corresponde a mínima intensidade de um estímulo que é percebida como dolorosa”. Tolerância à Dor  “Corresponde a intensidade máxima de um estímulo que evoca dor e que um sujeito está propenso a tolerar em uma determinada situação”.

transgressão da sensibilidade. tubos de ensaio com água quente ou gelada. Dinâmica – ao deslizar sobre a pele.  Dor durante estímulo não-doloroso. . escova. algodão ou swab. pesquisada com toque suave dos dedos.Alodinia ou Alodínia  dor que surge como resultado deestimulação não-nociva aplicada à pele normal‡. Térmica – toque da superfície metálica do martelo. É  Tátil ou mecânica .(roupas ou vento tocando a pele).

 Ex: dor exagerada após pequena agulhada. . mas a dor é desproporcional.  O estímulo é doloroso.Hiperalgesia  Dor exacerbada após estímulo nociceptivo.

 Fenômeno de somação. . onde normalmente há maior limiar para percepção de um estímulo isolado e menor sensibilidade dolorosa (hipoalgesia). Agulhamento sequencial em mesmo ponto da pele.Hiperpatia  Reação álgica intensa e exagerada após estímulos repetitivos.

Parestesia  sensação anormal. dolorosa. geralmente não desagradável. adormecimento. espontânea ou provocada‡. espontânea. . como formigamento. desconfortável. Disestesia  Sensação anormal.

Obrigada! .