[Ano

]

Conceitos Básicos

Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br

Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui

Unidade: Conceitos Básicos
MATERIAL TEÓRICO

Responsável pelo Conteúdo: Prof. Dr. Victo dos Santos Filho Revisão Textual: Profa. Ms. Alessandra Cavalcante

Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual.com.br

2

etc. um fio de varal. sem considerar suas causas. a Mecˆ anica se divide em trˆ es sub-´ areas: ´ a parte da Mecˆ 1. um ´ atomo isolado em um g´ as ou em um l´ ıquido. ´ a parte da Mecˆ 3. um corpo ´ e qualquer objeto que possua massa. Ex. Os corpos podem ser classificados em dois tipos. em outras palavras. Corpos puntiformes ou part´ ıculas: S˜ ao aqueles em que se pode desprezar todas as suas dimens˜ oes no problema em estudo.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui Mecˆ anica Geral Unidade I: Conceitos b´ asicos 1 Introdu¸ c˜ ao Mecˆ anica ´ e a parte da F´ ısica que estuda o estado de movimento de um corpo. considerando suas causas. Mecˆ anica: E anica que estuda o movimento dos corpos.: Uma bolinha de gude em um gramado.: Uma barra de ferro em um andar. Ex. etc. Denominamos corpo uma por¸ c˜ ao limitada de mat´ eria ou. 1 . ´ a parte da Mecˆ 2. Est´ atica: E anica que estuda o estado de repouso ou equil´ ıbrio dos corpos. um paralelep´ ıpedo na cal¸ cada. Corpos extensos: S˜ ao os corpos em que n˜ ao se pode desprezar todas as suas dimens˜ oes no problema em considera¸ c˜ ao. Cinem´ atica: E anica que estuda o movimento dos corpos. 2. de acordo com as suas dimens˜ oes: 1. Por se tratar de uma ´ area extremamente ampla.

ou • Velocidade constante. corpos extensos. 2 Est´ atica A Est´ atica ´ e a parte da Mecˆ anica que estuda as condi¸ c˜ oes para que os corpos permane¸ cam em equil´ ıbrio. embora existam casos em que se analisam for¸ cas sobre corpos com dimens˜ oes desprez´ ıveis no problema em considera¸ c˜ ao.com. (c) Um carro. analisaremos as grandezas f´ ısicas relevantes no estudo do estado de equil´ ıbrio dos corpos e as condi¸ c˜ oes f´ ısicas em que ocorre o repouso dos mesmos. considerando os corpos como part´ ıculas. em rela¸ c˜ ao ` a Via-L´ actea. (e) Uma formiga.br . Exerc´ ıcio 1: Classifique em puntiforme ou extenso: (a) A Terra. Neste curso. caracterizando o estado de movimento que se denomina Movimento Retil´ ıneo Uniforme (MRU). movendo-se sozinho na Via Dutra. consideraremos o estudo da Est´ atica. pois na verdade existem apenas corpos extensos na Natureza. 2 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. manobrando na garagem. ou seja. em rela¸ c˜ ao a um dado referencial inercial. Entretanto. podemos simplificar um c´ alculo. em rela¸ c˜ ao a um dado referencial inercial.cruzeirodovirtual. ou seja. ou seja. Definimos equil´ ıbrio como o estado f´ ısico em que um corpo se encontra com: • Velocidade nula. em geral. caminhando em uma mesa. movendo-se em rela¸ c˜ ao ` a Lua: (b) A Terra.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui Essa classifica¸ c˜ ao ´ e meramente did´ atica. No contexto da Engenharia. consideramos. dependendo das condi¸ c˜ oes do problema em estudo. em estado de repouso. (d) Um carro.

envolvendo principalmente corpos extensos. atribu´ ımos um valor unit´ ario a uma por¸ c˜ ao previamente adotada da grandeza que se deseja medir para servir de padr˜ ao ou referˆ encia. massa. que ´ e uma unidade de velocidade. barras. em que se conectam muitas barras atrav´ es de jun¸ c˜ oes ou n´ os. E em usual trabalhar com n´ os em estruturas mecˆ anicas. Entretanto. Medir significa comparar quantitativamente uma grandeza f´ ısica com uma unidade de mesma natureza previamente definida. que ´ e uma unidade de tempo e metro por segundo (m/s). enquanto que um pino pode ser considerado como uma part´ ıcula nos c´ alculos. etc. qualidade ou propriedade observ´ avel da Natureza que possamos medir. 3 Grandezas F´ ısicas Denominamos grandeza f´ ısica qualquer quantidade. pontes ou estruturas como treli¸ cas. s˜ ao utilizados muitos c´ alculos. observadas no estudo de um fenˆ omeno da Natureza. Podemos dizer que uma grandeza f´ ısica descreve qualitativa e quantitativamente propriedades e/ou suas rela¸ c˜ oes associadas a corpos. Esta referˆ encia ´ e denominada unidade f´ ısica. que ´ e uma unidade de distˆ ancia. As unidades ou grandezas f´ ısicas podem ser classificadas em dois tipos: 3 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.: Uma haste ´ e um corpo extenso. Uma grandeza f´ ısica descreve quantitativamente as propriedades naturais na forma de um n´ umero e uma unidade.com. como vigas.cruzeirodovirtual. velocidade. atribuindo-se grandezas f´ ısicas ` as propriedades da Natureza podemos quantific´ a-las ou medi-las. Nas medi¸ c˜ oes. Exemplos de grandezas: comprimento. hora. temperatura.br . alguns corpos podem ter dimens˜ oes desprez´ ıveis e os consideramos como part´ ıculas ´ tamb´ para facilitar os c´ alculos. No processo de medi¸ c˜ ao.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui Na Engenharia. que formalmente corresponderiam a pequenos corpos em que se aplicam as condi¸ c˜ oes matem´ aticas de equil´ ıbrio para se analisar o estado de repouso ou movimento da estrutura global. Exemplos de unidades f´ ısicas: cent´ ımetro. as grandezas sempre devem vir acompanhadas de suas unidades respectivas. ou seja. Ex.

pois dependem de outras grandezas em suas defini¸ c˜ oes. • Derivadas: S˜ ao aquelas que dependem das fundamentais e/ou aquelas cujas defini¸ c˜ oes derivam das fundamentais. ou seja. Exerc´ ıcio 2: Caracterize em grandeza (G) ou grandeza f´ ısica (GF) e. J´ a a velocidade e a press˜ ao s˜ ao grandezas derivadas.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui • Fundamentais: S˜ ao aquelas que representam as mais b´ asicas e essenciais propriedades ou conceitos da Natureza. a velocidade ´ e uma grandeza f´ ısica derivada que depende de duas grandezas f´ ısicas fundamentais em sua defini¸ c˜ ao.com. tempo e espa¸ co s˜ ao conceitos primitivos que consideramos fundamentais. Como exemplo. a for¸ ca F e a ´ area A: P = F . Exemplo 2: No caso da press˜ ao. no segundo caso. A rela¸ c˜ ao que define a grandeza f´ ısica velocidade ´ e a divis˜ ao entre a grandeza espa¸ co ou comprimento e a grandeza tempo.cruzeirodovirtual. o s´ ımbolo ∆ significa apeDo ponto de vista das rela¸ nas uma varia¸ c˜ ao da grandeza dada. essa grandeza ´ e definida como a divis˜ ao entre duas grandezas (ambas tamb´ em derivadas). A (2) que podem ser desdobradas em trˆ es fundamentais: massa.br . a partir das quais se constroem as demais grandezas ou unidades. ∆t (1) c˜ oes entre as grandezas. comprimento e tempo. classifique em grandeza f´ ısica fundamental (GFF) ou grandeza f´ ısica derivada (GFD): (a) Velocidade (c) Odor (e) For¸ ca (g) Comprimento (i) Estado de agita¸ c˜ ao de mol´ eculas (b) Utilidade (d) Beleza (f) Press˜ ao (h) Trabalho (j) Tempo 4 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. Exemplo 1: A velocidade ´ e definida como: v= ∆s . O mesmo ocorre para as demais grandezas f´ ısicas derivadas da mecˆ anica.

dadas na tabela 1: Grandeza Comprimento Tempo Massa Temperatura Corrente el´ etrica Quantidade de mat´ eria Intensidade luminosa Unidade metro segundo quilograma Kelvin Amp` ere mol candela S´ ımbolo m s kg K A mol cd Tabela 1: Grandezas f´ ısicas fundamentais e suas respectivas unidades f´ ısicas no sistema internacional. a massa e o tempo .com. de modo que qualquer propriedade ou quantidade natural de qualquer fenˆ omeno pode ser medida. como anteriormente mencionado nos exemplos. talvez. com exce¸ c˜ ao. Obviamente. O Sistema Internacional de Unidades possui as seguintes grandezas e unidades fundamentais constituintes. podem ser constru´ ıdas quaisquer outras grandezas f´ ısicas derivadas.o comprimento.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 4 Sistemas de Unidades F´ ısicas Denominamos sistema de unidades f´ ısicas um conjunto de unidades adotado para que se possa medir qualquer grandeza em quaisquer fenˆ omenos existentes na Natureza. na Mecˆ anica s˜ ao necess´ arias as trˆ es primeiras grandezas f´ ısicas .cruzeirodovirtual. nos u ´ltimos anos. Entretanto.para construir as demais grandezas f´ ısicas derivadas. H´ a muitos sistemas de unidades. dos Estados Unidos e da Gr˜ aBretanha. 5 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. mas os mais famosos s˜ ao: 1. Sistema Internacional de Unidades (SI) ou Sistema MKS: O Sistema Internacional de Unidades foi aquele adotado em uma conferˆ encia internacional de f´ ısica. Com essas grandezas f´ ısicas fundamentais. mesmo ambos tˆ em adotado o sistema. sendo utilizado atualmente por quase todos os pa´ ıses no mundo.br . tendo em vista sua grande utilidade e a conveniˆ encia de que todos adotem unidades universais.

Suas principais grandezas e unidades fundamentais na Mecˆ anica s˜ ao dadas na tabela 2 abaixo: Grandeza Comprimento Tempo Massa Unidade cent´ ımetro (cm) segundo (s) grama (g) Tabela 2: Grandezas f´ ısicas fundamentais da Mecˆ anica no sistema CGS.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 2. Alguns. mas na Engenharia ´ e tamb´ em muito comum trabalharmos com unidades dos sistemas americanos.br . chamado Sistema Internacional (SI) ou sistema MKS (devido ` as iniciais das unidades das trˆ es principais grandezas fundamentais) e tamb´ em o sistema CGS (nome dado devido ` as iniciais das unidades da Mecˆ anica que o comp˜ oem). Dentre os sistemas de unidades mais usados. que ´ e a unidade de medida.cruzeirodovirtual. usam n˜ ao a ´ o caso do sistema t´ massa e sim a for¸ ca como grandeza fundamental. assim ´ e necess´ ario adotar t´ ecnicas que facilitem a escrita desses n´ umeros. Resumindo. 6 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. podem ser feitas medidas de grandezas muito pequenas a grandezas extremamente grandes. Unidades f´ ısicas s˜ ao. baseados em potˆ encias de dez. como a utiliza¸ c˜ ao da nota¸ c˜ ao cient´ ıfica. E ecnico. principalmente em Eletromagnetismo. o principal adotado no mundo. inclusive. muito encontrados em documentos t´ ecnicos de empresas e em livros americanos. valores padronizados como unit´ arios de uma dada grandeza f´ ısica que tˆ em por finalidade medir a magnitude das mesmas. H´ a tamb´ em outros sistemas de unidades. Adotaremos aqui o sistema internacional. medir uma grandeza f´ ısica ´ e compar´ a-la com outra grandeza de mesma esp´ ecie. quantas vezes a unidade est´ a contida na grandeza que est´ a sendo medida. ou seja. a convers˜ ao de unidades e/ou o uso de prefixos para as unidades. ent˜ ao. Verifica-se. Na F´ ısica.com. como vimos. al´ em dos dois j´ a citados. destacamos os sistemas americano e britˆ anico. em que a unidade de for¸ ca ´ e o quilograma-for¸ ca ou kgf. Sistema Gaussiano ou CGS: O sistema CGS tamb´ em ´ e muito utilizado.

Entretanto. a mais usada ´ e a chamada nota¸ c˜ ao cient´ ıfica padr˜ ao ou padronizada. y = 0.10e .00000538 m 3.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 5 Nota¸ c˜ ao Cient´ ıfica Existem muitas formas de se representar n´ umeros com nota¸ c˜ ao cient´ ıfica. esse n´ umero deve ser escrito como: r = 1.cruzeirodovirtual. x = 64538. z = 6000000000 J 4. onde N ´ e o n´ umero a ser representado. v = 168000000000000 N (3) 7 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. A dimens˜ ao m´ edia de um n´ ucleo atˆ omico ´ e um n´ umero da ordem de r=0. multiplicado por fatores de 10. O raio da Terra ´ e da ordem de 6400 km ou 6400000 m. Como exemplos. M ´ e a mantissa e e o expoente.0 x 10−15 m 2.br . Desse modo. temos: R = 6.0000000001 m 5. Definimos nota¸ c˜ ao cient´ ıfica padronizada aquela em que se tem a mantissa (coeficiente ou n´ umero com os algarismos significativos) com valor maior ou igual a 1 e menor que 10. w = 0. Em nota¸ c˜ ao cient´ ıfica.38 kg 2.com. temos: 1. Exerc´ ıcio 3: Escrever em nota¸ c˜ ao cient´ ıfica: 1. cada n´ umero ´ e representado de um modo u ´nico.0000000000000010 m.400 x 107 m. na forma: N = M. Em nota¸ c˜ ao cient´ ıfica.

00000538 m 3.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 6 Prefixos Outro recurso para se representar n´ umeros muito grandes ou muito pequenos ´ e o de utilizar prefixos. Denominamos prefixos os s´ ımbolos antepostos as unidades f´ ` ısicas.83 Gg Exerc´ ıcio 4: Escrever os n´ umeros abaixo. z = 6000000000 J 4. w = 0.br . x = 0.38 kg 2.0000000001 m 5. x = 64538. usando prefixos: 1.cruzeirodovirtual.000005 J = 5 µJ 2. y = 0. Prefixo Nome Atto Femto Pico Nano Micro Mili Quilo Mega Giga Tera Peta Exa Prefixo S´ ımbolo a f p n µ m k M G T P E Fator 10−18 10−15 10−12 10−9 10−6 10−3 103 106 109 1012 1015 1018 Tabela 3: Prefixos e seus respectivos valores em potˆ encias de dez Como exemplos. Os prefixos mais usados s˜ ao dados na tabela 3. significando um fator de 10 multiplicativo ` a unidade. y = 5830000000 g = 5. temos: 1. v = 168000000000000 N 8 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.com. a seguir.

aquelas dadas na tabela 4: km 103 m hm 102 m dam 101 m m 1m dm 10−1 m cm 10−2 m mm 10−3 m Tabela 4: Tabela de convers˜ ao com m´ ultiplos e subm´ ultiplos do metro.cruzeirodovirtual. ´ e necess´ ario saber passar um n´ umero de uma unidade para outra. 9 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. tem-se como unidades principais as dadas na tabela 5. Convers˜ ao de unidades de massa: Neste caso. Convers˜ ao de unidades de tempo: Neste caso. como indicado na tabela 6: kg 103 g hg 102 g dag 101 g g 1g dg 10−1 g cg 10−2 g mg 10−3 g Tabela 6: Tabela de convers˜ ao com m´ ultiplos e subm´ ultiplos do grama.br . sendo as unidades mais comuns.com. usamos os mesmos prefixos adotados no caso das convers˜ oes de distˆ ancia. muito comum no quotidiano.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 7 Convers˜ ao de Unidades Muitas vezes. ou seja. Convers˜ ao de unidades de distˆ ancia: H´ a muitas unidades de distˆ ancia. hora e segundo: ano 365 dias semana 7 dias dia 24 h hora (h) 3600 s minuto (min) 60 s segundo (s) 1s ms 10−3 s Tabela 5: Tabela de convers˜ ao com m´ ultiplos e subm´ ultiplos do segundo. em que est˜ ao tamb´ em indicadas as convers˜ oes entre as principais unidades: dia. 2. devemos fazer a convers˜ ao de unidades. inclusive sendo usadas no dia-a-dia. 2. Algumas convers˜ oes muito u ´teis s˜ ao: 1.

Logo: 80 km / h = 80 x 1000 x 1 / ( 0.br/ Exemplo 1: Converter 80 km / h para p´ e / s: Sabemos que: 1 km = 1000 m = 1000 x [ (100/2.0254 * 12 * 3600 ) p´ e / s. Para se verificar rela¸ c˜ oes de convers˜ ao entre diversas unidades. Grandeza For¸ ca Massa Comprimento Tempo Unidade Fator de convers˜ ao para o SI 1 lb 4. Neste caso.cruzeirodovirtual.br . pode-se consultar p´ aginas espec´ ıficas com esse tipo de fun¸ c˜ ao de c´ alculo. as unidades b´ asicas s˜ ao: p´ e.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 3.3048 m s s Tabela 7: Exemplos de convers˜ ao entre unidades do sistema americano e o SI. Convers˜ ao entre o sistema internacional e o americano: No caso das grandezas anteriores e de outras grandezas escritas no sistema americano usual.54)/12 ] p´ ee 1 h = 3600 s. de modo que: e/s.com. 80 km/h ∼ = 72. libra e segundo. No sistema americano usual. for¸ ca e tempo. torna-se muitas vezes necess´ ario convertˆ e-las para o sistema internacional.5938 kg p´ e 0. como: http://www.908 p´ Exemplo 2: Converter 100 slug / p´ e2 para o SI: Sabemos que: 10 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. algumas destas convers˜ oes s˜ ao dadas na tabela 7. respectivamente.webcalc. para as grandezas f´ ısicas distˆ ancia.4482 N 2 1 slug = (lb × s )/p´ e 14.com.

5938 kg / (0. A dimens˜ ao de uma grandeza permite que se estabele¸ cam as rela¸ c˜ oes entre as unidades fundamentais que a constituem. Exerc´ ıcio 5: Executar os c´ alculos e convers˜ oes abaixo.br . de modo que: 100 slug / p´ e2 ∼ = 1.3048 m . A nota¸ c˜ ao para representar a dimens˜ ao de uma grandeza f´ ısica ´ e dada por: [ A ]: Lˆ e-se ”dimens˜ ao da grandeza f´ ısica A”. Logo: 100 slug / p´ e2 = 100 x 14. expressando a quantidade em unidades do SI (pesquise as unidades que desconhecer): (a) 50 p´ es x 60 µlb (b) 50 kN x 60 nm (c) 100 kgf x 200 p´ es (d) 500 lb / p´ es2 (e) 10 dyn x 20 ns 8 Dimens˜ oes Denominamos dimens˜ ao de uma grandeza f´ ısica a unidade gen´ erica que a caracteriza. independentemente do sistema de unidades que se use para determin´ a-la.5938 kg e 1 p´ e = 0.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 1 slug = 14. As dimens˜ oes das grandezas fundamentais s˜ ao dadas na tabela 8: 11 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.3048)2 m2 .cruzeirodovirtual.com.57 x 104 kg / m2 .

Exemplo 2: A acelera¸ c˜ ao tem dimens˜ ao de velocidade por tempo.cruzeirodovirtual. logo: [a]=[v]/[t] [ a ] = ( LT−1 ) / T ou [ a ] = LT−2 . logo: [F]=[m][a] [ F ] = M .br . 12 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. Exemplo 3: A for¸ ca tem dimens˜ ao de massa vezes acelera¸ c˜ ao. logo: [v]=[s]/[t] [ v ] = L / T ou [ v ] = LT−1 .Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui Grandeza Comprimento Tempo Massa Temperatura Corrente el´ etrica Quantidade de mat´ eria Intensidade luminosa Dimens˜ ao L T M Θ I N J Tabela 8: Grandezas f´ ısicas fundamentais e suas respectivas dimens˜ oes f´ ısicas. Exemplo 1: A velocidade tem dimens˜ ao de espa¸ co por tempo. Exemplo 4: Determine a dimens˜ ao da energia cin´ etica. Exemplo 5: Determine a dimens˜ ao do trabalho de uma for¸ ca.com.( LT−2 ) ou [ F ] = MLT−2 .

definimos um triˆ angulo retˆ angulo como um triˆ angulo que possui um ˆ angulo reto.s˜ ao chamados catetos. A rela¸ c˜ ao entre os lados e ˆ angulos de um triˆ angulo retˆ angulo ´ e a base da trigonometria. Em um triˆ angulo retˆ angulo.cruzeirodovirtual. oposto ao ˆ angulo reto.que s˜ ao cada um oposto a um dos ˆ angulos agudos .br . podemos visualizar a forma de um triˆ angulo retˆ angulo e suas principais medidas. altura e proje¸ c˜ oes. Consequentemente. enquanto que o maior lado. ´ e chamado hipotenusa. ent˜ ao podemos calcular a medida dos demais lados e ˆ angulos. os dois lados menores . ˆ angulos. tendo em vista que a soma dos ˆ angulos internos de o qualquer triˆ angulo ´ e igual a 180 .com. se soubermos as medidas de dois lados ou a medida de um lado e de um ˆ angulo agudo. Matematicamente: ˆ+B ˆ +C ˆ = 180o A (4) A trigonometria ´ e fundamental em v´ arias ´ areas. os outros dois angulos s˜ ˆ ao agudos.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 9 Revis˜ ao de Trigonometria Trigonometria ´ e um ramo da matem´ atica que estuda as rela¸ c˜ oes entre os comprimentos dos lados e dos ˆ angulos em um triˆ angulo retˆ angulo. Na figura 1. Em um triˆ angulo retˆ angulo. Figura 1: Esquema de um triˆ angulo retˆ angulo. mostrando seus elementos: lados. 13 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. Na geometria euclidiana plana. tendo aplica¸ c˜ oes importantes nas ciˆ encias e na Engenharia.

n.br . ent˜ ao o mesmo ocorre entre as propor¸ c˜ oes dos demais lados correspondentes. Al´ em disso. podemos provar o famoso Teorema de Pit´ agoras: c2 + b2 = a. b1 b2 b3 (5) Assim. se o maior triˆ angulo tem seu maior lado trˆ es vezes maior que o do segundo.com.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui Na figura 1.h. Com as rela¸ c˜ oes acima. identificamos na figura outras medidas importantes. os catetos tˆ em medidas c e b. Em outras palavras. como as proje¸ c˜ oes dos catetos sobre a hipotenusa (m e n) e a medida da altura (h) do triˆ angulo em rela¸ c˜ ao ` a hipotenusa.a. 10 Rela¸ c˜ oes m´ etricas em um triˆ angulo retˆ angulo Dois triˆ angulos s˜ ao ditos semelhantes se um pode ser obtido do outro pela multiplica¸ c˜ ao da medida de seus lados por um fator constante. usando o mesmo racioc´ ınio e montando as poss´ ıveis propor¸ co ˜es. c n de modo que: c2 = a. em triˆ angulos semelhantes os comprimentos de seus lados correspondentes s˜ ao proporcionais. Em um triˆ angulo retˆ angulo. Este ´ e o caso se. logo os lados correspondentes s˜ ao proporcionais: a c = . e somente se. ou seja: a1 a2 a3 = = = k. (7) Analogamente. podemos estabelecer rela¸ c˜ oes m´ etricas entre seus elementos.m = a(m + n) = a. seus ˆ angulos correspondentes s˜ ao iguais. aplicando as propriedades b´ asicas da geometria euclidiana. Usando como base o triˆ angulo da figura 1.n + a.m (8) e bc = a. B e C ). pois possuem ao menos dois ˆ angulos iguais.cruzeirodovirtual. obtemos: b2 = a. temos que o triˆ angulo menor ` a esquerda ´ e semelhante ao triˆ angulo ABC. a hipotenusa tem medida a e os a ˆngulos s˜ ao denotados com os respectivos nomes de seus v´ ertices com ˆ ˆ ˆ circunflexo (A. 14 (10) (9) (6) Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.

cujo resultado nos fornece o enunciado: ”O quadrado da medida da hipotenusa ´ e igual ` a soma das medidas dos quadrados dos catetos.br . Esta raz˜ ao ou rela¸ c˜ ao trigonom´ etrica ´ e denominada seno de B. portanto.” (11) 11 Propriedades trigonom´ etricas em um triˆ angulo retˆ angulo Com as propriedades de semelhan¸ ca. sendo um valor entre 0 e 1 e que depende somente de B. temos: ˆ= b . pois sabemos da geometria que triˆ angulos com dois ˆ angulos iguais s˜ ao semelhantes. podemos definir as fun¸ c˜ oes trigonom´ etricas em triˆ angulos retˆ angulos. Dois triˆ angulos retˆ angulos que tˆ em angulos B correspondentes iguais s˜ ˆ ao obviamente semelhantes. no triˆ angulo da figura 1. hipotenusa (14) de modo que. Cosseno: ˆ= cos B cateto adjacente ao ˆ angulo . a mesma nos dois triˆ angulos. temos: ˆ= c . hipotenusa (12) Assim.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui logo: a2 = c 2 + b 2 . A raz˜ ao entre o comprimento do lado oposto a B e o comprimento da hipotenusa ser´ a. cos B a 15 (15) Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. seguindo a figura 1. sendo denotada e definida matematicamente como: ˆ= sin B cateto oposto ao ˆ angulo . sin B a (13) Outras fun¸ c˜ oes que s˜ ao poss´ ıveis de definir em um triˆ angulo retˆ angulo s˜ ao: 2.com.cruzeirodovirtual.

cot B b (18) ˆ = b. cateto oposto ao ˆ angulo (22) hipotenusa . ˆ . como: sin x = cos (90o − x). cateto oposto ao ˆ angulo Matematicamente: 5.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 3.com. ou seja.cruzeirodovirtual. em nossa figura. csc B (23) b As raz˜ oes trigonom´ etricas definidas acima tamb´ em podem ser definidas para o outro ˆ angulo agudo do triˆ angulo retˆ angulo. c (20) ˆ=c . Como os ˆ oˆ angulo C angulos s˜ ao complementares.br . Cossecante: ˆ= csc B Matematicamente: hipotenusa . Tangente: angulo ˆ = cateto oposto ao ˆ tan B . tan B c (16) (17) (19) ˆ= sec B (21) ˆ=a . ou seja: ˆ +C ˆ = 90o . (25) (24) 16 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. Cotangente: angulo ˆ = cateto adjacente ao ˆ cot B . Secante: ˆ= sec B Matematicamente: 6. cateto adjacente ao ˆ angulo Matematicamente: 4. B ent˜ ao podemos concluir algumas propriedades interessantes. cateto adjacente ao ˆ angulo a .

De fato. que s˜ ao iguais a 45o . os catetos tˆ em medidas iguais ao lado do quadrado (a). Esses valores podem ser demonstrados com propriedades da geometria plana. para qualquer um dos ˆ angulos agudos. neste triˆ angulo.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 12 ˆ Angulos not´ aveis Denominamos ˆ angulos not´ aveis alguns ˆ angulos em que se pode determinar de forma exata os valores de suas raz˜ oes trigonom´ etricas.cruzeirodovirtual. pode-se obter um triˆ angulo retˆ angulo a partir da divis˜ ao de um retˆ angulo por sua diagonal. Dentre os angulos agudos. pode-se mostrar os valores das raz˜ oes para o ˆ angulo de 45o : Figura 2: Esquema de um quadrado. para 17 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. s˜ ˆ ao eles os ˆ angulos de 30o .com.br . logo. Por exemplo. Supondo um quadrado (figura 2). subdividido em dois triˆ angulos retˆ angulos. com ˆ angulos agudos de 45o . ˆ Angulo 30o 45o 60o Seno 1/2 √ √2/2 3/2 Cosseno √ √3/2 2/2 1/2 Tangente √ 3/3 1 √ 3 ˆ Tabela 9: Angulos not´ aveis e suas raz˜ oes trigonom´ etricas. A tabela a seguir mostra esses ˆ angulos not´ aveis e os valores de suas raz˜ oes trigonom´ etricas principais. 45o e 60o .

(26) (27) Assim. sabendo-se que ˆ vale 30o . as raz˜ oes trigonom´ etricas seno. cosseno e tangente dadas na tabela 9 podem ser facilmente verificadas: √ 2 a o o sin 45 = √ ⇒ sin 45 = .com. por Pit´ agoras: h2 = a2 + a2 ⇒ h2 = 2a2 .Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui que a soma forne¸ ca 90o .br . tem-se. de modo que: √ h = a 2. a Exemplos resolvidos: 1. Obter os valores das medidas dos catetos b e c abaixo. Resolu¸ c˜ ao: Com os conceitos dados anteriormente. podemos escrever: ˆ= b ⇒ sin B a 18 (31) Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual. (28) 2 a a √ 2 a o o cos 45 = √ ⇒ cos 45 = (29) 2 a a e a (30) tan 45o = ⇒ tan 45o = 1. a hipotenusa mede 5 cm e o ˆ angulo B Figura 3: Esquema do triˆ angulo retˆ angulo do exemplo 1.

ent˜ Como da tabela de ˆ podemos escrever: √ 3 b = . sin C 12 ˆ = 30o .33 cm.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui b sin 30o = . sabemos que sin 30o = 1/2. aproximadamente. podemos escrever: ˆ= c ⇒ sin C a ˆ = 6 = 0. Obter os valores das medidas do cateto b e dos ˆ angulos. 5. obtemos: Como B ˆ = 60o . b=4. sabemos que cos 30o = 3/2. (35) 5 √ ao angulos not´ aveis. Analogamente. ent˜ ao podeComo da tabela de ˆ mos escrever: 1 b = . (32) 5 angulos not´ aveis. Resolu¸ c˜ ao: Com os conceitos dados anteriormente. (33) 2 5 de modo que temos 2 b = 5 ou b = 2.br . conclu´ ımos que C ˆ +C ˆ = 90o . Com a tabela de ˆ angulos not´ aveis. 2. podemos usar a raz˜ ao cosseno para obter o outro cateto: ˆ= c ⇒ cos B (34) a c cos 30o = .com. B 19 (38) (39) Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.cruzeirodovirtual. (36) 2 5 √ de modo que temos 2 b = 5 3 ou √ 5 3 b= (37) 2 ou. sabendo-se que a hipotenusa vale 12 m e o cateto c vale 6 cm.5 cm.

2 √ alculo. (b) Part´ ıcula. aproximadamente: Desse c´ b = 10.com.39 cm. x = 6. por exemplo.br . (c) Part´ ıcula. obtemos: b = 6 3 ou. (d) Corpo extenso.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui Ent˜ ao. (e) Part´ ıcula ou corpo extenso. o que vai depender de seu tamanho e se consideramos seu movimento em rela¸ c˜ ao a um objeto na mesa como uma colher ou em rela¸ c˜ ao a um cubo de a¸ cu ´car.453838 x 104 kg (b) G (d) G (f) GFD (h) GFD (j) GFF 20 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. (40) (41) (42) Respostas dos exerc´ ıcios propostos: Ex.: 1) (a) Corpo extenso. temos: ˆ= b ⇒ sin B a √ 3 b = ⇒ 2 12 √ 3 b = 12 .: 2) (a) GFD (c) G (e) GFD (g) GFF (i) GFF Ex.: 3) 1. Ex.cruzeirodovirtual.

8 TN Ex.38 µm 3.0041 N.: 4) 1.m (b) 50 kN x 60 nm = 0. v = 1.98 x 104 N. y = 5.cruzeirodovirtual.m (c) 100 kgf x 200 p´ es = 5. w = 1.0 x 10−10 m 5. x = 64. v = 16.m (d) 5000 lb / p´ es2 = 2. w = 0.003 N.53838 Mg 2.com.38 x 10−6 m 3.68 x 1014 N Ex.1 nm 5.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui 2.s 21 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.br . y = 5.: 5) (a) 50 p´ es x 60 µlb = 0. z = 6 x 109 J 4. z = 6 GJ 4.39 x 105 N / m2 (e) 10 dyn x 20 ms = 2 x 10−6 N.

cruzeirodovirtual.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui Anotações _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.com.br .

Estática .com. 1. Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www. Cap. 1996. SHAMES. C.Volume I. 2005. 1. Gelson. Vol.br .Mecânica Para Engenharia. IEZZI. IRVING H. 3: Trigonometria.Unidade: Conceitos Básicos Unidade: Colocar o nome da unidade aqui Referências HIBBELER. 8ª ed. Fundamentos de Matemática Elementar. Pearson Prentice Hall. Cap. 4ª ed. 10ª ed. 2004. Pearson Prentice Hall.cruzeirodovirtual. Estática . R. São Paulo: Editora Atual.Mecânica Para Engenharia .

br .edu.cruzeirodosul.com.www.br Campus Liberdade Rua Galvão Bueno.cruzeirodovirtual. 868 01506-000 São Paulo SP Brasil Tel: (55 11) 3385-3000 Campus Virtual Cruzeiro do Sul | www.